Fundo azul, com uma chamada para um PlayStation 5 no centro. À esquerda, a frase “Ofertas de verdade, lojas seguras e os melhores preços da internet.” À direita, “Baixe o app do Promobit”.

Post livre #299 — O último de 2021

Toda semana, o Manual do Usuário publica o post livre, um post sem conteúdo, apenas para abrir os comentários e conversarmos sobre quaisquer assuntos. Ele fecha na segunda-feira ao meio-dia.

181 comentários

  1. Se vocês ver esta mensagem, é que o Ghedin deve estar descansando e esqueceu de fechar o Post Livre ou avisar que o PL fica aberto até virar os feriados (ai é com ele).

    De qualquer forma, boas festas! Saúde e paz a todos.

  2. Bom dia
    Notaram que, apesar de já disponível, a opção de se enviar fotos e vídeos com boa qualidade ainda não funciona na prática no WhatsApp?
    Abraço

    1. geralmente recomendo as pessoas a anexarem o vídeo (até 60MB, não importa que tipo) ou foto como documento ao invés de mandar como imagem. Aí ela vai como qualidade original.

  3. passando pra desejar um bom final de ano a todos e deixar aqui a recomendação musical: don l, que lançou há algumas semanas o ótimo “roteiro pra aïnouz vol. 2”.

    deixo aqui uma mais antiga, de 2013, onde ele já arranha sobre o tema das influências nocivas das práticas das grandes empresas de tecnologia na nossa vida:

    “joga fora o script, bora viver agora / cê controla os chips ou eles te controlam?” https://piped.kavin.rocks/watch?v=B6_TP-20iww

  4. É interessante como, após o anúncio do face quanto ao metaverso, tudo é meta. Apareceu uma notícia do gizmodo sobre racismo e assédio já ser real no metaverso, mas demonstram isso apenas em coisas normais da internet, tipo jogos online ou nft.
    Acho engraçado que, todas as chamadas sobre metaverso, comentários de empresas (inclusive de tecnologia), propagandas, só deixam claro que ninguém tem ideia do que é, e só estão seguindo a correnteza.

    1. É tudo pela visualização do site. Já viu a quantidade de matéria que o Tecnoblog faz sobre NFT? Chega a ser ridículo, mas gera audiência.

      1. Eu “não falo nada” por medo de apanhar, só digo que quem fala demais sobre, cúmplice pode ser…

  5. Essa semana entrei no Reclame Aqui e me deparei com um comentário onde aparecia várias vezes [Editado pelo Reclame Aqui]. Intrigada com a situação, achei no site deles a seguinte explicação: “Quando no conteúdo de uma reclamação foram utilizados termos pejorativos, ou publicados dados pessoais e particulares de terceiros, o Reclame AQUI pode realizar a edição dessas informações.” Acontece que a palavra era “computador”, que depois da edição virou “com [Editado pelo Reclame Aqui] dor”. Achei curiosa a situação ¯\_(ツ)_/¯

    1. Uma vez eu pensei em montar uma cafeteria e Lan House.

      A ideia era se chamar Café Computa.

    2. chat do ragnarok fazia o mesmo “tratamento” eu 2005 hahaha

  6. Pessoal, preciso organizar minhas fotos. Vocês usam app/serviço para tal?

    Tenho fotos no google photos, icloud, dropbox e em hd externos. Seria interessante se eu conseguisse categorizar as fotos com tags de lugar, pessoas, viagens etc

  7. Tou pensando em comprar uma bicicleta dobrável, pra começar a movimentar mais o corpo. Vi alguns comentários e achei bem bacana pra usar na cidade (moro em São Paulo), apesar de ser uma graninha.

    Alguém por aí tem/já usou?

    1. Eu tenho uma João, usei bastante, mas qdo o Doria ganhou, os motoristas ficaram nitidamente mais agressivos e praticamente parei de andar. Ela é boa, não é tão pesada pra carregar, era tranquilo entrar com ela no Metrô, só uma vez me pediram pra colocar ela dentro de uma bolsa (que eu não tinha). É um bom investimento, especialmente se vc puder deixá-la em algum bicicletário enquanto faz seus corres. Mas, antes de me organizar melhor, eu ia com ela até o trabalho e a deixava embaixo da minha mesa. A minha uma Tern C7 Link. Estava na dúvida na época qdo comprei entre ela e uma Durban, mas optei pela Tern mesmo. Ah, acho ela bem legal tb pra qdo estou com carro: é fácil de levá-la no porta malas pra ir pedalar num parque, por exemplo.
      Agora eu tenho uma bike normal (aro 700), pq as dobráveis são ótimas, mas um pouco desconfortáveis pro nosso maravilhoso asfalto paulistano…

      1. Que massa, Fábio! Vc se lembra quanto pagou?

        Meu dilema tem sido o investimento x uso. Não ando de bike há algum tempo e tenho receio de comprar e não ter a disciplina necessária pra usar, principalmente pq trabalho de casa e teria que ativamente procurar motivos pra sair de casa e usar. Por outro lado, tudo que li sobre as dobráveis indica que as barreiras são menores: são fáceis de armazenar e carregar, são mais leves e fáceis de controlar etc.

        Acho que agora é decidir rs

        1. Acho q paguei, e faz tempo, 2500… Fui na Vila Mariana comprar, pq nas lojas daqui do meu bairro não tinha. Fiquei muito na dúvida se levava a Tern ou a Durban (deveria ter pego a Durban, pq é mais fácil achar peças, bom, pelo menos era). Cara, eu fazia de tudo com ela: transporte pro trabalho, passeio, comprar coisas na padaria e até compras no supermercado (com mochila e um bagageiro, não dava pra trazer a compra do mês, mas era impressionante a quantidade de coisas q era possível fazer caber). Nunca caí com ela, em compensação, com aro 700, levei o maior tombo nesses 35 anos de pedal. Eu fiquei com receio pelas rodas pequenas e tal, mas sempre foi segura (e ainda fazendo umas traquinagens no trânsito que eu nem recomendo a ninguém haha). A única coisa é que deixava o guidão numa altura q dava mais controle justamente pela roda ser pequena. Ah, e coloquei um freio melhor nela, pq apesar do preço, sempre vem uns componentes ruins…
          É um investimento válido, mas se vc realmente for fazer um uso mínimo dela durante a semana. Do contrário, uma bike normal (aro 26, 27,5, 29 ou a 700) pode ser melhor, especialmente pelo preço mais baixo q as mais básicas têm. E uma curiosidade: as pessoas na rua e no metrô achavam a bike bem legal e vinham me fazer perguntas sobre ela (quando estava dobrada ou montada). E sempre fiquei tranquilo qto a furtos, pq como é uma bike bem diferentona, acho a ninguém se animava muito de querer furtá-la. Mas sempre andei com uma boa trava, claro! Boa sorte na escolha!

    2. Se você for alto, como eu sou (1m90), não deixe de fazer um test-drive. As dobráveis em geral ficam um pouco desconfortáveis para quem é alto, mas varia a cada modelo.

  8. Comprei já faz um bom tempo mas, só essa semana consegui finalizar o processo de desbloquear o bootloader. Mas vou deixar aqui meus dois centavos sobre.

    [parte física do celular]
    O celular está em “perfeito” estado, sem nenhum risco, a bateria também esta muito boa, rede funciona normal, aparentemente tudo perfeito.

    [sistema da LG]
    Parece que eles pararam no tempo e só atualizaram o core do android. Não gostei e, por ter comprado um modelo Verizon (era ou Verizon ou T-Mobile) existem complicações além do desejado para desbloquear o bootloader (o modelo T-Mobile é bem pior, tem que ficar de olho nisso se for comprar) e assim, conseguir seguir com a possibilidade de instalar um ROM alternativa.

    [minha opinião]
    Só vale a pena em dois casos, o primeiro, vc não liga de usar o sistema da LG (da pra fazer crossflash para o Android 10 de outra região). Segundo, vc tem o minimo de conhecimento do que precisa e tem paciência de procurar como fazer pois, é bem complexo (cheguei a brickar o celular mas consegui ressuscitar) e, apesar de ter a informação na internet, vc vai ter juntar as partes e fazer funcionar.

    Vou escrever um post no meu blog com mais detalhes e imagens mas, estava devendo escrever isso para o PL.

    1. Estou falando do celular LG G 7 ThinQ comprado no Aliexpres

        1. meu blog é gimigliano.blog.. ainda não escrevi, preciso de um tempo para organizar os fóruns e materiais mas, irei postar algo mais detalhado lá

      1. Will, meu blog é gimigliano.blog. sobre o LG G7, ainda não postei lá nada, preciso de mais tempo para organizar e talvez, até criar um repositório no git para incluir alguns arquivos para não perder histórico

  9. de acordo.
    Após a 2a. onda, a vacinação eum pouco mais de liberdade… o 4° semestre de 2020 passou voando.

  10. Alguém aí ainda tem PS2? Eu acho que vou conseguir um de presente de Natal…

    Eu sei que parece cafona, mas eu sempre tive esse sonho. Tenho um pen-drive de 64 GB aqui que deve servir tranquilo pra esse tipo de fim.

    Enfim, vcs têm PS2 ou algum console antigo que ainda fazem uso? Eu realmente estou bem animado com a ideia.

    Me lembro quando jogava por 2 reais a hora numa locadora. Era incrível! Poderia não ter tela FHD, TVs LED, surround, etc. Mas eu realmente achava aquilo d+.

    Agora bateu a nostalgia para ter um console bom e acessível. Os jogos clássicos também são bons! Eu por exemplo, sou doido pra jogar aqueles jogos de tapete de dança. Um em específico, chamado Pump It Up.

    O único porém é que achar os tapetes prontos é um pesadelo. Comentei com a minha esposa já que estávamos prestes a consertar uma TV que minha sogra nos deu para ver se tinha conserto, mas o sonho foi pra vala. O triplo do valor original só pra trocar a tela. 😢

    Mas sobre o tapete… Eu não sei muito bem como vou fazer. Eu gosto porque é uma boa atividade física e divertido, mas ficar gastando nos shoppings para brincar sai caro.

    Só seria legal se achasse pelo menos um par desses tapetes para brincar com a minha esposa, amooooo! ♥

    1. Eu tinha um que vendi este ano barato.

      Quanto ao pendrive, se conhece programas como FreeMcBoot e OPL, vai se dar bem, mas vai implicar com a lentidão e desejar um PS2 com HDD.

      No mais, divirta-se!

    2. Eu tenho vontade de ter um Wii pra brincar com a futura esposa quando morarmos juntos

      1. Esse é bem legal, viu? Brinquei um pouco com um desses em buffets infantis (é, eu não deixava as crianças brincarem). Quis ter um tb, mas o tempo passou e deixei pra lá. Não tenho certeza, mas os jogos pra ele são baratos.

    3. Como o Ligeiro falou freemcboot e opl é um combo sensacional. Colocando todas as Iso’s de jogos numa pasta compartilhada no PC e roda muito bem via rede. Nem me preocupava com o pendrive. Deixei o PS2 com meu cunhado e nunca mais o vi. Sobre o tapete nunca experimentei… Boas jogatinas

      1. Caracaaa, que ideia maneira!

        Eu tinha me esquecido completamente que o PS2 contém uma porta RJ-45. Nem lembrava mais.

        Obrigado pela boa lembrança, isso vai facilitar mais ainda a questão de passar os jogos direto para o console (se for assim que funciona).

        Ou se estiver equivocado, por favor me corrija! 😅

        1. Tem uns dois fóruns sobre Playstation (em inglês), acho que PSX Place e um outro que esqueci o nome, onde tem as dicas de como usar o PS2 na rede como armazenamento remoto. Me lembro de ter jogado uma vez, mas eu tinha equipamentos não muito estáveis de rede, aí prejudicando a experiência.

          Mas salvo engano, é o OPL configurado para usar em rede.

    4. Eu tenho um. Achei uma pessoa vendendo. Estava praticamente sem uso, pq a proprietária comprou para a filha e elas desistiram de destravá-lo para jogar com joguinhos piratas… Veio até com aquele adesivo original de proteção da parte Black piano. Fiquei muito feliz com o achado. Não saiu barato (quase o preço de um Ps3), mas valeu. Pra jogar com ele usando um HD externo não é preciso mexer ou abrir o aparelho. Basta um memory card com o programinha certo q tudo funciona lindamente! Estou jogando Psychonauts!

      1. Vc tá falando do PS2 ou PS3? Fiquei confuso para entender.

        Pelo que sei, a modificação do console pode variar (pra mais ou pra menos) o valor final de revenda.

        Muitos revendedores (que vivem disso) preferem comprar e vender eles sem modificação, fora as skins para enfeitar o console. Mas para os mais exigentes, quanto mais original, melhor.

        No começo, meu plano era botar um HD externo pra botar os jogos sem treta. Pq aqueles pen-drives da Samsung de 1 TB que copiam dados a 500 KB/s… Ninguém merece. Um cliente meu caiu nessa furada, usou o pen-drive pra backup, armazenou todos os arquivos nele (além de uma 🤬 paciência) e de sobra ainda pegou um ransomware.

        Foi uma pura cagada. Eu falei que talvez poderia resolver pra ele, mas o serviço duraria 1 dia inteiro e os valores não são baratos, então ele tentou fazer as gambiarras como podia e agora está com a máquina vulnerável e lenta. Foi uma 💩 mesmo, que loucura…

        Mas a compra do pen-drive Samsung de 1 TB foi apenas um fogo de palha pra mim. Mas quando olhei de perto na quantidade de comentários negativos, já pulei fora. E vai lá saber se é Samsung mesmo…. Duvido muito.

        Mas nesse quesito de modificar o console para com o HD externo e jogar tudo a partir dele, ou até a dica que o colega deu de conectar o cabo RJ-45 no roteador pra transferir os dados na rede, isso pode ser interessante. Mas em longo prazo, não sei se vai ser rentável… Tanto para mim quanto para revenda.

        Só a critério de curiosidade, já que estou entrando nesse universo de modificação e emulação mais parruda agora… O HD que vai dentro do console é um de 5400 RPM de 2,5″, correto? Ele já vem com um case ou temos que inserir dentro do console, ou fica externo?

        Desculpa o bombardeio de perguntas, eu ainda vou ver vídeos no YouTube e procurar comunidades com tutoriais (tipo Reddit) pra facilitar o entendimento, já que essa parte de console hacking não é tão simples de adaptar na primeira vez.

        Eu nem sonho em usar o leitor pq já tive um PS1 quando criança e a qualidade de processamento e leitura são HORRÍVEIS. Detesto as últimas vezes quando tinha que limpar bem o CD/DVD pra pegar de novo. Além que tem sistema antipirataria e tals.

        Não sei muito bem como começar, mas assim que tiver o console em mãos e a TV, aí eu vou pesquisar a fundo.

        Mas se quiser dar mais dicas aqui mesmo, agradeço!

        Tenho que ir que já passou da hora… Mas obrigado pelas dicas. Tudo é muito bem-vindo.

        1. Aliás, só agora que li direito.

          Desculpa, ewrpiu sob efeito de medicação para dormir…

          Mas quero matar minha curiosidade.

          Eu pensava que vc tinha modificado o console pra rodar com o HD e o chip Matrix dentro dele.

          Mas realmente me falaram do memory card OPL e vi que muda o bootloader do sistema por um software livre feito para rodar direto dele. Genial o que os hackers fazem, não é mesmo?

          Mas a minha pergunta é… Pode ser qualquer modelo de memory card? Desses que vem com o aparelho ou eu preciso comprar literalmente de um vendedor que prepare os memory cards? O que sai mais em conta? Eu posso modificar o padrão que tem no aparelho?

          Aliás… Como o OPL ocupa espaço pra gravar num memory card, ainda dá pra salvar tranquilo nele? Ou é recomendável um outro só para os saves?

          Eu realmente não sei qual sai mais barato e o que compensa fazer.

          Desculpe bombardear de perguntas, mas isso é algo que ainda sou muito leigo.

          Só pedindo informações de antemão para saber se (se for possível) programar um em casa dá certo (se feito com cuidado) ou se compensa mais comprar o memory card pronto.

          Eu tô por fora do valor de um memory card já com OPL gravado, então nem dos valores eu se) tenho ideia de quanto sai em média.

          Bom, estrapolei já… Boa noite e. Obrigado pela ajuda e as opiniões! 😉

          1. Vou responder por aqui.

            – Do armazenamento

            O PS2 que tu tem é o fino (Slim) ou grosso (Fat)?

            Se for o Fat, não pode se esquecer que deve usar o adaptador/modem, seja para jogos via rede, seja para uso do HDD (o Slim já tem porta nativa). Tem para vender hoje só o adaptador já preparado para usar porta SATA, ou seja, HDDs e SSDs modernos. Se tiver o adaptador/modem original do PS2 FAT, ele é IDE, então só HDDs neste padrão de entrada podem (dá para fazer uma gambiarra e jogar um SSD via adaptador Sata/IDE, imagino, mas nunca tentei).

            – Do OPL / FreeMcBoot

            O melhor é seguir os tutoriais nos fóruns originais. Geralmente estão atualizados e falam se pode ou não usar a dupla no seu equipamento (Parece que só tem um modelo de Playstation 2 que não comporta, só que ele é bem recente, um dos últimos).

            O memory card pode ser qualquer um para PS2, o McBoot e o OPL são pequenos e não ocupam muito espaço (ainda dá para por uns saves no MC). O ponto é que na hora de “dar o boot”, dependendo do seu modelo de PS2, tem um comando que você dá no DualShock para dar o boot via Memory Card (segura um dos botões ou um par). Novamente, o tutorial oficial fala melhor sobre.

            Divirta-se!

          2. Cara, eu acho q pode ser qualquer memory card… Pelo menos nem preocupei com isso e funcionou. Acho q memory card original nem se encontra mais. Dá pra salvar no próprio se ele não dor daqueles de 8mb, eu acho… O meu tem 64 me e funciona direitinho. É incrível mesmo! E pensar q era necessário abrir e colocar um chip antes pra fazer algo q se faz através do memory card… Ficou solução bem melhor (e mais barata haha)! O ps2 q eu tive (acho q já tive dois antes desse) eram todos com esse esquema, ou seja, é a primeira vez q peguei um ps2 bloqueado (algo q deve ser até raro no Brasil).

        2. Falei do ps2 mesmo. Achei esse esquema na internet e depois, por preguiça, comprei um memory card q já vinha com a solução. Agora basta ligar um hd externos com a biblioteca de jogos. Eu até gostaria de ter os discos originais, mas eles ficaram absurdamente caros (mais de mil reais alguns jogos). Acho q o ps3 tem um esquema parecido, mas aí, acho, vc mexe no SO dele pra tudo funcionar. Acho q vc só não pode ligá-lo mais à rede da psn, pq corre o risco de ser banido. Mas não manjo muito dessas paradas…

    5. Os tapetes no Sega Dreamcast funcionam muito bem. Chato mesmo é só que as músicas são de 1999. Dance Dance Revoltion 2nd Mix. Rsrsrs

    6. brinquei muito dance dance revolution à época, ainda no PS1.
      Acho dificil achar algum tapete pra PS2 ainda funcionando, mas tem modelos que se ligam direto na TV.

  11. me arrependi de ter atualizado o win 10 para win 11. estou convivendo aqui com alguns pequenos bugs BEM irritantes… sem falar no começo cheio de problemas pra quem usa amd (meu caso). estou cogitando fazer uma instalação do zero do win 1o e esperar mais alguns meses pra reeinstalar o win 11 do zero (como nos velhos tempos em q era necessário formatar e instalar tudo do zero, apesar de estarmos no séc. XXI).

    1. Não compensa fazer uma espécie de “dual boot” para quando necessário experimentar o sistema?

      Eu estou é preocupado quando acabar o suporte do Windows 10. A do Windows 7 tá forçando a galera a ir para o 10 porque algumas empresas (por exemplo quem mexe com operadoras de cartões com sistema no pc) estão forçando a migração.

      1. acho q não…
        se fosse pra fazer um dual boot seria com algum linux – q seria mais interessante pra estudar ou testar algo.
        duas versões do windows me parece dar muita moral pra MS por uma coisa bugada q eles lançaram no mercado.
        o suporte do win1o, creio eu, vai parmanecer por uns bons anos ainda. pelo visto tem mais de 80% do setor coporativo usando windows. vi algo assim no canal do peperaio hardware (o cara q montou um mini pc errado) em uns dados lá q ele mostrou.

        1. o atual windows 10 ltsc 2021 vai dar suporte até 2027… acho que até lá já resolvem os bugs do win11. kkkkkk

    2. Eu voltei para o Win10. No meu caso foi quando o Win11 deu tela azul do nada e reiniciou com um aviso de que a opção Memory Integrity do Windows 11 foi desligada (não encontrei o motivo para isso acontecer). Essa opção só é habilitada por padrão numa instalação limpa do Win11 (que foi o que tinha feito). Outro motivo também é que SSD nvme perde desempenho no Win11 e pude comprovar fazendo teste com o CrystalDiskMark.

    3. Realisticamente não há nenhum motivo para você instalar o Windows 11 imediatamente após seu lançamento, pois ele certamente virá com bugs e problemas.

      Acredito ser interessante esperar de 2 a 3 meses após o lançamento, pois correções serão lançadas e o sistema fica mais estável.

      Além disso, o suporte do Windows 10 será até Outubro de 2025 :)

      1. É uma ótima política de atualização! Nos últimos anos, tenho esperado o recesso/férias de fim de ano para atualizar o macOS. O “timing” é muito bom: as novas versões costumam sair em outubro/novembro, aí quando chega a hora de eu atualizar já tem atualizações pequenas que consertar falhas e melhoram o sistema no geral. (Semana que vem vou tirar um tempo para atualizar para o Monterey.)

        1. Ah o Monterey! Achei que meu MacBook Air de 2014 receberia talvez a última versão para Macs Intel. Fiquei na vontade. Apesar de não ter sido contemplado, fiz as pazes com o Big Sur. Tava meio pesadão ultimamente, o que me motivou a vender o notebook. Acabei dando uma chance. Reformatei e instalei o que realmente preciso. Ficou bacaninha ;)

  12. Alguém sabe me dizer pq que tem um monte de gente fazendo site com jogo em flash (é em flash sim o flash nunca morrerá não é pela tecnologia é pela estética nostálgica que reside em meu triste coração digital) e chamando de metaverso?

    por gente quero dizer agencia de publicidade (ainda chamam assim?)

    1. pense nisso como um anzol… quem é menos entendido pode ser fisgado a dar audiência para o site (ou até dinheiro)

      1. mas dai eu mordo a isca. e o que rola?
        é tipo um portfólio, no sentido de dizer “olha como nós da agência fulaninho tech business somos avançados”
        e daí quem é a pessoa que fala “fulaninho tech business, toma dinheiro”?
        qual o fim, qual apelo?

  13. Bom fim de ano a todos!

    Pessoal, foi um ano difícil para muitos, tivemos que lidar com muitas coisas, tanto no meio físico como virtual.

    Vou acompanhar menos aqui os posts por causa dos compromissos de fim de ano, por isso já desejo a vocês um bom Natal (para os que comemoram e os que não), descansem, usem esse tempo para refletir, sei que isso é cliche mas funciona.

    Muitos desafios virão como em todo ano por isso é importante encotrar pessoas próximas, pensar na vida e se organizar para a colheita do próximo ano. :)

    Meu desejo é que possamos crescer como sociedade e como pessoas trazendo esperança para o futuro e combatendo as coisas que nos levam a caminhos não muito promissores.

    Parabéns pelo trabalho e empenho dos idealizadores e responsáveis pelo manualdousuario, pelos conteúdos produzidos para nós e que possam ter saúde (fisica e financeira) pra continuar esse trabalho.

    Que venha 2022, ainda estaremos aqui!

  14. Comprei um cabo DisplayPort para ligar o MacBook Pro ao monitor 4K a 60 Hz e… não funcionou, continua em 30 Hz. O único problema possível é cabo ruim, o que é um baita azar. Antes de morrer com o prejuízo (importado da China, acho que não tem devolução), será que tem algo errado aqui?

    1. O ruim de cabo para apple é que é para apple, senão você poderia tentar usar o cabo em outro equipamento para testar, ou se tiver algum colega seu por aí que possa fazer a gentileza de testar o cabo e assim saber se é o cabo ou não.

      Já tentou usar alguma distro live (via USB) de linux no Mac para ver se consegue subir a resolução?

    2. tentei ligar um note dell num monitor 4k, mas o note não tinha saída 60 Hz… peguei cabos diferentes, adaptadores e nada… até me dar conta q o problema era o notebook mesmo :(

    3. Eu precisava de um adaptador de USB C para USB A que mantivesse em 3.1. Em todo o varejo online nacional, não encontrei UM que cumprisse com o prometido de 3.1. Todos convertiam pra 2.0. Devolvi uns 3.
      Tive que comprar um da China pela Amazon. Funcionou.

      1. Tou atrás disso também. Não existe fácil para comprar um hub usb 3.0 com porta “comum” (padrão A). Muito mais fácil achar hubs tipo usb C para venda.

    4. Ghedin, tenho um cabo displayport para thunderbolt que usava no meu MacBook Pro 2015, funcionou certinho em 4K 60Hz e hoje está abandonado aqui. Posso te doar ele, só que estou em BH :/

  15. Gente, me desculpa a ignorância, mas… Qual a sintaxe de formatação de elementos de comentários aqui no blog do Manual?

    Pelo que vi o Rodrigo falando, seria WordPress, então acredito que seja bbCode.

    Mas alguém pode me confirmar?

    E também uma sugestão… **Permitir Edições e Excluir respostas anteriores.**
    Isso deve diminuir a quantidade de respostas por acidente, pra evitar confusão também.

    Se o Rodrigo for exigente pra deixar a edição possível apenas num tempo determinado (tipo até meia-hora), acho que tá valendo também.

    Ou se já tiver uma explicação do pq isso não é possível ainda… Por favor, se manifestem.

    Obrigado e ótimo fim de semana! 😉

    1. Oi Gabriel! É HTML simples mesmo. Por padrão, o WordPress não permite que os usuários excluam ou editem seus comentários. Quando alguém erra e corrige um comentário na resposta, eu faço os ajustes e apago o post-correção. O mesmo quando um comentário é colocado no lugar errado.

      Faz muito tempo que não pesquiso por plugins ou hacks que habilitem essas funcionalidades. Conhece algum?

  16. **_Assunto adiantado:_ Migração/Alteração de plano de telefonia pré pago forçado. Procuro alternativas semelhantes e acessíveis.**

    Gente, posso estar um pouco atrasado, e também já passou do horário… Mas preciso perguntar uma coisa.

    Agora de madrugada recebi um SMS informando que o plano Tim Infinity 2.0 foi encerrado e eles migraram para o Tim Pré Top 3.0.

    TL;DR:
    A questão do Tim Infinity 2.0 é que tinha vantagens de usar *apenas* no dia que eu ativasse.
    Já esse novo plano, vc paga uma quantia de recarga, quanto mais alta a recarga, mais dias de uso você obtém.

    Porém, em questões de telefonia eu só uso o básico mesmo, já que meus parentes próximos (mãe, irmão, esposa, etc) já pagam planos de telefonia mais completos.

    Eu acredito que muita gente vai reclamar com isso com a Tim… Afinal esse plano atendia bem em casos de necessidade de comunicação, como o meu.

    Link de detalhes do Tim Infinity:
    https://planos.tim.com.br/celular/pre/nova-infinity/

    Bom, com essa migração, realmente agora não me atende tão bem.
    Tem mais algum mão de vaca aí que nem eu que usava o Infinity ou algo parecido? Preciso de recomendações para fazer a mudança do jeito certo e definitivo.

    PS: como a nova oferta consome sua recarga no ato, não é vantajoso para mim. Preciso de alguma alternativa similar que sirva de maneira similar.
    Se não me engano a Claro tem uma oferta parecida (o mais básico mesmo), mas difere poucas coisas.

    Alguém aí que use Claro Pré (ou algo do tipo) pra testemunhar?

    Não sabia onde perguntar, acho que vocês podem vir com boas ideias.

    Agradeço pela atenção. 🙏🏻

    1. Gabriel, a Tim já fez isso, não lembro se de 2019 pra 2020, e eu só consegui resolver via Anatel. O pré-top também não é interessante pra mim porque uso pouquíssimo (e sou obrigada a recarregar créditos frequentemente). Ainda não recebi mensagem da Tim falando do fim da oferta, mas caso/se acontecer, vou reclamar de novo.

    2. Estou com o Claro Pré no principal e já faz um mês que estou com um Correios Mobile (Op. Virtual Surf/TIM) “Alô 25” em um celular secundário. É 25 R$ mensais para 1 GB (+ 1 GB com recarga antecipada).

      Como não uso o mesmo como principal, é difícil dizer o impacto. Mas geralmente uso mais como celular roteado, com uma velocidade boa para o 3G. Só que tal como a Claro, tem muito ponto cego e vem ocorrendo o mesmo que ocorria com a Claro – zonas que passo e dá como “Acesso aos Dados Bloqueado”.

      De qualquer forma, ainda cogito migrar pois 25 R$ por mês para uma pessoa que liga pouco e usa o Whatsapp de forma baixa tambem, para mim é OK.

    3. Não sei se entendi mas, o Vivo Easy não substituiria? uso a mais de 2 anos e tem me atendido bem essa questão de cobrança por demanda

    4. Eu tenho um Claro pré-pago, carrego com R$ 20, que valem por 60 dias. Depois disso os créditos são bloqueados. Como uso pouco, sempre sobra, mas acho melhor pagar R$ 10/mês em média do que planos pós bem mais caros.

    5. Uma operadora muito boa que tenho usado ultimamente é a dos correios, pouca gente sabe que existe! Os planos são muito bons, eles não cortam a internet quando acaba e os dados que você nao usa acumulam pro mes seguinte.
      Tenho curtido bastante, acho que eles usam a infraestrutura da Tim. E como é uma empresa estatal acho melhor ainda de ter.
      Vale a pena dar uma olhada, eu e meu namorado fizemos a portabilidade e a gente não se arrepende nenhum pouco.

  17. Como vocês procuram passagens aéreas?
    Tenho uma viagem no ano que vem, e embora comprar o quanto antes seja mais barato, sinto que sempre bate uma preguiça gigante na hora de acessar esses serviços a lá Google Flights/Decolar.
    Aparecem trocentos resultados, milhões de variáveis, e decidir acaba sendo sempre um transtorno.

    1. SkyScanner.com. Dá uma olhada. Melhor que Decolar.com.

    2. Li certa vez que existe um período certo onde se encontra os melhores preços. Muito antes paga preço cheio (exceto promoção ou promobug) é muito perto tb… não lembro onde li isso e era em outra época, então pode já não valer o conselho.

      Geralmente eu uso o decolar.com mas compro direto da cia aérea.

    3. o Google Flights é mais pra avaliar os melhores dias e horários da viagem.
      Mas pra pesquisar e comprar, é melhor direto na Cia Aérea.
      Com a pandemia, esses agragadores (ViajaNet, Decolar, Hotel Urbano, etc) deixaram os clientes na mão, nos cadosde transferência ou cancelamento de voo/hospedagem.

      1. Po, alguém mais tá com esses problemas nos agregadores?
        Eu tenho 2 passagens travadas com a Submarino Viagens desde 2020 e eu não consigo nem um contato com eles. Mandei dezenas de e-mails, ligações, Reclame Aqui, etc.

        Minha última opção vai ser realmente entrar com processo em janeiro contra eles.

  18. quem mais teve a sensação de que, embora 2020 não tenha acabado, 2021 — sobretudo o segundo semestre — passou voando?

    ainda ontem era julho

    1. Na verdade estamos no último mês do “ano de 24 meses”, como brinco as vezes.

      O futebol foi uma temporada emendada na outra, as olimpíadas aconteceram 12 meses depois do previsto.

      Na verdade, não estamos em dezembro. Estamos em “Vintedosembro” (que coisa horrível que acabei de inventar), que é o “verdadeiro último mês” de 2020.

      Vamos ver como vai ser o ano de 2021+1

    2. tive exatamente essa mesma impressão!
      depois q consegui as duas doses da vacina pra circular um pouco com mais de tranquilidade, passou tudo ainda mais rápido.

    3. A triste verdade é que quanto mais a gente envelhece maior vai ser essa sensação. Tem q ver com o tempo relativo de vida que temos e outras questões.

      Esse ano pra mim passou absurdamente rápido.

  19. queria me enfiar em um rabbit hole sobre teclados de computador. alguém saberia alguns canais do youtube ou sites que façan reviews críticas e/ou ensine sobre isso desde o básico até coisas mais avançadas? não achei muito conteúdo que me satisfaça, que seja técnico mas explicado de uma forma um pouco mais simples ou que não pareça que tá fazendo propaganda o tempo todo…

    1. Qual o propósito? Comprar um teclado mecânico pronto? Ou comprar um kit? Projetar um? Saber como funciona?
      Eu recomendaria as comunidades do Reddit. Descobri recentemente um servidor no Discord também que parece reunir pessoas que projetam desde a PCB, case, as teclas personalizadas.

    2. Eu evito olhar essas coisas, porque eu fico fissurado nessas coisas e uma tentação de gastar com umas coisas específicas. Aí você pensa um pouco e não muda nada na vida hahaha

      Eu só “molhei os pés” nessa seara de teclados, porque queria um compacto e com teclas leves (estava sofrendo com as teclas pesadas do MX Keys), aí testei um Redragon e acabei com um Keychron K2.

      Esse canal tem uns vídeos de iniciantes e ranking por preços, acho que é legal para começar: https://www.youtube.com/channel/UCT6AJiTYspOILBK3hMWEq2g

      Em português, só lembro do Akita falando do jeito dele, mas entendo que muita gente não curte muito o cara: https://www.youtube.com/watch?v=tEXX1jdpZN8

      1. Se eu te falasse o tanto de coisa que tenho vontade de comprar… Não é brincadeira. Só fico anotando pra algum dia, se der, eu fechar a compra.

        Mas realmente essa pandemia quebrou as pernas de todos.

        Fábio Akita é um excelente palestrante e professor. A única coisa que não gosto nos vídeos dele é que são LONGOS DEMAIS!

        Eu adiciono na lista de assistir mais tarde, mas nunca assisto. Sou uma pessoa bem imediatista, consumo conteúdos de em média 5 minutos (velocidade x2) e as músicas eu deixo rolar, geralmente de 3 a 10 minutos cada.

        Acho que um dia vou pirar. (Se já não aconteceu isso… 🙄)

      2. opa! como assim pesadas as teclas do mx keys? sério? pensei q fosse uma coisa bem mais leve justamente pelo formato fino do teclado. ia comprar um desses, mas preferi o ergonômico da logitech (q é meio trambolho, mas q resolveu o problemas das dores q estava sentindo nas mãos qdo escrevia algo mais longo).

        dos mecânicos pulei fora pra escrever. fazem muito barulho e param de funcionar facilmente. tínhamos dois redragon aqui em casa e os substituímos pelos convencionais de membrana. o silêncio voltou a reinar novamente!

        1. Pois é, a sensação de digitar nele é bem gostosa, mas uma época em que eu estava escrevendo muito. Sentia dor ao usar a rodinha do mouse, mas percebi que o desconforto era nas duas mãos ao trocar o mouse de lado. Depois, eu vi um programador comentando do peso das teclas, e realmente do MX Keys é bem alta: https://www.rtings.com/keyboard/1-0/graph#1687/6685/5777

          O teclado é lindo e funciona bem, vi poucas pessoas reclamando dessa questão das teclas pesadas….então acho que é exceção. Percebi que eu também não gostava nem um pouco de teclado completo, depois de anos usando notebook…percebi que o mouse próximo da mão é muito mais confortável para mim.

          Agora uso no media center, ano que vem vou ver se vendo ele porque parece um desperdício usar assim haha

    3. https://www.reddit.com/r/ErgoMechKeyboards/

      Eu comecei com o subreddit mechanical keyboards depois que comprei um mecanico “baratinho”. Com o uso acabei tendo dores e crises de tendinite. Comecei a me interessar por ergonomia e acabei caindo nesse buraco. Dois anos depois, ja tenho um ergodox EZ e ja entrei em um kickstarter de outro teclado super custom. Ainda nao criei coragem para montar um peça a peça pois o processo de tentativa e erro fica muito caro com o dolar nas alturas. Switches e conjuntos de teclas mais ainda.
      Mas é muito divertido ver as criações e sonhar com possibilidades futuras :’)

      1. Galera essas comunidades do Reddit são viciantes. Eu também fiquei muito tempo querendo um teclado mecânico. Acabei pegando um “barato” tipo 60%. Gostei principalmente das customizações e camadas. Agora pensando em quando o dólar vai deixar eu investir em um split keyboard e poder usar o mouse no meio. No meu caso imagino ser o mais ergonômico.

  20. Como resolução de ano novo, comecei agora já. Amanhã, sexta, completo uma semana inteira “sem internet”, que considero: twitter, Reddit, que era onde tava sempre escorando e vendo tudo. No caso parei com tudo, oficial. O que estou me permitindo é abrir links que veem nas newsletters, manual, núcleo, e mais umas 2 que não lembro o nome.

    Nos dois primeiros dias passei o dia inteiro com dor de cabeça. No terceiro eu tava igual aquele Piu Piu versão monstro. Tava doidão mesmo, só pensava em acessar.

    Li Torto Arado de sexta a domingo, e comecei agora o Reformatório Nickel. Torto Arado merece todo hype que tem e teve. É maravilhoso, incrível, indescritível. Reformatório Nickel to na metade, é bem triste e tal. Mas é isso.

    Não vou dizer que me sinto mais focado, mas realmente, consegui fazer muita coisa no trabalho que antes eu procrastinava bastante.

    Deixar de “usar internet” era uma coisa que eu ensaiava já há muito, muito tempo. Ficava pensando: mas como minha mãe consegue fazer bolo no final de semana, cuidar do jardim, sei lá, focar. E comecei a focar nisso, como que meus avós faziam quando não tinham nada pra fazer? Ou faziam nada, ou, faziam alguma coisa (que preste!). Não sou a favor do discurso utilitário, que tudo tem que ser útil, mas justamente por isso, se não tem o que fazer, vou fazer nada. Ou vou ler um livro (ou jogar videogame), ou qualquer coisa.

    Outra coisa que penso muito é nos diálogos, com quantas pessoas meus avós conversavam por dia? Ou entre eles, ou com algum filho, ou uma pessoa que esporadicamente ia visitar eles. Ou se desse na telha, ligar pra alguém.

    Acho que esse conjunto de pensamento me deu força pra deixar tudo (internet) de lado. Claro que é toda uma fala baseada em míseros 7 dias, mas faço votos que sejam definitivos kkkk

    Agora tá bem mais de boa. Não sinto mais vontade de scrolar, só pego o celular as vezes pra ver, mas não tem anda pra ver, dai ponho pro lado. Impulso mesmo.

    1. Acho que esses “tratamentos de choque” são uma boa para retomar essa percepção de que existe vida fora das redes sociais. Depois, dá para ajustar (ou tentar) uma dieta mais sadia — como disse no meu relato mais abaixo, abrir mão de toda e qualquer rede social implica em perder um pedaço considerável dos seus círculos sociais.

      Infelizmente esse tipo de coisa é algo coletivo. No tempo da sua mãe, ligar para alguém do nada era normal, esperado até (o tanto que o George ligava para o Jerry em Seinfeld!). Hoje, é visto como esquisitice. Lembrei desta pérola do Rogério Skylab.

      1. Pô Ghedin, o cara falou que está há uma semana sem redes sociais e você coloca um link do Twitter? Hahahahha

        1. Ops, hahaha!

          Colando aqui o tuíte para quem não quiser acessar o Twitter:

          Noutro dia vi um rapaz, num café, sem celular, sem tablet, sem smartphone… estava sozinho tomando café. Como um psicopata.

          1. Eu, quando saio pra almoçar. São, pelo menos, 30 minutos entre olhar, escolher, namorar, mastigar, sentir…. só a comida.
            Os restaurantes onde costumo ir têm TV. Sento o mais longe possível e dd costas.
            É, acho que sou psicopata.

      2. Rodrigo, mudando um pouco de assunto… Vc já pensou em vincular um snippet de comentários no canal do Telegram como Comments.App pras postagens poderem ter comentários dentro do próprio Telegram?

        O ideal na minha opinião seria vincular um grupo apenas para comentários das postagens, mas vcs já têm o grupo de apoiadores privado.

        Mas, alguma forma de ativar os comentários no Telegram, seja com o Comments.App ou vinculando grupo privado exclusivo para comentários?

        Acho que não custa perguntar, né.

        1. Já sim, Gabriel, porém sou resistente a essa ideia porque fragmentaria nossas discussões — e entre o Telegram e o site, prefiro manter tudo no site, que é uma plataforma nossa.

          1. Gosto bastante dessa filosofia, Ghedin. Como ideia/curiosidade, existem soluções como a https://matrix.org , que é federada, completamente open source, possibilita a configuração de servidor próprio, possui web app e apps para diferentes plataformas. Em meu último projeto sugeri à equipe e acabaram trocando o Discord pela Matrix para comunicação interna, e tem sido um sucesso!
            Claro, não sei se é algo viável, ou mesmo desejável nesse caso, visto que vocês já têm sua operação rodando aqui e no Telegram. Mas fica aí um exemplo de “case de sucesso” :)

    2. Até estou pensando nessa ideia tbm. Não é algo que pretendo fazer agora, mas de fazer um “puxadinho” no fundo aqui da chácara e criar uma zona sem Internet (nesse caso é a Internet como um todo)

      Aí só pra causar, colocaria uma plaquinha com o ícone do Wi-Fi indicando que tá Off e o ícone de uma árvore indicando que tá On e na legenda embaixo escrito: “Conecte-se com a natureza”

      Mas enfim, tenho que amadurecer essa ideia ainda

    3. Vocês acham que o metaverso (se vingar) vai aumentar ainda mais essa confusão (ou guerra silenciosa) do mundo virtual X real?

    4. Eu fiz um experimento desses no início do ano com o YouTube, passei uma semana sem acessá-lo, pois eu passava muito tempo nele (apesar de ser deslogado e por meio do app NewPipe).
      Atualmente passo bem menos tempo vendo YouTube.

      1. Quase não acesso YouTube, a não ser pra ver clipes novos de bandas que curto. Mas faço bastante isso com o WhatsApp. Não dá pra ter um detox 100% né, por causa do trabalho, mas nesse “semi-detox” tento ao menos não acessar mais grupos. Mantenho tudo na aba de arquivados. Assim, não notificam nem aparecem na primeira tela. Já as conversas únicas, famosas “pvt” eu mantenho, pois acredito que isso não seja algo prejudicial. O ser humano é um animal social e mesmo à distância faz bem mantermos contato entre quem nos interessa.

    5. Piu piu doidão foi ótimo hahahahaha, João segue firme acho que vc faz muito bem o/

    6. como não uso redes anti-sociais, não sinto muito esse detox. Meu problema são as noticias (games, quadrinhos, filmes, fotografia, pesquisa do trabalho, etc).
      Sei um pouco de tudo, sem profundidade – e quando preciso estudar algo mais detalhadamente, já me vejo abrindo outra aba atrás de outro assunto. Esse detox eu preciso.

  21. Alguma sugestão de leitor de RSS free/opensource para android? Instalei o Feeder, mas achei pouco prático, difícil de organizar e se achar no mar de feeds.

    1. Eu usava o Feedly, porém não sei se vai ser muito mais prático pra se organizar não. Acho que isso depende muito da quantidade de feeds.

      1. Eu excluí minha conta do Feedly e até hoje não consegui substituir. :( Vou acompanhar pra ver se surgem dicas novas.

        1. O Feedly parou de funcionar com o NewsFlash, acabei assinando o Feedbin…mas é $5 por mês.

    2. Usava a versão paga do Newsblur, porém com a super alta do dólar acabei voltando pra free, e tem me atendido bem.

    3. Eu uso o Feedly desde a morte do Google Reader com a extensão “Feedly filtering and sorting” (https://chrome.google.com/webstore/detail/feedly-filtering-and-sort/anknmaofbemimfabppdffklbfiecikgo?hl=en-US), que possibilita reordenar os artigos de diversas maneiras (e.g. popularidade, por data).
      Para quem não é fã do Feedly, recomendo para iOS o NetNewsWire (https://netnewswire.com), que sincroniza os feeds RSS do Feedly.
      Para Android eu não sei, mas talvez seja útil manter a conta do Feedly com feeds lá e usar um App que possua sincronia com o Feedly.

    4. Desde o fim do Google Reader tenho usado o Inoreader, na versão gratuita. Me atende, mas não me considero um heavy user.

  22. Vocês já tiveram a sensação de querer comprar muito uma coisa X, mas essa coisa X está a um preço bem maior do que você gostaria de pagar? Essa coisa X pode ter até algumas alternativas mais baratas (ou gratuitas), mas nenhuma faz um trabalho tão bom ou é tão ideal quanto a coisa X.

    E aí você acaba em dois cenários: ou você acaba comprando de fato a coisa X, não antes de muita pesquisa ou esperar alguma promoção aparecer. Ou você não compra a coisa X e tenta se satisfazer ao máximo com algumas das alternativas mais baratas. Até chegar em um desses dois cenários, você fica em meio que um limbo de “indecisão”, onde você fica pensando nessa coisa X e isso pode durar dias, semanas ou até meses. Não sei se tem algum nome pra isso ou se dá pra chamar de “ansiedade” mesmo…

    No meu caso, estou enfrentando esse dilema com duas coisas X: a primeira é uma máquina de lava-louça, que a gente veio conversando aqui no post livre umas semanas atrás. Os únicos modelos que cabem aqui em casa são justamente os modelos mais caros (chega a ser mais do dobro do preço dos modelos mais baratos e menos compactos). A segunda coisa é um software de RPG pra jogar com uma galera, que custa 50 dólares (quase uns 300 reais na cotação atual) — normalmente RPG já é um hobby caro, mas ainda assim eu sinto o peso no bolso.

    1. Esse software de rpg eu entendo, eu e meus irmãos conversamos vira e mexe sobre um pacote do D&D beyond que sairia por uns 100 doláres, o que dá um valor absurdo em reais, e sempre postergamos porque dá pra jogar sem, embora simplificaria muita coisa. Nós não compraremos por um tempo, todos nós estamos com uns gastos absurdos nos últimos anos (casa, reforma, macbook, carro) e continuaremos a usar o bom e velho papel.
      Aquela coisa, relativo à máquina de lavar louça eu não vejo motivo algum para ter uma, toda vez que vejo o pessoal falando sobre eu penso “uau, eu gasto 20 min do meu dia lavando louça, não é como uma máquina de lavar roupa”, e sobre o software, tem que ver se é algo que realmente mudaria a sua experiência jogando rpg ou se é só algo que você pode viver sem e continuar utilizando as ferramentas gratuitas.

      1. A máquina de lava-louça vai depender muito do perfil. No meu caso, será benéfico pois fazemos todas as refeições em casa, e queira ou não, no final do dia acaba tendo muito prato e panela pra lavar, mesmo sendo só 2 pessoas em casa. Não consigo gastar só 20 min lavando louça.

        Sobre o software, é bem isso que você falou mesmo, conheço o D&D Beyond, no meu caso é o Foundry VTT (Virtual Tabletop). A grande questão em utilizar as ferramentas gratuitas é sempre ter que depender de importar manualmente e colocar dados de monstros vs. ficar consultando em referências externas (nos livros, por exemplo). No Roll20, que utilizamos por um bom tempo, dá até pra fazer isso de forma automática (pagando ou não), mas a questão também é a própria ferramenta que não é muito prática de usar. O Foundry meio resolveria os dois problemas. E bem, continuar no papel também é uma opção, embora que essas ferramentas facilitam bastante a jogatina, já que sempre jogamos online mesmo.

        1. Tenho o mesmo perfil que você, somos em 2, refeições todas em casa, sem máquina de lavar.

          Já cogitei comprar uma lava-louça, mas acabei desistindo pois, como sou programador, quando estou com alguma coisa pra resolver e não consigo encontrar a saída, eu vou lavar a louça, e geralmente a ideia da solução me vem na cabeça.

          Talvez pelo fato de estar fazendo um trabalho manual rotineiro, e também pelo fato de estar organizando e limpando algo, a ideia me surge na mente.

          Quando não tenho o que resolver na mente enquanto lavo a louça, coloco um podcast pra ouvir, pra não ficar com esse sentimento de que foi um tempo perdido apenas lavando louça.

          1. Também sou programador e acabo fazendo o mesmo que você às vezes: lavar a louça pra “limpar a mente” pra encontrar uma solução ou só ouvir um podcast mesmo hahaha

            O grande problema é que também tem outras tarefas domésticas que exigem atenção: pôr a roupa pra lavar, colocar no varal, guardar a roupa seca, varrer e limpar a casa, etc. E pra essas atividades não tem “máquina” que dê conta (pra varrer a casa até tem, mas são outros quinhentos). Então, ainda cogito a lava-louça pra facilitar os outros afazeres domésticos no geral.

        2. Sobre a Lava-louças (LL), tenho um amigo que diz que salva casamento.
          Aqui conversei que tudo que pudermos pagar (poder leia-se sem complicar as finanças) e nos poupar tempo, acho que ganhamos em tempo de qualidade como família.
          Enfim, comprei a LL e sinceramente tenho adorado. Fazemos 2 a 3 refeições em casa, praticamente todos os dias. Tem facilitado muito a vida. Pesquisar no grupo lava lovers (acho que é esse o nome), no facebook, foi fundamental, peguei muitas dicas de bom uso, ideias, enfim, facilitou a vida (só cuidado com ideias pra fazer algumas misturas caseiras pra limpar algo quando há produtos específicos).
          Ter pesquisado no referido grupo ajudou uma coisa fundamental: ajustar a expectativa à realidade – panelas teflon não sairão secas, as de alumínio ficarão manchadas , entre outras coisas. em suma, recomendo a pesquisa.

          Por aqui optamos pela electrolux, por detalhes, estávamos entre ela e a brastemp.
          Optamos pela 14 serviços e as vezes eu encho (somos 2 adultos + 1 bebê), penso q vale pegar a maior possível (a grande cabe o pouco e o muito, na pequena nao), pois a diferença de gasto de energia elétrica e água é irrisória.

          Aqui uso sabao em pó finish e secante da mesma marca. Dizem que os tabletes sao melhores, mas sao mais caros. Pesquise tbm sobre produtos da marca dia (sim, da rede de supermercados) e da CIF, notei que muita gente gosta de uns e nao de outros, enfim, a escolha é mais pessoal.

          Espero ter ajudado.

    2. Eu acho que depende do quanto você quer essa coisa específica, sabe. Porque tem item que não adianta tentar comprar mais barato ou substituir. É como trocar doce por fruta: você come a fruta, come castanhas, come barrinha de cereal, mas nada satisfaz e, no final, acaba comendo o doce também!

      Eu faço o cálculo de custo-benefício e se eu posso pagar aquilo que eu realmente quero, não o genérico.

      No seu caso, pegando a lava-louças: vocês vão REALMENTE usar? Seus utensílios podem ser lavados nela? (Tem que verificar isso também.) Você pretende ficar na casa onde ela vai ser instalada por um bom tempo? Algumas questões que podem te ajudar a pensar se compensa comprar agora…

    3. Costumo investir mais, comprar as “coisas X” mais caras, em produtos que sei que irei usar horrores e/ou que impactam diretamente a minha saúde. Por exemplo, colchão: você passa 1/3 da sua vida deitado em um e esse tempo ali é determinante para o seu humor nos outros 2/3. Sei que parece propaganda de fábrica de colchão, mas um bom colchão é um investimento que vale muito a pena.

      Para supérfluos, costumo desencanar depois de um tempo. Comigo quase sempre funciona assim: algo me chama a atenção, começo a fazer as contas e a maquinar os passos para comprá-la, mas aí passa um tempo e já não me parece uma compra tão irresistível.

    4. Nossa, me identifico muito com esse tipo de situação.

      Na vdd, até comentei mais cedo que tenho um punhado cheio de coisas que quero comprar.

      Um exemplo, são importações do AliExpress. Só que com o dólar a mais de 5 reais, isso realmente quebra as pernas de qualquer um.

      Tem outras coisas, tipo produtos do IndieGoGo que parecem ser muito bons também, mas são todos cotados em dólar.

      Em questão de software, tem serviços em nuvem com armazenamento gigantesco vitalício que também são salgados, mas quem sabe um dia…

      Além de jogos na Steam e Google Play, por exemplo.

      Aliás, comprei meu primeiro jogo na Steam esses dias. Paguei R$ 8,69 e já estou jogando bastante.
      Na vdd, comprei ele mais não apenas pelo preço, mas porque me candidatei a ser tradutor voluntário do projeto para PT-BR, e ver o jogo traduzido me trouxe um certo “prazer”.

      Conversei bastante com o dev esses dias, grandes atualizações estão por vir.

      A critério de curiosidade: o nome do jogo é “PC Creator”. Meio que clone do “PC Building Simulator” original. (Só que mais leve.)

      Mas não só o fato de ver ele traduzido… Também ver jogadores brasileiros aproveitando bem desse conteúdo me deixa feliz. 😁

      Ah sim, tem também algumas assinaturas que pago tipo o AppSales premium e o Agenda Boa Pro. Fiz outras compras caras, mas só do fato de pagar algum produto digital acima de 10 reais… Isso me corta o coração… Sério mesmo.

      Minha esposa também é completamente contra e diz que é perda de tempo. Mas eu vejo vantagem, afinal as compras são vitalícias.

      Eu não sei bem até quando o reinado da Google com o Android vai durar, mas mesmo que seja intrusivo e “perigoso” viver com os serviços Google hoje em dia, eu ainda dependo de muitas das facilidades em nuvem que eles disponibilizam.

      Aliás… Minha cota do GDrive gratuita está para acabar… Seria bom se eles proporcionassem + 5 GB gratuitos (20 GB no total) para contas novas. Mas acredito que isso geraria um déficit bem grande na receita deles.

      Enfim, eu ainda sonho com isso. Um dia pode acontecer. 🤷‍♂️

      Eu queria manter as msgs do Gmail desde o começo, porém o Google One está enchendo o saco dizendo que o Gmail está ficando sem espaço. Não sei muito bem o que vou fazer, pois não quero investir no plano mensal/anual por 100 GB de cota total.

      Sei que é “barato”, mas no momento ainda não houve necessidade. Muito lamentável que o Google Fotos deixou de ter a cota ilimitada gratuita… Eu fiquei muito impactado com a notícia, e agora a realidade. 😢

  23. Estava ansioso para continuar a contar minhas aventuras com Raspberry Pi. Comecei com Pi-Hole. Depois Jellyfin e Transmission. Em seguida Samba. E nesse último fim de semana/atual semana, foi tudo ladeira abaixo com o conjunto Sonarr/Radarr/Bazarr/Jackett. Eu fico rindo igual criança em ver a coisa toda rodando sozinha, eu só precisando cadastrar a série que quero e vendo a lista do Transmission ser populada automaticamente! Quando termina, **magicamente** tem o episódio da série renomeada e ainda com as legendas!!
    Infelizmente a vida™ resolveu dar um chute no meu traseiro e impediu que eu continuasse documentando todo o procedimento de instalação desses caras nos mínimos detalhes como fiz com os primeiros. Mas ainda fui jogando algumas anotações e links para um dia™ organizar tudo.
    Agora eu preciso de um HD novo, pois aquele de 500GB que separei será pouco. Quero mesmo é tentar montar a Raspi + Fonte + HD em uma case apenas.

      1. Boa parte disso eu fiz de madrugada e vários não funcionaram de primeira (Bazarr e Radarr). Então eu já estava cansado e quando deu certo eu fui dormir. Deixei separados os links que eu usei. Espero que não tenha feito muitas adaptações no meio do caminho.

        1. eu tenho pihole num rasp e openmediavault num outro, dentro desse tem um transmission rodando via docker plugin.

          eu esqueci de anotar o passo a passo, a hora que cair eu vou ter que fazer tudo do zero.

          1. Teoricamente o docker não tornaria o processo de reiniciar mais simples?
            Eu não usei, mas era essa a visão que eu tinha.

          2. @Felipe, sim, era pra ser mais simples… mas eu sou muito amador em informatica, e o docker e o aplicativo para controlar o docker via web, com interface, eu não faço a mínima ideia como instalei. felizmente até hoje não deu pau. a hora que cair vou ter que refazer tudo.

            mas vou registrar tudo da próxima vez o passo a passo.

    1. Que massa! Eu ainda estou só no Pi-Hole, funcionando muito bem. (Na primeira instalação, no outro apartamento, ele era bem instável. Até hoje não sei o que havia de errado.)

      Continue comentando as suas descobertas aqui. Numa dessas, me animo para brincar mais com o meu também.

      1. Se quiser, pode até testar os procedimentos que eu escrevi pra ver se estão certos 😂

        Sobre o PiHole, ele acaba com vários anúncios, mas ainda não é 100%. Diria que tende a 60%. No Inoreader ainda passam os anúncios, assim como no Twitch e alguns outros sites. Preciso ver melhor como “ensinar” o Pi-Hole a bloquear mais coisas. Mas Twitch parece ser bem complicado ou impossível.

    2. Ei, Felipe!

      Aqui em casa eu tenho um setup bem parecido, mas optamos por softwares bem diferentes. Em vez do Jellyfin, uso o Emby – não pago a mensalidade, apenas comprei o app para Android TV, o cliente que mais utilizo para acessar os conteúdos da biblioteca.

      E, em vez de Sonarr/Radarr/Bazarr/Jackett eu uso o CouchPotato (que tá está praticamente morto, mas ainda não tive paciência de migrar), o Medusa (que eu achei bem melhor que o Sonarr), o Transmission e Jackett.

      Fico em 90% do tempo igualmente maravilhado quando as coisas funcionam como deveriam, é incrível, né?

      Assim como você, meu sonho é montar tudo num case só, mas ainda não encontrei nenhuma opção que me atenda. Atualmente, está tudo em uma caixa de MDF, onde instalei um cooler, e que concentra (acredite se quiser, sem qualquer sinal de super aquecimento):
      – RasPi;
      – 3 HDs (2 de 1tb e 1 de 500Gb);
      – Switch ethernet;
      – Filtro de linha com todas as fontes;

      Um dia ainda colocarei tudo no papel e publicarei um tutorial de como fiz tudo. Nos quase 3 anos em que mantenho isso funcionando, foram muitos ajustes finos e pesquisas até encontrar o que me atendia melhor. Se você escrever e publicar isso um dia, não deixa de compartilhar por aqui!

      1. Que bacana sua experiência! Eu sempre baixava as séries e fazia o processo manual de procurar legenda, renomear e tocava na TV usando meu antigo Chromecast gen.1. Agora que comprei o MiBox é que resolvi me aventurar mais.
        Pelo que sei, o Jellyfin é um branch FOSS do Emby, assim como Radarr/Sonarr vêm do CouchPotato. Esse Medusa eu não tinha ouvido falar ainda.
        HD é algo que eu realmente vou ter que investir bem rapidamente. Pegar logo 2TB se achar algo com preço razoável.
        Hoje minha raspi fica numa case própria pra ela, com cooler. O HD tem um case também (que parece um PS3) e liga na USB. Minha intenção é ver se é possível usar uma dessas fontes “industriais” pra alimentar todo mundo ao mesmo tempo e não ficar com um filtro de linha trambolhudo.
        E curiosidades a respeito do seu setup:
        – Qual a função do switch junto da raspi? Só usar mesmo de expansão para o roteador?
        – Usa como backup de rede também? Penso em algo do tipo no futuro, mas em um outro HD. Não sei se daria pra fazer raid.
        Essas ligações todas me lembram dos diagramas que postam vez ou outra no /r/homelab/

    3. Tenho dois Raspi. O da primeira geração e o 3 Model B. O primeiro, antes de ser jogado em uma gaveta, foi meu NAS por um bom tempo até o HD morrer. Já o segundo, uso com o Pi-hole. Inclusive segui orientações postadas aqui pelo Ghedin porque não tava filtrando. Descobri que estava desabilitado. Manota mode on. No mais o Raspberry Pi é fantástico e existem soluções bem interessantes pra brincar com ele.

      1. Eu também comecei com um Raspi modelo 1. Nessa época eu usava ele como um streetpass relay para o 3DS. Quem já teve um 3DS sabe que se você andar com ele em standby na rua e outra pessoa com 3DS em standby passar por você, os 3DS trocarão informações e os Mii’s de cada um “visitarão” o outro. Existiam (nem sei se existem mais) pontos fixos, os relays, onde acumulavam usuários e “descarregavam” quando alguem passava por lá.

        Esse modelo 3 eu comprei e comecei a brincar com emulação, mas meu tempo era curto, então eu preferia jogar no Switch do que nele. Então ficou um bom tempo encostado até eu resolver instalar isso tudo.

        Depois preciso realmente ver como melhorar meu Pihole. Não está ruim, mas no padrão sinto que ele não está sendo usado a contento.

  24. Fala, pessoal, tranquilo? Tenho uma teoria que no mundo web, no que diz respeito a vídeos e stramings, é muito melhor ter uma boa qualidade de áudio do que uma imagem perfeita. Digo isso porque assisti muito anime com qualidade péssima, mas tento um áudio bom não me impedia de acompanhar a história. Pensando nisso, comprei um microfone no ML, o ‘famoso’ BM-800. Tem me atendido super bem nas dezenas de calls que faço durante a semana no trabalho. O custo benefício foi bem bom pro meu propósito, em torno dos 250 reais. O que acham? Usam microfone dedicado no dia a dia?

    1. Essa é uma das grandes revelações de quem se dispõe a produzir ou estudar audiovisual. Uma imagem muito boa é percebida como tal; um áudio muito bom é apenas… um áudio bom, daí talvez a menor atenção que essa metade do audiovisual costuma receber — e que vez ou outra resulta em áudio muito ruim, o que é bem perceptível por qualquer pessoa que consiga ouvir.

    2. Não utilizo microfone dedicado no dia a dia, embora eu tenha reuniões diárias e jogo online no final de semana com amigos, ambos com um microfone basicão de um headset barato (antes eu usava o microfone embutido do fone de ouvido do celular mesmo). Mas eu vejo o benefício de usar um microfone dedicado e investiria em um bom microfone caso utilizasse com mais frequência, como você.

    3. Não só no mundo web bem como no cinema também. Por mais que tela seja boa, se não tiver um sistema de som à altura, o filme não passará a mesma emoção. O mesmo acontence quando você usa o home theater em casa. Uma baita diferença.

    4. A questão do microfone me é particularmente sensível, acho muito ruim me concentrar no que as pessoas estão falando durante e call, se o microfone fica pegando qualquer sonzinho ambiente.

      Criança brincando, cachorro latindo, moto passando, televisão ligada, etc.

      Pelo que notei quem usa esses microfones de headset que ficam em frente a boca, acontece esse tipo de problema com menos frequência, quem usa aqueles fones de celular que o microfone fica no cabo, na altura do peito, ou pior, usam o microfone do próprio notebook, é horrível.

  25. Vou fazer uma confissão: diz desses fiz uma nova conta no Instagram. Acho que a mudança de endereço me afetou mais do que esperava, o que se somou ao fato de que eu já estava me sentindo meio sozinho. Dei uma sondada para saber se as pessoas ainda usam aquilo para postar coisas das vidas delas e, aparentemente, a resposta é sim. Aí arrisquei.

    (Criei a nova conta no dia em que publiquei esta anedota.)

    A nova conta não é pública e nem vou divulgar a @ aqui. É só para ver o que pessoas próximas/queridas andam fazendo, e só elas — só adicionei familiares e amigos com quem convivo/convivi presencialmente. E… bom, nessas duas semanas de uso, aquelas suspeitas se confirmaram: as pessoas ainda usam o Instagram para contarem o que andam fazendo.

    Não sei qual efeito esse retorno, após três anos (!) longe, terá. Tentarei manter um registro aqui.

    Enfim. Não dá para ganhar todas :/

    1. Entendo. Eu me abstenho da maioria das redes sociais (e as poucas que uso não são com familiares/amigos próximos), e o resultado é sempre uma distância das pessoas e se tornar alheio ao que acontece na vida delas. É fato: o que elas postam publicamente, já consideram que falaram pra todo mundo, então não é como se elas fossem te chamar em um mensageiro privado pra contar.

      Na maior parte do tempo eu vejo isso como algo bom, porque eu até gosto de estar isolado assim (porque ninguém me enche o saco no geral), mas tem suas desvantagens. O complicado é que essas redes são do Facebook…. se fossem de outra empresa, talvez eu até tomasse coragem.

    2. gostaria de ter mais controle do feed do instagram: ele me deixa sufocado. Fico desesperado sendo bombardeado por aqueles vídeos estilo tiktok e conteúdos similares. Talvez o ideal seja fazer isso mesmo, uma conta dedicada e bem controlada.

      1. Talvez a ferramenta de silenciar e de “Não tenho interesse nesse conteúdo” sejam suas aliadas… Percebi que alguns desses perfis, quando eu sigo e depois deixo de seguir (ou silencio), não recebo mais conteúdo deles… Eu sei, é um trabalho interminável dada a quantidade de perfis na rede, mas é o mais próximo de controle do feed que o Instagram vai permitir…

        Talvez também ajude procurar um assunto de interesse seu e seguir alguns perfis, o feed vai começar a mostrar mais e mais conteúdo desse tipo, e menos as dancinhas de tiktok e challenges que te incomodam.

      2. É uma boa, e tendo a achar que fazer limpezas ocasionais ou mesmo recriar contas, para começar do zero, de tempo em tempo, seja uma atitude saudável. Estou seguindo ~80 perfis, de gente comum, nenhum de marca. Segundo o iOS, gastei 1h19 com Instagram na última semana, ou seja, ~11 minutos por dia. Não demorou muito para a interface se encher de anúncios (nos 3 ou 4 primeiros dias, zero), mas encher mesmo, algo exagerado e bem desestimulante, mas é o preço que se paga pela “experiência”, né?

        1. Existe uma forma de não ver os anúncios e tornar o Instagram algo próximo do que era quando o máximo de edição possível eram os 12 filtros originais. Acessar via DuckDuckGo. A interface fica idêntica à do aplicativo, porém sem vídeos que iniciam automaticamente, e sem anúncios. Postar dessa forma acho é mais limitado.

    3. Sabe, eu já percebi que o meu uso pra redes sociais é em maior parte para ver memes, pessoas mais famosas, comunidades específicas (fã de um jogo ou de algum personagem, por exemplo) e ver lojas e restaurantes próximos — eu considero o Instagram uma ótima vitrine e uma maneira de ver as promoções e ofertas do dia. Isso meio que supre o meu sentimento de “solidão” que você falou.

      Não vou dizer que eu não procuro ver o que pessoas próximas andam fazendo, é só que acontece que é mais as atualizações delas vindo até mim e menos eu indo ver diretamente nos perfis delas. Inclusive, algumas eu já até silenciei, era muita mensagem motivacional sendo compartilhada pra minha saúde mental. Acho mais saudável até quando eu procuro saber as novidades, meio que demonstra uma preocupação pessoal com as pessoas.

      Já pensei na alternativa de criar um perfil secundário só pra seguir perfis de pessoas não-próximas (os que eu falei no primeiro parágrafo), mas só de pensar o trabalho que seria administrar dois perfis e seguir todo mundo de novo, já desisti da ideia. O ideal mesmo é que o Instagram oferecesse uma maneira de organizar os perfis (e suas respectivas timelines) em pastas, tal qual o Twitter e o Telegram fazem, só que não vejo o Instagram permitindo isso em um futuro próximo. Afinal de contas, colocar o usuário no controle da timeline vai contra as políticas de lucro da empresa…

    4. Você traiu o movimento, véio!! :D

      Eu tive uma experiência não muito boa nessa pandemia de criar redes sociais e não pretendo voltar. Inclusive, só queria contar que estou reduzindo o acesso ao twitter (finalmente, senhor!) e faz bem demais se afastar do surto coletivo!!

    5. Eu não posso nem querer ter Instagram, porque eu facilmente ficava horas rolando o feed. Foi um dos motivos de eu ter excluído minha conta, estava me prejudicando muito em tudo. Eu vivia sem tempo. E só percebi que não era algo essencial quando parei de usar. Não vejo necessidade de saber o que pessoas aleatórias que conheço de algum lugar estão fazendo. Com isso acabei me exproximando mais das pessoas com quem realmente me importo. Eu só tenho uma conta pra poder acessar alguns perfis de assuntos da faculdade, já que não dá pra visualizar sem conta. Se algum dia for necessário por motivos profissionais, vou estabelecer regras bem rígidas pra não ficar tempo demais no aplicativo.

    6. Fiz isso há um ano Ghedin! Eu seguia tipo meus irmãos e cunhados/as, minha mãe, e mais 2 amigos que moram longe e não tenho contato. Vez ou outra seguia alguém diferente que eu queria. Mas ficava uma semana seguindo e depois desseguia.

      É massa! Eu sentia muita falta de ver meus amigos o que estavam fazendo. Ou minha família as novidades. No começo eles nem sabiam, mas aos poucos o Instagram começou a sugerir pra eles, até que descobriram kkk

      È massa porque abria o insta, via se tinha stories de alguém, não tinha, ninguém publicou nada, e dai pronto, não tinha mais o que ver ali (apesar da insistência do Instagram de sugerir coisas pra ver)

      Comentei ali em cima que agora faz 7 dias que não vejo mais também. Por enquanto, isso é o que mais to de boa!

    7. Uma coisa que tenho feito é as vezes tirar uma foto pensando “será que fica legal para expor no grupo do MdU no Flickr?”. Noto que compensa fazer este tipo de hobby para compensar não estar no Instagram.

    8. Instagram é uma coisa que não entendo … não é algo que poderia ser feito, sei lá, no Facebook ?

      agora, isso de só colocar pessoas próximas, família, etc, é o que faço no Telegram, e grazadeus :) não tenho Whatsapp

      das principais redes, só uso mesmo Twitter (para me manter atualizado com coisas que me interessam) e um pouco, muito pouco mesmo, Youtube (fora da expediente, mais para ASMR)

      1. Acho que o diferencial do Instagram é ser mais focado. Não tem grupose atualizações em texto, por exemplo. O Facebook está comprometendo esse foco com as muitas mudanças recentes na plataforma, mas o app ainda só permite postar fotos e vídeos.

    9. É muito difícil não ter redes sociais, você pode até conversar com os amigos e familiares por whatsapp, telegram, mas sempre fica a sensação que está perdendo algo da vida deles, parece que você está ausente e até mesmo um pouco inacessível, embora você esteja disponível nos apps de mensagens para falar a qualquer hora com eles.
      O que eu observei usando o instagram é que a maioria dos meus conhecidos usa mais os stories do que o feed, talvez para ter mais controle sobre quem visualiza as postagens ou porque preferem que elas desapareçam 24 horas depois, e isso é um problema para quem não tem conta e não pode acompanhar o principal, que são os stories.
      Bom, eu não tenho facebook desde 2017 e só fui criar uma conta no instagram em 2019, que usava como um portfólio para meus desenhos, mas tinha os amigos adicionados também. Com o isolamento eu perdi um pouco o controle e passava horas lá, além de me cobrar de publicar mais trabalhos e participar de desafios de ilustradores. Achei melhor encerrar a conta em algum momento de 2020, mas meses depois criei uma conta pessoal, só com pessoas que conhecia. Daí aconteceu o mesmo, ficava muitas horas on line, e por N motivos eu passei a me sentir frustrada, e em vez de me ajudar, o uso do instagram acentuou a minha sensação de estar sozinha. Então saí de vez tem quase dois meses.
      Hoje eu mantenho o contato com os amigos mais próximos só pelo whatsapp, mas perdi de vista os colegas. Sinto um pouco de falta das interações com essas pessoas, de acompanhar como elas estão, mas enfim, por enquanto acho melhor ficar sem redes sociais. Admito que eu sinto um certo conflito se é melhor ter ou não ter instagram, facebook, sempre me pego pensando os prós e contras de ter uma conta. Acho que por isso eu crio e apago tantos perfis de tempos em tempos…

      1. sensação estranha. Não tenho nenhuma midia social e não sinto falta. Meus parentes tem suas vidas e eu, a minha. Se for pra se cruzar, eles me convidam pra ir à casa deles. Olha que sou altamente tecnológico, early adopter… Mas midias sociais nunca me interessam – para o que preciso, vou direto ao site (noticias, lojas, restaurantes, etc). Se não tem site, não conta com minha presença (virtual ou real).
        Para profissionais liberais, o instagram (mais dinâmico) deveria ser um complemento a um site (mais formal).

  26. Qual é a melhor webcam para o Mac? Estou de olho em uma da Logitech, mas tenho medo que ela não entregue uma qualidade boa.

    1. salve, jorge!
      cara, tenho uma aqui e ela é bem boa (full hd). é uma logitech, mas uso no windows. creio q no mac ficaria legal tb. ela não é aquela das mais caras, mas ajusta bem a luminosidade ambiente.

    2. Provavelmente não é uma webcam, mas sim uma mirrorless/DSLR ou um iPhone se passando por webcam. Existem aplicativos que fazem essa ponte, como o Camo.

      Em se tratando de webcams de verdade, a Logitech C920s é meio que parâmetro da indústria. Nessa semana saíram uns reviews lá fora da Opal C1 (o da Input), que promete “qualidade de DSLR”, embora cobre US$ 200 por isso.

    3. Minha esposa usa muito a câmera nas reuniões, e ela não estava feliz com a qualidade da imagem.

      Compramos uma C925e da Logitech e foram só elogios. Única coisa a se reclamar dela é o foco automático que acabamos desabilitando, pois ficava mudando o foco toda hora sem necessidade, deixamos manual e ficou ótimo.

    1. até o natal: pintar o apartamento
      até o ano novo: descansar um pouco, ler, jogar…
      me dei conta q consegui, só agora, ver coisas q havia compra ler e ver em 2019…

      1. Também tava a fim de pintar a sala de casa e dar uma reorganizada nos móveis, mas tou achando que o recesso de fim de ano vai passar tão rápido que capaz de eu só usar o tempo em casa pra descansar mesmo rs

        1. Aqui em casa estamos há muitos anos sem fazer uma pintura, então estamos precisamos mesmo… Mas eu bem que preferiria descansar haha!
          Espero q fique bonito! Escolhemos umas cores bem legais!

    2. No Natal vou passar com a família. No Ano Novo, não sei.

    3. Bom, eu faço aniversário no dia 28 de dezembro. É o bolo com as sobras da ceia de Natal e o Roberto Carlos cantando de fundo.

    4. sentir saudades da época em que eu viajava nesse período de recesso — e fugia das terríveis festas familiares — já que o câmbio estava num patamar aceitável…

      :)

      ¯\_(ツ)_/¯

      1. mas, falando sério: ainda pretendo fugir das festas familiares. Eu sinceramente acho que a pandemia não acabou e ainda não é o momento de se aglomerar.

    5. Não muito diferente dos últimos anos: passar em casa, dormindo. Há bastante tempo que não participo de confraternizações e nem fico acordada no horário; tem sido um feriado normal.

    6. Quero me divertir no mundo Linux e custom roms Android. Mesmo que no fim acabe ficando no Windows mesmo, gosto muito de ir testando e aprendendo como funcionam as coisas. Aos pouquinhos já fui trocando muitos programas e aplicativos por outros gratuitos de código aberto. Alguns tem sido muito úteis e não os teria conhecido se não tivesse curiosidade.

      Além disso, organizar a vida e rever as prioridades. Remover excessos, ver os erros e acertos e amar mais.

      1. Sempre fico nessa vida de distro hopper e no final me divirto muito, além de ser um grande aprendizado no Linux também =)

        Aliás, doido pra testa o novo pop_Os!

    7. Tô terminando uma construção por aqui. Muita poeira. Acho que dá pra me mudar antes do ano novo. Até lá o natal é na minha mãe e ano novo incerto.

    8. Cuidar dos cachorros para não enloquecerem com os fogos.

      (Eu votaria em um presidente que proibisse a venda de fogos de artifício e traques., diga-se)

    9. Até o natal eu pretendo terminar minha dissertação (que foi uma experiência muito louca, partindo do ponto que escrevi em 12 meses). Para o ano novo quero descansar e esquecer que fui alfabetizado um dia.

    10. Eu e a amada vamos sediar o Natal aqui em casa, juntando a minha família imediata e a dela (8 pessoas no total)
      Como já estão todos com vacinação completa, nossos pais inclusive com 3ª dose, nos sentimos um pouco mais seguros de fazer.
      Já no ano novo ainda não definimos, mas provavelmente passaremos entre amigos aqui em casa ou na casa de um deles.

    11. Sinceramente… Nada. Aliás, nada além de passar com a família em casa.

      Sério, tô mais quebrado que tora podre. Sem dinheiro e sem trabalho tá difícil de conviver e pagar as contas…

      Há uma meia hora estava enviando um punhado de CVs por e-mail e contatando pessoas em busca de trabalho. Espero que tenha um retorno dessa vez… 🙄

    12. Mudar a sede do escritório… Saindo de uma sala locada para uma sede própria.
      Tem que estar tudo pronto em condições até 10 de janeiro.
      A mudança de móveis e documentos tem que ocorrer até dia 25, para desocupar o local atual e deixá-lo em condições de entrega.
      E já na nova sede tem que proceder toda instalação de maquinário, servidor, eletrônicos, ver se tudo vai estar funcionando e “conversando” como antes.
      E seguir com o trabalho normal já que em tese há um recesso até 20 de janeiro de 2022, na prática é o período em que a gente tenta colocar tudo que ficou atrasado de 2021 em dia.

      1. Cara, é tão legal fazer esse tipo de coisa! Adoro mudanças pelas possibilidades de reorganização que elas nos dão. Muitas vezes a gente começa a fazer as coisas do jeito que dá e quando nos mudamos, pudemos pegar essas coisas feitas do “jeito que deu” e fazer bem feito. Garanto que toda essa parte de reinstalação do maquinário, servidores, organização dos móveis e da papelada e etc vai ficar bem melhor do que era.

        1. Fala @Diego.
          Pois é, eu gosto de encarar a coisa com otimismo, porque mudanças podem ser bem complicadas. Mas concordo contigo no ponto de que já que essa tarefa precisa acontecer, deve ser “aproveitada” da melhor maneira. E de fato é exatamente isso que tu apontou. Aqui onde atualmente estamos, fomos crescendo (sem que pudesse haver planejamento prévio) e adaptando a infraestrutura de acordo com a necessidade. Já na nova sede permitiu inverter isso. Temos um planejamento, a infraestrutura foi pensada para atender a quantidade atual de funcionários e para dobrar o número, o que dará uma maior comodidade para seguir a ampliação. Se não me engano tu trabalha com móveis né? Pensa num susto que tomei com os orçamentos dos móveis novos. As vezes esqueço que a inflação e o custo de materiais atingiu todos os segmentos.

    13. Putz, baita pergunta…

      Depois de 3 semanas “intensamentes intensas” de trabalho, o mais importante: vou voltar aos treinos de forma leve e participar do Rapha Festive 500 (um desafio da Rapha dentro do Strava no qual devemos pedalar um total de 500 Km entre o Natal e o Ano Novo). Já ajuda a fazer a base para o próximo ano e a queimar as calorias dos comes das festas.

      Também quero dar início a produção de alguns móveis aqui para minha casa, estou precisando urgentemente de um baú e um guarda-roupas. Provavelmente o baú saia antes pela menor complexidade de execução.

      Pintar as paredes de casa também está nos planos.

      Sobre as festividades… tanto o Natal quanto o ano novo passarei com meu pai, irmão e madrasta e mais alguns familiares dela. Acho que gira em torno de umas 12 pessoas. Já foi assim no ano passado e agora vamos repetir a dose.

      1. Ah, e pretendo finalmente mudar meu SO. Ainda não decidi se atualizo meu elementaryOS do 5 para o 6 ou se mudo para o Fedora.

        1. Cuidado com o distro hopping heheheh.
          Essa foi outra questão que cogitei nessa mudança. Talvez mudar e/ou atualizar os sistemas dos computadores por aqui. Mas… aprendi que existe uma razão na “lógica empresarial” do “se está funcionando não mexe”. Então, a não ser que alguma máquina apresente problemas a ideia é manter tudo igual, até mesmo para aproveitar o conhecimento já assimilado pelos funcionários.

          1. Sim, exato! Essa lógica é super válida e deve ser seguida. Não dá para ficar fazendo experimentos em ambiente de trabalho.
            Mas eu não tenho problema com distro hopping. HUHAUshus Quando comecei com Linux, lá nos idos de 2009, usei durante uns 6 anos somente o Ubuntu. Depois troquei pelo elementaryOS que é no que estou até hoje. Nunca nem sequer experimentei outras distros, e para falar a verdade, falta um pouco de saco para isso. IsAUIssuai

Os comentários deste post foram fechados.

Compre dos parceiros do Manual:

Manual do Usuário