Dois homens, em poses diferentes, usando cuecas pretas da Insider, um em cada canto da imagem. No centro, a frase: “A cueca mais confortável com 12% Off. Cupom MANUALDOUSUARIO12”

Post livre #303

Toda semana, o Manual do Usuário publica o post livre, um post sem conteúdo, apenas para abrir os comentários e conversarmos sobre quaisquer assuntos. Os comentários fecham segunda-feira ao meio-dia.

224 comentários

  1. Pessoal, quem usa certificado digital por aqui? Vou precisar tirar pra minha empresa (notas fiscais etc) e eu gostaria de indicação de empresa com melhores preços.

    1. na última empresa trabalhávamos com a certisign, e se não me engano cobram 240, e os concorrentes são próximos disso.

      a dica é fugir de escritório de contabilidade que faz por parceria, pois eles cobram um adicional em cima do certificado.

  2. Gente, tou querendo conectar meu chromecast na VPN (uso Surfshark) pra acessar os catálogos de streaming de fora. Achei um tutorial aqui (https://surfshark.com/blog/chromecast-vpn), mas como sou leigo tou com receio de fazer alguma merda.

    Eu tava pensando em seguir o passo a passo pelo 1B. Alguém sabe me dizer se dá certo, se tem algum risco?

    1. João, tem gostado do SurfShark? Assinei ontem pelo Kotas e estou aguardando liberarem o acesso pra testar.

    1. Ei, que massa! O colofão já me fez descobrir muita coisa interessante, com certeza todo livro deveria ter

  3. Eu comprei uma dessas, mas não gostei. Os cartões começaram a ficar soltos nela, pois o couro foi amaciando com o tempo.

    Depois troquei por outra bem compacta da Nordweg, a NW041A.

  4. Há muito tempo atrás, graças ao MdU, peguei uma carteira da Nordweg.
    Só agora, a mesma tá dando sinal de cansaço.
    Como praticamente não uso mais dinheiro em espécie e preciso de menos cartões junto comigo, queria algo mais compacto possível. Algo pra 4 a 6 cartões + minha habilitação. Na Nordweg o melhor que achei foi isso:
    https://www.nordweg.com/products/carteira-porta-cartoes-nomade?taxon_id=24
    Tem algo que dê menos volume ainda no bolso que isso?

    1. Eu pessoalmente gostei muito da carteira da Dobra. São de um tipo diferente de papel, fica com aparência de amassada, mas são infinitamente mais finas que uma de couro possa ser. Tenho uma clássica, pois na época era a única opção. Hoje tem também a old is cool que parece mais interessante na forma de arrumar os cartões. Só ainda não troquei pois achei desperdício, já que a minha ainda está boa.

      1. eu tenho uma da dobra há anos tb, irei trocar em breve, mas vai ser pq vou pegar o modelo de CNH, o atual é de RG.

        1. Eu fiquei curioso com o programa de reciclagem deles. O brabo é ficar sem carteira nesse meio tempo.

    2. Tenho uma para 4 cartões e uma abertura no meio para cédulas. É um porta cartão que comprei em loja de departamento, não lembro se na Riachuelo ou Renner. Dê uma olhada.

  5. Acabei de bloquear via chat, a opção de empréstimo do Nubank. Não sei como é o processo de liberação mas ter dinheiro fácil disponível em caso de um roubo/furto é complicado. Em tempos de pix pra lá e pra cá e sem responsabilização das instituições quando algo sai errado, achei a melhor opção. De bônus ainda fico com cara de “falido”

    1. Genial, tempos atrás o Nubank estava me enchendo o saco com propagandas de empréstimo.

    2. Já fiz isso faz tempo. A combinação de empréstimo rápido e pix não combina nessa onda de sequestros.

  6. Bom dia pessoal. Queria fazer uma viagem no feriado de Carnaval tentando não gastar muito. Moro em Divinópolis-MG, uma cidade que fica a umas 2 horas de BH. Vocês têm alguma dica de destino aonde a hospedagem não seja cara e dê para aproveitar e descansar nesse feriado.

    1. Rapaz, moro em Itaúna, pertin hehe
      Assim, eu iria pra BH pra um bairro calmo em um airbnb

    2. morando perto de BH imagino que você já tenha visitado o Inhotim, certo?

        1. Inhotim é o lugar mais deslumbrante que já conheci! Vale muito o passeio, mas é coisa de um ou dois dias… quem sabe rola alugar uma casa legal na região pra ficar de boa?

  7. Olá, pessoal. Recentemente deletei todas as minhas redes sociais e estou seguindo esse rumo de me adaptar às novas formas de utilizar a internet. Poderiam me recomendar blogs, sites e outros lugares para consumir notícias de uma maneira saudável?

    1. Muitos blogs que eu acompanhei em algum momento acabaram migrando pra um modelo de newsletter, principalmente porque com a morte do Google Reader a entrega dos posts ficava condicionada justamente ao algoritmo das redes sociais. Nesse sentido, acho que o próprio diretório de newsletters do Manual pode ser um bom começo pra encontrar esses blogs: https://manualdousuario.net/newsletters-brasileiras/

      1. “morte do Google Reader”

        desde que “ele morreu” eu uso o Feedly

  8. Indo um pouco de encontro a matéria sobre “Ações Individuais (…)”, tenho tentado parar um pouco com participações online.

    Sinceramente tem me cansado demais se sentir “viciado” em querer participar de um espaço online e ao mesmo tempo se sentir frustrado em não ter um resultado positivo, tipo, que eu me sinta plenamente confortável em estar online. Seja comentando aqui, vendo o twitter, vendo os espaços online.

    A cada dia que passa, a sensação que tenho é que as construções sociais meio que são feitas para que existam competições, e com isso fazer-nos no sentir sempre a ponto de estar “brigando” com alguém. Seja por atenção, por “ter a razão”, por querer ao menos sobreviver.

    Nas redes, se briga demais por atenção e vive-se a falhar.

  9. Falando em Mochilas comprei uma da Xiaomi, essa daqui:
    https://www.mibrasil.com.br/mochila-city-backpack-2-xiaomi-x438-p2003
    Estou gostando muito. Cabe Tudo! Paguei 299,00 nela.
    Aproveitando, comprei nessa semana um XSS (Series S) alguém tem e pode me falar um pouco a respeito? seria o meu 3o console. (Tenho um ONE S e um PS4) Sera que ainda vão lançar jogos durante esses meses ainda? ate o final do ano?

    1. Eu comprei um ano passado e tô adorando. Por enquanto tudo que saiu para o Serie X tem saído pro S também otimizado, e sempre tem coisa lançando disponível pra ele. Não sei se você já assinou o GamePass, mas se pretende utilizá-lo com frequência super recomendo pois os jogos na loja da Microsoft não são tão baratos como no Steam. Pra saber melhor de lançamentos sugiro você acompanhar o podcast do Overloadr, tem um recente sobre jogos novos e o canal do Nautilus no YouTube que também tem uma lista boa de lançamentos.

      1. Obrigado! Já assinei. E Inclusive ja compartilhei a conta nova com a minha do ONE S. Eu costumo comprar uns que eu quero na loja tambem. Sempre dou um jeitinho ne? kkkk..

    2. Onde achou ela por esse preço? No site do Mi Brasil tá + de 400 reais 😬

  10. Estou necesitado de recomendações e orientações em relação ao tema: Entradas USB
    gostaria de comprar um amplificador (?) de USB para USB pois as 3 entradas que meu pc tem já estão cheias;
    vi que ele tem uma entrada USB-C, um extensor (?) USB-C para várias portas USB seria melhor?

    1. Eu tenho usado um Hub USB TP-Link UH700 e recomendo: são sete portas, sendo três USB 3.0 que também servem para carregar outros dispositvos. Ainda tem fonte de energia própria, o que torna o funcionamento mais confiável. Meu computador não tem entrada USB-C, então no seu caso talvez você queira algo mais robusto como um Dock Station da Dell ou parecido.

    2. muito obrigado, vou procurar aqui.
      alguém sabe de uma marca que venda no aliexpress ou sites assim? tá muito caro esses dai :(

      1. Difícil ter uma marca específica. Só se atente pois ha casos de anunciaram como 3.0 e ser 2.0.

    3. Essa semana comecei a pesquisar sobre isso e vi que também existem dockings. Não entendi bem a diferença entre eles e o hub usb (se seria por ter outras portas, como hdmi, leitor de SDs, etc)

      Mas também gostaria de encontrar uma opção de qualidade a um custo mais baixo

      1. Dock geralmente é onde pode por em cima ou acoplado o celular, transformando em um mini desktop.

  11. achei um psp 3001 perdido há anos enquanto fazia uma limpeza na casa da minha mãe. alguém por aqui tem um desse e poderia contar como tem usado? vou tentar hackeá-lo com algum desses homebrews disponíveis.

      1. vou preparar meu kit anti radioatividade pra ver isso. obrigado, amigo.

        1. O canal em inglês dele é 100% retrogaming e raramente uma treta gringa. Pode deixar o traje hazmat em casa e ir sem medo que o cara manda bem.

  12. Alguém recomenda alguma serviço de hospedagem nacional ou que cobre em reais fazendo uma conversão mais favorável que pagar em dólar no cartão de crédito? Atualmente uso um plano de hospedagem compartilhada no DreamHost, mas ando achando o investimento caro e que teria opções melhores ou mais baratas.

    1. Uso os serviços da Kinghost e não tenho nada a reclamar. O preço é em real.

    2. Mesmo com o dolar nas alturas uso a https://www.vultr.com/?ref=9047915-8H que agora tem servidor no Brasil e tá bem rápido inclusive, mas aí tu pode usar paypal pra pagar também né, eu não uso mais hosting nacional por N problemas e o custo não vale a pena.

    3. Tenho usado o Hostinger e tem atendido bem, ótimo custo benefício. Já passei por Umbler (o gratuito) e HostGator, sai pela extrema limitação no free, e devido a alta do valor, respectivamente. Na Hostinger peguei uma promoção de Black Friday e assinei logo 4 anos – eles estão sempre “em promoção” rsrs

  13. Artistas do MdU!

    Já há alguns anos eu venho flertando com a ideia de aprender a desenhar, sempre achei um hobby maravilhoso e, como eu gosto de escrever ficção, daria também pra casar as duas coisas e fazer umas historinhas.

    MAS eu não queria desembolsar uma grana em curso online. Vocês têm alguma dica? Alguém aqui desenha?

    Não tenho nenhum interesse em ser capaz de fazer retratos realistas nem nada disso, embora entenda que estudar fundamentos é importante em qualquer coisa.

    1. Olá Adnilson! Eu trabalho com design e ilustração e acho que tem muitos caminhos para aprender a desenhar, no meu caso foi copiando desenhos que gostava e estudando com algumas revistas de banca de jornal. No contexto de hoje é mais fácil ir para os vídeos mesmo, já vi coisa interessante no YouTube e acho que se você quer uma coisa mais parecida com curso talvez desembolsar um pouco na Domestika ou Skillshare valha o investimento. Mas acima de qualquer curso eu acho que o principal, assim como na maioria das habilidades que aprendemos, é a prática constante sem um julgamento de ruim ou bom e bonito ou feio, pois assim você consegue entender melhor como o desenhar vai funcionar para você e talvez até encontrar um estilo mais próprio. Nesse sentido minha sugestão é você comprar um caderno, o caderno é algo muito prático de estar sempre com você ou então perto da cama e te permitir ter esse tempo diário para desenhar e ele funciona naturalmente como um registro da sua evolução. Sobre o que desenhar nesse caderno, minha sugestão é explorar o desenho de observação seja com base em coisas reais, tipo olhando um objeto ou através de fotografia. O desenho de observação também é um caminho que ajuda você a entender como é construir uma imagem bidimensional, algo essencial nessa prática.

    2. tenho algumas sugestões, mas estou longe (muito longe) de entender de técnicas de ensino de desenho ou de arte/educação — e digo isso porque se trata de fato de um campo muito amplo e corro o risco de falar alguma bobagem

      mas considerando minha trajetória pessoal — de alguém que gosta de desenhar e não necessariamente de um desenhista ou ilustrador — eu diria o seguinte: exercite seu traço o máximo possível, seja desenhando formas abstratas, seja desenhando o que você vê na sua frente. Isso vai te ajudar com duas coisas: a primeira é apurar o seu senso de percepção e registro de formas, volumes, linhas, proporções, texturas, etc. O segundo é o próprio treino da mão, do braço e do corpo em lidar com o desenho.

      desenhar é muito bom: a gente desliga do mundo momentaneamente e aprende a prestar atenção em coisas que passariam despercebidas. Recomendo muito.

      1. e as observações de guilherme são muito boas: mantenha consigo um caderninho sem pautas, sempre que possível. Agora na pandemia isso é mais temerário, mas antes era muito agradável sentar num café ou numa padaria e desenhar por ali — ou numa praça, num museu, etc.

      2. Eu gostava de desenhar muito quando era adolescente. E realmente eu desligava enquanto desenhava meus gundams e bonecos genéricos de anime, eram horas ouvindo música e desenhando sem preocupação.
        Ainda penso em voltar a desenhar algum dia.

    3. Quando quero desenhar melhor, procuro tatoo. Tipo “tatoo passo a passo” qualquer um consegue seguindo esses guias de tatuagem. E no geral os desenho são bem interessantes.

      Meu amigo desenhista diz que é tudo prática, e um pouco de noção de espaço.

    4. Oi, Adnilson! Uma dica importante para quem está começando é preferir fazer 50 desenhos rápidos, tipo esboços, do que só um desenho caprichado. Procure objetos do seu dia a dia e faça vários desenhos de observação para entender sua perspectiva, proporções, texturas… Não se cobre tanto no início porque é assim mesmo, com o tempo vc vai ver que sua mão e seus olhos ficam mais treinados e vc vai ficar mais satisfeito com os resultados.
      Quando eu era nova, gostava de pegar revistas e jornais e desenhar por cima das imagens, era uma brincadeira mas vejo que isso me ajudou a entender um pouco de desenho. Vc pode fazer isso usando papel manteiga em cima das imagens… Fazer uma grade (vc pode desenhar os quadradinhos ou usar papel quadriculado) em cima de uma imagem e replicar o desenho em outro papel com a grade desenhada também é um exercício bacana.
      Com o tempo vc vai entender melhor quais materiais vc se sente mais confortável em usar, qual o seu estilo, qual técnica vc prefere, qual tipo de desenho, essas coisas.
      Escolhi minha graduação por gostar de desenhar, estudei algumas coisas relacionadas mas não trabalho com isso hoje nem sou lá essas coisas desenhando, mas por um breve período ofereci oficinas de desenho para os calouros da faculdade no período de greve. Se quiser, posso te enviar o material das apresentações, mas é tudo bem basicão.
      Tem alguns livros interessantes também. Desenho anatômico, do Peter Jenny é bom para entender um pouco de figura humana, os livros do Andrew Loomis também acho bons, mas indico de cara Desenhando com o lado direito do cérebro, da Betty Edwards, que sempre é citado nos cursos de desenho. Acho que é isso que eu me lembro agora…

    5. Se não quiser investir num curso pago, sempre tem material no YouTube e existem e-books a preços extremamente baixos no Amazon… fora os livros que já caíram em domínio público e de Fontes ” alternativas “… mas isso é pra material teórico… tem de praticar com frequência. Boa sorte na jornada.

  14. Estou com um problema de plugar o braço articulado ELG F80N no monitor Samsung U28R550UQLM pois, apesar do ELG suportar tanto 100×100 e 75×75, o monitor aceita apenas o encaixe 75×75 por ficar em uma depressão na parte de trás onde, pelo encaixe do F80N ser maior que 75×75 para suportar o 100×100, não consigo parafusar. Minha pergunta é, consigo trocar o encaixe do ELG F80N ou um módulo 75×75 para preencher essa lacuna no monitor?

    1. Você comprou o braço articulado online? Se sim, tem a opção de devolvê-lo até sete dias depois do recebimento. O Código de Defesa do Consumidor lhe garante isso. Daí você compra um compatível com o monitor.

    2. eu estava nessa mesma situação, e acabei pedindo a ajuda do meu pai para serrar o suporte da elg… o problema é que agora ele só aceita vesa 75×75, rs.

    3. Tenho dois desses. O primeiro se encaixou beleza em um monitor curvo da Samsung. Já com o segundo, por um minuto de bobeira, não atinei que meu outro monitor não era compatível com suportes, na verdade não tem as perfurações, acabei então adquirindo uma extensão vez que o prazo de devolução havia passado. Achei que não ia ficar bom, mas me enganei. Segue o link https://bit.ly/3op6HOg

  15. O cartão Ultravioleta do Nubank está disponível para mim. Minha pergunta é se vale mesmo a pena, pois a mensalidade é de 49,00, e atualmente eu não pago taxa alguma tanto no Nubank quanto em outro banco que tenho conta. Me ajudem aí.

    1. Pra responder a tua pergunta, vou me descrever um pouco:
      1- Prefiro ter trabalho do que pagar taxa.
      2- Quero comprar por impulso, mas compro só quando é necessário ou quando algo precisa ser trocado.
      3- Eu ainda estou desempregado.

      Dito tudo isso, vamos lá:
      Se você está satisfeito com o serviço gratuito do nubank, ou se o seu gasto mensal no cartão é menor que 5 mil por mês ou se você não vai usar todos os benefícios que o ultravioleta te dá, não pague.
      Minha opinião: Só vale a pena comprar/investir em qualquer coisa se você precisa ou se vai aproveitar todos os benefícios oferecidos.

      Enfim, outras pessoas podem te passar opiniões melhores. Vamos esperar para lê-las

    2. Eu tenho cartão (normal) do Nubank e já recebi convite pra ativar o ultravioleta. Não fui em frente. E vivo recebendo propostas deles e de outras contas minhas pra dar upgrade no cartão, fazer todo tipo de investimento, contratar seguro etc. Parece essas lojas cheias daquelas coisas chamativas ao alcance da mão, mas que você leva pra casa e acabam ficando guardadas. O negócio é ler cada proposta, pensar bem e e como você vai aproveitar cada detalhe. Se estiver bem sem tudo isso, mande pra lixeira também.

    3. Eu optei por não. Já pago o programa de pontos deles, que R$1=1Ponto. E com 100 pontos, tu consegue apagar R$1, ou seja, é 1% igual. MAS. Para passagens, a cada 80 pontos é R$1! Isso daria então 1,2%, que vale mais! Sacou? Ou se preferir da pra transferir pra milhas, e dai tu juntaria com pontos que tem de outro cartão. Não sei se com o Ultravioleta daria isso.

      E a mensalidade é menor, no caso é R$190 por ano, que da ~R$15,83 por mês.

      *Caso eu esteja errado me avise pra eu reconsiderar

      1. O Nubank Rewards compensava com um gasto mensal relativamente baixo, de pouco mais de R$ 1 mil. Eu conseguia chegar pagando uns boletos com cartão em carteiras digitais, tipo PicPay e Mercado Pago. Usei por um ano, ganhei uns R$ 200 (já descontada a anuidade).

        Pena que não dá mais para contratar o Rewards. Quem já tem pode continuar usufruindo, mas eles fecharam para novos cadastros pouco antes de anunciarem o Ultravioleta.

    4. Se você considerar apenas o cashback (1% rendendo a 200% do CDI, que é um rendimento muito bom), compensa se seu gasto mensal com cartão for igual ou acima de R$ 4.990. Aí só com cashback você amortiza a mensalidade.

      O Ultravioleta tem outras vantagens (é, afinal, um equivalente ao cartão Black de outros bancos), como acesso a salas VIP em aeroportos, seguro viagem, extensões de garantia de compras no varejo etc. Para mim, nada muito relevante ou que justifique esse custo.

      Ah, se seu gasto mensal supera R$ 5 mil ou você tiver R$ 150 mil investidos na NuConta + Nu Invest, a mensalidade é isenta. Aí compensa, e muito, só pelo cashback.

      1. Desde o anúncio eu me interessei porque eu sou usuário desde os primórdios do Nubank e o cartão é realmente muito bonito e cheios de vantagens*

        * O Nubank não dá nenhuma vantagem, são todas da Mastercard. Não tem nenhuma sala VIP gratuita (so pagando) exceto a Mastercard em GRU.

        Vendo isso eu não só não quis mais o ultravioleta (recebi o convite ontem) como deixei de usar o Nubank depois de 8 anos.

        O cartão da XP me parece mais interessante
        se você tem 5k para investir porque ele tem 1% de cashback, não tem anuidade e tem 2 acessos sala VIP gratuitos por ano (e 6 cartões adicionais, o Nubank não tem nenhum).

      2. Ghedin, acho que a mensalidade não é isenta se tiver R$ 150 mil investidos na NuConta + Nu Invest. Pelo que eu pesquisei, precisa ter esse valor investido na NuConta **OU** na Nu Invest, não esse valor distribuído nos 2.

    5. Eu faria a conta assim:
      o q eu vi de vantagem nele é ter 1% de cashback. Se, com seus gastos normais, 1% de cashback der mais q 49,90, tvz valha a pena. (foi assim q eu cheguei a assinar o sistema de fidelidade do nubank e cancelei no 2o. mês. o q eu ganhava a mais era menos q a mensalidade)
      Só q pra 1% ser mais q 49,90, vc tem q gastar mais q 5000. E, gastando mais q 5mil, a mensalidade é grátis.
      Logo, só vale a pena se vc gastar mais de 5000 por mês nele.

    6. Eu tenho usado há 1 mês, estava planejando migrar meus gastos para o cartão de crédito e resolvi testar o ultravioleta.

      Considerei que meus gastos seriam superiores a 5k, portando o cashback já abate a mensalidade. E ainda tem os benefícios de seguro veicular para carro alugado e etc.

      Preferi ele ao meu outro cartão de crédito, Santander elite Visa sei lá qual, 1) pela melhor integração do Nubank com o Guia Bolso, 2) melhor interface pra analisar os gastos, faturas e etc, 3) o Santander dá 1 ponto a cada dólar gasto, mas pra enviar pra latam, por exemplo, era apenas a partir de alguns milhares de pontos…

    7. Estou testando e ainda acho os benefícios bem modestos, nada realmente incrível. Eu não pagaria para usar com a vida que levo hoje (50 x 12 = alguma coisa legal pra mim de Natal), acho que realmente só vale para quem tem gastos acima de R$ 5 mil.

      O acesso a salas de embarque é bom, mas “por conta da pandemia, a gente não tem viajado, etc.”. Os descontos de algumas lojas são bons (17%), mas a maioria é pouco expressiva.

  16. Eu sempre passo uns 600ml coado, aí vai um tempinho a mais

  17. Galera, alguém tem recomendação de mesa de altura regulável (aquelas que viram stand-up desk) no Brasil? Alguém comprou alguma e está gostando?

    1. Eu tenho uma Slikdesk, do modelo intermediário.

      De modo geral ela funciona bem e atendeu minhas expectativas. Gostaria que a altura mínima fosse menor, pra eu não precisar usar suporte para os pés quando trabalho sentado, mas nada que me incomode.

      Atualmente a mesa está com um defeito meio chatinho na hora de aumentar a altura que não consigo resolver, porque em Cuiabá/MT, onde moro, eles só oferecem suporte remoto. Os técnicos da marca são super solícitos e prestativos, mas aparentemente o problema só seria resolvido presencialmente, o que não é uma opção pra mim.

      Então, se você mora em lugares com assistência presencial, recomendo fortemente o investimento. Melhorou pra caramba a saúde da minha lombar, apesar dos contratempos.

      1. Poxa, valeu mesmo, Nicolas. Gostaria de te perguntar uma coisa extra: Eles ofereceram trocar a mesa? Te mandar outra? Devolver a mesa para eles?

        Porque o que você tá falando me dá é medo. Compro e a garantia é meio que “chega aqui e nóis resolve”. Dá até vontade de ir na geniodesk só de medo.

      1. NOSSA, VAI SER ESSA MESMA!! Não tem nem que ficar pensando em 20 tipos de tampos diferentes, ou pagar 1800 reais no tampo. Valeu!!!

  18. Então… a vida é uma coisa estranha, quando a gente acha que tudo está “perdido”, vem um reviravolta e nos joga para um outra direção, completamente diferente daquilo que imaginávamos e nos faz sonhar novamente.
    Sei que tem um pessoal daqui do MdU que mora fora do Brasil. Gostaria de saber de vocês como funciona a questão do Imposto de Renda. Já li em alguns lugares que quando a gente informa a saída permanente do país, não somos mais obrigados a declarar. Mas e se, mesmo ainda morando fora, tivermos uma conta em banco por aqui? Imóveis. Ou um financiamento rolando?

    1. Sou contador mas nunca peguei esse tipo de caso, então não vou saber responder todas as suas perguntas, se ninguém conseguir te ajudar posso dar uma pesquisada mais a fundo para vc.

      E sim, se fizer a declaração de saída definitiva no país não precisa declarar;

      mas em relação a conta vc tem que conversar com seu banco, dependendo do banco vc vai ter que encerrar sua conta ou mudar o tipo de cesta para atender a cliente estrangeiro;

      imóveis eu não sei dizer, teria que pesquisar, mas teoricamente não tem problema nenhum, vc só é obrigado a declarar no IR se seus bens somados forem superior a 300k, ah, se for alugar e auferir renda, vc tem que declarar esse rendimento e vai pagar imposto;

      em relação ao financiamento rolando, mesma coisa da questão acima, teria que conversar com a financiadora e verificar a possibilidade, ver se na cláusula de contrato vc é obrigado a morar no brasil.

      1. Cara, obrigado pelas dicas. Minha namorada que está numa situação dessas, a minha é bem mais simples.
        Essas coisas estavam meio que tirando o sono dela, mas eu achava que seriam mais simples de resolver. Pelo que tu disse, não era bem como eu achava. HAhHAHA

        Valeu, mesmo. Vamos atrás de mais informações.

    2. Cara, eu moro em Portugal há três anos e até agora não tive problemas. Não sei se você indo pra algum outro país a mesma dinâmica se aplicaria, mas vou relatar a minha experiência pessoal.

      Mantenho até hoje uma conta nubank, pra qual faço movimentações mensais mais ou menos fixas, mas que ficam sempre abaixo da linha do IR. Uso o cartão de crédito pra algumas assinaturas pontuais e a conta pra mandar dinheiro pra família, e só.

      Vale ressaltar que, assim que cheguei aqui, fui na autoridade tributária mudar meu endereço fiscal. É um erro que muita gente comete, porque não é uma mudança automática, então vc pode tirar todos os documentos e só tomar o susto quando vier o boleto da imposto de renda local pra pagar. Até você mudar a residência fiscal, o governo entende que, apesar de morar ali e ter imposto retido na fonte, seu dinheiro está indo todo para fora e sendo gasto fora (vai entender).

      De resto, eu diria pra você tentar se informar especificamente sobre o lugar pra onde vai, como funcionam essas coisas por lá.

      1. fora que Brasil possui acordo com Portugal, então é mais fácil

      2. Ahh, boa Adnilson. Interessante esta tua informação sobre o endereço fiscal. Valeu pela dica!

  19. Vocês costumam usar algum bloqueador de anúncios no navegador do smartphone? Eu noto que tem ficado cada vez mais difícil usar. Sites que não carregam o conteúdo, páginas que travam, etc. Alguém mais passa por isso? Tem como contornar isso?

    1. Uso o Blokada para bloquear no sistema inteiro. Não tenho problemas por aqui. Aliás, o único “problema” recente é que me cadastrei para o beta do bloqueio de rastreamento do DDG e, como ele também finge ser uma VPN, assim como o Blokada, não consigo ter as duas funcionalidades ao mesmo tempo.

      1. o ruim do blokada é que gasta muita bateria (todas as VPN na verdade).

        1. Comigo o impacto nunca foi grande. Na real, acho que nunca nem notei a diferença. E uso sempre que estou fora de casa.

          1. seu celular é recente? pode ter algo relacionado, pq o meu eu sinto uma diferente significativa.

          2. Relativamente recente. Veio com o Android 11 de fábrica. Talvez algo com o android ou com o tamanho da bateria, que nesse modelo é relativamente grande, mas de verdade, nunca notei redução da autonomia.

    2. Eu uso o Kiwi Browser (pois dá pra instalar as extensões do Google Chrome) e o Adblock Browser.

      Ambos tem um bloqueador embutido. Quando não carrega uma página direito, ativo o modo simplificado pra carregar o texto.

    3. Se o seu smartphone for Android, vá em Rede e Internet, procure a opção “DNS particular” e digite “dns.adguard.com”. Desde que passei a utilizar, especialmente no 4G, meus problemas com anúncios acabaram. Em casa uso o Pi-Hole, faltava algo para o 4G. Não sei se funciona no iOS.

      1. E a navegação é rápida? Pelo que pesquisei aqui não achei servidores no Brasil. Sentiu alguma diferença significativa?

      2. Boa! acabei de configurar o DNS na minha Smart TV pra testar.

        No Android estou usando o app AdGuard e estou gostando.

        1. Eita, funciona na TV? Mas seria só pra navegação em sites ou YouTube tb?

    4. Uso o 1Blocker. Estava meio subutilizado desde que migrei para o Firefox, mas ano passado eles implementaram um bloqueador de trackers in-app (aquele esquema via VPN) que, embora bem mais limitado que o bloqueador do Safari, já quebra um galho. Ativo sempre que saio de casa; dentro, tem o Pi-Hole filtrando tudo.

    5. Firefox Focus para leituras rápidas (e que apaga todo o cache ao fechar). No Safari pode ser configurado ele como extensão – e bloquear ads.

    6. Uso o Brave Browser tanto no celular quanto no PC. É baseado no chromium, já vem com adblock e uns recursos de privacidade imbutidos.

    7. Ublock origin no Firefox (Android, não sei como é no iOS). Paz e tranquilidade.

    8. Tem uns 6 meses que estou usando o NextDNS e está me atendendo muito bem. Além do smartphone, bloqueia também no PC. Existe a versão paga, mas a gratuita vem me atendendo super bem.

    9. Tenho rapsberry pi configurado com AdGuard – só não bloqueia os comerciais nos videos do YouTube.
      Tem site que reclama do uso de bloqueador, mas abro o modo leitura do navegador e leio o que preciso tranquilamente.

      1. Pergunta de ignorante: AdGuard é um substituto ao PiHole ou são coisas diferentes?

  20. Vocês, leitores do Manual do Usuário, tornam os seus conteúdos acessíveis para pessoas com deficiência na Internet? O Ghein eu sei que faz de tudo para ser.

    Pergunto isso porque 1. sou surdo e 2. pois estou aproveitando o timing do Big Brother Brasil (o Tadeu falou em libras durante o paredão).

    1. Eu vejo que poucas pessoas hoje em dia se foca em a11y para pessoas com algum tipo de deficiência. Se antes já era bem fraco, sinto que hoje as empresas/pessoas estão mais preocupadas com o resultado financeiro (o que é justo) do inclusão de uma boa experiência em serviços.

      Curiosidade: você ja entrou em sites que tenham o plugin da HandTalk? Se sim, consegue te ajudar?

      1. Sim, é exatamente. Muitas empresas estão aproveitando esse clima de ser progressista para lucrar em cima. Infelizmente, né? Daí fazem de qualquer jeito e as pessoas ficam “ainnn que lindo!”.

        Quanto ao plugin HandTalk… Acho tão méh. Os surdos sabem ler (mesmo que pouco). Esse app é justamente o que eu falei acima: é só um enfeite para a empresa poder dizer que é inclusiva. Quer ser inclusiva? Torne o site acessível para pessoas cegas, para pessoas neurodivergentes, entre outras. Isso sim é um ato pró-inclusão.

        1. Bom saber esse ponto do HandTalk. Eu acho a ideia interessante, mas como vc mesmo disse e que concordo, me parece ser apenas um motivo pra dizer que a empresa se preocupa em ser acessível para todos.

    2. Eu sou front end e, sem querer generalizar mas falando pela experiência dos lugares onde eu trabalhei, acessibilidade é jogada para escanteio porque tudo tem uma prioridade maior.

      Eu estou tendo oportunidade de enfim trabalhar pensando também em acessibilidade pela primeira vez desde que eu comecei na área (na real lembrei aqui de um projeto específico de um vereador que tinha deficiência visual e ai teve acessibilidade nesse projeto).

      Atualmente estou fazendo um curso gratuito[1] em inglês (não sei se tem em português) da W3C e está sendo bem legal!

      [1]: https://www.edx.org/course/web-accessibility-introduction

  21. Sobre a queda das ações do Facebook, chega a ser preocupante o fato dessa queda ter puxado as bolsas de vários lugares do mundo também pra baixo.

    Será que o Facebook tem potencial pra ser uma nova Lehman Brothers? Se quebrar de verdade, o mundo vai junto pro buraco.

    1. Mas o Facebook quebrar o que ainda é algo muito mas muito improvável em futuro próximo não teria as consequências da quebra do subprime, são situações totalmente diferentes.
      Existem N fatores que podem quebrar o sistema financeiro e o fechamento do Facebook não está nem no top 10 pode ter certeza.

    2. Não sei se o Facebook faria tudo isso, a queda deles tem impacto mas decisões do FED essa semana e demais assuntos tbm tiveram impacto. As ações do Facebook impactaram muito nos ETFs e fundos de investimentos devido ao peso q ela tem, tem muito ETF seguindo índice que as FANG (Facebook, Amazon, Netflix e Google) são quase 50% dessas carteiras. Lehman Brothers quebrou quando ocorreu uma estourou a bolha e ninguém sabia “poucos sabiam” e quando todos sabem já não é bolha.

    3. Nah, esse tipo de queda não é sinal de quebra não. Faz parte do jogo, se a Meta morrer, vai ser devagar. Tipo IBM ou HP.

      Mas mesmo que eles quebrassem, não entendo como teria um efeito Lehmann Brothers, que era do mercado financeiro. Seria algo mais parecido com a Enron.

  22. Ghedin, você mencionou em outro post livre, mas não consegui encontrar. Qual o nome do app que você usa pra contabilizar as páginas de livros?

  23. Alguém conhece algum cartão de crédito que funcione igual ao Nubank, no sentido de poder pagar o saldo devedor a qualquer momento e já ter o limite restaurado?

    1. Banco Inter paga com a grana em conta e em minutos para não dizer na hora o limite já esta liberado, acho q os digitais e bancões esteja todos assim, a demora ocorre mais com a forma de pagamento via boleto ou agendamento

      1. Sou correntista do BB há vários anos e salvo engano não há um mecanismo sequer parecido com o do Nubank. Banco Next também não.

        1. Eu achava q era mais comum, uso o cartão de crédito do Inter a alguns anos já e achava q esse método de pagamento liberando direto já não era novidade entre os digitais e bancos tradicionais, então são poucos os que possuem.

    2. Eu não testei, mas no Itaucard apareceu um botão de antecipar fatura há pouco tempo.

    3. Em teoria todos possuem esse mecanismo exceto os que explicitamente não deixam. Ai teria que ver caso a caso. Mas, geralmente, boletos de cartões são registrados sem valor (porque eles aceitam o minimo e não necessariamente o valor total da fatura). Sendo assim, se você pagar a mais vai ficar como crédito.

  24. Minha irmã me deu o ipad 2 dela, ele ainda funciona perfeitamente do ponto de vista de harware alguém tem ideia de uma aplicação para ele ?

    1. Oi, se for um modelo muito antigo, eu consigo pensar em usar como leitor de PDFs e e-books, usar para assistir vídeos do YouTube, um porta retrato digital, uma tela secundária para o computador (se o app funcionar no tablet), navegar na Internet e usar para escutar música.
      Basicamente usar para consumo de mídia.

    2. Tenho um também e eu usava basicamente para Netflix, YouTube e as vezes como segundo monitor. O YouTube recentemente fez uma atualização obrigatório do aplicativo, então para ver o YouTube só através dos navegadores mesmo.

    3. tenho iOad 2 e uso para leituras xe PDFs, ebooks, cbr e ainda roda o Youtube, Telegram e internet browser – muito util.

    4. Eu tenho um Galaxy Tab original (aquele de 7 polegadas, lançado em 2010), e ele ainda funciona.

      Hoje, basicamente, uso como leitor de pdfs, e ele ainda cumpre bem essa função.

      Imagino que o iPad também serviria mais como um ereader, e talvez pra ver vídeos.

    5. Comprei um ipad mini primeira geração a pouco mais de um ano. Pelo tempo ele está obsoleto, não desempenhado as funções totais de um novo,mas para funções básicas ele ainda serve: alguns serviços de streaming como netflix e Amazon prime funcionam. PDF s e E-books ficam bem no ipad. Se vc se contentar com essas funções, dá pra dar uma sobrevida ao aparelho.

  25. Gostaria de saber como andam os estudos de vocês durante a pandemia. Se vocês estão conseguindo lidar com a rotina de estudos de forma tranquila, as dificuldades e facilidades que encontraram no ensino remoto, se conseguiram manter um bom ritmo de leitura e produção de textos…
    Bom, imagino que muitos (assim como eu) estão tendo percalços. Eu estava conversando com uma amiga recentemente e nós temos a sensação que não aprendemos nada (ou quase nada). É frustrante e até meio desesperador. Falta disciplina, falta ânimo e parece que as coisas só andam quando o prazo está apertado.
    Depois de dois anos de pandemia, vocês acham que conseguiram levar os estudos adiante ou não deu?

    1. Eu comecei um curso de programação essa semana, comecei a estudar japonês no meio de 2020, mas a faculdade sofreu muito. Eu curso historia e já to no final do curso, meus professores não se adaptaram muito bem ao formato online e eu também não me adaptei a esse modelo para a faculdade.

      1. Também achei muito complicado fazer faculdade assim. No caso dos professores, é perceptível a sobrecarga e a frustração deles com o ensino remoto. A sua orientação do TCC vai ser feita on line também, certo?

        1. Meu orientador esqueceu que eu existo kkkkkkkkkkk, ele começou a me orientar em 2019 quando originalmente meu tema era falar dos arquivos das rádios e tvs da minha cidade que fui obrigada a mudar já que nunca conseguia marcar as visitas. Ai em 2020 a gente se falou uma vez e nunca mais tivemos contato algum, meu tcc tá a passos de tartaruga por causa disso. Eu espero que com o eventual retorno do presencial, que talvez aconteça agora nesse primeiro semestre ainda, ele me oriente melhor.

    2. Eu fiz um mestrado inteiro em meio a pandemia (defendo mês que vem). A sensação é exatamente essa.

      1. Boa sorte na defesa!
        Passo por situação semelhante, todo o curso foi feito na pandemia e é estranho não conhecer ninguém pessoalmente, nem colegas nem professores.

        1. Obrigado, Vanessa!

          De fato é esquisito. Alguns professores que me deram aula também o fizeram na graduação, mas a minha orientadora, por exemplo, aí vi pessoalmente 3 vezes.

          1. Sim, é esquisito. Bom que alguns professores vc já conhecia da graduação, isso ajuda um pouco, eu acho… Eu vi meu orientador ao vivo apenas na entrevista de seleção. Conversei com ele por telefone, whatsapp e e-mail poucas vezes em 2 anos.
            Não estabelecer vínculos de amizade e convivência me traz a sensação que não tenho vínculo com o curso em si, mal lembro ou tenho vontade de estudar.

          2. Aconteceu algo parecido comigo. Eu tinha muitas expectativas para com o mestrado, mas as circunstâncias fizeram com que eu não conseguisse me ver enquanto integrante desse espaço. Espero que no doutorado seja diferente.

    3. putz, to nessa mesma vibe
      parece que muita gente foi atrás de cursos no início da pandemia, né?
      fazia uma pós e logo antes do inicio do lockdown e senti a que as aulas, absorção de conteúdo e interação foram bem afetados no modo remoto, só deus sabe como consegui chegar no fim. terminaria agora um curso de alemão, mas senti que no período de aulas on-line aprendi mais por conta própria que pelas aulas ou turma, resolvi largar esse e voltar só com aulas presenciais.

      1. Exato! Pensei em começar um curso de idiomas mas desisti, não estou conseguindo aprender nada direito, então achei melhor adiar também.

    4. A minha graduação eu fiz por EAD mesmo, comecei a cinco anos, mas os motivos eram outros. Como estava tendo muito assalto onde eu morava, não quis me arriscar a sair de noite pra estudar.

      Já tinha terminado os estudos poucos dias antes de estourar a pandemia. A formatura, por razões óbvias, foi pelo Meet. Já seria algo simples mesmo, seria pegar o diploma, assinar alguma coisa e deu.

      Agora só falta fazer aquele rodízio que fiquei de fazer, mas é isso.

    5. Finalizei minhas pós-graduação (EAD) semana passada. Para seguir a risca meus estudos, mudei minha rotina e deu certo. Determinei meus horários de segunda a sexta às 05h30. Dedicava em média três horas e meia por dia. Além da mudança da rotina, levei meu equipamento para um cômodo da casa onde consegui me concentrar e ao mesmo tempo não atrapalhar os demais. Foi bastante proveitoso. Se as aulas não são ao vivo, acho que adotar um horário e um cantinho ajuda bastante. Por fim, pra conseguir vencer a mudança tive que alterar meu sono. Normalmente não passava das 22h00 acordado. Sempre preferi estudar na parte da manhã, onde meu aproveitamento sempre é melhor.

      1. Ter disciplina é muito importante, ainda mais nesse cenário que estamos passando. Quem não tem muita (como eu) acabou se enrolando feio!

    6. Você tocou em um ponto chave ai que é disciplina do estudante. Outro ponto importante é a flexibilidade do professor em adaptar o material. Eu estive dos dois lados durante a pandemia. Já era professor universitário antes e passei os últimos dois anos lecionando remoto, sendo obrigado a voltar na próxima semana.

      Meu material já era um pouco preparado para desenvolvimento computacional, envolvendo programações e simulações. A pandemia acabou ajudando um pouco pois agora os alunos tinham acesso a computador durante a aula (por vários motivos eu não tinha como usar um dos laboratórios com computadores). A aula sempre foi um pouco de exposição -> aplicação -> prática, repete. Na pandemia os alunos podiam, durante a aplicação, fazer junto comigo e tirar dúvidas na mesma hora. Coisa que no presencial, apenas aqueles que levavam notebook podiam. Mas sempre tem a questão da segurança, em carregar um equipamento caro tarde da noite, então nunca foi exigido deles – o material era sempre compartilhado para que pudessem fazer de casa a parte prática deles.

      No presencial, poucos voltavam na semana seguinte com dúvida ou sequer tendo feito. No remoto, a coisa melhorou um pouco. Mas tive turmas que eram completos fantasmas. Não vou dizer que a culpa é deles, pois a questão de motivação e disciplina são fortes. O poder que a cama exerce em você assistir uma aula deitado é muito forte. Estive sempre aberto a conversar caso quisessem mudar algo ou tirar dúvidas, mas a procura era sempre no fim, após todas as avaliações (que não eram naquele esquema terrorista de tempo definido, questões embaralhadas ou seiláoque que meus colegas professores inventavam – eles tinham duas semanas pra fazer com aulas especificas para desenvolver junto comigo, caso quisessem), pra ganhar 2 ou 3 pontos na média.

      Como aluno eu presenciei exatamente o que Lucky mencionou em que os professores não se prepararam. Alguns eu vejo que foi uma tentativa que não deu certo. Outros, apenas uma forma de bater o pé e resistir à evolução do ensino até que tudo volte ao normal. Na próxima semana tudo volta “ao normal” (com centenas de restrições…), então acho que para a velha-guarda deu certo né?

      Novamente, isso é o meu ponto de vista a partir das minhas observações nestes dois anos.

      1. Só um adendo: também fiz cursos em outras plataformas como Udemy e Conquer. Disciplina aqui tem que ser forte. Por isso eu gostava da aula síncrona. Estavamos todos lá no Meet, com ou sem câmera, mas conversando e dialogando ao mesmo tempo. Este tipo de presencialidade, pra mim, é o mais importante em um aula, ter alguem para discutir na mesma hora, enquanto os pensamentos estão frescos. Um forum é interessante pela abrangência, mas hoje em dia nossa mente não foca por muito tempo.

        1. Interessante seu relato pq traz a perspectiva de um curso de outra área e que pode até encontrar algum ponto positivo nesse modelo à distância. No meu curso senti que as aulas ficaram ainda mais travadas, não pelo despreparo dos professores, mas pq ninguém – principalmente os alunos -parecia muito confortável falar diante das câmeras (acredito que isso aconteceu com quase todo mundo tb).

          1. Honestamente, eu presenciei pouco dessa falta de conforto perante a câmera, ou timidez. Nada que já não houvesse no modelo presencial. Pode ser que eu em nenhum momento exigi câmeras abertas, pois acho que isso pode parecer uma certa invasão à privacidade de cada um. Tive apenas um aluno que não se sentia comfortável com isso e eu acabava fazendo meio que uma seção a parte com ele no Discord via texto.

            E o despreparo de alguns de meus colegas, em muito do que eu via, era mais uma relutância em fazer algo novo do que simples falta de possibilidade. Cada coisa que eu ouvia dos meus alunos que me deu vergonha alheia.

            Te digo um momento em que eu tive aquele estalo de “esse é o futuro” foi quando passei uma atividade onde a turma (pequena, cerca de 8 alunos) precisava montar uma planilha para resolver um certo tipo de problema. Eu criei a planilha no Google Sheets, que é editável de forma colaborativa, todos entraram e foram fazendo. Foi impressionante ver que eu tive que dar muito pouca direção a eles. Foram preenchendo tudo, se organizando ali na aula mesmo e no fim daquele dia a atividade estava praticamente pronta. Em contrapartida, a mesma atividade, na turma do semestre seguinte, foi um fiasco pois ninguem falava, ninguem se comunicava, teve casos de alguem inserir a fórmula e outro vir depois e alterar, pois não estava prestando atenção. Nessa turma eu precisei organizar a festa pq não tava dando certo.

            Ambas turmas eu já conhecia os alunos anteriormente e na primeira eles sempre trabalharam em grupo de uma forma muito harmoniosa. Na outra era briga atrás de briga o tempo todo, mesmo no presencial.

            Acho que mais a nossa natureza ajuda ou atrapalha do que o meio em que estamos.

  26. Eu quebrei meu moedor de café, decidi comprar um legal no AliExpress, o tal do TIMEMORE Chestnut C2. Esperava que fosse bom, mas nossa…é muito bonito, acabamento impecável, bons materiais e ótimo de usar. Tenho vontade de moer café só para utilizar-lo haha

    Queria mais deixar a recomendação e perguntar se já compraram algo que ficaram positivamente impressionados. Gostei muito quando comprei minha câmera também, a Fujifilm X100F…mas não é impecável mas me impressionou quando chegou em casa.

    1. Prossiga um pouco mais com a indicação de algumas marcas de café.

      1. Eu compro café perto de casa, nas cafeterias que tem por perto…então meio difícil recomendar algo genericamente: eles variam os grãos, as torras, etc…

        Mas se for recomendar algo para pegar no mercado, eu acho que a linha da três corações de café gourmet muito boa.

      2. Se você procura por café especial, a shopee tem umas coisas legais:

        Crio Cafés
        Pavlonia
        Patrick

        Agora se for de mercado, eu gostei daqueles Melittas gourmet (é similar aos 3 corações indicado pelo Gabriel) e não gostei dos Nescafé que tem embalagem dourada.

        1. Fred, fica de olho que a Crio Café vai começar a vender um café que eu e meu irmão produzimos na nossa fazenda!

        2. Fred, não consegui responder o seu comentário então vou mandar por aqui. Ainda não sei se o nome está definido, mas a fazenda chama Pedra Preta. Vai ser um café diferente, plantado de uma forma diferente. Não vou falar mais porque o Gabriel da Crio ainda está mantendo o suspense, mas assim que sair eu volto aí pra te contar!

        1. A Roast é aqui de BH, é uma das melhores torradoras que consumo frequentemente. Recomendo tb a tocaya.com.br, de preços e proposta bem semelhantes à Roast.

    2. Queria comprar uma câmera dessas menorzinhas mas parece que não existe um modelo de entrada, a mais acessível da Fuji é 7 conto! Câmera compacta é tudo nessa faixa ou tem modelos/ marcas mais baratos que valem a pena? Pior que tenho receio de comprar usada e ter problemas.

      1. Infelizmente, uma nova é bem cara mesmo…nos últimos anos os preços explodiram pelo dólar, a Canon fabricava modelos básicos aqui mas parou e mesmo os modelos de entrada deles estão na faixa de 5k.

        Isso nem falando de lentes, acho que usado é bem mais negócio se não precisa dos últimos recursos. Comprei a minha usada, como é um hobby acho que fazia sentido correr o risco.

        Você tem algum objetivo específico ou algum tipo de fotografia em mente?

        1. Sim, agora está impraticável comprar uma nova… Com isso as pessoas colocam as usadas à venda por um preço bem mais alto. Eu comprei uma Nikon Coolpix l810 (é uma semiprofissional) em 2010 (!!) por R$600, e hoje em dia vc encontra esse modelo no ML entre R$350 e R$900!
          Era por hobby mesmo, tenho mais interesse em fazer fotografia urbana e de arquitetura. Queria poder controlar velocidade/ abertura, aprender essas coisas na prática e com uma câmera mais discreta…

      2. Eu comprei recentemente uma Samsung NX Mini e to gostando bastante, super compacta e entrega uma imagem muito boa. Câmera usada é um dos itens que eu acho seguro comprar usado pois é uma prática bem comum no meio e como sempre teve um preço alto por aqui é onde você encontra as melhores opções. A minha dica é buscar câmeras que já estão a um tempo fora do mercado, tipo uns 10 anos, mas que ainda sim são câmeras excelentes. Se você quiser algo de bolso bem pequeno e barato recomendo dar uma olhada na linha da Canon Powershot S100, ela é bacana por que é uma câmera simples, mas que te oferece uns recursos mais avançados também. A linha G da Canon também vai na mesma pegada, mas geralmente você encontra ela um pouco mais cara. Agora se você quer algo mais avançado, mas que continue pequena e não necessariamente de bolso, nas minhas pesquisas as linhas da NX da Samsung e Nex da Sony tiveram bastante aqui no Brasil e são as mirrorless mais fáceis de encontrar no mercado de usados.

        1. Boas dicas, Guilherme! Valeu, vou procurar essas câmeras que vc indicou!

    3. Comprei um pra mim de presente de aniversário, também me surpreendi muito. Eu usava um Bialetti antes, que parece um clone do Hario Slim. Não tem comparação, é muito melhor em tudo.

      Eu namorava aquele elétrico da tramontina, mas sem condição de um dia enfiar no orçamento. Agora com o C2, acabou o desejo.

      Agora eu tenho apenas curiosidade de usar os mais high-end da vida, tipo aquele bravito etc.

    4. Fale mais sobre sua experiência com Timemore. Eu há uns anos comprei um manual do Javapress (https://www.javapresse.com/products/coffee-grinder), mas para moagem fina é muito lento, ao ponto de na hora da compra do café preferir já moído. Queria partir pra elétrico, mas não poderia ser os de hélice (produzem uma moagem irregular) e os existentes são muito caros (acima de R$1000). Até que um dia encontrei um portátil elétrico “sem marca” a bateria no aliexpress por R$150, cumpre o papel, mas chega a demorar mais que o manual e bateria dura umas 2,5 moagens, o barulho acaba irritando muito.
      Quase comprei uma cousinart da olx por 700, mas não achei razoável, mesmo estando “barata”.

      1. Eu usava um Bialetti que o fred comentou, era bem “pesado” e desconfortável para moer: o corpo era muito gordo para minhas mãos, a manivela pequena e engasgava várias vezes.

        Usando o TIMEMORE, demora + ou – 30 voltas para moer o suficiente para uma moka de 60 ml. Isso em uma moagem fina para média, que funciona bem nesse caso. Para mim não, incomoda, toda vez que tomo faço em 1-2 minutos.

    5. Dúvida sobre o moedor, não entendo nada, essa que tu comprou tu consegue regular a moagem? pergunto pois me falaram que na Cafeteira Italiana a Moka precisa de uma moagem diferente pra extrair café que a versão em pó não faz direito.

      Gosto do aroma do café, mas de gosto pra mim ainda é tudo igual, amargo e levemente azedo no fim ;)

      1. Eu também não entendo de café, percebo algumas diferenças, mas não entendo e não me importo para ser honesto haha

        Comprei um moedor justamente porque sempre precisava pedir para moer onde comprava, mas algumas vezes ficava ruim: dependendo da moagem entope um pouco a cafeteira, aí queima o café. Com moedor em casa, dá para ajustar como for melhor.

  27. Opa galerinha, conhecem sites com essa pegada do MdU (slow web, foco em privacidade/simplicidade) para me recomendar?

  28. Eu pergunto constantemente, quem trabalha em softwares grandes? Tudo, por exemplo… alguém faz algo no onedrive, certamente varias pessoas. Como pode esse software não receber nenhuma novidade em meses ou anos?
    Mas o caso no ponto agora: alguém do google trabalha no brasil? Especificamente sobre o google assistant ..
    * porque em ingles posso lincar comandos (ok google, acender a luz… mudar o brilho… ligar tv) e pt.br não (ok google, acender a luz. OK google…, mudar o brilho, OK google de merda, agora liga a tv)?
    *Porque em en.us posso dizer STOP para parar o alarme e em pt.br tenho de dizer ok google antes?
    *Porque em en.us posso usar o google keep para listas de compras e em pt.br é uma planilha?
    *Porque em en.us um lembrete faz ele tocar um som na hora do lembrete (tipo.. aviso de um lembrete!) e em pt.br é apenas uma luz?
    *Porque em en.us se eu simplesmente digo “thankyou” ele me responde de forma diferente que gosta de me servir e em pt.br ele não entende o conceito ‘obrigado’.
    *Porque se eu coloco o idioma en.us primeiro e pt.br segundo tudo isso acima funciona perfeitamente, mas não posso mais dar o comando “adicionar qualquer_coisa na lista de compras”, precisando ser obrigatoriamente pt.br e secundário en.us?

    Porque sou o único no .br que se preocupa com isso?
    Porque tenho de vir em um site randômico desabafar mesmo?

    1. O Google é uma empresa norte-americana, sua base de usuários mais valiosa/rentável é os Estados Unidos e a maior parte dos engenheiros que trabalha nesses recursos avançados estão lá e falam inglês.

      Não chega a ser surpreendente que o inglês tenha mais recursos que o português do Brasil.

      1. A sua resposta Ghedin vale também para a Alexa da Amazon. Ao menos no caso da Alexa, tem um truque que é migrar a conta brasileira para americana. Isso habilita alguns recursos dos americanos no nosso idioma.

    2. Mano. Eu me pego pensando sobre isso tantas vezes também. PORRA COMO QUE ESSA MERDA DE ONEDRIVE PRECISA DE 2GB DE RAM PRA RODA VAI TOMA NO CU.

    3. Pode botar a culpa no Real derretido. Empresa nenhuma vai investir num lugar onde o lucro é 1/6 do país sede, independente do volume de vendas.

  29. Geral saindo do Spotify e comecei a testar as alternativas:
    Gostei do Tidal. Os apps são muito bons. Exceção do Tidal para o Apple Carplay: é bem ruim.
    No mais, tenho gostado tbm do apple music e PASMEM, tenho gostado do iTunes Windows. Aqui ele consome menos recursos que os apps de Spotify, Deezer e Tidal.
    Exceção de quando vc usa o itunes match, mas aí basta fechar e abrir o app novamente que volta ao normal.
    Outra coisa que gosto nele é que ele tem aquele jeito que aplicativo completo de audio com todas as informações técnicas das músicas. Playlist inteligente e personalização de colunas. Isso esses apps desktop moderninhos não tem.

    E vcs vão migrar também?

    1. acho que tidal e apple music são que mais que agradam. ainda mais o music, as playlists editoriais aparentam uma curadoria mais interessante dos gêneros.

    2. gostaria de migrar, mas tive muitas dificuldades com o Apple Music (e isso que uso Mac). insisti muito pra conseguir usar, mas a raiva que passei com o upload das minhas músicas pra nuvem por quatro, cinco vezes nas quais eu ia dar o play e o negócio simplesmente não tocava me fez perder todo o interesse.

    3. Estou pensando em migrar também, mas antes estou naquela etapa de convencer meu pai e meus irmãos a migrarem também (conta família, se eu migrar aperta no bolso de todo mundo).
      Há alguns meses atrás eu havia testado o Apple Music em um período de testes e gostei bastante do aplicativo, então penso nele como minha opção principal. Pequenos detalhes me desagradaram no aplicativo (não poder ordenar as faixas na playlist de maneira alfabética foi uma delas), mas isso é contornável.

    4. Migrei pro Tidal, o software da TV é terrível, mas eu não uso muito, então tudo certo.

      Nunca gostei muito da interface do spotify e só permaneci nele por inércia, então não tenho muito problema para me acostumar a algo diferente, ainda assim que o spotify connect faz um pouco de falta, poder controlar a música da TV no celular, por exemplo.

      No mais a qualidade das músicas é melhor e o preço é menor, então ainda vale bem a pena.

    5. Já usei quase todos serviços de música, no momento to usando o Tidal e Youtube Music. Tidal tem umas playlists curadas muito boas e o Youtube Music tem uma interface e recursos bem interessantes (além de poder ouvir aquelas musicas mais obscuras que só tem no youtube).
      O que mais sinto falta do Spotify é o algoritmo, os outros não chegam nem perto, só recomendam as mesmas músicas todo dia…

      1. Cara, a função que eu mais usava, a “rádio da música” no spotify eu achava bem medíocre, lembro que uma época eu pegava diferentes músicas com a única característica de serem rock alternativo dos anos 80 e 90 e SEMPRE vinha The Killing Moon nas primeiras sugestões.

        Que é realmente uma música que eu gosto, mas me dava a impressão que o algoritmo ficava meio viciado com o feedback, porque dificilmente me sugeria algo diferente, dentro de determinado estilo.

        1. Aliás, explicando melhor porque pelo que eu disse acima parece que a música citada é o único problema.

          Uma época eu criei uma playlist para ouvir enquanto escrevia o conto e queria essa vibe meio alternativa 80 e 90. Porém em outros momentos sempre que eu pegava algo minimamente parecido, como The Cure, que nem estava nessa playlist, as recomendações dá rádio eram sempre as músicas da playlist, normalmente com a adição de outras músicas dos mesmos 3 a 5 artistas e, claro, sempre The Killing Moon entre as primeiras.

          A rádio da música no Tidal me parece mais variada, ou eu sou apenas um usuário tão recente que o algoritmo ainda não conseguiu me “ler”.

          1. A rádio do Spotify é meio ruim mesmo, me referia ali as daily mixes…
            Mas acho que isso é um problema de todos streamings, o melhor pra mim é o YT Music que da pra gerar rádio de qualquer música, álbum, playlist e até de vídeos… mas nada se compara ao falecido Google Play Music

    6. Faz muito tempo que não uso nenhum app de música. Por último, usei YT music e Amazon Prime Music. Mas, faz mais ou menos um ano que só ouço rádio FM ou playlists aleatórias no YouTube mesmo (quando estou trabalhando).

    7. Já testei vários e gosto bastante do Apple Music. Só não mudo definitivamente para ele porque gosto de jogar a música pro Echo Dot e o aplicativo não faz isso nativamente como o Spotify :/

    8. Sempre odiei o spotify, por pagar os artistas com migalhas.

      Recentemente descobri o bandcamp e até que bastante compositor que sigo usa, no bandcamp vc compra os albums ao invés de rolar anuncio, é parecido com itch.io de alguma forma.

      Pretendo começar a comprar os albums deles lá.

    9. Passei a comprar os álbuns dos artistas que mais gosto, é o equivalente de 1 ou 2 meses de assinatura e só tem benefícios (para mim e para o artista)

    10. Eu comecei a usar o YouTube Music há pouco mais de um ano, por aí. Aí abandonei o Spotify porque o YouTube Music é bem melhor. A grande vantagem é oferecer músicas que os usuários subiram nos vídeos da plataforma. Aí tem muita raridade, apresentações ao vivo.

    11. Aqui é Tidal. Só pela qualidade sonora ser superior aos outros serviços vale muito a pena. Pra quem gosta de MÚSICA e não apenas quer um papel de parede sonoro, é o serviço que vale mais a pena.

    1. hoje em dia seria um panfleto de 4 folhas sobre facebook/twitter/zap zap/instagram/youtube, ainda existe internet fora disso?

  30. Papo sério, gente: mochila com espaço para notebook e outras coisas mais, não muito grande nem muito pequena, de boa qualidade. O que indicam?

    1. Não sei como andam os modelos da marca mas tenho uma da Targus a mais de 10 anos e ela ainda tá bem inteira

    2. utilizo uma Acer Gray Dual Tone, me atende perfeitamente há anos e não tenho nada a reclamar

    3. Tenho a mochila pro da Dell mas pode ser grande demais e não sei se é para a proposta que desejas.

      Tem um pessoal que curte bastante da Nordweg (tem modelo para equipamentos fotográficos).

    4. Tenho uma mochila da Curtlo há 18 anos e ela está em ótimo estado. Usei essa mochila diariamente para ir para o colégio e para a faculdade e ela deu conta do recado, até hoje eu ainda dou minhas voltas com ela. As alças são confortáveis e o material dela é muito bom (tive mochilas de outras marcas que o forro esfarelou!). Acho uma boa marca mas não conheço os modelos atuais e não sei se a qualidade continua a mesma…

    5. Ghedin, tenho uma mochila da Invictus modelo Rusher 2.0, que me atende bem. Tem espaço suficiente pro notebook, acessórios, gadgets e outras coisas. Recentemente eles lançaram um novo modelo (Citizen), que é muito bacana, diria até mais bonita que a Rusher. Os produtos da Invictus são muito bons e de alta qualidade, porém tem uma pegada militar. Não sei se lhe agradaria. Agora se quer algo mais requintado, tem as mochilas da Nordweg. São de couro, porém os preços são bem salgados.

    6. Eu tenho a um bom tempo da (2c)² Bags, esse modelo. É uma marca nacional especializada em mochilas para ciclistas, então são naturalmente bem resistentes, compactas e impermeáveis. Gosto bastante dela e esta durando muito bem e o fato dela ter um design menos corporativo também me agrada. Não sei como estão agora, mas antes como a produção não é grande, geralmente a encomenda demorava um pouco para chegar.

    7. Decathlon tem mochilas ótimas e bonitas de sua marca própria (Quechua), por bons preços.

Os comentários deste post foram fechados.

Compre dos parceiros do Manual:

Manual do Usuário