Fundo azul, com uma chamada para um PlayStation 5 no centro. À esquerda, a frase “Ofertas de verdade, lojas seguras e os melhores preços da internet.” À direita, “Baixe o app do Promobit”.

Nossos parceiros de conteúdo, LABS News e Núcleo Jornalismo

Em 2021, o Manual do Usuário firmou duas parcerias de conteúdo de longo prazo: com o LABS News e com o Núcleo Jornalismo. Elas me desafiam a tornar este pequeno site melhor e, em troca, acho que ajudo a torná-los veículos melhores e mais completos também. É bom crescer ao lado de gente boa e legal!

O Núcleo publicou um raio-x do projeto dia desses, destacando seus números e vários reconhecimentos ao longo de 2021. O LABS também fechou o ano celebrando crescimento e expansão linguística — com o espanhol somando-se às versões em inglês e português e uma nova newsletter em português.

Agradeço às duas equipes, em especial àqueles com quem estou sempre conversando para fazer as parcerias funcionarem: Fabiane Ziolla Menezes e Carolina Pompeo no LABS, e Sérgio Spagnuolo, Alexandre Orrico, Samira Menezes e Jade Drummond no Núcleo. Em 2022, seguimos juntos.

Achados e perdidos #47

Todo sábado, pego uns links que acumulei ao longo da semana e que, embora curiosos e/ou interessantes, não renderam nem notinhas, e os publico num compilado que chamo de “achados e perdidos”. É um conteúdo mais leve, curto, quase lúdico — a cara do fim de semana. O Achados e perdidos (e o Manual do […]

Um ano difícil para a big tech

O roteirista de 2021 caprichou: logo na largada, no dia 6 de janeiro, um bando de lunáticos, insuflados pelo próprio presidente dos Estados Unidos, invadiu o Capitólio numa tentativa explícita de golpe de estado. Não conseguiram, mas deixaram no caminho alguns mortos, centenas de feridos e o mundo atônito.

O primeiro celular com tela dobrável interessante

Duas mãos segurando o Oppo Find N (esquerda) e o iPhone 13 Mini, lado a lado. Ao fundo, um escritório típico desfocado.
Imagem: MKBHD/Reprodução.

O Oppo Find N é o primeiro dobrável que chama a minha atenção. O formato é similar aos aparelhos da linha Galaxy Fold, da Samsung. O que torna ele atraente são suas dimensões diminutas.

Fechado, o Find N tem o mesmo tamanho (exceto espessura) de um iPhone 13 Mini: 132,6 x 73 mm (altura x largura, contra 131,5 x 64.2 do celular da Apple) e uma tela de 5,49 polegadas. A foto acima é do canal MKBHD. Ao abri-lo, o usuário se depara com outra tela maior, como era de se esperar, de 7,1 polegadas. O ganho em área visível ao passar da telinha externa para a interna grandona é de 29,3%.

O problema é a espessura, mais que o dobro de um iPhone 13 Mini (15,9 contra 7,7 mm), o preço (a partir de ~US$ 1,2 mil) e o fato de que o Find N só será vendido na China, com o Android chinês da Oppo/BBK.

O conceito “telinha pequena por fora e telão ao desdobrá-lo” tem apelo; já o do “telão externo e telão ainda maior dentro”, o único disponível até agora pelos proponentes dos dobráveis, em especial a Samsung, não muito. Talvez daqui a uma década, quando a indústria resolver problemas críticos do modelo, como a fragilidade das telas que dobram e a espessura desses aparelhos quando fechados, um celular assim se torne interessante. Via MKBHD/YouTube (em inglês).

Android Go: 200 milhões de usuários e nova versão a caminho

O Google revelou que o Android Go, versão do sistema destinada a celulares mais simples, é usado por 200 milhões de pessoas. Em 2022, a empresa lançará o Android Go 12 com algumas melhorias exclusivas em relação ao Android convencional. A maior delas é velocidade, com a promessa de que os apps abrirão até 30% mais rápido que no Android Go 11. É uma novidade bem-vinda: quando testei o sistema, no final de 2018, a lentidão generalizada foi o destaque negativo. Via Google (em inglês).

Novo app do LinkedIn para público chinês não tem feed de notícias nem anúncios

Em outubro, a Microsoft fechou o LinkedIn na China alegando um “ambiente operacional desafiador”, mas prometendo um novo aplicativo sem a parte “desafiadora” — leia-se o feed de notícias.

Esse app chegou. Chama-se InCareer e é uma espécie de LinkedIn dos sonhos: ele preserva os perfis profissionais, as oportunidades de emprego e o bate-papo e todo o aparato para recrutadores, com uma interface simplificada e sem anúncios. No post/anúncio do app, há um vídeo detalhando seu funcionamento. Para o bem e para o mal, o InCareer está disponível apenas na China. Via LinkedIn (em inglês).

Esta é a nova urna eletrônica do Brasil

Foto da nova urna eletrônica, modelo UE2020, de frente. Agora, a tela ocupa toda a extensão e fica na parte superior do dispositivo, com o teclado abaixo, levemente à direita.
Foto: TSE/Divulgação.

O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), esteve em Ilhéus (BA) nesta terça (14) para conhecer a nova urna eletrônica brasileira, modelo UE2020, produzida pela Positivo Tecnologia.

A nova urna já será usada nas eleições de 2022. Serão 225 mil do novo modelo de um total de 577 mil. Além do visual diferente, a nova urna traz uma série de melhorias, como processador mais rápido, novos recursos de acessibilidade, suporte a pen drive e uma nova bateria de Lítio Ferro-Fosfato que exige menos recursos de conservação.

Mais detalhes das urnas e fotos de outros ângulos nos links ao lado. Via TSE (2), @tsejusbr/Flickr.

Pop_OS! 21.10

A System76 liberou a versão final do Pop_OS! 21.10, sua popular distribuição Linux. Dois destaques: uma nova Biblioteca de Aplicativos, que ao contrário da do Gnome Shell não ocupa a tela inteira, e uma versão especial para Raspberry Pi 4 e 400, chamada Pop_Pi. Ainda é um “tech preview”, o que significa que falhas podem ocorrer.

O Pop_OS! 21.10 vem com kernel Linux 5.15.5 e os drivers Nvidia mais recentes, Gnome 40 como base e outras melhorias, é gratuito e funciona em qualquer computador compatível — não é exclusivo para as máquinas da System76. Baixe-o no link ao lado. Via System76 (em inglês).

Com dinheiro e decisões arbitrárias, Facebook tenta consolidar marca Meta

Adotar um nome (relativamente) comum como marca traz um risco enorme: o de deparar-se com outras empresas e pessoas que o usavam anteriormente. Meta, o novo nome do Facebook, não é lá dos mais originais, e a maneira como a empresa de Zuckerberg vem lidando com as inevitáveis coincidências tem sido irregular.

Ao Meta Financial Group, um banco regional dos Estados Unidos, o Facebook pagou US$ 60 milhões pelos direitos do nome Meta. A compra foi feita por uma empresa afiliada do Facebook, a Beige Key. Um porta-voz confirmou a relação entre as duas.

Do outro lado do mundo, na Austrália, a artista Thea-Mai Baumann tinha o nome de usuária @metaverse no Instagram desde 2012. Nesse caso, o Facebook simplesmente desabilitou sua conta cinco dias depois de apresentar sua nova marca, alegando que Thea-Mai estava tentando se passar por outra pessoa. Tipo confisco mesmo. Se hoje está assim, imagina no metaverso do Facebook… Via Reuters (em inglês), New York Times (em inglês).

Relatório de privacidade dos apps no iOS 15.2

A coisa mais legal do iOS/iPad 15.2, lançado nesta segunda (13), é o relatório de privacidade dos apps. (Ele vem desativado por padrão. Entre em Ajustes, Privacidade, Relatório de Privacidade dos Apps e ative-o.) Por ele, é possível ver quais recursos (câmera, microfone, contatos) e quais domínios e endereços IP cada aplicativo usou/trocou informações. Uma mão na roda para detectar comportamentos estranhos e turbinar as listas de bloqueios de soluções como o Pi-Hole.

Outra novidade legal é a liberação do Ocultar Meu E-mail para assinantes do iCloud+, que permite a criação de e-mails aleatórios que direcionam as mensagens enviadas à sua caixa de entrada — parecido com o Firefox Relay e outros serviços dedicados.

Atualização (13h30): O Ocultar Meu E-mail já estava disponível. A novidade é que ele agora está disponível diretamente do app Mail. Valeu pelo aviso, Lacorte!

Compre dos parceiros do Manual:

Manual do Usuário