Dicas

4 dicas para ter mais privacidade no WhatsApp

Mulher em uma calçada com parte do corpo escondida mexendo em um celular.

De um simples app de mensagens via internet que substitui o SMS, o WhatsApp transformou-se, em lugares como o Brasil, na principal ferramenta de comunicação de muita gente. A popularidade trouxe de carona excessos e abusos, situações que, segundo esta reportagem da Folha, podem gerar ansiedade nos mais jovens e pressão em funcionários abordados por seus chefes fora do horário de trabalho.

Não existe fórmula mágica, mas algumas medidas podem amenizar os estragos do WhatsApp para quem o aplicativo se tornou uma fonte de problemas. Abaixo, algumas dicas para reforçar a privacidade no app e recuperar o controle no seu uso.

1. Remova o “visto por último…”

Por padrão, o WhatsApp informa a seus contatos a última vez que você esteve online, ou seja, com o aplicativo aberto. O indicador aparece na janela de conversa, abaixo do seu nome, com data e horário da última aparição.

Esse indicador municia contatos que cobram respostas imediatas. Afinal, não dá para alguém dizer que não viu a mensagem recebida há duas horas se, há menos tempo, ela esteve online. (Se não deu para ver ou se a pessoa não queria, não é o mérito.)

Felizmente é possível remover o indicador de visto por último. No WhatsApp, entre em Ajustes, depois em Conta e, por fim, em Privacidade. No campo Visto por último, marque a opção Ninguém.

Ao selecionar a opção Ninguém, a mesma lógica passa a valer no sentido contrário, ou seja, você não conseguirá mais ver quando seus contatos estiveram online pela última vez.

2. Atenção ao “Online”

A dica acima tem uma limitação: ela não faz diferença em relação ao estado “online”, ou seja, quando você ou algum contato seu está com o WhatsApp aberto naquele momento. Infelizmente não há como remover esse indicador.

Note, porém, que outros apps similares ao WhatsApp, como o Signal, não têm esse indicador. Bônus: como são menos populares, provavelmente não têm também seu chefe. O Signal está disponível para Android e iOS.

3. Filtre os destinatários dos Status

Se você usa o Status, o equivalente aos Stories do WhatsApp, na mesma tela da dica anterior é possível filtrar quem pode vê-los. É uma boa, por exemplo, marcar “Meus contatos, exceto…” e filtrar seu chefe e/ou colegas de trabalho.

4. Adeus, tique duplo azul

Em 2014, o WhatsApp ganhou os recibos de leitura. O tique duplo azul nas mensagens, que indica o recebimento dela pelo destinatário, passou a ficar azul quando a mensagem era lida. Nesse contexto, “lida” significa que o destinatário abriu a janela com a mensagem; note, porém, que ele pode lê-la na cortina de notificações do sistema, ato que não é acusado pelo tique duplo azul dentro do WhatsApp.

É um recurso útil em certos cenários, mas que aumenta a pressão por respostas. Por sorte, é possível desativá-lo. Na mesma tela das dicas acima, mais abaixo, desmarque a opção Confirmações de leitura.

A exemplo do “visto por último…”, ao desativar o tique azul para seus contatos, você também perde o recurso, ou seja, não consegue mais saber quando seus contatos leram as suas mensagens.

Atenção: essa opção não vale para áudios e mensagens enviadas a grupos. Nesses casos, o WhatsApp sempre denunciará quando um áudio for ouvido (inclusive em conversas individuais) e uma mensagem em grupo for lida.

Dica extra de segurança: Ative a autenticação em duas etapas

Roubos de identidade pelo WhatsApp se tornam virtualmente impossíveis quando a autenticação em duas etapas está ativada. Na prática, isso significa configurar uma “senha de ativação” no aplicativo que passa a ser pedida sempre que ele for reinstalado. Dessa forma, caso um terceiro tenha acesso à sua linha do celular, a falta da senha o impossibilitará de ativar o WhatsApp e se passar por você no aplicativo.

O recurso é poderoso, mas de nada adianta se não estiver configurado — vide o caso do jornalista Marcos Nogueira. Portanto, se você ainda não ativou a autenticação em duas etapas do WhatsApp, faça isso agora.

É fácil. Entre em Ajustes, depois em Conta e, em seguida, Confirmação em duas etapas. Leia as instruções e defina uma senha (que ali é chamada de PIN) de seis dígitos. Pronto! Opcionalmente, você pode informar um e-mail para recuperar a senha caso a esqueça.

Vez ou outra, aleatoriamente, o WhatsApp pedirá essa senha/PIN do nada, apenas para certificar-se de que você lembra dela. Quando trocar de celular ou caso tenha que reinstalar o WhatsApp no mesmo aparelho, a senha/PIN será pedida junto do código que é enviado por SMS.

Aliás, lembre-se: jamais passe qualquer código recebido por SMS ou a sua senha/PIN a terceiros. Ninguém além de você precisa conhecê-los.

Foto do topo: marcino/Pixabay.

Assine a newsletter gratuita:

Siga nas redes sociais:

Mastodon / RSS / Telegram / Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 comentários

  1. E tem gente que sente falta desse status de visualização de mensagens Telegram… pra mim esse recurso do wpp é um engodo, pois na verdade ele apenas informa que a pessoa abriu o chat, e existe uma diferença entre abrir uma conversa e ler toda a conversa

  2. No Android, o status on-line ainda aparece se o wpp estiver aberto em segundo plano, enquanto o celular estiver desbloqueado. Isso se aplica ao iOS também?

  3. Fiz a dica 1 e a dica 4. Estou pensando na verificação de 2 etapas (sempre esqueço os códigos de acesso). Muito bom, obrigado pela notícia!

    1. Uma coisa legal que o WhatsApp faz é pedir, de tempos em tempos, a sua senha. Eles fazem isso, acredito, para que você exercite a memória e não se esqueça da senha. (O Authy, um app de autenticação em dois fatores que uso, também usa o mesmo expediente.)

      De qualquer forma, no WhatsApp, opcionalmente, você pode informar um e-mail de recuperação, para o caso de esquecer a senha.

  4. Para “desativar” quando está on-line, costumo deixar em primeiro plano, na barra de ferramentas do Android, o controle do wi-fi e dos dados. Desativando rapidamente os dois, posso abrir o app, ver e responder mensagens, sem quem ninguém me veja on-line, Depois é só sair e reativar os dados/wi-fi. É uma gambiarra, mas tem app de origem duvidosa que promete automatizar esse processo fazendo o mesmo. Prefiro a gambiarra.

    1. Eu também costumo fazer isso, funciona bem!

      Agora seria interessante ter uma opção para desativar o (online), assim como existe a opção para o Facebook.

  5. Essa “brincadeira” da confirmação em duas etapas tá pegando muita gente. No Telegram também é possível ativar, aliás.

    1. Mas para ter acesso a esse backup, é necessário ter acesso à conta do WhatsApp, correto? Se a autenticação em duas etapas estiver ativada, o usuário pode ficar tranquilo…

      1. Na real, para acessar o backup na nuvem é preciso ter acesso à conta Google (Android) ou iCloud (iPhone). O Android ainda oferece uma opção para criptografar o backup na nuvem; no caso do iPhone, não tem jeito, somente o backup local é criptografado.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!