Independente e livre de Facebook e Google: este é o novo Manual do Usuário

Logo do Manual num monitor Retina.

Bem-vinda(o) à terceira fase do Manual do Usuário! O visual é mais ou menos novo, mas há mudanças em toda parte. Segure a minha mão e venha conhecê-las.

Em 2019, farei algo inédito: dedicar-me integralmente a este projeto. Aliás, já estou fazendo. Nos primeiros dias do ano, desenvolvi a repaginada no visual que você vê, redefini a linha editorial e as seções do blog, fiz todo o planejamento editorial de janeiro e fevereiro, entrevistei fontes, rascunhei matérias e falei com muita gente que pode (e vai!) me ajudar.

Sim, é bastante coisa, mas estou ciente das minhas limitações. A avaliação inicial que faço é de que a carga de trabalho é administrável — já considerando delegações nas partes técnica e artística e encomendas de algumas matérias a outros jornalistas. Alguns ajustes daqui para frente serão inevitáveis, mas nada muito drástico. Por tudo isso, estou confiante de que esta terceira fase do Manual do Usuário será a mais prolífica e a de melhor qualidade desses pouco mais de cinco anos de história.

Nos próximos dias, você verá na prática as novidades para 2019 no blog, nas redes sociais (siga os perfis no Telegram e Twitter) e na newsletter. Por ora, adiantarei os pontos que julgo mais importantes: a nova linha editorial, as pessoas que participarão disto, o meu compromisso com a nossa privacidade e os novos recursos do blog.

Nova linha editorial

O Manual do Usuário nasceu com a proposta de ser uma voz ponderada e reflexiva no debate quase sempre frenético de tecnologia pessoal. E continuará com ela. Só que, agora, nos concentraremos em dois temas fundamentais: a privacidade da(o) cidadã(o) frente aos avanços do capitalismo de vigilância viabilizado pela tecnologia e o aproveitamento — consciente e sustentável — das coisas boas que essa mesma tecnologia tem a nos oferecer.

São dois temas que se complementam de diversas maneiras. O segundo, que na prática consistirá em dicas e orientações para navegar com tranquilidade pelos mares por vezes revoltos da tecnologia — encontrando pequenos tesouros aqui e ali —, é leve, bem conhecido do público e traz benefícios óbvios e imediatos. Já o primeiro, a privacidade digital, é mais denso e ainda desperta inúmeras dúvidas e desconfianças. Muita gente não entende ou não se importa com a erosão acelerada da própria privacidade. Isso é gravíssimo e reverter esse equívoco será uma longa e extenuante jornada. O Manual estará aqui para documentá-la e, com humildade, tentar ajudar a pavimentar o caminho.

Pode parecer que o clima será meio pesado pelo fato de, talvez, a linha editorial ter ficado mais sisuda, séria. Não é o caso. Obviamente que assuntos sérios serão tratados com a devida seriedade, mas as pautas divertidas, que gosto muito de escrever e sempre repercutem bem, não serão deixadas de lado. Há espaço para muita coisa no novo Manual — até para as mochilas, se eu receber mais delas

O post livre continuará sendo aberto às quintas-feiras, mas passa a ser fechado ao meio-dia do sábado. Os podcasts (sim, no plural) serão publicados às terças e quintas, começando na próxima quinta-feira (17). O Manual segue orgulhosamente adepto da filosofia Slow Web; espere ver, em média, um conteúdo novo por dia publicado aqui — sem contar as atualizações diárias no Telegram e Twitter.

Reforços

Na parte escrita seguirei sozinho, por enquanto. Os novos reforços chegam para os podcasts e a parte técnica.

O Guia Prático, nosso querido podcast semanal, voltará a ser um papo descontraído de três pessoas. Além de mim, estão na equipe fixa a Naiady Piva, jornalista de economia especializada em startups e inovação, e o Fabio Montarroios, colaborador na área de internet do IMS, historiador e ativista pelo abolicionisno animal — os leitores mais assíduos devem conhecê-lo dos posts livres e de alguns textos que ele já publicou aqui. Teremos convidados especiais com frequência, de antigos participantes do Guia Prático a gente do mercado, da academia e das artes, para ampliar os nossos pontos de vista e arejar as ideias. Será bom!

A coluna do Guilherme Felitti sobre o mercado de tecnologia virou um podcast à parte, publicado pelo Manual do Usuário. A estreia, junto com os links para assiná-lo gratuitamente, será no dia 22 de janeiro. Além do áudio, ela também será publicada no blog em formato de texto.

Nos bastidores, o blog está hospedado na Mad Pony, novo empreendimento do James Pond, que abrigava e cuidava do blog antes do período dentro da Gazeta do Povo. O site está muito rápido e o serviço é totalmente alinhado à nossa política de privacidade.

Compromisso com a privacidade

Por falar em privacidade, o Manual do Usuário passa a operar, a partir de hoje, 100% livre de Facebook e Google. Isso significa que quando você acessar o blog, essas duas empresas não ficarão sabendo que você passou por aqui. Nem qualquer outra.

Foto do logo do Manual do Usuário com adesivos de 100% livre de Facebook e Google por cima.
100% livre de Facebook e Google. Foto e montagem: Rodrigo Ghedin/Manual do Usuário.

Se tal declaração lhe parece estranha, saiba que essa relação direta e sem terceiros envolvidos é uma raridade na internet. Desconheço outra publicação online, mesmo as que cobram pelo conteúdo, que ofereça acesso sem que o Facebook, o Google e mais uma infinidade de empresas desconhecidas e/ou estranhas bisbilhotem o seu comportamento.

O Google, por exemplo, tem um sistema de estatísticas de acesso padrão na indústria (Analytics), um de publicidade programática muito popular (AdSense), a abominação do AMP e mais uma série de ferramentas que facilitam a vida de donos de sites. O Facebook tem um código onipresente que te persegue pela web, aqueles botões sociais e, a exemplo do Google, um punhado de ferramentas de integração e manipulação, ops, segmentação para quem publica conteúdo na internet. Além das duas, uma infinidade de outras empresas de publicidade e segmentação também coleta seus dados quando você entra em algum site comercial.

Todas essas facilidade não são oferecidas por que Facebook e Google são bonzinhos, mas em troca da captura dos seus dados pessoais — mesmo que você não queira ou não saiba que os está entregando.

Estar 100% livre dessas empresas não significa que o Manual desaparecerá dos resultados da busca do Google nem que você não poderá encontrar ou compartilhar nosso conteúdo no Facebook, Messenger e WhatsApp. No Facebook, inclusive, links dos posts publicados aqui ainda aparecerão em nossa página e no robô do Messenger, publicados de forma automática. E você pode divulgar os conteúdos à vontade — aliás, agradeço muito caso o faça!

O intuito de toda essa vigilância é reduzir você, pessoa física dotada de livre arbítrio, a uma fórmula algorítmica capaz de revelar suas fraquezas cognitivas e explorá-las para induzi-lo a consumir mais notícias, mais vídeos, mais assinaturas, mais serviços e produtos, mais, mais e mais.

Uns podem dizer que se trata de um efeito colateral da inevitável transformação da internet em uma grande balcão de negócios. Pode ser. O problema é que essa dinâmica virou regra e engoliu até mesmo blogs simples, sem qualquer grande pretensão comercial. Ninguém precisa dessas empresas para publicar umas linhas de texto na web.

Mais que isso, o meu desejo é que a sua visita ao Manual do Usuário seja intencional e prazerosa. Que você leia e ouça o que é publicado aqui não por ter sido induzido por uma interface sacana, um anúncio segmentado ou um algoritmo obscuro, mas porque você quer. Que, nesse mar de correntes do WhatsApp, memes politizados, manchetes apelativas e conteúdo vazio criado apenas para dar cliques, a nossa relação seja algo especial. Que a mesma empolgação que eu sinto ao publicar um texto aqui seja sentida por você ao lê-lo e interagir nos comentários comigo e os outros leitores.

Não entenda a minha atitude como restritiva. Romper com Facebook e Google não significa alienar o público mais amplo, mas sim propor uma conversa sem a participação de terceiros indesejados com interesses diversos dos nossos. E é, também, uma aposta de que uma publicação séria e compromissada é capaz de sobreviver sem essas duas empresas, ambas decisivas na grave quebra de confiança da população no jornalismo profissional. Por mais que elas pareçam inescapáveis, não são. Ou assim acredito. Com o Manual do Usuário, tentarei provar essa hipótese.

Teremos muitos canais para conversar, do e-mail/newsletter aos comentários, de outras redes sociais aos podcasts. Talvez seja mais difícil, mas tudo bem. Será um bom desafio.

Seguindo a mesma linha, o blog volta ao sistema nativo de comentários. O Disqus, que usávamos até então, tem uma série de comodidades, mas o seu modelo de negócio não difere dos de Facebook e Google: criar perfis de usuários para vender publicidade segmentada. Ele também deixa o carregamento da página mais lento, pelo excesso de código e partes quebradas, e nos últimos meses tem apresentado instabilidades severas na sincronia com o nosso banco de dados local — por isso, algumas dezenas de comentários de novembro e dezembro se perderam na troca.

Sei que é meio chato preencher toda hora seu nome e e-mail para deixar um comentário, mas prevejo que sobreviveremos. (E, em breve, com as assinaturas pagas do site, esse “problema” será amenizado.)

Novidades no layout

O Manual ainda usa a mesma base de antes em seu layout, apenas com alguns leves ajustes e aperfeiçoamentos.

O primeiro que destaco é a adoção de uma nova-velha fonte, a Helvetica Neue ou, na falta dela, a Arial. A anterior (Merriweather) era bem agradável, mas era puxada dos servidores do Google, logo…

Outra mudança importante é a padronização dos layouts. Agora, ao acessar o blog por uma tela grande como a do notebook, você não verá mais aquela barra na lateral esquerda, mas sim o mesmo layout do tablet, em uma coluna só, centralizado. Layout que, por sua vez, é bem parecido com o do smartphone, que é a base deste site. Somos “mobile-first”. (Lembra disso? Era moda há muito tempo, ali por 2016.)

Dessas mudanças de layout, obtivemos uma grande vitória: não temos mais o menu de hambúrguer! Espalhei os links que ficavam escondidos atrás daquele ícone no topo e rodapé da página. Dê uma olhada, em especial na página “Explore”, que tem a pesquisa e diversos filtros para o arquivo do Manual.

Nos posts, você verá com frequência algo que chamei de “contextos”. São comentários ao texto, com diferenciação visual e ícones indicativos, que ajudam a dar contexto ao que você está lendo. Os ícones/contextos são os seguintes:

  • Olho aberto: avisos de transparência, como relações entre o autor do texto e o blog com personagens e empresas citadas.
  • Relógio: atualizações feitas no texto posteriores à sua publicação.
  • Exclamação: alertas gerais, de procedimentos perigosos a orientações importantes. (Você já viu um desses ali em cima.)
  • Globo: detalhes das traduções exclusivas que publicamos aqui, como autor, data e link do conteúdo original.
  • Gente: mini-perfil de autores convidados que publicam no Manual.

Veja um exemplo:

Isto é um aviso de transparência. Ele tem o ícone correspondente (olho aberto) e uma diferenciação visual, com fundo em outra cor e tipografia monoespaçada.

Aqui e ali tem alguns degradês coloridos que, dizem os jovens, estão na moda. Sim ou não, eles são bonitos e quebram um pouco o visual monocromático que já é marca registrada do Manual.

Por fim, se você está atenta(o), deve ter visto links para lojas online no rodapé do site. Ao fazer uma compra após clicar neles, o blog ganha uma pequena comissão — sem afetar o custo do(s) produto(s) para você. É uma das fontes de receita com que pretendo viabilizar comercialmente o projeto. Mas esse é um assunto para o futuro. Pelos próximos meses, o Manual do Usuário não terá qualquer fonte de receita exceto as pequenas comissões dessas lojas.

Comentários são sempre bem-vindos.

Não se esqueça de assinar (gratuitamente) a newsletter.

Muito obrigado pela sua atenção!

Acompanhe

Newsletter (toda sexta, grátis):

  • Mastodon
  • Telegram
  • Twitter
  • Feed RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

99 comentários

  1. Estava em férias – desconectadas, inclusive – e no retorno essa grata surpresa! Que a nova fase do MdU seja frutífera para ambas as partes, você produtor de conteúdo e nós, consumidores.
    Abraços e no aguardo da plataforma de assinatura, pois conteúdo bom no MdU não é expectativa, é certeza.

  2. Oh glória!
    Você não sabe o quanto eu esperneie quando os sites começaram a aparecer com aquela moda de login pelo Facebook e Google.
    Demorou 10 anos mas finalmente estamos nos livrando daquelas pragas!

  3. “a abominação do amp”
    Vc discutiu comigo lá atrás qdo disse isso. Falou que estava errado e foi bem grosso. Acho que estava bastante estressado por conta da mudança p o Gazeta – que também avisei que era furada.
    Por conta disso td parei de ler o blog.
    Não me surpreendi ao receber a notícia do que houve. Te desejo sorte nesta empreitada, mas já alerto que ficar longe de Google e Facebook é ideologicamente legal, mas ruim pro bolso.
    De QQ forma espero estar errado e que dê tudo certo!

    1. Poxa, não me lembro dessa discussão, José. De qualquer forma, peço desculpas se fui grosso. Jamais é a intenção.

      Trabalhar na Gazeta do Povo não foi uma furada. Se pudesse voltar no tempo, não mudaria a escolha que fiz de aceitar aquele cargo. Aprendi bastante, cresci pessoal e profissionalmente e, com o contrato que levou o Manual para lá, também foi financeiramente vantajoso. Tenho (muitas e grandes) diferenças com a linha editorial da Gazeta e elas se exacerbaram nos meses derradeiros. De fato, me incomodavam muito, mas isso não apaga nem diminui o que ganhei nos quase dois anos em que trabalhei lá.

      Você tem razão, manter uma publicação online sem Facebook e Google é mais difícil. A minha hipótese é que, apesar disso, é viável. Espero conseguir prová-la.

      Agradeço o comentário e as boas energias — toda a sorte do mundo será bastante útil :)

  4. Ghedin, desejo toda a sorte nessa nova fase do MdU, estou ansioso para ver o que você vai desenvolver com dedicação full-time ao site.

  5. Licença para comentar?

    Sucesso a nova fase do MdU e acompanharei eventualmente para ver as opiniões bem ponderadas do Ghedin.

    Só uma provocação: expor mochilas das pessoas também não é uma forma de expor a privacidade? Eu gostava dos posts de mochila e áreas de trabalho (e já pensei em contribuir,), mas entendo que as vezes a divulgação de uma mochila também é uma exposição de privacidade.

    Só para provocar uma discussão futura mesmo.

    1. Bem-vindo, Ligeiro!

      Sim, mostrar a mochila em um site público é, evidentemente, uma exposição da sua privacidade. A diferença entre isso e o que Facebook, Google e outras empresas fazem é que a pessoa que expõe sua mochila aqui tem plena consciência do que está fazendo e a exposição é limitada a isso — eu não coloco um código que a monitora ou alguém para ficar observando mudanças na mochila da pessoa para atualizar o post, por exemplo.

  6. Opa! No aguardo das assinaturas pagas.

    Agora, uma sugestão de pauta/artigo, se houver viabilidade, no embalo de se desvencilhar do google, é se existe uma forma prática de se utilizar android sem o google. Sei que existem roms e até alternativas ao gapps, porém, até onde a praticidade de se utilizar o telefone no dia a dia continuaria a mesma?

    1. Essa pauta seria bem boa mesmo. É muito difícil se livrar 100% do Google, mesmo no iPhone, porque muitos apps recorrem a APIs e códigos do Google. Quer ver um exemplo? Praticamente todos os apps de corridas compartilhadas (Uber, 99, Cabify) usam a solução de mapas do Google.

      No Android o cenário é ainda pior por causa do Google Play Services, uma espécie de cavalo de Troia que o Google colocou no Android para exercer controle sobre o sistema e manter, ao mesmo tempo, a existência do AOSP (versão de código aberto do Android).

      De qualquer forma, é uma boa sugestão. Já está anotada aqui. Valeu!

  7. Viva! Nem imagino como deve ser boa a sensação de ser demitido da Gazeta do Povo…

    Que bacana que este site retornou. Acompanho há bastante tempo, deixei de ler depois de sua migração para Curitiba, e hoje, sem muito porquê, resolvi acessar e surpresa! Olha o MdU de volta à ativa.

    Só lamentei a mudança da fonte (Arial fica parecendo documento de cartório…) Abraços e boa sorte nesta nova empreitada!

    1. Hahaha, dei uma boa gargalhada com o “documento de cartório”. Talvez com o tempo você passe a ver os documentos de cartório como se fossem os textos do Manual do Usuário… né?

      Uma dica/convite, para você e outros que acompanham o blog: assine a newsletter gratuita. É a garantia de que jamais perderemos contato. Por ela, avisei os leitores da mudança para a Gazeta do Povo e, depois, da saída do blog de lá e do relançamento na última segunda-feira. E é só um e-mail por semana, ou seja, não vai entupir a sua caixa de entrada.

      Bem-vindo de volta!

  8. Sigo acompanhando por RSS e agora testando o canal no Telegram também.

    Que venha a nova fase!

    PS: fuçando lá no Telegram, vi que o seu perfil ainda está com a foto antiga ;)

    1. Valeu, Borges! E obrigado pelo aviso da foto no Telegram — estamos em tantos lugares virtuais hoje que fica difícil lembrar de todos quando fazemos essas mudanças, hehe.

  9. Primeiramente, meus parabéns prlo retorno, Ghedin. Desejo muito sucesso nessa nova fase do Manual que eu pretendo acompanhar integralmente, como todas as outras =)
    Desse anúncio fiquei particularmente surpreso em saber que a coluna do Guilherme vai virar podcast. Pra mim foi um dos pontos mais altos desse último formato do Guia Prático, abordando questões complexas com clareza e um ponto de vista crítico que pouco se vê por aí e que casa muito bem com a sua linha e do blog.
    E fico no aguardo de quando voltarem as assinaturas. Sempre bom contribuir com bons projetos como o seu!

    1. Também fiquei muito contente quando o Guilherme topou esse novo arranjo para a coluna dele. Acredito que, dessa forma, ela ganhará mais projeção do que tinha dentro do Guia Prático.

      As assinaturas pagas voltarão em breve. Ainda preciso acertar vários detalhes, mas está nos planos sim :)

  10. Parabéns, mais uma vez. Ghedin é provavelmente o melhor jornalista de tecnologia de consumo no Brasil e o MdU certamente um dos melhores canais para discutir o assunto.

    Dito isso: Fabio no Guia Prático é uma excelente notícia!

    E, finalmente, creio que este seja um dos usos mais bem solucionados de degradê na web MUNDIAL. Pra mim funcionou muito bem. :)

    1. Exagero seu (o primeiro parágrafo), mas obrigado, gabriel! Tenho certeza de que você é um jovem antenado às últimas tendências de design, por isso gostou do degradê :)

  11. Sou um fã do teu trabalho há muito tempo, e estou bem feliz com o direcionamento do MdU a partir de agora. Me esforçarei para estar mais presente nos comentários e na divulgação de aqui em diante. Desejo muito sucesso nessa empreitada, e já estou ansioso pelo retorno do Guia Prático :)

    1. Obrigado, Guilherme! A parte de divulgar o Manual será bem importante! Como não gastarei com divulgação via anúncios em Google e Facebook, essa ajuda é bem-vinda.

      O Guia Prático volta na quinta-feira. Também estou ansioso para publicá-lo!

  12. Adiciona algum botao de “likes” nos comentários! As vezes o pessoal gosta de alguma comentário e quer apenas curtir ele, sem precisar responder em si!

    1. Não sei se isso vai rolar. Sinto que os botões de “curtir” criam um ambiente de competição que, na real, acho que não tem muito a ver com as discussões que temos aqui nos comentários do Manual. Está em análise, de qualquer forma — e valeu pela sugestão!

  13. olás, gostaria de te parabenizar pela nova guinada. o manual foi um dos meus pontapés iniciais na direção da área de tecnologia, pelo tom pé no chão dos textos e podcasts, na intersecção entre o técnico e o prático, sempre com toques de aleatoriedades interessantes (?!). & agora com essas mudanças visando privacidade e indo na contramão da hegemonia capitalista louca (o que é difícil, bem difícil), eu to é contente demais.
    obrigada e vida longa ao(s) projeto(s)!

  14. Olá Ghedin!

    Ficou bem mais limpo e ainda mais rápido o carregamento. Essa “leitura rápida” no Telegram tem que fazer manualmente ou ele puxa automático? Na última vez que vi tinha que publicar tudo de novo por lá em um link que eles fornecem.

    Que 2019 o MU tenha mais SUCE$$O! rsrs

    Abraço!

    1. Oi Rafael! É automático. Eu nunca mexi em nada relacionado a esse Instant View; na real, nem queria que o Manual fosse afetado por ele, mas pelo que pesquisei é algo que independe de mim.

      Obrigado pela força!

  15. Que bom que voltou!

    Novidades interessantes. Não posso deixar de comentar que estou intrigado com o novo direcionamento do xodó PL. Também estou meio desconfiado desses degradês pastéis. As cores sólidas isoladas me parecem mais bonitas — o antigo amarelo post-it era bastante harmonioso com o branco do site.

  16. Já tava com saudades, bom ver que o Manual vai começar 2019 ainda melhor do que já era.
    Desejo sucesso de já, Ghedin.

  17. Muito legal o reposicionamento do blog, Guehdin. Quanto às mudanças, acho que valeria a pena deixar o Disqus ativo. Não se trata de mera comodidade já que ele é uma plataforma bem completa pra comunicação. Inclusive contando com app e notificações de resposta ao comentário. De fato não “custa” nada inserir os dados pra comentar, mas ainda acho que o Disqus foi essencial pra tornar o Manual não apenas um blog, mas quase que um fórum de discussão.

    1. A decisão de removê-lo decorreu de vários pontos: a lentidão, os erros, a quebra na sincronia com o banco de dados do blog e, claro, o fator privacidade.

      Eu também desconfio que o Disqus colaborou para a formação da nossa boa área de comentários, Hélio, mas estou apostando que ele não foi o principal fator. Nas próximas semanas, eu e o James estudaremos ajustes e plugins que tornem este espaço mais agradável e cômodo. Acho que nunca será tão como quanto o Disqus, mas não faz mal. Às vezes, um pouco de atrito é até bom.

  18. Finalmente saiu da Gazeta :) eu estava usando um desses Scripts de Adblock apenas pra poder acessar o MDU sem aquelas propagandas pelo site.

    Agora só falta um detalhado texto/dossiê sobre o uso do termo “notch” ao invés da sua tradução :)))

    Sucesso e abraços.

  19. Show! Não sei nem o que dizer dessa nova fase, já acompanho o manual de forma mais passiva já a alguns anos e torço muito para que tanto o blog quanto esse modelo de consumir informação com menos agilidade e mais qualidade chegue ao conhecimento de mais e mais pessoas.
    Só gostaria de deixar aqui algumas ideias que talvez possam (ou não) ser úteis. Já que o blog se tornará cada vez mais “limpo”, ganhar dinheiro com propaganda não parece ser algo viável, então acho que algum projeto de arrecadação como o Apoia.se seria muito válido. Outra coisa é a forma com que o conteúdo é espalhado, apesar de ir contra essa novidade de romper laços com Facebook e Google, Instagram e YouTube são ótimas formas de divulgação, sendo o primeiro muito bom para divulgar notícias ou chamadas em formas de stories e o segundo, como forma de divulgar os podcasts para um número maior de pessoas.
    Finalmente, gostaria de sugerir que o Manual se fizesse mais presente junto veículos e associações de jornalismo independente, pois é uma área que (acredito) ganhará cada vez mais relevância e o nome do blog aparecendo em compilados de veículos independentes, passam a idéia de confiança e seriedade.
    No mais, só tenho a desejar que 2019 seja um ano esplêndido para esse blog e dar os parabéns a você, Ghedin, pelo trabalho e compromisso. Felicidades!

    1. Oi Sandro!

      Muito obrigado pelas sugestões. A ideia da assinatura está nos planos, mas quero desenvolvê-la bem antes de liberar as contribuições financeiras ao blog para que o leitor tenha uma contrapartida bem legal. Se tudo correr como está no meu planejamento, as assinaturas devem aparecer aqui entre março e abril.

      Já sobre YouTube e Instagram, o uso dessas redes esbarra na política de não recorrer a Google e Facebook, respectivamente. Os dois têm todos os mesmos problemas que me fazem torcer o nariz para essas empresas — organização de conteúdo algorítmica, privilegiam opiniões extremistas e são imprevisíveis. Acho que estaremos melhor longe delas.

      Quanto ao jornalismo independente, é uma ótima nos aproximarmos de outros que estão nesse mesmo barco. E sim, é um objetivo estar mais presente junto a essa galera.

      Muito obrigado pelo comentário e pela força! Que 2019 seja massa para todos nós :)

  20. Não sou de comentar mas precisei deixar os parabéns pela iniciativa de se livrar do Google/Facebook, e priorizar a privacidade na pratica. Torço também para uma guinada ao software livre. Sucesso!

  21. Que bom que o Manual enfim voltou! Estamos diante de um “experimento” que pode ser o precursor de uma retomada do jornalismo que não se tornou “vitima do algoritmo”. Parabéns pela coragem Ghedin, realmente fascinante e encorajador!!!
    Ah, estou muito ANSIOSO pelo podcast do Guilherme e a volta do Guia Pratico!

    1. É bem isso mesmo, um experimento. Se funcionar, ótimo! Se não, aí acho que a gente se conforma com um futuro de vigilância total e fim da privacidade, haha (*rindo de nervoso*).

      Obrigado pelo apoio, Ronaldo!

      1. Tomara que funcione. Já curti o layout, ficou bonito e agradável. Curti a fonte também, já baixei pra usar nas minhas petições rsrs
        Boa sorte nessa nova jornada!

  22. Bom dia Ghedin!

    Parabéns pelo trabalho! Te acompanho desde a época em que notei que havia uma discrepância muito grande entre diferentes textos do Gizmodo Brasil. Alguns bem superficiais e mal escritos e outros mais elaborados, bem escritos e com temas mais interessantes. Foi quando notei que esses referidos textos melhores e que eu mais gostava eram escritos pelo Rodrigo Ghedin.

    Vou continuar acompanhando o seu trabalho e tentar participar dos posts livres.

    Vida longa ao Manual do Usuário e sucesso!

      1. Dúvida: o que seria mercado de tecnologia? Tipo uma coisa mais TI ou algo mais focado em volume de vendas das empresas, tendências de mercado, etc…

        1. Oi, Gabriel, o podcast vai fugir das notícias do dia e se focar em analisar com mais profundidade e fugindo do tom abobalhado de “a tecnologia vai nos salvar” tendências de mercado e decisões de empresas.

          Vai ser igual ao formato na Gazeta. Abs,

  23. Finalmente voltou o/

    Estarei acompanhando e na expectativa de abrir colaboração, o MdU foi o primeiro e único projeto que contribuí mensalmente, e quando voltar o farei novamente.

    Muito sucesso Ghedin!

    Obs: segui seu conselho e tentei usar o duck duck go como pesquisa mas achei bem lento e apesar dos pesares o AMP do google economiza alguns segundos e isso é importate, no desktop consigo usar o DDG, mas no celular fica difícil…

    Abraços.

    1. Valeu, Will! O Manual terá sim um sistema de assinatura paga no futuro próximo. Ainda estou definindo algumas coisas antes de lançá-lo, mas deve estar no ar até abril. Agradeço de antemão o apoio também financeiro :)

      Quanto ao DDG, ele realmente não é tão cômodo quanto o Google, mas, na minha experiência, tem uns agrados que compensam. (E quase sempre estou em área coberta por 4G, o que deixa a experiência tão rápida quanto a do Google.) Os bangs são muito legais, por exemplo. Em breve devo publicar um tutorial com dicas menos conhecidas do DDG.

      Valeu pela força!

  24. Show, como sempre estarei aqui nesta nova fase torcendo pelo sucesso do qual considero o melhor blog de tecnologia.

    Agora vê, quanto a fonte, dá pra puxar a Merriweather do teu próprio servidor ao invés do Google (faço isso em meu site pessoal justamente pra não ter nenhum rastreio do Google ou feicebuque).

    1. Dá, mas você ainda está carregando um arquivo de fonte ao invés de usar uma fonte do sistema.

      Além da questão privacidade, o uso de fontes do sistema como Helvética e Arial também se devem a questão performance.

        1. Verdade, mas ainda assim acho espartano demais. Uma fonte woff2 deve ter coisa de 20 kb gzipada. Além disso, se usar um font-display:swap no CSS ele usará uma fonte padrão do sistema e só fará a troca quando a fonte for baixada. =)

          Agora por uma questão de preferência estética (serifada ou não), aí não temos como questionar esse argumento. Hahahahaha =P

  25. Olá novamente, Ghedin!
    Como sempre, desejo-te sucesso nessa mais nova fase do Manual. Sou entusiasta do seu trabalho desde os primórdios do Manual. Sempre procurei participar ativamente das discussões, dos posts abertos, apesar que me afastei no último ano quando houve a migração para a Gazeta ( desculpe-me, o perfil ideológico do conglomerado me deixava receoso). Mas segue a promessa de início de ano novo para retomar os laços com os amigos manualzeiros (rs).
    Fico muito feliz que o Fabio também integre a equipe fixa do podcast, gosto muito das opiniões e vieses que ele traz.
    Enfim, espero que tudo dê certo! Abraço a todos.

    1. Entendo o receio, Luis. Toda decisão tem prós e contras; levar o blog à Gazeta do Povo gerou alguns problemas, mas também trouxe muita coisa boa a mim e ao projeto. Enfim, são águas passadas e fico feliz que tenha continuado por aqui e, agora, voltará a participar mais ativamente das nossas discussões. Valeu! :)

        1. Os adesivos de primeira geração ainda resistem fortemente no meu powerbank e no meu último notebook (que foi aposentado por questões de superaquecimento).

  26. Maravilhoso.
    Parabéns pela coragem e determinação de ir contra a maré e fazer diferente. O Manual vale muito a pena por isso.
    Continue o bom trabalho.
    PS: o Instant View no Telegram foi uma bela surpresa tbm!

    1. Valeu ,Vitor! O Instant View foi uma surpresa até para mim, haha! Não sabia que qualquer um podia criá-lo para qualquer site. Pessoalmente, eu gostaria que ele não existisse aqui — o site está absurdamente rápido (<1s para carregar) e não me agrada a ideia de uma plataforma se apropriar dessa maneira do nosso conteúdo.

      O Instant View é muito importante para você? Pergunto porque, a princípio, minha ideia é tentar remover esse recurso do Manual do Usuário.

      1. Oi Rodrigo, desculpe a demora rs

        Sim, o Instant View é muito importante pra mim! Mesmo o site estando mega leve e otimizado, nunca vai ser tão instantâneo quanto o IV. Além disso, sair de um app para outro já é mais uma barreira na navegação. Quando encontro um link que não tem IV diretamente, eu mando pra um bot que transforma a página. Isso tbm é muito útil pra burlar paywalls.

        Eu entendo a questão de apropriação do conteúdo. Seja pelas _page views_, pelo controle da apresentação das informações, … mas a praticidade do IV pra mim vale mais.

        Se vc quer msm desabilitar isso, acho q só removendo o link preview na hora de enviar a msg. Eu direciono alguns feeds pro Telegram usando o IFTTT e lá tem essa opção de desabilitar link previews.

        Boa sorte

        PS: Uso o navegador Brave no celular e a extensão uBlock no desktop. O Manual é um dos únicos sites que não tem nada pra bloquear! 👏👏👏

        1. Boa ideia essa de tirar a pré-visualização. Fica menos chamativo sem a foto, mas resolve o problema. Obrigado (e desculpe pelos posts sem IV daqui para frente, hehe!)

          Você lembra de algum outro site que funcione como o Manual, sem nada para bloquear?

  27. Parabéns Ghedin,

    Ainda estou meio em choque com o design extremamente enxuto (mais do que já era?) e a falta do Discourse. Mas pode ser só aquela adaptação inicial.

    Sucesso

    1. Sim, creio que seja adaptação. O sistema de comentários é um pouco mais arcaico, mas funciona bem. E depois que você salva os dados do formulário no navegador (nome e e-mail) para preenchimento automático, fica quase igual o Disqus.

      Valeu pela força!

  28. Muito sucesso para essa nova jornada do Manual do Usuário! Estarei sempre aqui acompanhando o teu trabalho.

  29. O design do site sempre foi um dos pontos que me chamou a atenção, pois apesar de ser sempre simples, dava pra notar a atenção que você tem aos detalhes. Nesse nova fase, ficou ainda melhor!
    Em relação a Facebook e Google, estamos juntos nessa. Deletei meu Facebook no final do ano passado e em breve o Instagram também vai embora. A parte mais difícil é convencer família, namorada e amigos próximos a usarem o Telegram para não precisar mais do WhatsApp.

    1. O WhatsApp é realmente a última fronteira. Já converso mais em outros apps — Telegram, Signal e iMessage —, mas o WhatsApp ainda tem um peso que me impede de exclui-lo. Por enquanto.

      1. Signal eu tentei. Mas além dele ser um deserto, eu fiz a besteira de deixar ele assumir minhas SMSs (até para criar mais uso). Não gostei não.

        Alias, seguindo a pegada do Manual, fica a sugestão de pauta: SPAM VIA SMS. O SMS virou um inferno. Spans, cobrança para pessoas de nome curioso, phishing, etc etc etc.

  30. Ah Rodrigo, que coisa legal e ótima corta Facebook e Google. Estou seguindo um papo que tivemos sobre cortar o Google, me falta apenas o photos, Gmail e YouTube. Para o YT me atinei que posso criar uma nova conta para os canais que sigo. Os vídeos que subi, vou ver o que arranjo. Photos, estou terminando de baixar a sincronização e vou ver pra qual nuvem jogar. Facebook deve ter inteirado 6 meses sem. A única coisa que faz falta é uma sincronização de um jogo de starwars que jogo a 4 anos, caso eu saia do iPhone aí já era a evolução toda.
    Agora, parabéns pela sequência do site, ficou bem legal. Estamos juntos nessa nova fase, eu como leitor assíduo e de poucos comentários, mas como na maioria dos sites que leio, gosto de ler os comentários… Sucesso!!

    1. Eduardo,

      Vale lembrar que o YouTube possui feed RSS para todos os canais, então você pode seguir as atualizações de um canal usando algo como o Feedbin, um leitor de RSS pago, mas sem qualquer tipo de rastreio.

      Os vídeos, inclusive, vem de um domínio que não te rastreia.

      E para assistir vídeos do YouTube no dia a dia, também tem o Invidius. É como se fosse uma camada na frente do YouTube que mantém os comentários e afins, mas tira toda a parte de rastreamento. Vale a pena dar uma olhada.

    2. Em relação a seguir canais, já pensou em usar rss? vai no canal que vc quer seguir e copia o link, vai num agregador (uso o feedly) e em adicionar novo conteúdo, sempre que o canal lançar vídeo novo vc vai ficar sabendo pelo agregador, eu uso pois acho muito mais fácil do que entrar no youtube e saber se tem conteúdo novo (fora que pelo agregador eu acompanho outros sites, assim como o MdU).

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!