Cuidado com o #10yearchallenge (desafio dos 10 anos)


16/1/19 às 8h20

O desafio dos 10 anos, ou #10yearchallenge, viralizou nas redes sociais. Ele consiste em publicar duas fotos, uma atual e outra de dez anos atrás, para mostrar aos seguidores com você mudou. Na Wired, Kate O’Neil o observa do ponto de vista da privacidade.

Todas essas fotos de rostos com datas mais ou menos precisas são um pote de mel para treinar algoritmos de reconhecimento facial/envelhecimento. E como existem alguns padrões no compartilhamento, fica fácil capturá-las automaticamente.

Lembre-se: foi com um joguinho no Facebook que a Cambridge Analytica conseguiu coletar dados de 70 milhões de usuários norte-americanos e, depois, usá-los para manipular as eleições presidenciais dos EUA de 2016.

O pesquisador de aprendizagem de máquina e professor da Universidade de Michigan, Bill Hart-Davidson, compartilhou mais detalhes sobre o valor desses dados:

Reunir esse tipo de conjunto de dados usando aprendizagem supervisionada seria caro. Se você reduz drasticamente o custo e produz um conjunto de dados de reconhecimento facial com baixo nível de ruído, consegue vendê-lo para todo tipo de pessoa. Bons dados de treinamento são difíceis de encontrar. Pelo caminho, pode haver pessoas com motivos nefastos. Mas antes disso, [a brincadeira] parece um modelo de negócio.

As consequências na aplicação desses dados são diversas, nem todas ruins. O’Neil lembra, por exemplo, que essa tecnologia facilita encontrar crianças desaparecidas há muito tempo. Mas elas também podem te afetar negativamente, como um plano de saúde aumentar a sua mensalidade se detectar que você envelheceu mais que a média das pessoas da sua idade. Hart-Davidson acredita, porém, que o maior dano é coletivo — a disponibilidade farta de dados desse tipo nos aproxima do universo de vigilância constante retratado no filme Minority Report, diz ele.

O importante, em qualquer caso, é ter consciência do que exatamente estamos divulgando voluntariamente. (A internet virou uma espécie de piscina suja em que é preciso pensar muito antes de mergulhar.) Não adianta cobrar das empresas cuidado com nossos dados se nós mesmos não somos diligentes com eles.

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês