MEC solicita exclusão do verbete do ministro Abraham Weintraub na Wikipédia

Foto de rosto do ministro Weintraub.

A assessoria de comunicação do Ministério da Educação (MEC) solicitou à Wikipédia a exclusão do verbete do ministro Abraham Weintraub nesta segunda-feira (1).

De acordo com o e-mail, transcrito na íntegra pelo moderador da enciclopédia que o recebeu em uma página em que ele e outros moderadores debatem a melhor maneira de responder a solicitação, o pedido foi feito porque “a página contém informações não confirmadas com a pessoa pública ora em destaque, contribuindo para interpretações dúbias” e devido à “impossibilidade de edição por este órgão governamental”.


Receba a newsletter (grátis!):


Por telefone, uma assessora do MEC confirmou o pedido e a autenticidade do e-mail ao Manual do Usuário. Embora tenha se negado a especificar quais partes do verbete teriam motivado a solicitação, ela citou uma das consideradas problemáticas: a abordagem dada pelo texto ao percentual do contingenciamento das universidades públicas federais, anunciado no final de abril pelo ministro Weintraub, de 30% das despesas discricionárias ou 3,4% do orçamento total. (O episódio motivou uma explicação pra lá de esquisita do próprio ministro usando chocolates em uma “live” do presidente Bolsonaro.) A assessora reforçou que há outros pontos de discórdia no texto da enciclopédia, mas não os apontou, e que a iniciativa de solicitar a exclusão do verbete foi da assessoria do MEC — o ministro Weintraub apenas foi informado da medida.

A Wikipédia é uma enciclopédia online colaborativa e, como tal, jamais cria informação, apenas a reproduz de outras fontes consideradas confiáveis pelos seus moderadores. Qualquer pessoa pode editar os verbetes, mas o de Weintraub encontra-se “protegido” desde o dia 2 de junho por “vandalismo excessivo”. Isso significa que até 17 de julho apenas usuários identificados podem alterá-lo.

Na discussão motivada pelo e-mail do MEC, os moderadores debatem a pertinência de manter controvérsias em verbetes biográficos e cogitam encaminhar a solicitação à Fundação Wikimedia, responsável legal pela Wikipédia e sediada nos Estados Unidos.

Foto do topo: Agência Senado/Flickr.

Acompanhe

Newsletter (toda sexta, grátis):

  • Mastodon
  • Telegram
  • Twitter
  • Feed RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 comentários

  1. Acho uma solicitação legítima, que vai ficar por isso mesmo. O ponto é que não precisava. Mais uma vez, um desgaste desnecessário.

    1. Remover uma pessoa pública da Wikipedia está longe de ser uma.solicitação legítima. Lá compila muitas informações relevantes dispersas, como a formação, data de posse, que.ele integrou o governo de transição etc.
      Basta que a wikipedia marque o trecho específico como controverso e pronto. Muito lamentável esse episódio

  2. O mais divertido dessa história é que a partir de agora vai ficar registrado no próprio verbete sobre Weintraub na Wikipédia que ele solicitou a exclusão de sua própria página.

    Esse povo até hoje não aprendeu com o efeito Streisand.

    Weintraub ainda é um acadêmico jovem, mas sua carreira será marcada a vida inteira por essa tentativa de censura.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!