Anúncio Black Friday: Assine a NordVPN com 72% de desconto

/ano oito

Close do logo do Manual do Usuário aberto em uma tela do Safari.

Hoje o Manual do Usuário completa 8 anos no ar, êêê! 🎈🥳 Em 2013, este pequeno site de tecnologia foi publicado com a proposta de ser (quase) sempre o último a falar e um objetivo: discutir tecnologia de consumo de um ponto de vista diferente. Embora esses diferenciais tenham mudado muito ao longo do tempo, dá para dizer que ele continua fiel àquela promessa.

Aproveito a ocasião para repassar o último ano e atualizar leitores, amigos e parceiros do que está acontecendo do lado de cá — novas ideias, apostas, oportunidades. Vamos lá?

Em números1

  • Em média, 105,8 mil leitores visitaram o site todo mês, aumento de 48,6% em relação ao período anterior. (Isso significa que batemos a marca de 1 milhão de visitantes em um ano. Para ser mais preciso, 1,29 milhão.)
  • Publicamos 244 posts, média de 20,3 por mês, e 743 notinhas, ou 61,9 por mês, praticamente 2 por dia.
  • Eu e os leitores publicamos 11.718 comentários, média de 976,5 por mês, aumento de 63,4%.
  • Nas redes sociais, nossa comunidade é composta por 12.486 seguidores espalhados por três plataformas (Mastodon, Telegram e Twitter), aumento de 23,9%.
  • A newsletter chega às caixas de entrada de 4.430 inscritos, aumento de 42,5%.
  • 271 leitores apoiam o site financeiramente, um salto de 41,1%. (Será que conseguimos fechar o ano com 300?)
  • Nosso faturamento mais que dobrou: R$ 76,7 mil, aumento de 117,3%. Com isso, o Manual chegou muito próximo de deixar de ser um negócio deficitário.

O que deu certo

Antes, um “o que deu certo” da parte “o que deu certo” do ano passado, referente ao ano retrasado. (Espero que tenha me feito entender.) Praticamente tudo o que “deu certo” no nosso sétimo ano foi desfeito ou alterado no oitavo, nem todos por vontade ou iniciativa minha.

As edições semanais ficaram um pouco perdidas com as notinhas diárias, então aboli o formato. Mantive a importância da quinta-feira, que ainda é o dia em que saem nossas matérias especiais, a coluna de opinião e a newsletter, e o Tecnocracia, só que sem o formalismo das edições. Não fez muita diferença do lado de cá e, imagino, tampouco para quem lê. Na prática, o site continua sendo publicado em edições semanais, mas sem marcadores ou estrutura de edições semanais.

A Gislaine Bueno, que tocou o comercial do Manual em 2020, saiu do projeto no começo de 2021. Dessa parceria, ficaram a amizade e a gratidão pelo trabalho sensacional que ela fez aqui, que, tenho certeza, ainda hoje se reflete na nossa abordagem e no respeito e confiança que conquistamos junto às marcas anunciantes. Eu acabei assumindo essa frente também e, com toda a minha inaptidão em vendas, ao longo do ano fechamos um bom volume de ações — o bastante para fazer a diferença na contabilidade, mas longe de incomodar leitores e/ou poluir o site.

A propósito, fica registrado aqui meu agradecimento às marcas que toparam ouvir e confiaram na nossa proposta de publicidade totalmente fora da caixinha:

Insider, MEUPC.NET, Razer Computadores, NordVPN, Sh*ft Festival, Revelo, MacPaw, Bitdefender e Surfshark.

O que deu certo (agora sim!)

No editorial, o Manual teve dois lançamentos em seu oitavo ano: o formato de vídeo e a newsletter/seção Achados e perdidos.

Os vídeos foram uma tentativa de expandir a presença do site para novos públicos. O YouTube, com todos os (muitos, muitos mesmo) problemas que tem, é uma plataforma gigantesca e sinônimo de vídeo na internet. O objetivo de fazer vídeos jamais foi “viralizar”, transformar-me em youtuber ou ganhar dinheiro com publicidade programática. Queria apenas explorar o tamanho do YouTube para alcançar mais pessoas e trazê-las ao site. Daí, e um tanto relutante, a opção por lançar os vídeos originais do Manual.

Dentro dessas premissas, pode-se dizer que a ideia funcionou. Temos pouco mais de 5 mil seguidores no canal do YouTube, cerca de 1/3 disso conquistado no último ano, e apesar do cronograma errático, bastante irregular, os 22 vídeos publicados, mais alguns perdidos de anos anteriores, foram vistos 47,3 mil vezes num total de 3.213 horas.

Em julho, passei a publicar os vídeos também direto no site, com toda a privacidade e desconexão da big tech que quem lê o Manual espera e aprecia.

Apesar dos bons números e de ter achado a experiência de vídeos muito divertida, diferente e interessante, essa iniciativa foi atropelada pelas demais, mais antigas e importantes. Há dois meses não publico um vídeo novo. Isso não significa que é o fim, mas uma reanálise profunda precisa ser feita para o novo ciclo que se inicia.

A newsletter/seção Achados e perdidos simplesmente encaixou. Eu já coletava muitos links que acabavam sem serventia no site, então juntá-los numa lista de fim de semana não acrescentou (muito) trabalho. A recepção do público foi ótima, e não por acaso. É um produto muito legal, que remete aos primeiros blogs, de uma época em que linkar era praxe e o melhor meio de descobrir coisas e pessoas na internet.

Aliás, embora o Manual seja um ~empreendimento pequeno, ele tem algumas frentes e não é raro que pessoas tenham contato e gostem/acompanhem apenas uma delas — ou até mesmo que só conheçam uma delas. Tem o pessoal que adora o Tecnocracia2, tem os fãs da Achados e perdidos, tem gente que só ouve o Guia Prático. A minha recomendação, claro, é curtir o todo a partir do site, que considero a nossa casa, mas esse consumo “fatiado” é bem-vindo também.

Note que tudo o que a gente faz aqui é com ferramentas própria e/ou independentes3, como se fosse um restaurante caseiro. Não é preciso estar em redes sociais ou se fechar em plataformas proprietárias para desfrutar o Manual. Hoje somos exceção, mas não precisa ser assim. Trabalhamos, aliás, para que essa exceção vire regra. Só temos a ganhar com um cenário desses.

Ano passado, anunciei três testes/novidades no nosso aniversário:

  • Retorno do Guia Prático com a Jacqueline Lafloufa.
  • As notinhas diárias.
  • Mudanças na estrutura da newsletter, refletindo a produção de notinhas diárias no site.

Deu tudo certo.

A newsletter da quinta sofreu outra alteração no começo de 2021, quando passei a incluir uma coluna/texto opinativo original, meu, em cada edição, tratando de um factual da semana ou algum causo ou experiência pessoal relacionado à tecnologia. Deu muito certo também.

Um grande acontecimento desse ano foram as parcerias de conteúdo. Em janeiro, fechei uma com o LABS, braço editorial do Ebanx, e em setembro, com o Núcleo, publicação independente com foco em jornalismo de dados e cobertura de redes sociais. Eles publicam alguns conteúdos do Manual antes do próprio Manual e ajudam a manter o projeto. Tem funcionado muito bem. Agradeço a parceria e a confiança da Fabiane Ziolla Menezes, Thiago Romariz e Carolina Pompeo (LABS) e do Sergio Spagnuolo e Alexandre Orrico (Núcleo). Valeu, gente!

Mais do mesmo, só que melhor

É estranho, quase desconfortável considerando as circunstâncias, afirmar que os últimos dois anos foram os melhores da história do Manual do Usuário. Mas foram. Poderia me recriminar por isso, mas acho que é motivo de celebração, prova de que boas notícias são possíveis mesmo em ambientes áridos. E estamos num deserto digno do Saara — no Brasil, no setor de tecnologia, na história.

O ano que se encerra foi desafiador, e não poderia ter sido de outra forma. Ainda fazendo certo malabarismo para dar conta de tudo, para o que se inicia agora desejo apenas manter o equilíbrio. Não há nada ambicioso ou diferente no planejamento. Quero apenas continuar. Não faltam histórias para contar, abusos para denunciar, boas ideias para espalhar por aí.

A única grande mudança em vista é de bastidores: espero, daqui a um ano, poder dizer que o Manual do Usuário opera completamente (ou quase) com software livre. Livrar-me da Apple, que hoje está na base de tudo que é publicado aqui, será o “chefão” do processo de desvinculação da big tech. Difícil, mas possível, ou assim espero. De várias formas sutis, essa transição deverá refletir um pouco no editorial do site. Será uma jornada interessante e espero ter a sua companhia nela.

Encerro este post de aniversário com mais agradecimentos. À Ajor, que em julho recebeu de braços abertos o Manual. A todas as fontes, assessores e colegas, vitais para se fazer bom jornalismo. Aos meus colegas de Manual: Jacqueline Lafloufa, com quem gravo o Guia Prático; Guilherme Felitti, que toca o Tecnocracia; e James Pond, que mantém o site rodando e nas horas vagas responde pacientemente as minhas infindáveis dúvidas de software. E, por fim, mas não menos importante, a você, que prestigia este pequeno site na internet. Até hoje não me entra na cabeça que tanta gente — e pessoas tão legais e espertas — leia o que eu escrevo. É uma alegria e um privilégio que não tenho palavras para descrever.

PS: Para celebrar a data, publiquei também um compilado dos comentários mais curiosos, interessantes e/ou divertidos recebidos pela ferramenta de feedback da newsletter.

Os posts de aniversário de um, dois, três, cinco, seis e sete anos. No quarto não teve porque o blog estava em processo de migração para a Gazeta do Povo.

  1. Salvo quando informado outro período, todos os números abaixo se referem ao intervalo entre outubro de 2020 e setembro de 2021.
  2. Praticamente 1/3 das audições mensais dos podcasts da casa vem do Tecnocracia no Spotify. Apesar de desprezarmos o Spotify enquanto plataforma de podcasts, essa é uma inegável porta de entrada de muita gente para o “Manual do Usuário-verso”.
  3. Até julho, isso talvez não fosse verdade devido aos vídeos no YouTube. Oferecê-los direto no site também serviu para tirar esse peso das costas. Que morte horrível depender do Google para qualquer coisa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

32 comentários

  1. Eu lembro quando, há 8 anos, você me disse que estava com a ideia de criar um novo blog e eu só não te chamei de louco porque já conhecia sua capacidade e habilidade. Que bom que já deu tão certo. Espero que continue assim, um pequeno Oásis no meio de tanto conteúdo e jornalismo ruim que infelizmente temos. Parabéns, Ghedin!

  2. Acompanho as aventuras do Ghedin na web desde os tempos de WinAjuda, dá pra dizer que eu literalmente cresci sendo seu leitor. É muito legal como a cada empreitada você consegue melhorar o que já era bom, e o Manual reflete isso, um dos únicos sites de tecnologia (no Brasil e no mundo) com posicionamentos e ações que fazem sentido nesse caos que a gente vive atualmente. Obrigado e vida longa! 🙂

  3. Parabéns Ghedin pelo trabalho e obrigado por nos trazer informações, reflexões e análises de ótima qualidade.

    E aproveitando a oportunidade parabéns também para a comunidade do MdU pelo Post Livre. Não participo como deveria (raramente comento), mas sempre leio e encontro discussões e informações muito interessantes. Vida longa também ao diálogo de qualidade que temos no Post Livre.

  4. Parabéns! Só posso desejar vida longa ao Manual do Usuário. É aqui que sempre busco informação de qualidade. Ghedin, obrigado por nos brindar com trabalho impecável. Sem dúvida nenhuma um dos melhores sites de tecnologia em português. Por fim, feliz em saber que pretende em breve aportar no universo do software livre. Gratificante ver seu reconhecimento por algo tão as vezes criticado e que tem muito a oferecer. Pena que as pessoas ainda, por questões mercadológicas? – ainda não deram a devida oportunidade a esta tecnologia que liberta. Se precisar de qualquer ajuda, estarei a disposição. Forte abraço.

  5. Pra quem acompanha o Manual há tempo, nota-se o quanto houve evolução em todos os aspectos.

    Parabéns Ghedin e ao pessoal que ajuda manter esse projeto na cara e na coragem.

  6. Meus parabéns, Ghedin! Confesso que não participo dos posts abertos ou dos espaços de comentários por falta de hábito (algo que eu deveria mudar, talvez rsrs), mas acompanho o site desde o inicinho e fico muito feliz por toda trajetória que você trilhou até aqui.

    O Manual é certamente um espaço precioso e único, e só tenho a agradecer por todo esforço e carinho dedicados ao site e aos seus leitores/leioras ao longo desses anos. Vida longa ao Manual! =)

  7. Parabéns ao melhor site brasileiro sobre tecnologia de consumo. Que venham mais oito — e muito mais — anos.

  8. Gostaria de deixar aqui meus parabéns ao Ghedin e a todos que fazem esse site acontecer. Não vou dizer que sou o leitor mais legal daqui, porque meus comentários são na maioria discórdia ou provocação. Respeito o Ghedin em deixar alguns publicados, mesmo que sejam totalmente contrários à opinião dele. E os que ele deleta, sempre tem resposta por e-mail. Assim, embora tenhamos divergências em alguns pontos, saiba que tenho muito respeito por ti. E admiração também, por criar um site tão legal.
    Sou do time dos fatiados, gosto muito de alguns conteúdos, mas outros não acompanho (podcasts, por exemplo). Prefiro o texto escrito, e diga-se que os artigos são sempre bem escritos.
    Te desejo muito sucesso com o blog, que cresça cada vez mais, que não só deixe de ser deficitário, mas sim seja muito rentável.
    E vai ser muito legal acompanhar sua jornada de saída da apple para (imagino) linux, to tentando seguir esse mesmo caminho.
    Vida longa ao MDU!
    Abraço do hater.

  9. Parabéns, Ghedin, pela longevidade do site, reflexo de um ótimo trabalho!

    Acabou Gizmodo e Jalopnik, surgiram das cinzas MdU (Tech) e Flatout (Carros) os únicos sites que leio além da BBC e jornal local.

  10. Só tem uns 4 sites na web inteira que assino o feed e faço questão de bater ponto. O Manual é um deles. Um abraço, Ghedin!!

    PS: Não acabe nunca com o Achados e Perdidos, por favor. É uma das minhas coisas favoritas da semana.

  11. Parabéns ao Manual, uma excelente publicação que descobri graças ao mastodon e agora é uma das minhas maiores fontes de informação e de encaminhamento de links para outras pessoas :D

  12. Que legal Ghedin! Fico muito feliz com o crescimento do site! Leio-o sempre e acompanho suas jornadas e inquietações. Particularmente, gostaria de saber como vai ser sua trajetória rumo ao mundo software livre, o qual acredito que pode ser um caminho para uma relação mais saudável com a tecnologia.

  13. Parabéns a todos envolvidos nesse projeto fantástico.
    É muito difícil hoje em dia ser engajado com qualquer coisa com tantas coisas tirando nossa atenção ou mesmo tentando roubar nosso interesse, mesmo assim esse site continua trazendo discussões muito úteis e tão necessárias.
    Muito obrigado a todos que tornam isso possível.

  14. adoro o MdU, leio praticamente tudo que é publicado e é um dos poucos lugares que gosto de comentar.

    aliás, não sei se muita gente faz isso, mas já entrou na minha rotina abrir o site na segunda e ler os papos que rolaram no post livre no fds, hehe

    1. Eu entro já com o control + f e buscando os temas que eu gosto de acompanhar
      Geralmente mando um Linux e sempre acho alguma discussão sobre o tema.

    2. Quem nunca?? Eu faço o mesmo.
      Até acho que os comentários podiam ficar abertos pelo menos até segunda na hora do almoço para dar tempo de arrematar os assuntos.

      Vida longa ao MDU.

      1. No último post livre deixei ele aberto até o meio-dia da segunda-feira. Não alterou muito nenhum ponteiro, mas serviu para fechar alguns papos. Vou manter esse novo cronograma daqui em diante. Valeu pela sugestão!

    3. Verdade, vejo uma comunidade aberta, participativa e construtiva por aqui, muito diferente de tantos ambientes tóxicos existentes hoje na internet. Isso faz muita diferença!

    4. Também faço isso. Leio o que rolou no post livre no final de semana, qnd algum tema me fisga nos achados e perdidos que o Ghedin resume.

  15. Parabéns Guedin e a todos eventualmente envolvidos. Que a melhorias prossigam e que a motivação persista.

  16. parabéns, ghedin. seu esforços em manter a lisura na linha editorial do manual são louváveis.

    essa trajetória até aqui prova que é possível ocuparmos o ciberespaço sem ficarmos restritos àquilo que os algoritmos enviesados impõem de forma aterradora.

    pra mim, a web assemelha-se cada vez mais com a vivência do mundo físico. por um lado temos as empresas de tecnologia e seus shopping centers, hipermercados, cassinos etc. com suas armadilhas psicológicas orientadas ao consumo e ao lucro desenfreado de seus donos. mesmo que isso seja massivo, o gueto sempre há de existir, seja uma viela ou uma cidade. e lá estaremos nós, dispostos a propor ideias e construir uma alternativa mais viável e inclusiva de ser e estar.

    vida longa ao manual :)

    1. acessar o MdU é igual ir à padoca do bairro que tem o melhor café do mundo e a clientela se conhece! e ignorar o Starbucks.

  17. O Manual do Usuário é o meu lugar preferido na internet e li esse post como se tivesse conversando com um amigo sobre o último ano dele, porque sempre me sinto trocando ideia com um amigo lendo os posts do MdU. Um amigo que me mostra coisas aleatórias que achou na internet, que me explica com texto incrível histórias da evolução da tecnologia e como elas explicam muita coisa hoje ou me ajuda a refletir sobre os acontecimentos tecnológicos dos dias atuais.

    Não sou um leitor tão antigo, conheço o site há uns dois anos mas comecei a ler com maior frequência no último ano e já consigo perceber que vários hábitos meus hoje são consequências de reflexões que o Manual me trouxe. Espero que as coisas melhorem e, no próximo ano, consiga contribuir com o site e que no texto de 9, 10, 11, 12… 20 anos, eu ainda esteja por aqui lendo.

    Obrigado por tudo e feliz aniversário! :)

  18. Youtube deu certo no último ano, neste próximo precisa começar as lives com reacts, GTA RP, na banheira haha.

    Muito sucesso e satisfação Ghedin.

        1. uma pena, já estava pensando em vídeos temáticos, tipo dos youtubers que a minha filha assiste. Desafios do tipo “passar o dia comendo somente comidas roxas” :D

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário