Todo mundo precisa de um app de anotações rápido e que sincronize com a nuvem

Print do Simplenote em um celular e em um tablet.

Fato: um bom aplicativo de anotações no celular é imprescindível. Seja para escrever notinhas temporárias ou lembretes, registrar ideias, desenvolver textos completos ou se organizar, ter um app rápido e sem firulas, que receba texto puro e que facilite a sua recuperação está entre aquelas pequenas maravilhas que nem sempre reconhecemos ou valorizamos.

Mesmo que a utilidade desses apps seja inegável, desconfio que muita gente viva sem um do tipo. Em uma nada científica enquete publicada no Twitter, menos da metade (49%) dos 219 votantes disseram ter e usar bastante um app do tipo. Quase 1/5 dos que responderam disseram não usar um app de anotações. Como vocês vivem!?


Receba a newsletter (grátis!):


Desconfio também que os apps pré-instalados nos aparelhos afetam diretamente esse uso/não uso. Os sistemas da Apple sempre tiveram o Notas, mas foi apenas no iOS 9 (2015) que o app ganhou funcionalidades à altura dos melhores do gênero. No Android, embora o Google tenha o Keep desde 2013, que faz as vezes de bloco de anotações, ele não vem pré-instalado em muitos celulares. O da Samsung, elogiado pelo suporte à stylus, fica confinado ao celular — até tem um app para Windows, mas pelos comentários na loja do Windows parece ser um desastre.

Apresento, abaixo, algumas opções de apps de anotações multiplataforma e com todas as boas características que um precisa ter.

Qual app de anotações escolher?

Hoje uso o Notas, da Apple. Antes de migrar para o ecossistema da empresa, minha escolha era o Simplenote, um aplicativo simples de tudo e, justamente por isso, sensacional. Ele tem uma API aberta, o que viabiliza o surgimento de aplicativos nativos em múltiplas plataformas — cheguei a criar, em parceira com um programador Alison Robson, um app do tipo para Windows, o Notation.

Em 2013, o Simplenote foi comprado pela Automattic, a empresa por trás do WordPress. Desde então, ganhou apps nativos nas principais plataformas do mercado: Android, iOS, Linux, macOS e Windows 10, além de ser acessível pela web. É gratuito, criptografado (embora não de ponta a ponta) e preza pela simplicidade. Para muita gente, resolve e é uma indicação fácil.

O fato de não ser criptografado de ponta a ponta pode inibir alguns usos para dados mais sensíveis. Na seção de perguntas e respostas do Simplenote, a Automattic diz que devido à busca na versão web, o conteúdo das notas não pode ser criptografado dessa maneira. “Por este motivo, não recomendamos usar o Simplenote para armazenar qualquer coisa particularmente sensível”, diz a empresa. Esse tipo de admissão passa uma confiança enorme — antes abrir o jogo e dizer-se incapaz de oferecer algo do que viver em negação e tentando enganar os usuários, como fazem certas empresas por aí.

Como é sempre bom ter escolhas, recentemente deparei-me com um novato na área, o Standard Notes. Se lhe falta o histórico do Simplenote, o Standard Notes ganha pontos pela franqueza e modelo de negócio.

Print do Standard Notes com rascunho de texto aberto.
Standard Notes para macOS.

O visual e diversas características dele fazem lembrar o Simplenote. A diferença que mais se destaca é que o Standard Notes oferece um plano pago. Custam pouco, mas é pago, porque é independente e pretende se manter assim por pelo menos cinco anos, que é a duração do plano mais longo que eles oferecem, a ser pago de uma tacada só — sai US$ 2,48 por mês.

Os desenvolvedores dizem que o valor desses cinco anos com desconto é encarado por eles como um “levantamento de fundos” de curto prazo para bancar o projeto, que não tem anúncios nem conta com investimento de risco. “Isso garante que as nossas prioridades estejam sempre alinhadas com as suas”, justiticam. (Também há planos anuais e mensais, mas os valores dobram quanto menor é o prazo da assinatura.)

Se estiver na dúvida, a versão gratuita do Standard Notes conta com recursos básicos e necessários: criptografia de ponta a ponta, sincronia automática entre dispositivos sem limite de dados nem do total de dispositivos conectados, acesso web e acesso offline.

O que o usuário pagante ganha é o acesso a 29 “extensões”, que são melhorias oferecidas em cima do Standard Notes. Coisas como editores especializados (Markdown, para programação, LaTeX etc.), temas coloridos para a interface, “desfazer” infinito, autenticação em dois fatores (2FA) e suporte a domínio personalizado e um certificado SSL para publicar um blog na plataforma de blogs do app, a Listed.

Em qualquer plano, o app é o mesmo e muito bem feito. O do iOS, onde o testei, mostrou-se rápido e confiável, salvando praticamente em tempo real cada caracter digitado. A sincronia funciona bem… e, veja, é como todo app do tipo deve ser: discreto, ágil e confiável.

(No macOS achei o consumo de recursos um pouco além da conta, desconfio que por culpa do sistema de sincronia. Nada que inviabilize o uso, mas que afeta a sensação de fluidez que a versão do iOS esbanja e que costuma ser um dos principais atrativos em apps do tipo.)

Os apps das donas de iOS e Android, Notas e Google Keep, respectivamente, também são boas escolhas. Elas contam com muitos recursos básicos e alguns interessantes, como o compartilhamento de itens com terceiros, formatação avançada e, no caso do Notas, desenho livre e digitalização de documentos.

Há espaço para o Bloco de Notas?

Print do Editor de Texto, equivalente ao Bloco de Notas do macOS.
Editor de Texto: simples e funcional.

Embora use o Apple Notas, no computador acabo passando mais tempo com o Editor de Texto — o equivalente ao Bloco de Notas do macOS — aberto. É nele que escrevo rascunhos de posts, as newsletters, roteiros dos podcasts e entrevistas. A velocidade é um fato de peso e a interface limpa, literalmente uma caixa de texto sem qualquer adorno ou distração, outro que me é relevante. Formato tudo usando Markdown e, na hora de publicar, uso o Pandoc via linha de comando para convertê-lo em HTML.

Esses editores simples de tudo têm outra vantagem: o acesso direto aos arquivos de texto, os .txt. Isso conta muitos pontos no fator longevidade. Não importa quantas versões do Office a Microsoft lance, o aplicativo de anotações do momento ou qual sistema operacional estiver usando, arquivos do tipo são praticamente universais e eternos. Abrem no Windows 3.11 e no Windows 10, no macOS, no Android, no iOS, no Ubuntu e até nas distros Linux mais obscuras.

Para textos que não serão impressos, as razões para privilegiar os .txt são ainda maiores. Caso a formatação seja necessária, basta usar Markdown e, com a ajuda de exportadores como o já citado Pandoc, gerar versões no formato desejado: HTML, PDF, até o Docx do Word.

A gente não sabe o que acontecerá amanhã, se mudaremos de plataforma, se as plataformas mudarão. E por mais que haja resistência à abstração da ideia de “arquivos” clássica com ícones em hierarquias de pastas, ela resiste e segue como uma das lógicas digitais mais democráticas. Ter acesso direto aos seus arquivos é um direito valioso. E como a sincronia com a nuvem está hoje enraizada nos sistemas operacionais, os .txt acabam tendo essa vantagem também, afinal basta salvá-los em uma pasta que sincronize automaticamente com a nuvem e pronto, backup “configurado”. O único entrave, nesse caso, é o acesso em dispositivos móveis, que embora ainda seja possível, é mais desengonçado do que feito via apps dedicados.

O Manual do Usuário é um blog independente que confia na generosidade dos leitores que podem colaborar para manter-se no ar. Saiba mais →

Acompanhe

  • Telegram
  • Twitter
  • Newsletter
  • Feed RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

45 comentários

  1. Já usei o Notation, Simplenote e mais um monte.
    Hoje uso Notebook (Caderno) da Zoho pois criar cadernos virtuais tipo Moleskine com capas personalizadas é tão bom quanto o Onenote que uso como segundo cérebro, já que o da Zoho não tem app para Windows 10

  2. Uso bastante o Simplenote pra sincronizar notas entre o smartphone e o laptop da firma (um dos poucos apps de notas que não é bloqueado aqui, aliás).

    Cheguei a testar o Evernote, mas achei ele pesado demais, e o design bem datado no PC.

    No momento, o Todoist tá me atendendo super bem, seja pra organizar meu to-do (ist!) ou pra anotar alguma coisa rápida pra ver depois. Planejo até pegar o plano anual quando equilibrar minhas contas.

  3. Na fdroid tem o tarefas, q sincroniza com o disroot usando o davx5. Ou seja, software livre sem passar por fagam!

  4. Comecei a testar o Tarefas do Google. Estou gostando, contudo, pelo que percebi as tarefas só sincronizam com o Google Agenda se abrir o Agenda no computador. Não gostei disso.

  5. Acho que vou passar pra dica de passar o que tenho no Simplenote para .txt sincronizado no Onedrive. Só vou ver como faço pra deixar o uso tão fluido quanto antes.

  6. Me interessei pelo Standard. Sabe o espaço que temos de armazenamento, e se aceita também anexos como fotos?

    1. Em lugar algum, nem na ajuda, eles se referem a limites de espaço, então presumo que seja ilimitado.

      Sobre fotos, não aceitam. No “perguntas e respostas”, tem uma a respeito do Standard Notes como alternativa ao Evernote. Transcrevo (e traduzo) de lá:

      O Standard Notes sai de fábrica com apenas um editor de texto puro, sem suporte a formatação visual, imagens, links, listas, anexos, etc. Embora isso pareça loucura do nosso lado, oferecer um app de notas simples permite que o nosso produto seja rápido, confiável e duradouro. E permite a nós focar em construir um produto sustentável que não sofre com infinitos bugs e inchaços.

  7. Ao me deparar com o post tive certeza que falaria do Notion (notion.so), porém admito que ele não é tão simples de usar a princípio. A compensação é que nele pode ser feito de quase tudo:
    – Planilhas simples/bancos de dados
    – Páginas/wiki
    – Sistemas kanban como o Trello
    – Ele até salva páginas como o Evernote e o Pocket

    Ele faz de tudo de maneira muito boa, então estou migrando informações pessoais pra lá. Acho que quem é familiarizado com programação pode se beneficiar ainda mais.

    1. Cara, sensacional esse Notion. Até baixei no celular pra brincar um pouco.

      Pena que ele é bloqueado aqui no trampo. Shit!

    2. Também esperei ver o Notion por aqui. Ele é maravilhoso. A questão de permitir tantos tipos de dados é bem legal. Facilita a organização e permite centralizar em um só lugar.

  8. Mantenho algumas coisas no Google Keep, mas, aos poucos, estou migrando pro meu próprio servidor com MySQL e um formulário feito em PHP. Quando eu conseguir que a NET me libere um IP externo sem custo adicional (eles não querem, mas, com o IPV6 não tem desculpa, senão a ganância deles) eu migro tudo pro meu servidor em casa.

    Usei SimpleNote quando eu era editor na UFRGS porque ele me permitia imprimir facilmente as reuniões e anotações e repassar pra todo mundo depois (principalmente pro arquivo da revista). O Evernote, que todo mundo fala nos comentários, me parece um canhão pra matar um formiga. Pouca gente tem necessidade de tudo o que ele oferece.

    Só um () o StdNotes é bom mas o plano de 5 anos não é barato. Essa estratégia de mkt de mostrar o preço mensal numa cobrança anual (ou, no caso, em cinco anos) serve exatamente pra gente não perceber que o plano custa 150 dólares (ou, atualmente, R$589), o que, me desculpa, não é nada barato. E eu tenho problema com empresas que oferecem uma opção grátis e com planos pagos porque sempre me parece que eu estou no limite de perder tudo porque o plano grátis vai terminar.

  9. Como assim Ghedin nem sequer mencionou o Evernote ?! :-O
    Google Keep até quebra um galho…Mas a interface é bem ruinzinha (ok, gosto…questionável/subjetivo)
    O Evernote é multiplataforma parrudo, mesmo na versão free dá pra usar em até 2 dispositivos (PC e SmartPhone, exemplo..)..
    Sincroniza na nuvem, rápido demais, os Widgets pra Android são MUITO práticos (tem botão de nota rápida, um click, teclado aberto, texto puro, 1 enter e nota salva e sincronizada..tem botões pra pesquisa rápida em TODOS os seus cadernos e notas {incluindo PDFs} e pra tirar/guardar fotos/imagens em notas.) e dá pra ver tudo em tempo real no(s) outro(s) dispositivos na hora…
    Por um valorzinho módico (80 por ano {6 por mê..rs} ) dá pra er ele sinc em mais dispositivos e sobe o upload mensal, possibilitando subir e enviar videos, e gravações de audio…
    Nem tive caderno físico na faculdade inteira…hahahaha
    E não, não ganho comissão pelo app :-(

  10. Eu ainda uso o bloco de notas (Windows), e salvo pequenas notas no Telegram. Queria mesmo o iA Writer mas não sei se o meu workflow consegue justificar os $20 da versão Windows; ele é gratuito no Android e eu comprei a versão iOS quando ainda tinha um iDevice.

  11. Eu era usuário do Evernote, até que bloquearam quase tudo no meu trabalho então passei a usar o OneNote que ainda consigo sincronizar com meus dispositivos.

    Para anotações rápidas como lista de compras e sincronismo sou fã demais do Telegram.

  12. Sou usuário do Evernote há uns bons anos. Mas me chamou a atenção o Simplenote e o StandarNote ao ponto de eu os baixar aqui para, pelo menos, dar uma provada.

    Tenho um fluxo de trabalho que deposita muita informação dentro do Elefantinho. Desde textos, ideias e pensamentos até notas fiscais e manuais de produtos, fotos de equipamentos, documentos que preciso consultar com alguma frequência. Me questiono semanalmente se não confio demais em um serviço proprietário pois se o Elefante morresse hoje, eu ficaria muito órfão.

    Me chamou a atenção o uso do notepad para escrever as reportagens, roteiros de podcasts e afins. Via muita gente falando sobre os Markdowns mas nunca havia percebido a possibilidade que eles trazem de agilizar a escrita com pequenas formatações durante o processo de capturar a ideia.

    Gostei. Vou repensar algumas das minhas práticas.

  13. Eu uso um o Telegram para anotações, criei um grupo com um amigo depois deletei ele, assim fiquei sozinho e passo usar como Backup, como o Telegram permite arquivos de até 1,5 gigas é muito bom pra mim, além da praticidade do app desk e web. Dá pra fazer no WhatsApp também apesar das limitações dele.

    1. Nem precisava criar grupo, é só mandar mensagens pra si mesmo. Não sei dizer exatamente onde está essa opção no app oficial mas sei que tem. No Telegram X é só abrir o menu e ir em Mensagens Salvas.

  14. Eu uso o Google Keep desde o lançamento para notas rápidas, lembretes, etc. Me atende bem: é rápido e a versão web funciona muito bem, mas o fato de ser do Google me deixa com um pé atrás com relação à privacidade (embora eu anote coisas efêmeras ali, não sei até que ponto o Google usa essas anotações para padronizar — mas como desativei todos os serviços de rastreamento no painel do Google, fico mais tranquilo).

    Recentemente decidi buscar um bloco de notas para fazer anotações mais longas (uma espécie de “diário” pessoal), e encontrei o Standard Notes. Para esse tipo de notas, a criptografia se torna mais relevante. Tenho usado e tem me atendido bem, mas o fato de ser um serviço de uma empresa nova me deixa com o pé atrás quanto à perenidade do serviço e, portanto, das minhas anotações.

  15. Also, quem puder indicar um aplicativo de lembretes bem simples e enxuto multiplataforma, eu agradeço. Atualmente uso o Lembretes nativo do iPhone, mas desde já estou pensando como farei pra substituí-lo nos próximos meses quando migrar para o Android.

    1. Cara, por incrível que pareça a Google não tem um aplicativo de lembretes semelhante. O que chega mais perto disso é o Google Agenda, que aí já integra com qualquer lembrete feito pela Assistente.

      1. O Google tem o Google Tarefas, que tem aplicativo para dispositivos móveis, integra ao Gmail na web e tem extensão para o chrome. Porém, para mim faltam recursos e uma interface mais amigável.

    2. Eu uso o To-Do da Microsoft. Até pouco tempo eu usava o Todoist, que, sem dúvida, é o melhor de todos – porém, pago. Resolvi diminuir esse gasto e ir para o da Microsoft – vez que estou usando o resto do ecossistema da empresa.

      Para notas simples, uso o Notas Autoadesivas do Windows mesmo, que sincroniza com o Outlook na web e com o OneNote no celular. Para cadernos de anotações, o OneNote é imbatível (dá de pau no Evernote, por exemplo) – e a assinatura junto ao Office365 é acessível, especialmente em promoções do varejo.

      (dona Microsoft me fisgou 100%, percebe-se)

  16. Não sei se vcs tem acompanhado os últimos acontecimentos envolvendo evernote e onenote.
    Mas o onenote tem destroçado o evernote.
    É impressionante como o evernote parou no tempo e como o onenote tem ganho recursos fantásticos.

    1. Bom saber. Uso o Evernote pago e me acostumei bastante com ele. Caso um dia morra terei o OneNote para suprir.

  17. Estou buscando uma alternativa há uns tempos. Obrigado!

    Uso o Google Keep como acho que ele foi feito para ser usado: como post-its. Compartilho a lista de compras com minha mulher, coloco alguns lembretes e alguns dados que é bom ter à mão sempre.

    Já para textos/ideias estou usando o Simplenote faz umas semanas. Ele é, assim como o nome indica, bem simples, porém acho simples demais na interface. Uma indicação visual, por cor das tags não faria mal. Além disso, o cliente desktop (pelo menos o de GNU/Linux) é feito em Electron, e acaba sendo pesado, além de já ter crashado algumas vezes, tendo perdido dados.

    Vou testar o Standard Notes. Espero que o cliente desktop seja melhor!

  18. Senti um pouco de falta de mencionar o Evernote (mais por curiosidade do que o Ghedin acha dele), mas entendo que o foco era em apps simples e enxutos.

    1. Acho meio overkill. Mesmo comparado ao Apple Notas, que é mais parecido com o Evernote do que com as alternativas citadas no post, o Evernote parece complicado, com cadernos, etiquetas e outras metáforas complexas. Fora o fato de que eles mudam as regras do modelo de negócio com alguma frequência e que demitiram uma galera não faz muito tempo, acho que é uma opção ok se esse tipo de organização lhe agrada.

  19. Para o meu uso o Evernote é imbatível. Tem custo e depois de algumas mudanças a privacidade passou a ser questionável. Mas, ainda assim, para anotações na faculdade é o melhor. Organizar em cadernos, tags, busca completa nas notas pdfs e imagens.

    1. Exatamente. O mesmo aqui. A questão da diversidade em ter cadernos e etiquetas, além de ter um aplicativo até descente para computador. Leitura automática de PDF e até possibilidade de fazer anotações nos mesmos. Enfim, muitas possibilidades interessantes para estudo. Se um dia ele cair por terra eu vou ficar meio órfão porque guardo quase tudo lá.

  20. Na falta de um app muita gente ainda manda email, ou mais recentemente, mensagem no whatsapp para si mesmo. Não entendo.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!