Por que apago meus tweets antigos

Nota do editor: Desde que comecei a apagar meus tweets, o assunto tem chamado a atenção de alguns amigos e colegas. Foi tema de um podcast aqui e, embora a minha motivação não seja exatamente igual à do Rob, que assina o texto abaixo, compartilho de vários dos seus argumentos. Em nota relacionada, a ferramenta que usei para apagar todos os meus tweets, o Cardigan, deixará de funcionar a partir de 1º de agosto devido a mudanças na API do Twitter. Achei a ocasião oportuna para publicar este relato.

Comecei a apagar meus tweets antigos. Isso é algo que tenho a intenção de fazer por algum tempo, não por qualquer razão em particular, mas por um senso geral de higiene digital — parece uma boa ideia desmantelar arquivos de materiais pessoais que estão abertos ao escrutínio de algoritmos de aprendizado de máquina e outros adversários. É impossível saber quais conclusões a nosso respeito podem ser derivadas de algum processamento agregado do que na época pareciam ser piadas aleatórias, trocas casuais e links compartilhados.

Continue lendo “Por que apago meus tweets antigos”

EaseUS celebra 15 anos distribuindo prêmios diários

Oferecimento:
EaseUS 15 anos.

Nesta semana, o Manual do Usuário está sendo patrocinado pela EaseUS Software, empresa que desenvolve soluções de recuperação de arquivos, gerenciamento de partições, transferência de dados e backup e restauração, e que está comemorando 15 anos de mercado.

O destaque do portfólio é o EaseUS Data Recovery Wizard Pro, um aplicativo para macOS e Windows que promete recuperar arquivos apagados da lixeira. Ele trabalha com memórias internas (HDDs e SSDs), pen drives e cartões de memória.

A interface se baseia em assistentes (o “wizard” do nome) que guiam o usuário no processo de recuperação. Basta selecionar a memória desejada na tela inicial e apertar o botão “Verificar” para iniciar a varredura. Após a análise, os resultados identificados pelo app aparecerem em uma árvore de pastas similar ao Finder/Windows Explorer. Aí basta selecionar os arquivos que se queira restaurar e apertar o botão “Recuperar Agora”. Note que todos esses processos podem ser lentos, independentemente da velocidade das suas memórias, e as chances de recuperação de arquivos variam — mesmo exibidos na listagem de recuperáveis, alguns podem estar irremediavelmente corrompidos.

O funcionamento do EaseUS Data Recovery Wizard Pro deriva de uma característica das memórias digitais. Ao apagar um arquivo, o sistema operacional apenas “esquece” que ele está ali. Os dados em si permanecem na memória até que esta parte seja reescrita por outros arquivos. Este aplicativo vasculha esses trechos ainda não sobrescritos e tenta recuperá-los. Por isso, após uma exclusão acidental, é importante que não se use a memória onde os arquivos perdidos se encontram, pois isso aumenta as chances de recuperação.

A versão gratuita do EaseUS Data Recovery Wizard Pro recupera até 2 GB de arquivos. Para conjuntos de arquivos maiores, é preciso comprar uma licença, que custa US$ 89. Em celebração ao seu 15º aniversário, a EaseUS está distribuindo prêmios diários com base em uma “roda da fortuna”. Visite o site promocional para participar (em inglês).

Infográfico da roda da fortuna da promoção dos 15 anos da EaseUS.
Imagem: EaseUS/Reprodução.

Swartz, Elbakyan e a destruidora devoção aos direitos autorais

Os 26 anos de vida de Aaron Swartz foram surpreendentes, inspiradores. Engajou-se, ainda adolescente, na criação da arquitetura das licenças Creative Commons (CC), foi um dos criadores formato de distribuição de conteúdo RSS e da rede social Reddit, ajudou a construir uma biblioteca gratuita no Archive.org, e fundou a Demand Progress, organização ciberativista famosa, sobretudo, por se opor aos projetos Stop Online Piracy Act (SOPA) e Protect IP Act (PIPA), nos Estados Unidos.

Swartz também sofria de depressão. Amigos e familiares reconheceram sua condição em algumas manifestações públicas. O programador manteve por anos um blog pessoal em que expressava suas opiniões e percepções sobre filmes, política, programação e, dentre outros assuntos, depressão.

Você quer deitar na cama e manter as luzes apagadas. A depressão é assim, só que ela não vem por algum motivo e também não vai embora por algo em particular. Sair e tomar um pouco de ar fresco ou aconchegar-se com alguém querido não faz com que você se sinta melhor, apenas mais irritado por não conseguir sentir a alegria que todos os outros parecem sentir. Tudo fica manchado pela tristeza.

Continue lendo “Swartz, Elbakyan e a destruidora devoção aos direitos autorais”

Post livre #184

Toda semana, o Manual do Usuário publica o post livre, um post sem conteúdo, apenas para abrir os comentários e conversarmos sobre quaisquer assuntos. Ele fecha no domingo por volta das 16h.

Linha do tempo revela falhas na narrativa que atribui vazamentos da Lava Jato a hackers paulistas

Nunca houve tamanha preocupação com segurança digital no Brasil como agora, resultado dos respingos flamejantes da divulgação de conversas comprometedoras via Telegram entre membros da força-tarefa da Lava Jato e o ex-juiz federal Sergio Moro pelo The Intercept Brasil (TIB) desde o início de junho.

Em sua atabalhoada estratégia de defesa, Moro, hoje ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Jair Bolsonaro, apressou-se em atribuir a supostos hackers, presos pela Polícia Federal nesta terça-feira (23), a origem do vazamento obtido pelo TIB. Editores da publicação relembraram, via redes sociais, que nunca disseram que a fonte era um hacker. Esta não é a única incongruência na narrativa de Moro.

Uma linha do tempo expõe muitas falhas na argumentação do ministro.

Continue lendo “Linha do tempo revela falhas na narrativa que atribui vazamentos da Lava Jato a hackers paulistas”

A falácia da sustentabilidade nas startups de patinetes elétricos de aluguel

Após trabalhar quase um ano para uma das empresas originais do Vale do Silício que operam patinetes elétricos de aluguel, tenho algumas reflexões para compartilhar sobre o modelo de uso e as premissas vendidas por Lime, Bird e tantas outras do ramo.

Os principais pontos de venda dessas empresas é que o patinete elétrico alugado é um produto verde e que traz soluções de trânsito para as cidades. Vamos explorar as premissas uma a uma.

Continue lendo “A falácia da sustentabilidade nas startups de patinetes elétricos de aluguel”

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!