Sobre o Manual do Usuário

O Manual do Usuário é uma publicação independente que cobre tecnologia para pessoas, em ritmo “slow web”, sempre aberto à experimentação.

Eu sou o Rodrigo Ghedin, fundador e editor-chefe do Manual. Esta página é uma tentativa de apresentar o projeto da maneira mais transparente — uma das nossas obsessões — e ampla possível a fim de lhe dar um bom contexto para quando estiver lendo, ouvindo ou assistindo a algo publicado aqui.

Caso fique alguma dúvida, tenha sugestões, críticas ou apenas queira bater um papo, sinta-se à vontade para entrar em contato por e-mail ou nos nossos canais sociais.

Para facilitar, dividi esta página em tópicos. Você pode acessar qualquer um diretamente pelo índice abaixo. Ao final de cada tópico há um link que o remete de volta ao índice.

  1. Razão de existir
  2. Área de cobertura
  3. Conteúdo
  4. Financiamento
  5. Sua privacidade
  6. Compromisso ético

1. Razão de existir

Close do logo do Manual do Usuário aberto em uma tela do Safari.
Foto: Rodrigo Ghedin/Manual do Usuário.

Existem inúmeros sites, canais de YouTube, podcasts, newsletters dedicados a cobrir tecnologia. Por que mais um?

Quando atuava no Gizmodo Brasil, onde era repórter, sentia falta de uma publicação menos acelerada, sem compromisso com o hard news (as notícias mais “cruas” do dia a dia), onde fosse possível apurar histórias, refletir e escrevê-las sem pressa. Foi para suprir essa lacuna que, no dia 15 de outubro de 2013, nasceu o Manual do Usuário.

Àquela altura, a marca “Manual do Usuário” já existia. Até então, era um podcast semanal, do tipo mesa redonda, que debatia notícias de tecnologia. Com o lançamento do site, o podcast foi incorporado a ele e mantido. Ele está no ar até hoje, mas com outro nome — Guia Prático.

Muita coisa mudou desde 2013. As matérias de fôlego, embora ainda escassas no Brasil, hoje têm mais espaço em outras publicações. Uns sites sumiram, outros surgiram, todos eles mudaram muito, incluindo o Manual. Tenho, agora, mais experiência, mais clareza do que estou fazendo, e há mais gente colaborando com o site, o que sempre enriquece as discussões. A única constante aqui é não se acomodar, não ficar no “mais do mesmo”. Não temos estrutura nem interesse em “competir” com outros sites de tecnologia; o Manual existe para somar.

Por isso, penso-o como algo vivo, sempre em transformação. Nesse processo contínuo está a sua razão de ser.

O Manual do Usuário existe para fazer o que outros sites da área não fazem, por escolha ou necessidade; ele existe para fazer e ser diferente.

Não nos deixamos pautar por algoritmos ou estatísticas. Adotamos de forma deliberada métodos simples de trabalho e produzimos de acordo com a nossa capacidade, sempre mirando a máxima qualidade possível, o que necessariamente implica em uma produção limitada. Em meio a tanta automação e processos industriais, o Manual é um pequeno ateliê que produz informação de maneira artesanal, com cuidado e carinho, respeitando os tempos das pessoas, e que se orgulha disso.

O Manual do Usuário é o site que eu gostaria de ler. É o meu lugar favorito de toda a internet. Felizmente, dezenas de milhares de outras pessoas também gostam de lê-lo, e desse encontro surge uma comunidade muito legal.

Atualmente publicamos artigos de opinião, notinhas, reportagens longas e originais, vídeos, podcasts e curadorias (via newsletter). É possível acompanhar o site em “pedaços”, ou seja, seguindo apenas o site e a newsletter, ou somente os podcasts, por exemplo, mas todas essas partes são pensadas em conjunto, de modo que recomendo acompanhar o projeto como um todo para ter a melhor experiência.

↑ Voltar ao menu

2. Área de cobertura

O Manual do Usuário cobre tecnologia de um ponto de vista bem específico: o seu. Ele não é uma publicação técnica, nem de negócios; não é guia de compras, muito menos vitrine para empresas. O Manual é uma publicação que ajuda pessoas comuns, de quaisquer áreas, a entenderem de maneira crítica como a tecnologia de consumo nos afeta.

O site acompanha o noticiário especializado de tecnologia e outras editorias que impactam, direta ou indiretamente, essa área, como a política. E é uma publicação opinativa, ou seja, sem qualquer pretensão de se mostrar imparcial. Temos lado e não fazemos questão alguma de escondê-lo. Esse é um dos nossos quatro pilares — os outros são transparência, privacidade e comunidade.

Montagem com os quatro pôsteres dos pilares do Manual: Comunidade, Privacidade, Transparência e Opinião.
Ilustrações: Toia Cruz.

Abaixo, uma lista não exaustiva das preocupações e áreas de atenção que atualmente norteiam o fazer do Manual do Usuário:

  • A preservação da nossa privacidade frente aos avanços da publicidade e vigilância digitais.
  • Como novas tecnologias impactam o comportamento humano.
  • Os estragos que o consumo acelerado causa ao meio ambiente e como desacelerá-lo.
  • O poder desmesurado das big techs e as tentativas de governos do mundo todo de regulá-las.
  • O desafio de equilibrar liberdade de expressão e moderação do discurso nas grandes plataformas.
  • Alternativas não comerciais às tecnologias que usamos no dia a dia.
  • Impactos imprevistos ou ignorados de novas tecnologias, como criptomoedas/blockchain.

↑ Voltar ao menu

3. Conteúdo

O Manual do Usuário é uma publicação multimídia que tem a sua base neste site, manualdousuario.net. No momento, publicamos os seguintes tipos de conteúdo:

  • Notinhas: Atualizações ao longo do dia, em geral curtas, com frequência opinativas, sobre notícias, eventos e curiosidades.
  • Artigos de opinião: Autoexplicativo, são artigos semanais, de tamanho médio (600–1.000 palavras), em que o autor aborda um tema relevante e/ou atual e expõe seu ponto de vista, sempre baseado em dados aferíveis e fontes confiáveis. É publicado simultaneamente no site e na newsletter.
  • Reportagens especiais: Resultado de apurações longas, que envolvem muita pesquisa e entrevistas. A meta é publicar uma ou duas reportagens especiais por mês.
  • Escritório em casa: Quando possível (quando há estoque), publicamos às quintas os escritórios que os leitores enviam para mostrar aos demais. Veja-os.
  • Podcast Guia Prático: Uma conversa semanal em áudio, com ~40 minutos de duração, em que eu e a Jacqueline Lafloufa debatemos dois assuntos importantes.
  • Podcast/coluna Tecnocracia: Uma coluna em áudio quinzenal, em que o Guilherme Felitti destrincha um grande assunto da tecnologia ou revisita eventos históricos do setor, sempre com os pés no chão e um olhar crítico. A coluna é transcrita na íntegra no site. Uma vez por mês, acontece o Tecnocracia Balcão, um bate-papo ao vivo com o Guilherme em nosso grupo para apoiadores no Telegram.
  • Newsletter: Toda quinta-feira, a newsletter do Manual é enviada com o já referido artigo de opinião e quatro recomendações de leituras longas publicadas em outros sites. Ela traz, ainda, links para as principais notinhas da semana, os resultados dos sorteios mensais de livros (para apoiadores) e avisos diversos.
  • Achados e perdidos: Todo sábado de manhã, reúno links curiosos e/ou interessantes coletados ao longo da semana e que não viraram notinha. Ele é enviado pela newsletter e publicado no site.
  • Vídeos: Semanalmente, publico um vídeo mais “tutorial” em nosso canal no YouTube.

Esta lista não é definitiva e ela está sempre sujeita a alterações. Podemos, sem aviso prévio, publicar conteúdos diversos dos previstos nela e tentamos ao máximo não falhar com os que estão previstos. Quando falhamos, explico os motivos aos apoiadores do site no relatório de transparência mensal.

↑ Voltar ao menu

4. Financiamento

Ilustração de um cômodo, com personagens coloridos formando um círculo. No lugar das cabeças, há objetos diversos. Ao centro, a frase: "Ajude a financiar um lugar legal na internet".
O financiamento pelos leitores é a principal fonte de receita do projeto. Em 2020, respondeu por 56% do faturamento total. Ilustração: Toia Cruz.

O Manual do Usuário é um site independente. Para financiar-se, recorre a três fontes de receita:

  1. Assinaturas/apoios. Os próprios leitores se voluntariam a pagar um valor mensalmente. Essa contribuição concede alguns benefícios, nenhum deles atrelado a conteúdo — o Manual não tem nem nunca terá paywall.
  2. Patrocínios/publicidade. Empresas podem pagar para promover seus produtos e serviços no Manual do Usuário. Todo conteúdo pago é devidamente sinalizado e nem eu, nem o Manual jamais endossa ou recomenda qualquer anunciante — o que as empresas compram é espaço, não nosso aval ou opinião. Em outras palavras, não tenho pretensão alguma de ser “influenciador”.
  3. Comissões de lojas virtuais. Em alguns poucos lugares do site, como na seção Achados e perdidos e nesta página de livros recomendados, links para as lojas Amazon, Americanas, Magalu e Submarino são comissionados, ou seja, se alguém comprar qualquer coisa clicando em um desses links antes, o Manual do Usuário pode receber uma pequena comissão. O valor que você paga não se altera.

A cada três meses, o relatório de transparência (um benefício dos apoiadores do site) traz uma seção com a contabilidade do projeto, em que detalho todas as receitas, despesas e outros aspectos financeiros da operação.

↑ Voltar ao menu

5. Sua privacidade

Fazemos um grande esforço, eu e a Cipher Host (empresa que hospeda o Manual, e da qual sou sócio) para coletar o mínimo possível de dados seus quando você interage com o Manual do Usuário, seja aqui no site ou em qualquer outro ponto de contato/plataforma onde estamos. É um compromisso que temos com quem nos lê.

  • O código do site não emprega scripts de rastreamento do Google, Facebook ou de qualquer adtech (empresas de publicidade). Os poucos dados que coletamos a partir do seu acesso não são compartilhados com terceiros.
  • Usamos a versão de código aberto do Fathom para aferir dados de visitação, que são limitados aos seguintes: visitantes únicos, páginas acessadas e tempo médio no site, todos sempre agregados. Esse sistema emprega um cookie — é o único “obrigatório” do site, mas se você quiser bloqueá-lo, tudo bem.
  • Quando você comenta, seu e-mail fica registrado em nosso banco de dados. Opcionalmente, você pode marcar uma caixa de seleção no formulário do comentário para gerar um cookie que lembrará seus dados (nome e e-mail) em sessões futuras, dispensando-o(a) de ter que digitá-los a cada novo comentário.
  • Não se exige cadastro prévio para comentários. Não faço questão de que os leitores se identifiquem — comentários anônimos ou sob pseudônimos são bem-vindos. Em contrapartida, reservo-me o direito de apagar, de pronto, qualquer comentário considerado ofensivo ou com sinais de spam ou que, de qualquer outra forma, contribua para desestabilizar o ambiente. Sempre que possível e conveniente, aviso o autor da exclusão e do que a motivou (pelo e-mail fornecido junto ao comentário).
  • Quando você clica em um link das lojas virtuais parceiras do Manual do Usuário (Amazon, Americanas, Magalu e Submarino), a loja em questão sabe que o link foi originado daqui e pode associá-lo ao seu pedido ou perfil lá, além de gerar cookies relacionados ao seu acesso. Quando um leitor compra qualquer coisa por esses links, o Manual recebe uma comissão da loja (que não altera o preço do produto ao leitor), daí a necessidade da identificação — para que a loja saiba que o consumidor chegou até ela a partir de um link daqui e atribua a comissão a nós.

↑ Voltar ao menu

6. Compromisso ético

Algumas diretrizes gerais de transparência e ética que norteiam a operação do Manual do Usuário:

  • Erramos. Tomamos, eu e quem colabora com o site, todo o cuidado do mundo para que erros não aconteçam, mas eles eventualmente acontecem. Nesses casos, corrigimos o erro o mais rápido possível e divulgamos a correção com a mesma intensidade (ou até mais) que o conteúdo original/errado.
  • O Manual do Usuário não aceita doação de produtos de alto valor por empresas em hipótese alguma, nem pagamentos para falar de qualquer produto ou serviço fora do escopo da publicidade — e esses posts são sempre devidamente sinalizados como tais.
  • Posts patrocinados, quando recebemos dinheiro para falar de um produto ou serviço, não são assinados. Reforço: o Manual do Usuário jamais endossa ou recomenda qualquer produto ou serviço de empresas anunciantes no contexto do patrocínio/publicidade. Todas as recomendações que você lê no site em outros contextos são espontâneas e sem qualquer contrapartida.
  • Produtos de pequeno valor (até ~30% do salário mínimo vigente) podem ser aceitos, embora não faça questão de recebê-los.
  • Empréstimos de produtos para review podem ser aceitos, com a condição de que a empresa os receba de volta ao término dos testes.
  • Nenhum material editorial é compartilhado antecipadamente com empresas ou fontes. A exceção são os posts publicitários, aqueles sem assinatura e sinalizados como tais, que costumam ser aprovados pelo anunciante antes de irem ao ar.
  • Podemos, eventualmente, aceitar viagens pagas por empresas para cobrir eventos ou noticiar algo importante — e somente para isso. Todos os materiais publicados relacionados à viagem trazem um aviso de transparência indicando o pagamento das despesas pela empresa. De qualquer forma, é um esquema a ser evitado.

Estes são os princípios éticos gerais do Manual do Usuário. A seguir, pedi aos colaboradores do site (incluindo a mim) para que abrissem detalhes seus, como opções de consumo, investimentos e visão de mundo, que possam representar conflitos de interesse e/ou afetar o trabalho que fazemos no site. Obviamente, cada um abriu apenas o que se sentiu confortável em tornar público; caso alguém não quisesse abrir nada, essa opção seria respeitada.


Eu (Rodrigo Ghedin)

Homem de cabelo ondulado, curto; óculos; e barba por fazer, vestindo camiseta rosa.No dia a dia, uso produtos da Apple — notebook, celular, tablet e serviço de armazenamento/sincronia na nuvem. Preferiria trocá-los por soluções de código aberto, mas me falta de conhecimento e a comodidade do ecossistema Apple ainda me “prende” a ela. Minha operadora de telefonia móvel e banda larga residencial é a Vivo. Tenho contas bancárias ativas no Bradesco e Nubank.

Desde 2017, invisto. Tenho ações de empresas brasileiras, ETFs e participações em fundos. É uma carteira variada. Abro, aqui, parte dos papéis que possuo, aqueles que têm ou podem ter relação com a área de cobertura do Manual do Usuário: ações da B3 (B3SA3), Bradesco (BBDC3), Itaú Unibanco (ITUB3), Lojas Renner (LREN3), Magazine Luiza (MGLU3) e Neogrid (NGRD3); ETFs iShares S&P 500 Fundo de Investimento em Cotas de Fundo de Índice (IVVB11) e Trend ETF MSCI China (XINA11); e cotas do fundo Hashdex Criptoativos Discovery FIC FIM.


Guilherme Felitti

Foto do Guilherme Felitti.No dia a dia, os produtos tecnológicos que uso são da Apple, Acer, LG, Sony, Multilaser e Gradiente. Não invisto em ações. A Novelo Data, meu estúdio de data analytics, mostra a lista atualizada de clientes no site.


Jacqueline Lafloufa

Mulher de cabelos loiros, ondulados, vestindo camiseta azul e sorrindo.

  • Livros e produções audiovisuais: Costumo receber livros (físicos ou em formatos digitais) de editoras que conhecem o meu trabalho e publicam temas relacionados às minhas editorias. Eventualmente também recebo acesso antecipado a filmes, séries ou exibições audiovisuais diversas. Em todos os casos que houver recebimento de exemplares-cortesia ou acesso antecipado, os leitores e ouvintes serão informados.
  • Atuação profissional multidisciplinar: Além de jornalista e podcaster, atuo também como ghostwriter, pesquisadora no Labjor/UNICAMP e como produtora de conteúdo para marcas. Eu me reservo o direito de recusar redigir reportagens ou matérias que tenham conflito de interesse com meus clientes correntes. Nas participações do podcast Guia Prático, na eventualidade de um assunto em especial ter relação com os clientes os quais atendo, um toque sonoro e uma breve mensagem vão deixar essa relação clara para os ouvintes. Todos os trabalhos de ghostwriter acontecem sob contratos com cláusulas de confidencialidade (NDA).
  • Early adopter não é endosso: Tenho por hábito me cadastrar em serviços dos mais diversos assim que posso, com o intuito de testar funcionalidades, o que é conhecido por alguns pela expressão early adopter. A presença do meu perfil em quaisquer serviços ou redes digitais não significa meu endosso ou concordância com quaisquer das suas práticas.
  • Vida financeira convencional: Não faço parte de boards ou conselhos e também não sou acionista. Não tenho nenhuma aplicação financeira no mercado de ações.

↑ Voltar ao menu

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário