WhatsApp se compromete a atender às recomendações sobre sua política de privacidade

O Facebook/WhatsApp anunciou que atendeu às recomendações da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) e o Ministério Público Federal (MPF) em relação à sua (já não tão) nova política de privacidade:

[…] o WhatsApp sinalizou que pretende atender aos demais pontos, principalmente o ajuste da política de privacidade para refletir práticas de transparência, nos moldes em que já realiza para usuários da União Europeia; atualização dos termos sobre o WhatsApp Business; elaboração do relatório de impacto, abarcando o tratamento de dados de crianças e adolescentes; sistematização dos mecanismos de controle interno; entre outros.

Até a próxima terça-feira (31), o Facebook/WhatsApp disponibilizará um documento com “comprovações das evoluções” e em seguida se reunirá com os órgãos mencionados acima. Via Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Entenda o que mudou com a nova política de privacidade do WhatsApp (em vídeo).

O que você leu de bom?

Toda quinta, na newsletter do Manual (cadastre-se gratuitamente), indico leituras longas/de fôlego (artigos, reportagens, ensaios) publicadas em outros sites.

Seria o máximo se esse trabalho fosse colaborativo, feito com a sua ajuda.

Indique nos comentários uma leitura longa da última semana, relacionada aos temas que costumam aparecer aqui no site, que você acha que deveria ser lida por mais gente. Vale em português ou inglês.

AliExpress traz AliPay e braço logístico ao Brasil

A disputa pelo varejo brasileiro ficará mais acirrada com as últimas novidades do AliExpress. Há poucos dias, o gigante chinês passou a aceitar o Pix como forma de pagamento e abriu seu marketplace para vendedores brasileiros (com foco em pequenas e médias empresas). Agora, o AliExpress anunciou que trará ao país a carteira digital AliPay, em parceria com a Stone e o BTG Pactual, e a Cainiao, seu braço logístico, usando os serviços da Intelipost e dos Correios. Via Mobile Time, LABS News.

Duolingo reajusta preços (para baixo) no Brasil

O Duolingo regionalizou seus preços para o Brasil e lançou um plano familiar para até seis pessoas na mesma conta. Segundo o Estadão, o Duolingo Plus passa a custar R$ 30 por mês no país (era R$ 40) e, no pacote anual, R$ 180 (antes, R$ 239), equivalente a R$ 15 ao mês. Já o plano familiar custa R$ 650 por ano, equivalente a R$ 9 por pessoa considerando seis participantes. Via Estadão.

O Brasil é o terceiro maior mercado do Duolingo, com 30 milhões de usuários. Em junho, a empresa criada em 2011 abriu capital na Nasdaq. Hoje, ela vale US$ 4,64 bilhões.

Assista: +400 dias aprendendo espanhol no Duolingo.

Apple analisa e-mail do iCloud contra imagens de abuso infantil, mas não as fotos

A Apple confirmou que não analisa fotos ou backups do iCloud contra imagens de abuso infantil (CSAM, na sigla em inglês), mas que, desde 2019, faz essa verificação em anexos de mensagens enviadas e recebidas pelo e-mail do iCloud. Via 9to5Mac (em inglês).

Relembrando, no início do mês a Apple anunciou que passará a analisar, no próprio iPhone ou iPad, as assinaturas de imagens marcadas para serem enviadas ao iCloud contra um banco de dados de assinaturas de imagens de abusos infantis. O recurso deve chegar no iOS 15 e, a princípio, estará limitado aos Estados Unidos. Houve forte reação de especialistas em segurança e privacidade, que pedem para que a Apple desista do recurso sob o temor de que ele seja explorado por governos autoritários para fins menos nobres.

Em nota relacionada, pesquisadores da Universidade de Princeton revelaram um estudo, iniciado há dois anos, de um sistema similar ao que a Apple está prestes a lançar. A conclusão deles é de que a tecnologia é muito perigosa: “Nosso sistema poderia facilmente ser remanejado para vigilância e censura”, escreveram o professor assistente Jonathan Mayer e a pesquisadora e candidata ao doutorado Anunay Kulshrestha. “O processo de correspondência de conteúdo poderia gerar falsos positivos e usuários maliciosos poderiam manipular o sistema para sujeitar usuários inocentes a escrutínios.” Via Washginton Post (em inglês).

O fim do “arrasta para cima” no Instagram

Um dos recursos mais infames do Instagram deixará de existir a partir de 30 de agosto: o “arrastar para cima” para abrir links em stories. Em vez disso, links serão publicados via figurinhas e o gesto, que virou uma espécie de meme relacionado a clickbaits em algumas comunidades, como na de investimentos, voltará a ser usado exclusivamente para responder um story. Via The Verge (em inglês).

Achados e perdidos #30

Todo sábado, pego uns links que acumulei ao longo da semana e que, embora curiosos e/ou interessantes, não renderam nem notinhas, e os publico num compilado que chamo de “achados e perdidos”. É um conteúdo mais leve, curto, quase lúdico — a cara do fim de semana.

Lojas Renner sofrem ataque hacker e site sai do ar

Nesta quinta (19), o site das Lojas Renner ficou indisponível após a empresa sofrer um ataque hacker. Em um comunicado ao mercado, confirmou que “sofreu um ataque cibernético criminoso em seu ambiente de tecnologia da informação, que resultou em indisponibilidade em parte de seus sistemas e operação e prontamente acionou seus protocolos de controle e segurança para bloquear o ataque e minimizar eventuais impactos”. A empresa disse ainda que “em nenhum
momento as lojas físicas tiveram suas atividades interrompidas”.

Segundo O Globo, os sites/lojas virtuais das Lojas Renner e de outras duas marcas do grupo, Camicado e Ashua, saíram do ar. O da YouCom, marca de moda jovem do grupo, não foi afetado.

Nesta sexta (20), em novo comunicado, as Lojas Renner informaram que “as equipes permanecem mobilizadas, executando o plano de proteção e recuperação, com todos seus protocolos de controle e segurança e trabalhando para restabelecer todas as operações da Companhia” e que “os principais bancos de dados permanecem preservados”.

A empresa não confirma, mas suspeita-se que tenha sido um ataque do tipo ransomware (ouça o Guia Prático), em que os arquivos e sistemas são criptografados por alguém de fora e esse alguém exige um pagamento de resgate para reverter o bloqueio. Backups feitos previamente mitigam o estrago, mas o restabelecimento da operação pode demorar. Via Lojas Renner (2), O Globo.

Na data desta publicação, eu tinha ações das Lojas Renner (LREN3).

83% dos brasileiros estão na internet; TV ultrapassa PC como dispositivo para se conectar

Slide da pesquisa TIC Domicílios 2020, mostrando gráfico de evolução dos usuários de internet por dispositivo utilizado.
Gráfico: Cetic/Reprodução.

O Comitê Gestor da Internet (CGI.br) publicou a edição 2020 da pesquisa TIC Domicílios, um raio-x da internet no Brasil realizado anualmente pelo Cetic.br. Os dados revelam que 81% do país, ou 152 milhões de brasileiros, estão conectados à rede. Um dado curioso é que embora a pandemia tenha estancado o declínio do computador como meio de acesso (usado por 42% dos conectados em 2019 e 2020), a TV segue crescendo e, pela primeira vez, ultrapassou o computador (44% dos usuários contra 42% dos de PCs). Desde 2019, o celular é líder absoluto, usado por 99% dos brasileiros conectados — nas classes D e E, o acesso se dá exclusivamente pelo celular para 90% das pessoas. Via Cetic.br (PDF).

OnlyFans proibirá conteúdo sexual explícito a partir de outubro

Se você já ouviu falar do OnlyFans, provavelmente conhece a fama da rede permissiva com conteúdo pornográfico. A partir de outubro, porém, o OnlyFans proibirá fotos e vídeos de sexo explícito em sua plataforma. (Ainda será possível publicar “nudes”, porém.) A notícia, dada em primeira mão pela Bloomberg, causa espanto. A guinada, segundo o OnlyFans, se deve à pressão crescente de parceiros financeiros e provedores de pagamentos, como bandeiras de cartões de crédito, contra o conteúdo explícito. Especula-se, ainda, que dificuldades na obtenção de investimentos pelo mesmo motivo também tenham contribuído para a controversa decisão. Via Bloomberg (em inglês), Axios (em inglês).

O metaverso original

O Facebook acena que o metaverso será a próxima parada para os seus mais de dois bilhões de usuários. No jogo Fortnite, milhões de adolescentes se reúnem todos os dias e, entre um tiroteio e outro, ficam à toa e assistem a shows de artistas como Ariana Grande e Lil Nas X. No Axie Infinity, […]

Greve de streamers

No final de julho, a Twitch, plataforma de streaming audiovisual da Amazon, regionalizou os valores cobrados na América Latina das assinaturas de canais (“subs”, no jargão do meio). No Brasil, o valor do sub, antes de R$ 22,90 e atrelado ao dólar (US$ 4,99), passou a ser de R$ 7,90. Para muitos streamers, foi a […]

LibreOffice 7.2 traz melhorias na compatibilidade com arquivos da Microsoft

A The Document Foundation (TDF) liberou, nesta quinta (19), o LibreOffice 7.12 Community. O maior destaque é o trabalho de compatibilidade com os formatos de arquivos proprietários da Microsoft — mais de 60% dos “commits”, ou mexidas no código, foram por este motivo.

No comunicado publicado em seu blog oficial, a TDF explica que “os arquivos da Microsoft ainda são baseados no formato proprietário descontinuado pela ISO em abril de 2008, e não no padrão aprovado pela ISO, então eles [a Microsoft] incorporam uma grande quantidade de complexidade oculta artificial”. E depois acham ruim quando levam processos antitruste.

Outra novidade legal da versão 7.2 é a inclusão de um buscador interno para os menus do LibreOffice, acessível pelo atalho Shift + Esc, muito parecido com o recurso nativo e universal do macOS (Command + Shift + /).

Mais detalhes do que há de novo no link ao lado. Via The Document Foundation (em inglês).

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário