/ano seis

Foto de rosto de Rodrigo Ghedin.

Hoje o Manual do Usuário completa seis anos (viva! 🥳). De certa forma, é como se fosse o primeiro aniversário. Explico: pela primeira vez desde que fundei o blog, em 15 de outubro de 2013, pude me dedicar a ele integralmente.

Há um ano, estávamos — eu e o Manual — na Gazeta do Povo, jornal aqui de Curitiba (PR). Em dezembro, fui demitido por motivos que me escapam e, em paralelo, ficou manifesto o desinteresse mútuo em negociar uma tentativa de renovação do contrato do blog, que terminaria junto com 2018. Em janeiro, com o apoio do James e da Mad Pony, que hospeda e dá todo o suporte técnico à operação, já estava de casa nova, outra vez independente e, enfim, totalmente focado no projeto.

Em números

  • 565 mil leitores passaram por aqui1.
  • 757 mil páginas visualizadas.
  • 203 posts publicados.
  • Média de 756 comentários por mês2.
  • 42 podcasts.
  • 43 newsletters — entre as semanais, relatórios mensais dos assinantes do blog e outras especiais.
  • R$ 28,8 mil3 de faturamento.

Audiência sanfona e relacionamento com as grandes plataformas

Apesar de estar produzindo mais e, acho eu, melhor, a audiência do Manual vem caindo desde o pico de maio, quando alcançou 96 mil leitores. Em setembro, para te dar uma perspectiva, 63 mil leitores passaram por aqui.

Gráfico de audiência (visitas e visualizações de páginas) do Manual do Usuário, de janeiro a setembro de 2019.
Todo mês, assinantes pagos do blog recebem um relatório detalhado dos bastidores do blog. Torne-se um.

Entendo essa discrepância como uma prova de que não existe uma relação de causa e efeito perfeita entre produção e audiência, ou seja, que outros fatores afetam o número de pessoas que ficam sabendo e leem o que é publicado na internet. Esses fatores são, em grande parte, condicionados às relações que escolhi não ter com plataformas de terceiros que não respeitam a privacidade dos leitores, agem de maneira desleal sistematicamente e que, apesar disso, nos últimos anos viraram os porteiros da informação que trafega pela rede. Em outras palavras, ter alcance na internet, hoje, passa por ceder aos caprichos de terceiros, em especial Facebook e Google.

Em janeiro, no retorno à independência do Manual, firmei o compromisso de priorizar a sua privacidade. Desde então, a programação do site deixou de empregar códigos de terceiros que te observam na internet. Nada de Facebook, Google ou de anúncios programáticos; somos só nós aqui. Desconheço outro site comercial que adote postura similar e ter chegado até aqui firme nesse compromisso é um orgulho. Talvez um daqueles bobos, mas, de qualquer forma, um orgulho.

Óbvio que é melhor e eu prefiro que mais gente leia o blog. Por outro lado, paro e penso no tanto de coisas que hoje disputam a nossa atenção, das sérias às bobagens, muitas apelativas, algumas beirando a desonestidade. Dadas as circunstâncias, fico contente em ter leitores. É uma honra ter você aqui!

Negócios

Sendo a minha única atividade profissional, um dos objetivos para este ano de dedicação ao Manual era gerar receita — sempre dentro daqueles princípios definidos em janeiro.

É uma operação enxuta. De longe, o maior gasto sou eu e, prevendo que este primeiro ano seria difícil, não criei muita expectativa com o meu “salário”.

No início do ano, defini três frentes de geração de receita: anunciantes diretos, comissões de vendas em lojas virtuais e assinaturas pagas aos leitores. Em julho, eliminei a das comissões, que basicamente se concentravam na Amazon. Era um contrassenso ter uma linha editorial tão crítica e direcionar tráfego e vendas à… Amazon, uma das grandes da tecnologia que abusam da sua privacidade e que está sempre no noticiário acusada de práticas monopolistas e desleais.

Foquei, então, nos anúncios diretos e nas assinaturas dos leitores. Os anúncios diretos são veiculados segundo os princípios do blog: sem códigos de rastreamento, respeitando a privacidade do leitor. Desde julho, quando finalizei o mídia kit e comecei a prospectar anunciantes, algumas empresas veicularam ações aqui: Bcredi, Kabum, Cambly e EaseUS. Agradeço-as pela confiança!

Agradeço em especial aos leitores que, hoje, financiam o Manual do Usuário na campanha do Catarse. Com tanta gente boa pedindo colaborações financeiras para se viabilizar na internet, me enche de orgulho (e de responsabilidade!) saber que mais de 100 pessoas destinam uma parte dos seus rendimentos para sustentar este humilde blog. Muito obrigado!

Caso você queria colaborar também, dê um pulo na página da campanha de financiamento.

O que esperar do futuro

No Manual do Usuário, não aceito o discurso oficial, chapa branca das grandes empresas, não faço média com ninguém e não me importo muito com quem quer que possa ficar irritado com o que é publicado aqui. Tal postura, mesmo aliada a princípios éticos rigorosos e sempre pautada pela busca da verdade, significa inevitavelmente queimar pontes.

Não é pessoal. Quase nunca é, de verdade. Lamento muito alguns afastamentos que provavelmente provoquei, seja por uma pauta (alô, youtubers!), seja por alguma crítica genérica cuja carapuça tenha servido. E, reconheço, em algumas raríssimas situações peguei pesado ou gerei atritos desnecessários. Sigo aprendendo e tentando errar menos. De qualquer forma, é do jornalismo incomodar, questionar, não se satisfazer com o que a assessoria responde ou o que as empresas e o governo divulgam em notas oficiais.

Desde o início, o norte do Manual é somar, fazer diferente, afastar-se do arroz com feijão que outros sites da área fazem. Em muitos sentidos, acho seguro afirmar que este é um blog diferente. Independente, marginal, até indigesto para quem está inebriado com o modo como as coisas são, com o discurso hegemônico diariamente reforçado por publicações, canais de vídeo e blogs mais populares. Apesar do baixo “sucesso comercial”, quando revisito o ano que passou, as pautas mais legais que publiquei, a repercussão junto aos leitores, os impactos nem sempre evidentes, mas perceptíveis em colegas e outros veículos, tudo isso pautado por princípios em que acredito serem corretos, sinto-me satisfeito. Estou fazendo algo muito parecido com o que tinha em mente antes de botar a mão na massa e isso é muito legal.

LEIA TAMBÉM: 6 posts para celebrar os seis anos do Manual do Usuário

O próximo ciclo está em aberto. O financeiro deu uma boa estabilizada no último trimestre e, apesar de ainda ser uma fonte de incertezas, não é o que me tira o sono no momento. A estrutura e o modelo de funcionamento do blog — eu, meio que sozinho, trabalhando de casa — têm se mostrado um pouco maçantes, a ponto de achar importante, quase imprescindível, alguma mudança.

No sétimo ano do blog, tentarei levá-lo mais vezes para passear fora da internet. Coisas como o SH*FT, festival de inovação em que falarei4 no próximo dia 26, em Joinville (SC), me agradam muito. Talvez envolver-me em outros projetos locais que não tenham ligação direta com o Manual. Sei lá, ainda não pensei nos detalhes. A única certeza, no momento, é que este blog continuará de pé.

Os posts de aniversário de um, doistrês e cinco anos. No quarto não teve porque o blog estava em processo de migração para a Gazeta do Povo.


  1. Dados referentes ao ano de 2019. Não tenho acesso às estatísticas do período dentro da Gazeta do Povo.
  2. Média dos nove primeiros meses de 2019.
  3. Faturamento de outubro de 2018 a setembro de 2019. Inclui anunciantes diretos, assinaturas dos leitores, comissões da Amazon e parcelas do antigo contrato com a Gazeta do Povo.
  4. Se estiver em Joinville no dia 26, apareça! Leitores do Manual têm desconto de 20% no preço da inscrição. Basta usar o cupom MANUALDOUSUARIO.

Acompanhe

Newsletter (toda sexta, grátis):

  • Mastodon
  • Telegram
  • Twitter
  • Feed RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

31 comentários

  1. Parabéns Ghedin! Quase nunca tenho aparecido mais no site porem saiba que guardo o site com muito carinho na minha vida!

  2. Este site é um dos que entraram na minha lista de leitura diária este ano. Ainda bem! E pensar que conheci na ânsia de encontrar inspirações para comprar uma mochila nova.

    Ghedin, agradeço por manter este site limpo, uma das coisas que mais me encanta neste espaço é não me sentir vigiado, seja por anúncios ou um layout poluído com tags que ninguém se importa. Agradeço também aos leitores por fazerem dos comentários um ambiente saudável para discussão. Não comento sempre, mas estou sempre acompanhando! Quando os bons ventos soprarem ao meu favor, farei questão de me tornar um colaborador da campanha. Precisamos dar suporte aos bons conteúdos! Abraço e sucesso.

  3. Mais parabéns Ghedin, trabalho sensacional esse que vem fazendo ao jornalismo brasileiro. Todos deveriam aprender com essa sua responsabilidade e independência apesar de saber que não e fácil.

  4. Parabéns Ghedin! Não é nada fácil cuidar de u, blog e ainda não seguira a boiada.
    Que o blog tenha muitos anos pela frente de suce$$o! :)

  5. Parabéns pelos seis anos de blog e, principalmente, por fazer do seu jeito, se pautando pelo que considera correto e ético, com sinceridade e transparência em seus propósitos.
    Esse é o maior valor que a informação pode ter na atualidade.
    Vida longa e muito produtiva ao MDU!

  6. Parabéns, seis anos é tempo pra car**** na internet, ainda mais se sem render ao Cardosismo ou ao Higanismo jornalístico.

    Um observação, fui responder a pesquisa da newsletter e não consegui enviar o formulário. Tendei por FF e Chrome.

    https://i.imgur.com/W2DbzS8.jpg

    Abs!

  7. Parabéns ao MdU, um excelente blog de tecnologia, diferente de tudo e de todos, continue assim Ghedin!! E em relação aos youtubers, ainda bem que vocês esta fora dessa, porque a disputa de ego e picuinhas estão a todo o vapor naquela rede, mas gostaria muito que um dia o Manual reativasse o seu canal no Youtube! Abraço e sucesso!!

    1. O louco da história sobre os youtubers é que noto que na questão de tecnologia, os youtubers americanos são (aparentemente) bem mais unidos e, ao menos a bolha de youtubers que sigo (Techmoan, 8-Bit Guy, LGR, e alguns outros), eles meio que se respeitam e não fica uma briga de egos.

      Não consigo assistir os youtubers brasileiros por medo de maneirismo (falae gahlerinha!), informações falsas a rodo e questões de ego.

      1. Eu infelizmente não acompanho youtubers gringos, só as vezes o Marques Brownlee e o pessoal do Windows Central, mas acredito em você em relação a união dos gringos, os youtubers brasileiros alguns são ótimos e bem profissionais, mas tem sempre aqueles que se sentem o Deus da tecnologia e só se importa com o numero de likes e views.

  8. Não lembro quando comecei a acompanhar seu trabalho, Ghedin. Mas sempre notei que na questão de jornalismo, tu é um dos poucos que tem uma linha ética bem diferenciada, que foge da hipocrisia comum de muitos outros jornalistas (e não só, também cronistas, editores e opinadores). No final, hoje o MdU é o primeiro site de tech que acesso, ao invés dos já firmados na mídia. Acesso hoje os outros sites sempre com uma desconfiança por trás (perdão aí Guilherme, Giovanni, Higa e Ventura -nada pessoal com vocês ;) ).

    Peço desculpas se até hoje não colaborei financeiramente com o MdU – assim como tu, tenho uma “operação enxuta” e tento da minha forma ser ético no (pouco) trabalho que tenho – trabalhar com informática é sempre estar dentro de uma zona cinza no final, dado as inúmeras condições que impede de ter uma “ética perfeita”.

    Tento indicar o MdU aos poucos amigos que tenho, ou replicar links das matérias nas quais acho relevante uma divulgação maior. Ao menos é uma tentativa. :)

    Torço pelo seu sucesso sempre, assim como de muitos outros. E acho que nós aqui que participamos indiretamente do MdU, seja comentando, participando dos grupos fechados (eu sei que se eu pagasse, entraria nele, mas de qualquer forma vocês não iam me aguentar…), ou simplesmente lendo, também temos que agradecer aos colaboradores do mesmo: o James / Mad Pony, o Guilherme Felitti que traz o podcast dele pra cá, e as demais pessoas que liberaram seus conteúdos para divulgar aqui.

    Eu sei que é meio fatalista esta frase, mas prefiro o realismo:
    Que seja eterno enquanto dure ;)

    1. Eu confesso que o Tecnoblog saiu da minha lista de leitura faz muito tempo. Me incomoda deveras o modo como os colunistas tratam os assuntos por lá e, principalmente, a mentalidade “liberal de apartamento” que eles colocam no blog.

      Vez ou outra (normalmente 1x a cada 3 meses) eu dou um ponto no mar de comentários imbecis que rolam por lá e arrumo discussões infantis com eles. É pra desopilar (eu me divirto).

      1. Não sei o que acontece comigo, mas é que dos …. Cara, é niver do MdU. Vamo comemorar e no post libre a gente discute ;)

        (Eu e minha mania de dar corda a assuntos….)

      2. Se o Ghedin não se incomodar em usar a área de comentários do MdU para falar de outro site, eu gostaria de estender um pouco mais sobre o assunto Tecnoblog.

        Por acaso você sabe por que eles colocaram aquele tal de “Taboola” que enche o final de todo artigo com um monte de baboseira? O custeio do site cresceu mais do que o planejado e bateu o desespero pra fechar as contas?

        Só pergunto porque eu gostava muito do Tecnoblog, mas cada vez mais estou ficando desanimado e tendendo a abandonar de vez…

        1. Vou segurar o debate para o post livre.

          Mas bem, não nego que galera tem que pagar conta.

          (Tou pensando em virar puto)

        2. Não sei porque uso o uBlock e o PiHole, mas, existe um espaço cinza no cabeçalho do site que, suponho, seja algum banner. Acho que eles tem uma operação bem cara mesmo, então é normal que se tenha esse tipo de anúncio.

  9. meus parabéns para ghedin e mdu! tem meu respeito, desejo vida longa para mdu! adoro esse blog e sempre leio com muito prazer! que continue indo para frente!

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!