Apps

Pretext, um “Bloco de notas” para iOS integrado ao iCloud

Print do Pretext no iPhone com o início deste post escrito em Markdown e, ao lado, ícone padrão do app.
Um app legal, uma alternativa aos das Big Tech e as últimas novidades dos apps que (quase) todos usamos. Assine gratuitamente a newsletter para não perder as próximas edições.

Já foi dica aqui no Manual: ter um app de notas rápido e sem firulas faz muita diferença no dia a dia. Quem usa iPhone tem no Notas, da própria Apple, uma boa opção. É a que eu uso, mas um detalhe dele, o fato de as notas não serem arquivos acessíveis diretamente no Finder, sempre me incomodou.

Pois bem, acho que encontrei um substituto. Ele se chama Pretext [iOS]. É simples de tudo, praticamente um Bloco de notas (ou Editor de texto, para o pessoal do macOS) com suporte nativo a Markdown. Isso, por si só, já seria bem legal porque o iOS não tem um editor de textos tão direto quanto o Editor de texto do macOS, mas melhora.

O Pretext é integrado ao iCloud ou qualquer outro sistema de armazenamento na nuvem que funcione no app Arquivos, do iOS. Isso significa que eu posso criar e editar arquivos .txt no computador ou no celular e sincronizá-los pelo iCloud. É, portanto, um Bloco de notas com suporte nativo a Markdown e ligado à nuvem.

Considerando que o Editor de texto é o meu editor favorito no macOS, ter uma contraparte igualmente simples e sincronizada no iOS é tudo de bom. Perco a formatação rica do Notas, mas ganho a flexibilidade e a segurança dos arquivos soltos no Finder.

O Pretext é gratuito e oferece uma compra dentro do app, de R$ 3,90, que libera o modo escuro e alguns ícones alternativos para o app.

Você pode substituir o Gmail pelo Fastmail

Ícone do Gmail borrado à esquerda; ícone do Fastmail destacado à direita.

Sempre que se fala em depender menos do Google, o Gmail é apontado como um dos serviços/aplicativos mais difíceis de se livrar. Não é bem verdade. Basta criar um redirecionamento automático das mensagens que chegam lá para o novo endereço e a transição fica bem suave.

Quando fiz essa passagem, escolhi o serviço australiano Fastmail como a nova morada da minha caixa de entrada.

O Fastmail funciona muito bem, tem uma interface web muito boa, conversa com apps de e-mail pelos protocolos padrões da indústria (IMAP, SMTP) e recursos críticos, como o filtro antispam e a pesquisa interna, são bastante satisfatórios. Além do e-mail, a assinatura garante um espaço na web para hospedar sites simples, calendário/agenda de compromissos e agenda de contatos sincronizada na nuvem. É, para todos os efeitos, uma alternativa completa ao Gmail e demais serviços relacionados que o Google oferece.

Falei de “assinatura” porque o Fastmail é pago. Dá para experimentá-lo por 30 dias sem custo algum, mas não existe plano gratuito. A opção, embora restrinja a oferta, faz com que a empresa responsável pelo serviço seja financeiramente sustentável e não precise recorrer a modelos de negócio criticáveis das rivais gratuitas, como a coleta de dados e exibição de anúncios segmentados do Google/Gmail. Ah, e no plano de intermediário (US$ 5/mês, 30 GB de espaço), é permitido configurar um domínio próprio, sempre uma boa para evitar que seu endereço morra abraçado ao provedor de e-mail caso algum dia ele seja encerrado.

O Fastmail não é criptografado de ponta a ponta, como o Protonmail, mas sua política de privacidade é legível e demonstra compromisso com a privacidade dos usuários.

Cadastrando-se por este link, você ganha 10% de desconto em qualquer plano por um ano.

Cadastros criados a partir do link acima que virarem assinantes pagos do Fastmail se convertem em um pequeno desconto na minha assinatura, que varia de US$ 0,30 a US$ 0,90 ao mês, dependendo do plano escolhido pelo indicado. Entenda (em inglês).

Notícias e atualizações de apps

O Google Maps faz 15 anos nesta quinta-feira (6). Para celebrar, o Google anunciou um banho de loja completo: novos ícone e visual, além de alguns recursos que estreiam na plataforma. [Gizmodo Brasil]

***

Uma falha no Google Fotos, ocorrida em novembro de 2019, fez com que vídeos privados de uma conta fossem baixados por outros usuários que recorreram à ferramenta Takeout, que o Google oferece para backup. De acordo com o Google, a falha afetou 0,01% dos usuários que usaram o Takeout naquele período. [Folha]

***

As respostas a tweets no aplicativo oficial do Twitter tiveram seu visual levemente alterado. Agora, elas ficam um pouco deslocadas à direita e há linhas laterais indicando a ligação com o tweet original. [Twitter, em inglês]

Assine a newsletter gratuita:

Siga nas redes sociais:

Mastodon / RSS / Telegram / Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 comentários

  1. o preço do fast mail me afastou um pouco, eu pago quase 7 reais no tutanota, mas vi o pessoal comentando sobre e to pensando em mudar

    a agenda dele sincroniza os contatos do celular? e permite no app telefone salvar diretamente nele? pq pelo que saiba só dá no google

    1. Sim, a agenda de contatos funciona igual à do Google. Mesmo o Fastmail tendo interfaces web muito boas (acho melhores que as do Google/Gmail), uso ele 100% via aplicativos do sistema (no caso, os padrões da Apple para iOS e macOS).

      1. última pergunta, pois não manjo muito de inglês e não vi nada no site

        no plano mais básico, ele permite o uso de alias?

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!