Anúncio Black Friday: Assine a NordVPN com 72% de desconto

Apple analisa e-mail do iCloud contra imagens de abuso infantil, mas não as fotos

A Apple confirmou que não analisa fotos ou backups do iCloud contra imagens de abuso infantil (CSAM, na sigla em inglês), mas que, desde 2019, faz essa verificação em anexos de mensagens enviadas e recebidas pelo e-mail do iCloud. Via 9to5Mac (em inglês).

Relembrando, no início do mês a Apple anunciou que passará a analisar, no próprio iPhone ou iPad, as assinaturas de imagens marcadas para serem enviadas ao iCloud contra um banco de dados de assinaturas de imagens de abusos infantis. O recurso deve chegar no iOS 15 e, a princípio, estará limitado aos Estados Unidos. Houve forte reação de especialistas em segurança e privacidade, que pedem para que a Apple desista do recurso sob o temor de que ele seja explorado por governos autoritários para fins menos nobres.

Em nota relacionada, pesquisadores da Universidade de Princeton revelaram um estudo, iniciado há dois anos, de um sistema similar ao que a Apple está prestes a lançar. A conclusão deles é de que a tecnologia é muito perigosa: “Nosso sistema poderia facilmente ser remanejado para vigilância e censura”, escreveram o professor assistente Jonathan Mayer e a pesquisadora e candidata ao doutorado Anunay Kulshrestha. “O processo de correspondência de conteúdo poderia gerar falsos positivos e usuários maliciosos poderiam manipular o sistema para sujeitar usuários inocentes a escrutínios.” Via Washginton Post (em inglês).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 comentário

  1. Sobre essa discussão toda do CSAM, que eu tive dificuldades de entender o tamanho da reação, um ponto importante que me passou despercebido: é nos EUA agora, provavelmente os usuários estadunidenses se achavam acima das pressões governamentais locais.

    A Apple não tem brechas na China, mas um portão aberto. Até para mercado menores, como a Rússia, ela já fez concessões a homofobia estatal. O CSAM é mais uma concessão, mas agora para o governo norte-americano.

    Acho meio fora de contexto essa discussão técnica dos especialistas, seja pela complexidade ou mesmo dificuldade prática desses hacks. Até porque é um sistema bem conservador, com muito mais problema de falso negativo.

    Como Ghedin fala, o ponto grave é para de confiar nas Big Techs. Todo mundo indignado ou com cara de Pikachu surpreso, ainda acho uma ingenuidade enorme.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário