Bloco de notas 20#28: Mesmo com pandemia, Big Tech continua faturando alto

Uma curadoria semanal de notícias, curiosidades e esquisitices da tecnologia pessoal.


🗞 Notícias

As quatro Big Tech que estiveram no Congresso dos EUA semana passada divulgaram seus balanços trimestrais quinta-feira passada (30). O faturamento delas: Amazon: US$ 88,91 bilhões (+40%); Apple: US$ 59,7 bi (+11%); Facebook: US$ 18,68 bi (+11%); e Alphabet (Google): US$ 38,3 bi (-2%). [Amazon, Apple, Facebook, Alphabet, em inglês]

A Microsoft oficializou a intenção de comprar o TikTok em alguns mercados — EUA, Canadá, Austrália e Nova Zelândia — depois que seu CEO, Satya Nadella, conversou com Trump no fim de semana. Na cúpula do governo dos EUA, o assunto ainda gera divergências. O prazo para uma decisão final é 15 de setembro. [Folha]

O Magazine Luiza comprou o site de tecnologia Canaltech. Além dele, adquiriu também a área de publicidade da In Loco, startup pernambucana de dados de geolocalização que ficou famosa (e ganhou matéria no Manual) por seus mapas de isolamento durante a pandemia. As aquisições inauguram o braço publicitário da Magalu. Não por acaso: lá fora, é a área de atuação da Amazon que mais cresce no momento. [Brazil Journal]

Ilustração com uma mãozinha depositando uma moeda em uma caixa com o logo do Manual do Usuário em uma das faces, segurada por dois pares de mãos. Ao redor, moedas com um cifrão no meio flutuando. Fundo alaranjado.

Apoie o Manual do Usuário.
Você ajuda a manter o projeto no ar e ainda recebe recompensas exclusivas. Saiba mais »

Em conferência com acionistas, a Disney confirmou para novembro deste ano a chegada à América Latina do Disney+, seu serviço de streaming. O site do serviço e a página do app na Play Store já indicam o possível preço da mensalidade no Brasil: R$ 28,99. [Guia Disney+ Brasil]

Um adolescente de 17 anos foi preso na Flórida acusado de aplicar o golpe via perfis invadidos do Twitter, em julho. Ele e outros dois homens foram descobertos ao usarem documentos próprios em corretoras de bitcoins a fim de receberem o dinheiro do golpe. [Estadão]

A Samsung anunciou na quarta (5) uma nova família de produtos liderada pelos Galaxy Note 20 e Note 20 Ultra. Destaques para o Galaxy Z Fold 2, dobrável agora com uma tela externa grande, e os Galaxy Buds Live, fones de ouvido em formato de grãos de feijão. Rolou também um anúncio importante de software: o comprometimento com três grandes atualizações do Android para os celulares topo de linha, contando a partir do Galaxy S10. [Samsung; Android Police, em inglês]

O Twitter será multado nos Estados Unidos em até US$ 250 milhões por ter usado e-mail e telefone de usuários cedidos para fins de segurança na segmentação de anúncios. A prática ocorreu entre 2013 e 2019 e foi revelada em outubro de 2019. [The Verge, em inglês]

A apreensão de celulares contrabandeados nas fronteiras do Paraná com o Paraguai aumentou 40% no 1º semestre — mesmo com a Ponte da Amizade fechada por 4 meses. Foram 36.871 aparelhos apreendidos pela Polícia Federal, num valor estimado de R$ 25 milhões. [RPC]

O “novo normal” da COVID-19 já começa a aparecer em novos produtos. A Apple incluiu uma webcam melhor no novo iMac de 27”. Em vez do antiquíssimo modelo com resolução de 720p, a nova funciona em 1080p e deve proporcionar videochamadas mais agradáveis (ou menos desagradáveis). No Brasil, a atualização veio com aumento de preços; o modelo mais barato do novo iMac de 27” passou a custar R$ 22 mil. [Apple, MacMagazine]

Outro reflexo da pandemia: as vendas globais de tablets cresceram 26% no segundo trimestre em relação ao mesmo período de 2019 — 37,5 milhões de unidades. O crescimento foi maior que o de notebooks. [Canalys, em inglês]


📱 Apps

O Ministério da Saúde atualizou o app do Coronavírus-SUS com a API de rastreamento de contatos da Apple e do Google. Com ele, você pode ser notificado(a) caso cruze com outro usuário do app que tenha sido testado positivo para COVID-19. [Ministério da Saúde]

O Google enfim lançou o Nearby Sharing para Android (6 ou superior), sua versão do AirDrop da Apple. Ele transfere, sem fios, arquivos entre dois dispositivos fisicamente próximos. Também funciona com Chromebooks. Chega primeiro nos Pixel e Samsung. [Google, em inglês]

A partir de agora, mensagens muito encaminhadas no WhatsApp trazem o ícone de uma lupa ao lado. Ao ser tocado, ele levará o usuário a uma pesquisa na web para “encontrar notícias ou outras fontes de informação sobre o conteúdo recebido”. [WhatsApp]

No Twitter, políticos eleitos e órgãos de imprensa oficiais ou com ligações governamentais agora serão indicados por rótulos especiais. Além disso, esses órgãos, que já eram impedidos de anunciarem na plataforma, não serão mais recomendados pelo algoritmo. Outra do Twitter: agora todos os usuários do app para iOS podem escolher quem tem permissão de responderem seus tuítes. [@TwitterComms/Twitter, The Verge, em inglês]

As restrições a anúncios políticos no Facebook e no Instagram chegaram ao Brasil. Usuários poderão escolher não vê-los nos dois apps. Para quem quiser vê-los, os anúncios políticos só poderão ser pagos por residentes no Brasil, exibirão mais dados e serão sinalizados por rótulos “Pago por” e “Propaganda eleitoral”. [Facebook]

Exalando inovação, o Instagram lançou oficialmente o Reels, sua cópia do TikTok. O recurso permite a gravação de vídeos musicais de até 15 segundos e pode ser acessado a partir da aba “Explorar”. Apesar disso, outras notícias da rede social fizeram mais barulho na semana: mais um “bug”, desta vez um que mostrava hashtags negativas de Joe Biden, candidato democrata à Presidência dos EUA, mas não as de Trump; e a inclusão de uma fonte que lembra a famigerada Comic Sans nos stories. [Instagram; Engadget e BuzzFeed News, em inglês]

Outro que não se fez de rogado na hora de copiar o TikTok foi o Snapchat. O app ganhará, até o fim do ano, um novo recurso de músicas e dublagens inspirado no rival chinês. Diferente do TikTok, porém, não haverá um feed público de vídeos musicais. [The Verge, em inglês]

A Mozilla lançou uma nova versão da sua tecnologia de bloqueio de rastreamento na web para o Firefox. Ela foca no rastreamento por redirecionamento, técnica que alguns sites usam que passa o usuário por outros domínios antes de levá-lo ao desejado. [Mozilla, em inglês]

A Netflix disponibilizou controles de velocidade em seu app para Android. Usuários podem escolher um ritmo mais lento (0,5 ou 0,75x) ou mais rápido (1,25 ou 1,5x). O recurso é criticado pela classe artística. Testes no iOS e web devem começar em breve. [The Verge, em inglês]

A Microsoft passou a apontar a versão gratuita do popular aplicativo CCleaner como “potencialmente indesejado”. Motivo? Ele instala outros aplicativos sem que o usuário perceba. Em 2017, a Piriform, dona do CCleaner, foi comprada pela Avast. [BleepingComputer, em inglês]


💡 Dicas e curiosidades

O mundo está consumindo mais filmes e séries em outros idiomas que não o inglês. A globalização de plataformas como a Netflix tem ajudado nisso. A matéria não cita, mas é bem provável que leis que exigem um percentual mínimo de produção local também tenham um papel relevante nessa bem-vinda mudança no áudio do audiovisual. [Folha]

O canal de YouTube de onde saiu aquela reportagem gordofóbica de 1993 no Jornal da Globo, que viralizou no Twitter, foi excluído a pedido da Globo. Ele tinha 2.600 vídeos, 75% da emissora carioca, e foi derrubado a pedido dela por infração de direitos autorais. [Na Telinha]

A TAG Experiências Literárias cresceu 15% durante a pandemia e já tem 55 mil assinantes. O serviço é uma “assinatura surpresa” de livros: o cliente paga a mensalidade e recebe em casa novos livros todos os meses. A próxima investida da empresa gaúcha será no segmento de livros de negócios. [LABS]

A B3 tem apenas cinco empresas de tecnologia listadas; três delas estão bem em meio à crise de COVID-19. O caso da Locaweb, que abriu capital pouco antes da pandemia, a valorização da crise espanta — acima de 200%. Especialistas consultados pela reportagem afirmaram que ainda há espaço para elas crescerem mais, já que a demanda por seus serviços deve aumentar. [Valor Investe]

Quando as ações da Amazon disparam e Jeff Bezos fica ainda mais rico, vêm os faria limers dizer que não é bem assim… veja, são ações… não tem liquidez blablá. Em 2020, Bezos vendeu 5% por US$ 7,2 bilhões, valor suficiente para colocá-lo entre as ~200 pessoas mais ricas do mundo. [CNBC, em inglês]

William “Bill” English, engenheiro e pesquisador norte-americano, foi um dos criadores do mouse de computador e parceiro de Douglas Englebart na construção das ideias que deram as bases para o computador moderno. Ele morreu no dia 26/7, aos 91 anos. [Gizmodo Brasil]

O Prêmio iBest, premiação dos primórdios da internet brasileira, está de volta 12 anos depois da sua última edição. Agora, a premiação contemplará redes sociais e contará com a ajuda de um algoritmo para indicar os “melhores” (segundo o algoritmo). [O Globo]


Se você curtiu este Bloco de notas, assine gratuitamente a newsletter do blog para recebê-la semana que vem, gratuitamente, direto no seu e-mail:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!