Pessoas estão tirando as cores da tela do smartphone para usá-lo menos

Foto de um iPhone 8 em preto e branco.

Tristan Harris trabalhou no Google como uma espécie de especialista em ética do design e, desde que saiu de lá, ganhou notoriedade com a falas, artigos e sua iniciativa Time Well Spent, que tenta dissuadir empresas de tecnologia de fazerem seus produtos viciantes. A última dica de Harris (ele já deu várias) é inusitada, mas parece funcionar: usar o smartphone com a tela em preto e branco.

A ideia faz sentido. Nelli Bowles, do New York Times, testou-a e foi atrás de especialistas para comentarem a tática. Encontrou respaldo. A CEO de uma agência de marketing, ela própria adepta do celular p&b, disse que o uso de cores vibrantes para chamar a atenção é trivial na indústria: “você não compra caixas de cereais em preto e branco, você compra as que têm cores estimulantes”.

Thomas Z. Ramsoy, CEO da Neurons, deu um relato mais impactante. Sua empresa literalmente analisa cérebros e o movimento dos olhos para entender como reagimos a apps e outras tecnologias. O maior cliente da Neurons é o Facebook.

“Cores e formas, essas coisas quebram o gelo quando se tenta capturar a atenção das pessoas. E atenção é a nova moeda”, diz Ramsoy. Sobre remover as cores do celular, ele diz que “é uma ideia muito boa” e complementa: “Você precisa tirar os sons também”.

A Neurons não é a única empresa especializada nessa área. Existem outras, algumas mais explícitas na missão de viciar pessoas em telas. A Dopamine Labs, por exemplo, promete tornar qualquer app tão viciante quanto o Facebook com apenas uma linha de código.

Ilustração com uma mãozinha depositando uma moeda em uma caixa com o logo do Manual do Usuário em uma das faces, segurada por dois pares de mãos. Ao redor, moedas com um cifrão no meio flutuando. Fundo alaranjado.

Apoie o Manual do Usuário.
Você ajuda a manter o projeto no ar e ainda recebe recompensas exclusivas. Saiba mais »

Os Facebook, Snapchat e Google da vida também fazem isso rotineiramente através dos chamados testes A/B, quando dividem a base de usuário e fornecem o mesmo recurso a cada metade com textos, cores, formas e layouts diferentes. O que tiver melhor desempenho — leia-se mais cliques, mais engajamento — vence e é expandido para todos os usuários.

Por isso, soa um tanto ingênuo o discurso de que “basta querer” ou “ter autocontrole” para diminuir o uso de certos apps ou do smartphone. Afinal, são (literalmente) as maiores empresas do mundo, gastando valores que superam o PIB de um bom número de países em análises e estratégias de captura da atenção. Do outro lado está você. Sim, você, uma pessoa só que, supõe-se, deva resistir a tudo isso.

Golias pareceria pequeno a Davi diante dessa disparidade.

A iniciativa de Harris é ambiciosa e dificilmente terá implicações práticas nas empresas que lucram a partir da nossa atenção. Mark Zuckerberg, inclusive, já se apropriou do nome da iniciativa de Harris (“time well spent”, ou tempo bem gasto) para explicar as mudanças por que passa o Facebook. E, embora elas sejam promissoras, não serão profundas o suficiente para resolver esse problema porque a resolução dele esbarra em um paradoxo para o modelo de negócios e o objetivo do Facebook. Noam Cohen coloca essa questão muito bem neste artigo.

Por mais simples que sejam, dicas como a do celular em preto e branco, a extirpação do feed do Facebook (ou a desinstalação do app) e outras medidas que desestimulem o uso intensivo, quase inconsciente de redes sociais e gadgets são bem-vindas. Podem não resolver o problema, mas o amenizam. Considerando a diferença de estatura entre o usuário e as empresas, elas são quase equivalentes à famosa pedrada que Davi acertou em Golias.

Como deixar a tela do smartphones em preto e branco

No Android e no iOS, a opção para deixar a tela preto e branco é uma de acessibilidade. Chegar até ela não é muito óbvio, mas é possível.

No Android, o local varia de acordo com a marca do smartphone. Em modelos da Samsung, por exemplo, deve-se entrar em Configurações, depois em Acessibilidade, Visão e, lá, ativar a opção Escala de cinza (ou algum termo parecido).

No iOS, entre em Ajustes, Geral, Acessibilidade, Adaptações de Tela e, por fim, Filtros de Cor. Ali, ative a função e selecione Tons de Cinza.

Uma opção legal no iOS é ativar um atalho no botão de início para ativar ou desativar o filtro de cor. Nas opções de acessibilidade, role a tela até o final e entre em Atalho de Acessibilidade e marque Filtro de Cor. Agora, basta apertar o botão de início três vezes para ativar ou desativar o filtro.

Foto do topo: Jonathan Campos/Gazeta do Povo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

22 comentários

  1. Meu celular ficou preto e Branco…. como fazer para voltar a ficar colorido,?

    1. SIM, velho o meu é um a10 e eu coloquei em cinza ñ sei pra q, e eu ñ sei colocar colorido de volta

  2. Pra deixar preto e branco sem app à partir do Android 5 (eu acho) ative as configurações do administrador, depois vai em configurações> Programador> Simular espaço de cores > monocromacia
    No meu funcioniu perfeitamente.

  3. Pra deixar preto e branco sem app à partir do Android 5 (eu acho) ative as configurações do administrador, depois entre nas configurações do administrador depois vai em configurações> Programador> Simular espaço de cores > monocromacia
    No meu funcioniu perfeitamente.

  4. Agora vai ter gente colocando em Preto e branco para economizar bateria! rs

    Ademais, há 20 anos todos sonhavam chegar nesse patamar de tecnologia. Assistíamos os Jetsons e pensávamos se aquilo tudo seria viável um dia.

    E, chegado o momento, agora buscamos recursos e lutamos para que essa tecnologia não nos domine.

    É irreversível. Não há volta.
    O que hoje enxergamos como excesso, será visto daqui a 50 anos como o “mundo real”.

    Nós ainda vivemos duas gerações mescladas: A que nasceu sem internet e a que já nasceu com internet,

    A partir do momento que houver somente dessas gerações, a percepção sobre isso será totalmente diferente.

    1. Tecnologia é totalmente diferente do que o Facebook se propõe. Quando uma empresa privada afirma que tem responsabilidades na educação política da população mundial, há algo de muito errado.

      1. Observação certeira. Pena que o processo de idiotização global esteja em avançado processo de consolidação.

        Ahh, só lembrando que uma empresa, um negócio nascido de um roubo. (De um ladrão. M. Zukerberg, vide o filme “Redes Sociais” + sentenças e acordos homologados com os gêmeos, verdadeiros criadores do Facebook + o brasileiro Favarim.)

        Que um negócio operado por um ladrão, só podia dar nisso.

  5. No Galaxy J7 prime não tem a opção pra deixar a tela P&B pelo menu de acessibilidade, mas eu consegui acessando as opções de desenvolvedor > simular espaço colorido > monocromatismo

    Não sei se é só esse modelo é assim, mas já fica a dica.

  6. Não vejo a hora de ter os aplicativos já instalados no cérebro, sem precisar de celular.

  7. Meu uso de telefone é tão mínimo que a bateria dele dura mais de 24h sempre (deve ser porque eu fico em casa o dia todo) e isso não me afeta (nem coisas como deletar Facebook, Twitter, Instagram etc) mas, quando li isso me dei conta que meu telefone, desde que eu mudei pro Android, é basicamente “cinza”.

    O Edge ali é pra mandar as coisas pro PC quando eu estou fora de casa, não fiquei louco ainda de usar o Edge como navegador.

    https://uploads.disquscdn.com/images/3057724049096571498a3dbb97f31774757c43a77442000b7f694216e5f3e034.jpg

      1. Vale a pena pra mandar links pro PC sem maiores complicações. Ele tem um “continuar no PC” que é imbatível no Android.

        Pro resto ele é OK, mesma coisa (pra mim) que usar o Chrome, por exemplo.

        1. Vou testar o Edge. Me parece ser bem interessante! A propósito, qual smartphone voce usa para durar mais de 24 horas?

          1. É um Alcatel A3XL.

            Não tem nenhuma relação com o telefone, eu usava antes um iPhone 5C e el durava bastante tempo também, a questão é que eu trabalho em casa e meu telefone passa 99% do dia no suporte dele do lado do meu monitor. Uso ele mais pra saber as horas e pra receber notificações do Skype/Whatsapp (e responder no PC) do que pra qualquer outra coisa.

  8. Não sei se quero ser tão radical na minha defesa ante o mundo. Tirar as cores da tela me soa algo que o Stallman faria, sei lá.

    Em paralelo, essa semana eu e minha mulher desinstalamos o app do Facebook dos nossos smartphones e nos propusemos a não acessar nem pelo navegador. São poucos dias já, mas eu sinto que nossa vida melhorou.

      1. Cara, conversamos mais à noite do que antes. Nos primeiros dias sem o Facebook isso ficou bem evidente.

    1. Fiz isso tem algum tempo. Ainda preciso da conta do FB por que a página da empresa é pendurada na minha pessoal mas desabilitei todas e quaisquer interações do feed de notícias. Consequência: quando abro o FB, o mural vem efetivamente vazio.
      Prezo pela minha privacidade e acho que o excesso de compartilhamento de dados via redes sociais algo que será efetivamente um problema em muito breve.

  9. “Você precisa tirar os sons também”.

    Eu tiro tudo e qualquer som e vibração do celular, deixava só os leds de notificação (dependendo do aplicativo, claro), mas o meu novo celular não tem, isso é ruim, mas acaba me deixando mais longe dele, rs.

    E eu queria deixar essa configuração de cinza sempre ligado, mas as vezes assisto vídeo no youtube e prefiro colorido, então seria bom se desse pra por um atalho na tela inicial ou na barra de notificações para alterar isso com facilidade.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!