Post livre

Post livre #222

Toda semana, o Manual do Usuário publica o post livre, um post sem conteúdo, apenas para abrir os comentários e conversarmos sobre quaisquer assuntos. Ele fecha no domingo por volta das 16h.

A melhor maneira de acompanhar o site é a newsletter gratuita (toda quinta-feira, cancele quando quiser):

Acompanhe também nas redes sociais:

  • Mastodon
  • Telegram
  • Twitter
  • Feed RSS

116 comentários

  1. Bacana.

    Tenho um emulador de Palm instalado em alguma VM por aqui. Vou dar uma olhada no tejpwriter depois. Fiquei curioso.

  2. Anos 70-90: “Olhe as ‘Páginas Amarelas'”
    Anos 00: “Pesquise no Google”.

  3. Alguém já mudou o Tim Beta de mensal pra semanal?
    Não tem essa opção no app e o atendimento ta difícil.

    Como estou em casa não preciso de tantos GBs e posso economizar no plano.

  4. O risco de haver ditadura militar com Bolsonaro infelizmente aumentou após divulgação do vídeo do reunião do Bolsonaro com ministros já garante a maldita reeleição de 2022…se ele for reeleito cansei do Brasil e irei partir pelo segurança, paz e liberdade.

    É triste q tudo acaba em pizza e feijoada com notas de repúdios e mais nada aqui.

    1. Eu acho ele tão incompetente que nem uma ditadura ele conseguiria fazer direito, isso se os militares estiverem a fim de aguentar essa pica.

      Se as eleições fossem hoje acho q ele não se reelege, com esses 25% de aprovação. O NOVO vem forte.

      1. Me desculpe, mas não confio em NOVO e msm história e não irei repetir msm erro tipo votando em político ou partido errado.

      2. Deus me dibre! Minas está sendo governado por um Novo e é triste ver o espantalho lá tentando governar. Tudo bem que ele pegou o estado quebrado, mas tudo o que sabe dizer é nós rendimentos futuros do nióbio. Além de insistir em apoiar obiroliro cegamente.

    2. se ocorrerem eleições normais em 2022 ele não passará. Não conseguirá fugir de debates, da mídia e de ex-aliados.
      se forem eleições ‘anormais’ ele vai tentar fraudar. não é de hoje que ele fala que as urnas eletronicas são fraudadas, no entanto vejo ele como um potencial fraudador.

      eu ia tentar cidadania portuguesa, mas do jeito que as coisas complicaram com o covid19 tudo vai demorar pra iniciar.

      1. entendi, tá difícil de ter esperanças no brasil, aqui estamos fazendo planos para sair do Brasil caso o Bolsonaro seja reeleito em 2022, mas fazendo planos com cautela, estudado com calma para ter certeza, o Brasil não é fácil infelizmente, temos q esperar a crise passar e ver a eleição não deixar o Bolsonaro se reeleger, se for de fato reeleito em 2022, teremos um louco por mais quatro anos nem vale a pena correr risco com esse cara no poder.

        1. Uruguai parece um país amistoso aos brasileiros, apesar de Montevidéu ser bastante cara (contudo, no interior do país é bastante barato de se viver). Está lidando bem com a pandemia e é bastante estável politicamente (ano passado foi considerado a única democracia plena da América Latina) e economicamente.

          Eu considero seriamente me mudar pro Uruguai até 2021 (era pra ser esse ano, mas tudo mudou).

          1. Gostei da ideia, Paulo.
            Vou dar uma espiada e ver a viabilidade disso. Nunca cogitei o Uruguai, por ficar demais de olho na Europa…

  5. Gente, preciso de uma ajuda.

    Comprei ingressos pra dois shows que aconteceriam em março, mas foram adiados vcs sabem pq.
    Agora a produtora não quer estornar com base naquela MP do fdp do presidente.

    Tem algo que pode ser feito? Eu moro em outro estado e nem sei se conseguiria ir nos shows, a ainda preciso do dinheiro.

    1. Procon e/ou “Pequenas Causas”. Provavelmente você (e muitos outros) vão ter que encher o saco de juízes para isso.

      1. Pois é, imagina a galera q comprou pro Lollapalooza. Falei com o suporte e a sugestão deles é q eu venda o ingresso, sendo q um dos shows nem tem data pra acontecer.

        To vendo o q pode ser feito com minha prima advogada, mas só de pensar em me incomodar com isso já da uma preguiça.

        1. É aquela regrinha:

          – O custo vale? O esforço vale? Se sim para ambos, demorou e vá fazer.

          Se não lotar os juizados para isso, não significará nada.

    2. Compramos ingressos pro Metallica em POA.
      Foi transferido pra dezembro pra um lugar muito pior.

  6. e de repente descobrimos que o supremo tribunal federal recorre aos servidores da microsoft localizados sabe-se lá onde para armazenar provas importantes de seus processos

    e o sharepoint deles não deu conta

  7. Maio de 2020

    dois BSOD hoje

    usando apenas o firefox navegando normalmente

    como averiguar o que pode ter ocorrido?

    1. Não me lembro como faz, mas se estiver salvando os logs de erros, ache-os e pegue os logs do horário do BSOD. Pesquise o significado da “tela azul” e veja a mensagem.

      Costumo fazer assim para analisar erros.

  8. Comprei uma parafusadeira / “furadeira” por 90 contos (+ pontas por 10) e pense em algo libertador.

  9. Pessoal,
    Vou ter que participar de uma dessas lives que as empresas organizam pra trazer engajamento, e a câmera do notebook é simplesmente horrível, além de ficar posicionada na parte inferior da tela (NÃO FAZ SENTIDO, filma a pessoa de baixo pra cima, dá pra ver dentro do nariz!).
    Ao pesquisar sobre webcams, vi que todas estão super caras, a ponto de me fazer cogitar investir numa câmera DSLR usada barata.

    Alguém aqui entende desse mundo de câmeras que possa me ajudar a achar um corpo+lente básico mas que eu consiga tirar fotos legais e transformar em webcam?
    Com isso, posso investir numa lente no futuro, e o investimento não seria de todo perdido.

    Agradeço <3

    1. pq não usa a câmera do celular como webcam? tem aplicativos que fazem essa função

    2. Me parece que a Canon criou esse recurso para algumas das câmeras profissionais deles. Dá uma pesquisada no site da empresa, porque não são todas as que suportam.

    3. Na verdade, existem várias soluções para fazer uma “webcam”.

      – Câmera DSLR: o ideal é procurar na internet em grupos de fotografia. Mas mesmo um equipamento básico pode lhe atender. Salvo engano, todas a câmeras DSLR tem possibilidade de “stream” correção: não todas. A Canon tem uma lista: https://www.tudocelular.com/tech/noticias/n155825/canon-libera-uso-cameras-como-webcam-chamada-video.html ), mas o ideal é ver o que cabe no seu bolso + se há a possibilidade do stream, que é geralmente pela USB, dado que é raro e caro ter uma placa de captura HDMI.

      – Placa de Captura: existem placas de captura de computador que você pode ligar até em uma câmera VHS / MiniDV que tenha saída de “Vídeo Composto” ou “S-Vídeo”. A resolução é limitada ao tipo de placa de captura e saída de vídeo – geralmente a resolução máxima é as usadas por TVs antigas.

      Existe também as placas de captura HDMI, que podem ser usadas em câmeras com saída similar, assim chegando ao “full HD”. São mais caras devido a demanda ser focada mais em produção de conteúdo educacional (como ensino de operação em computadores) e gamers (captura de jogos).

      – Câmera antiga: se você tem alguma câmera point-and-shoot, de gravação ou até “de ação” (como as GoPro), pesquise ou veja o manual (se estiver guardado) para saber da possibilidade da mesma ter a capacidade de transmissão via USB. Muitas câmeras tem esta função, que acaba sendo ignorada pelas pessoas.

      – Via celular: nunca testei, mas como relatado, há a possibilidade de transformar o celular em webcam. Teria que procurar tutoriais – cuidado pois se puxar apps, há risco dos mesmos terem problemas de segurança. Pesquise sobre o app e também sobre quem o produz

    1. Sempre rola essa discussão no Hacker News. Um quase consenso que surge lá é o de que os blogs não desapareceram, mas tiveram seus canais de distribuição sufocados e as funcionalidades com maior apelo apropriadas pelas redes sociais.

      Novas formas de comunicar que surgem na internet e os modos de acesso ressignificam e tiram espaço das antigas. A grande mudança da última década, por exemplo, a adoção em massa do celular, foi ignorada pelos blogs. (Só o Tumblr que meio que se adequou rapidamente, mas por outros motivos acabou ficando para trás.) Por outro lado, o canto da sereia do “escreva uns posts, fique rico com AdSense”, via SEO, criou um incentivo artificial venenoso para o meio.

    2. sempre penso em começar um, mas nem sei bem o porquê
      até porque ando lendo apenas uns 4 ou 5 (e um deles é o do jb que descobri que voltou a ativa num post anterior seu)

      aliás, o MdU ainda se identifica como blog?

    3. Eu assino um monte de newsletters, e a minha caixa de entrada principal está uma bagunça. Mas de modo geral consigo acompanhar as newsletters que mais curto, e outros assuntos relevantes que chegam via email.

      Ainda prefiro o email a instant messengers ou redes sociais.

    4. Ativei a aba Fóruns no gmail e direcionei todos as newsletters para lá, funciona bem assim.

  10. Falando nisso, já experimentaram acessar o perfil do Sleeping Giants Brasil no Twitter e ficar atualizando pra ver a velocidade com que o número de seguidores cresce?
    Bacana ver uma iniciativa dessas ganhando tamanha atenção em um tempo tão curto.
    Nesse momento, 22/05, 00:23, são 173.321.

  11. sobre o suposto apple glass, uma dúvida:

    a ideia é que uma câmera na altura de nossos olhos fique ligada (e online) todo o tempo em que estivermos com ela?

    ou seja: em tese, toda a nossa vida poderá ser espiada de nosso próprio ponto de vista, havendo banda pra isso?

    1. Talvez tenha o mesmo destino do google glass e do holodeck da microsoft, a não ser que seja pra uso corporativo. Realmente pra usuario comum não parece ter atrativo.

      1. a impressão que eu tive é que a apple está justamente fazendo algo que não tenho o mesmo destino das tentativa do google/microsoft (e a estratégia parece ser a mesma do apple watch: pensar nele mais como relógio e menos como “smartwatch”). Tudo indica que não será aquele trambolho com cara de óculos do Doutor Brown, mas um óculos com desenho elegante e afinado com o que o mercado da moda faz. Nesse sentido, pode acabar tendo sucesso similar ao do apple watch. E é justamente isto que me deixa preocupado.

        1. Vai ser sucesso num nicho. Mas eu acho que óculos é algo MUITO mais pessoal do que um relógio. Eu usava óculos (aqueles de armação de acetato) e depois passei pra lente de contato e hoje eu não uso nada (me acostumei com o meu grau baixo) e jamais usaria esse Apple Glass se ele seguir a linha de projeto das últimas coisas que a empresa lançou.

          Mas, o que mais me deixa amedrontado é como a sociedade vai se tornando cada vez mais homogênea na sua aparência.

          1. mas acho que já é (e em grande medida sempre foi) homogênea na aparência

            o que muda é a generalização de uma mesma aparência para o mundo inteiro

    2. A essa altura, acho que qualquer comentário acerca desse produto, se é que ele existe/existirá, é pura especulação. Mas, deixarei dois comentários em cima do seu.

      1) Seria muita ingenuidade da Apple — de qualquer empresa, na real — repetir os mesmos erros do Google Glass, um enorme precedente nesse setor. Qualquer tentativa séria de recuperar esse tipo de produto precisará ter diferenciais suficientes para afastá-lo de comparações fáceis.

      2) Se houver demanda do público, ou seja, se o produto lançado tiver potencial de receita, entraves técnicos serão superados. Imagine, em 2005, se alguém te dissesse que em dez anos teríamos conexões móveis/sem fio à internet mais rápidas e estáveis que a melhor banda larga doméstica de então? Seria loucura, mas aconteceu.

  12. Estou na tão temida classe do “nem nem” e vem sendo muito difícil achar forças pra continuar estudando e procurando emprego, além de manter a sanidade mental ao longo dessa quarentena.

    Me formei no fim do ano passado e entrei nesse ano decidido a estudar para 2 concursos das forças armadas na minha área, abrindo mão de procurar emprego (mesmo com algumas vagas sempre pipocando). Pois bem, chega coronavirus, sai o pingo de sanidade mental do governo e a coisa tá se agravando loucamente. Resultado: concursos adiados indefinidamente e eu, temendo não haver concurso, estou começando a olhar uma ou outra vaga de emprego, mas não há mais nada. Estou na famigerada faixa de brasileiros do “nem nem”, que nem estudam e nem trabalham oficialmente. É frustrante.

    Antes disso, tive que lidar com a decepção da realidade do mercado de trabalho no Brasil. Me formei em engenharia e, com professores ainda presos na mentalidade do engenheiro médio da década de 80/90/00, da era do “Pleno Emprego” da primeira década do século, da industrialização e etc tínhamos uma mentalidade completamente diferente do mercado. Hoje, longe do sonho de trabalhar como engenheiro, luto pra uma vaga qualquer de analista no mercado, mas sem muitas esperanças ainda.

    Aliás, quem inventou o termo “analista”?

    1. Sou um “nem nem” também, e uma coisa que aprendi na vida chegando aos 40 é que tudo na vida tem que ter o “Quem Indica”. Não tem como.

      A vida é um limiar entre a dita “ética” e a necessidade real. Sempre estaremos brigando com nosso próprio caráter, ego e vícios para ter as coisas.

      Se se formou engenheiro, na verdade seu conhecimento é útil demais. Bastaria achar um foco para você também se especializar – civíl, gerenciamento de obras, gerenciamento de instalações, operações de trânsito / tráfego… (Já tentou ver algo na área de transportes e trânsito? desculpe a pergunta, mas tem um viés, já que é uma área que admiro)

      Se precisa de suporte psicológico, sugiro procurar na internet sugestões de pessoas e grupos de auxílio, que podem lhe auxiliar conforme seu ganho.

      1. Eu me formei em engenharia de telecomunicações, o que foi ainda mais frustrante pra mim. Aprendemos sobre comunicações via satélite, técnicas de codificação, etc e o mais próximo disso no mercado “civil” é trabalhar como suporte em alguma provedora.

        Concordo contigo quando fala a respeito do QI, é muito importante aqui no Brasil e é aquela coisa, o QI só é bom quando o indicado é você, hahahahahah

        Sobre o auxílio psicológico, estou sempre de olho nos meus limites. Falei mais como um desabafo de sexta a noite mesmo ://

        1. Rapaz, ENGENHARIA DE COMUNICAÇÕES TEM DEMANDA DEMAIS!!!.

          Se me permite uma sugestão:

          – Faça serviços pequenos de instalação de rede para “fazer currículo” e “gerar contatos”. Não tem como, isso é uma forma boa para ter o “Quem indica”.

          – Não custa relembrar ao padre para ensinar missa, mas esteja sempre de olho no noticiário de telecomunicações (tipo site Teleco por exemplo). Isso indica onde pode ter locais que precisam de pessoas como tu.

          – Infelizmente a galera meio que se “canibaliza”. Então melhor se contentar com salário pequeno do que ficar esperando cair do céu um emprego de eng. jr.

          – Cidades do interior e bairros de periferia PRECISAM DE GENTE COMO VOCÊ. Há o nascimento de pequenas empresas de redistribuição de rede, e eles PRECISAM de bons engenheiros que façam os projetos de rede dos mesmos. Fique de olho neles.

        2. reforçando o que o ligeirinho relatou….
          engenharia de telecomunicações demanda muito!! quem sabe apenas ai na sua cidade esteja em baixa.
          a demanda atual é cada vez mais trabalho remoto e as infraestruturas de comunicação tendem a crescer ainda mais.
          É um ramo que eu, como técnico em eletronica, pretendia migrar no inicio de 2021… mas ai veio o coronga e detonou tudo.

      2. QI é um dos únicos meios de se arrumar empregos no Brasil. Explico isso pela pressão dos setores de RH e gestores da área por contratar as pessoas “certas” para a posição. Tendo um QI interno é bem mais fácil de você já ter uma ideia prévia de como a pessoa é e, além disso, torna muito mais fácil os primeiros meses da pessoa dentro da empresa e dentro da equipe (por favor parem de falar “time” para equipes de trabalho, isso é uma tradução errada de “team”).

        Meus dois últimos empregos eu conseguir sendo indicado.

    2. A pergunta pode soar pedante, mas, por acaso vocês fez um curso de tecnólogo ou de bacharelado em engenharia?

      Pode parecer idiota perguntar isso, mas não é. Um curso tecnólogo precisa mesmo preparar para o mercado de trabalho e esta em sincronia com o que se pede neste, por outro lado, um curso de bacharelado é um curso generalista que lhe ensina a ciência da sua profissão e como lidar com diversos problemas a partir de uma abordagem teórica. Em outra palavras o bacharelado lhe prepara para o mestrado e para P&D, o tecnólogo lhe prepara para o mercado de trabalho.

      No Brasil temos um problema de assincronia entre o que as pessoas esperam quando entram em um curso de bacharelado.

      1. Não sei como é em outros países, mas complicado como aqui bacharelado é tratado como algo “melhor” do que tecnólogo e não diferente.

        No cenário brasileiro, sem áreas de P&D nas empresas e vida acadêmica restrita, e a expectativa de educação como o caminho de emancipação social…os tecnólogos parecem ser os cursos que as pessoas realmente querem/precisam.

        Já nem tenho paciência mais com pessoas reclamando dos currículos de cursos de computação como antiquados, quando além de simplesmente estar errada a reclamação e muitas vezes é simples falta de capacidade de fazer a conexão entre teoria e prática.

        1. Exatamente. Teoricamente, o bacharelado te dá uma base pra qualquer coisa e te prepara pra ciência (academia) e o técnico/tecnólogo te prepara pro mercado de trabalho. Problema que no Brasil as universidades privadas subvertem essa lógica e dão cursos de bacharelado como se fossem técnicos. Não é por nada que, usualmente, alunos oriundos de universidades privadas, quando aceitos em universidades estatais, precisam fazer “nivelamento” em cadeira de graduação, quase sempre na relacionadas ao método cientifico ou na base generalista dos cursos.

      2. não sei em relação a tecnólogo, mas curso técnico é muito melhor para o trabalho em si, eu tenho dois cursos técnicos e eles foram muito mais importantes pro meu emprego do que a faculdade (que é a msm área do curso técnico), sendo que cada técnico durou um ano e na faculdade já estou com 6º período e não aprendi nem metade das coisas que aplico no meu dia a dia

      3. não discordo do que você disse (pois acho que bacharelado tem que ser isso mesmo)

        mas não é a realidade das universidades particulares, onde pesquisa não existe: nesse caso, os bacharelados são simplesmente meio que qualquer coisa

        1. Bacharelado em universidade privada é um grande e caro curso técnico meia boca. Uma bacharelado em universidades privadas menores – que não sejam as renomadas como PUC e outras – não te dá mais base teórica do que um bom curso técnico, contudo, custa muito mais.

          E o curso técnico normalmente tem estágio obrigatório no final, o que já te coloca “meio que” empregado pro final.

  13. Comprei um Palm velho.

    Falei que não ia, mas não resisti. Eu queria alguma coisa mais portátil para escrever e que não dependesse de Internet e não fosse monitorada pelo bigbrother. Eu sei, eu podia usar o teclado com um android sem login mas no fim a nostalgia do Graffiti me pegou.

    Sei que não é o método de entrada de texto mais rápido, mas usar novamente uma tela resistiva e a stylus com ponta fina e firme, não aquela bola de borracha para telas modernas, me deixou surpreso. Funciona bem pra caramba! Não sei se existem stylus boas e baratas para as telas novas que sejam assim, nem sei se pode. Também tem a questão que não há Graffiti para iOS. Tem o swift mas sei lá, não é natural pra mim, sou velho.

    É o modelo TX e a bateria já não segurava carga nenhuma. Abri e soldei uma genérica no lugar e resolveu. Agora estou caçando um editor de texto que aguente arquivos grandes e que trabalhe num formato que eu possa editar também no computador. Documentos To Go fica travando quando passa de 10 mil palavras.

    Bem, é isso, é assim que estou lidando com a loucura dos novos tempos enquanto há tempo :)

    1. Rapaz, que coragem de voltar ao Palm.
      Acho que se fosse pegar algo nessa linha de escrita com um dispositivo digital portátil sem possível monitoração, voltaria ao blackberry. O teclado físico de fato era bom.

      Mas entendo o teu contexto de querer algo mais handwriting.

      1. Sim, tem toneladas de apps e são minúsculos. Tem sites como o palmdb.net Basicamente todos abandonware. Encontrei um que deu certo: CardTXT

        1. Tinha uns sites antigos que perdi eles de vista. É pq eu tinha Windows Mobile e Palms antigos (hoje ao menos o Palm tá na gaveta) e tinha programas gratuitos por lá

    2. existe uma solução interessante, apesar de absurdamente cara (e, até onde sei, ainda meio travada): aquele caderninho especial da Moleskine que transfere suas anotações para o celular

    3. Não consigo imaginar um texto comprido digitado em um Palm usando uma stylus. A que velocidade você consegue digitar (em caracteres por minuto)?

      1. Eu sou lento em qualquer teclado, mas tô sentindo que com o stylus tá indo devagar porque erro muito os gestos. Mas no auge eu era bem rápido. A vantagem do graffiti é que mesmo sem prática você consegue escrever com os olhos no texto e não nos dedos.

    4. Saudades dos Palms! Tive (tenho na verdade) 3: Um V, um m125 e, por fim, um m515, com case de alumínio, teclado e uma câmera. Tenho o maior carinho por esse último.

      Vez ou outra mexo nele para matar as saudades, mas não sei se voltaria. O TX foi meu meu sonho de consumo por muito, muito tempo! Mas aí vieram smartphones e acabei desistindo.

      Uma coisa que acho imbatível neles até hoje era a busca: Simplesmente universal. O PIM também era mais resolvido que muita coisa mais nova.

      1. Eu tinha um m125 e toda vez que trocava as pilhas corria perigo de perder um monte de coisa :) Estou impressionado como esse modelo colorido e com resolução melhor me lembra o sistema do iphone. Incrivelmente não me parece datado também. É meio engessado, mas tudo que um smartphone moderno tem tá lá. Basicamente a Apple copiou tudo ou tô maluco.

        1. O m125 tinha um capacitor de segurança: Basicamente um capacitor eletrolítico com capacitância bem alta (não lembro se chegava a ser um supercapacitor) que mantinha a memória alimentada enquanto se trocava as pilhas. Se não me falha a memória esse capacitor segurava a memória por até 5 minutos, tempo mais que de sobra para trocar as pilhas.

          Eu ficava apavorado com o m515 quando viajava: O cradle era um trambolho pra ficar carregando e, geralmente, eu não levava. Daí batia aquele medo desgraçado da bateria acabar e eu ainda demorar a voltar pra casa.

          Uma coisa que me salvou muito foi quando descobri um programa zip pro Palm! Sempre que estava fora e a bateria dava sinais de que ia descarregar, gerava um arquivo zip, no cartão de memória, com todo o conteúdo da memória. Se ela acabasse, quando chegava em casa bastava recarregar, fazer a configuração inicial, reinstalar o .prc (que eu já deixava no cartão) e restaurar o .zip. Um reset depois e o sistema estava como antes da catástrofe acontecer!

    5. Li teu relato e voltei a pesquisar por uns blackberrys velhos haha
      Sempre quis ter um celular com teclado qwerty completo e wi-fi, e na época os blackberrys eram impossíveis de comprar. Hoje como a maioria é peso de papel, é bem provável que dê pra comprar um. Se ler mp3 é um bônus maravilhoso.

      Alguém tem recomendações de um blackberry “completinho”? (teclado qwerty, entrada p2 pra fone, entrada pra microsd pra meter músicas, wifi pra navegação básica, acho que só hihi)

    6. Eu li o Zen of Palm há pouco tempo, e à medida em avançava, ia me batendo um saudosismo.

      Entendo a sua vontade de ter um processador de textos de bolso.

      Nesse sentido tem um gadget japonês chamado Pomera DM-200, que eu acho muito interessante mas deve estar os olhos da cara.

      1. Sim, eu vi esse modelo. De fato, antes de optar pelo palm pesquisei no mercadolivre por algo que tivesse um teclado querty. Simplesmente não há quase nada. Importar fica absurdamente caro mesmo que possível nesses tempos. É difícil até encontrar aqueles antigos hp jornada. Esses pocket não foram muito populares por aqui.

        Já encontrei o editor perfeito para palm: tejpwriter.

  14. Olá,

    Nas andanças pela internet, achei o seguinte site:

    186.227.239.150:2150

    É um servidor da Kopp, empresa que atua no ramo de monitoramento, mais conhecida pelos radares/pardais que instalam nas rodovias.

    Bom, até onde verifiquei, o servidor hospeda alguns manuais de operação da plataforma deles, arquivos para configuração, imagens de câmeras de vários pontos de rodovias do Rio Grande do Sul, e outras coisas.

    É curioso ver de um ângulo diferente a estrada que você já passou por ela…
    Quem quiser dar uma olhada, fique a vontade.

    1. tenho um medo de entrar nisso pois Ips de acesso podem ficar registrados.

  15. A empresa para o qual trabalho anunciou essa semana que continuará 100% de home office pelo menos até o fim de Setembro e não descarta postergar até o fim do ano se for necessário. Até aí tudo bem, mas o problema é que não há uma política definida de empréstimo ou reembolso de equipamentos para ergonomia (mesa, cadeira, teclado, mouse, monitor externo) ou gastos adicionais (auxílio para o pagamento de banda larga, por exemplo). O escritório foi fechado e todo o time migrado para home office no dia 16/03, ou seja, no final dessa situação, considerando o cenário mais otimista, terão sido uns 6 trabalhando de forma improvisada. Estou com a coluna arrebentada e a tendinite nos pulsos voltou a atacar.

    Sobre o ponto de vista emocional, conciliar os horários de trabalho (cuja carga horária se intensificou na quarentena) com manutenção do lar, preparação de refeições e todo o stress da instabilidade financeira/incerteza de um futuro próximo tem acabado com minha saúde mental. Estou dormindo muito pior, picos de ansiedade ao longo dos dias, dores nas colunas, enfim, o desgaste está grande.

    Praticava pilates e natação em uma academia próxima ao meu trabalho e fui obrigado a parar por conta da quarentena. Planejava ter o(a) primeiro filho(a) com minha esposa nesse meio de ano e também optamos por postergar os planos pra evitar no curto prazo contato com clínicas, hospitais, etc.

    Essa noite, com total insônia decorrente de todo este cenário, criei algumas alternativas que comecei a por em prática hoje:

    1. combinei com um restaurante próximo de minha casa de comprar um “pacote de marmitas” para todos os dias úteis do mês a um preço de R$20 para 2 por refeição, com entrega em casa diariamente as 12h. arroz, feijão, legumes, salada, grelhado (carne, frango, peixe) e uma fruta. para sp capital na zona “entre as marginais” esse preço é bem justo.

    2. desmontei a cama do segundo quarto de meu apartamento (são 2 dormitórios), retirei a cortina, fui até a Leroy Merlin e comprei um tampo de madeira, mão francesa, luminária, uma lixa e montei uma bancada de trabalho transformando o quarto em escritório.

    3. enviei um e-mail à segurança patrimonial de minha empresa avisando que passarei neste sábado no período da manhã para buscar minha cadeira, monitor, teclado e mouse. não vou aguardar a definição oficial.

    4. o prédio onde eu moro liberou uma área externa para uso individual por apartamento mediante reserva. Bloqueei todos os dias até o fim do mês das 07h as 08h para praticar ao ar livre e tomar um pouco de sol na cara. tenho um amigo que é personal e foi demitido da academia em que trabalhava. combinamos um preço camarada e as aulas por zoom.

    5. quero começar algum curso ligado à criatividade (pintura, musical, etc) para exercitar a outra parte do cérebro, já que trabalho em área financeira.

    Aos empregados de empresas e demais pessoas que de alguma forma sentiram alguma empatia com esse comentário, como está a vida de vocês?

    1. Sobre a ergonomia, penso que a empresa deveria bancar o escritório na sua casa mesmo, como se fosse na empresa, afinal a decisão de usar home office é da empresa. Acho que isso vai render muitas ações trabalhistas nos próximos anos, principalmente porque as empresas acham que home office é baderna, que é só largar o empregado em casa e era isso.

    2. Aqui em casa compramos cadeiras minimamente mais ergonômicas — já era uma necessidade antiga e agora ficou inescapável. Como também temos a vida acadêmica paralela à profissional — que envolve doutorado, pensar em artigos, etc — precisávamos de qualquer forma de uma estrutura minimamente mais adequada, mas concordo com você que, em última instância, deve ser obrigação do empregador fornecer o equipamento de trabalho adequado aos trabalhadores (incluindo o acesso à internet, energia elétrica, etc).

      O problema agora, é claro, é ter força pra negociar isso, sobretudo após todas as derrotas na legislação trabalhista recente.

      Toda essa situação deveria ser um estímulo a que fortalecêssemos os sindicatos, inclusive.

      Com relação a trabalhar de casa: eu prefiro, feitas todas as ressalvas. Na maior parte do tempo podemos usar roupas muito mais adequadas ao nosso clima em vez daqueles rídiculos sapatos, calças, etc. Mas ainda quero ler mais a respeito de como isso pode ajudar a piorar processos de espraiamento e segregação urbana.

      1. Pra quem mora na periferia, como eu, o grande atrativo é não gastar 4h diárias de deslocamento. Sério, pode acordar 30 minutos antes de iniciar o trabalho é algo libertador pra mim que sempre me acordei, pelo menos, 2h antes do meu horário de entrada em qualquer aula/empresa.

        1. nossa, me identifiquei demais.

          quando eu era jovem aprendiz de manhã e fazia curso técnico a noite eu chegava a ficar 8 horas por dia em transporte público, ficava mais sentado em ônibus que fazendo qualquer outra atividade.

          hoje em dia fico +/- 4 horas em ônibus, mas ainda é muito tempo, infelizmente me acostumei

          minha namorada está em home office e pega às 09:00h, e é a hora que ela acorda, liga o computador e começa a fazer a trabalhar, meu sonho isso.

          1. Eu estava na mesma.

            A minha média sempre foi essa: 1h30 pra ir trabalhar (pouco menos de trânsito) e 2h30~3h para voltar pra casa (trânsito pesado). Quando eu trabalhei no centro da cidade já cheguei a demorar 3h30 pra chegar em casa por causa de congestionamentos.

            Trabalhar de casa pra quem mora longe é um sonho.

        2. qdo tudo dá certo, ou seja, não fico muito tempo esperando pelo transporte ou parado já dentro dele, gasto 1h25 para chegar e a mesma coisa pra voltar. mas tem q dar tudo certo. 2h50 é menos do q a maioria, mas ainda assim não é pouco. fico em home office há vários anos, pq meu chefe está no rio de janeiro (não faz diferença pra ele onde estou), mas a empresa nunca tornou isso oficial. agora, q estão todos em home office, pode ser q mudem de ideia e oficializem (alterando o contrato). é a melhor condição de trabalho e vale para muitos outros colegas da firma. essas 3 horas são muito valiosas!

      2. Eu prefiro por causa do custo zero de deslocamento e manutenção do carro.

        Já falei sobre minha rotina aqui e dos custos altíssimos de deslocamento casa-trabalho e de alimentação que tenho. No ponto de vista financeiro, a diferença foi tanta que, em 2 meses fazendo home office, consegui juntar dinheiro suficiente pra alugar uma casa mais perto do trabalho e matar quase todas as minhas dívidas.

    3. Uma boa na parte de alimentação é procurar por restaurantes ou pessoas que vendam marmitas congeladas. Pelo menos aqui em Curitiba, a maioria faz pacotes semanais ou mensais que reduzem bastante o custo unitário — e quase sempre dei sorte de comprar de cozinheiras(os) muito bons, de modo que a refeição fica saborosa após ser aquecida.

      Outra coisa: não sei se é possível, mas uma mudança de mentalidade que me ajudou muito a diminuir a “culpa” e diminuir o excesso de trabalho foi colocar a manutenção da casa — limpeza, preparo das refeições etc. — como parte dele. No escritório havia quem fizesse isso; em casa, não, então faz sentido que você herde essa atribuição.

    4. Estou em home office desde 20/03, e também tive problemas com ergonomia, mas consegui dar um jeito por aqui.

      E entendo suas preocupações. Sou prestador de serviço e, apesar de ter um contrato vigente até Agosto, isso pode mudar de uma hora para outra. Além disso, já começaram os atrasos nos pagamentos.

      Mas, no geral, estou gostando desse regime de trabalho. O tempo que eu ganhei e o dinheiro que economizei não tendo que ir para a empresa estão ajudando um pouco.

      E poder fazer todas as refeições junto com a turminha aqui de casa não tem preço.

  16. Levantando um debate que não sei se já apareceu aqui nos últimos posts livres…
    Mais alguém percebeu o sumiço de webcams acessíveis no mercado? Sou professor e tenho utilizado a do notebook mesmo, mas estou em busca de uma webcam externa pra ter maior flexibilidade nas aulas (a do notebook tem uma abertura pequena, basicamente só dá pra ficar sentado na frente dela para ser capturado hehehe).
    Todos os modelos de entrada da Logitech parecem ter sumido das lojas, só acho a partir de 400 reais, o que está meio além do meu orçamento. Até mesmo os modelos genéricos estão supervalorizados hehehe.
    Efeito dos home offices ? Alguém recomenda algum modelo acessível e bom?

    1. Procure cameras point and shoot que funcionam como web cam. Usadas quase de graça no ML. De nada!

  17. Ghedin, não sei se foi só comigo, mas o primeiro bloco da homepage falando da edição da semana, segue travado na edição #16. Aí abaixo estão aparecendo os conteúdos da semana #17.

    1. Parece que o cache está demorando a atualizar aquele pedaço. (Ele é gerado por um plugin, o que talvez explique essa demora.)

      Acabei de limpar o cache manualmente. Confirma para mim se mudou?

  18. Opa! Precisando de uma ajuda com o Firefox, porque creio que a solução esteja muito embaixo do nariz pra eu ver sozinho.
    Recentemente tive um problema com o Chrome, que do nada passou a multiplicar várias vezes os favoritos e suas pastas. Migrei p/ Firefox e logo que terminei a configuração, descobri que tinha um novo problema. Não consigo de jeito nenhum mandar imprimir um determinado arquivo numa página, e antes de concluir, mudar a de impressão para salvar em PDF, exatamente como ocorre no Chrome. Já busquei extensões, assisti vídeos, mas parece que ninguém teve a mesma necessidade que eu. Alguém sabe fazer isso?

      1. Uso no Chrome um programa no qual exporto um arquivo pdf através de um botão “Imprimir”. Quando clico, abre uma janela que pergunta se quero imprimir ou salvar em pdf. No Firefox não encontrei a opção de salvar em pdf, que é o formato que preciso.

        1. Ah tá.

          Se usa o Windows 10, bem provavel que ele já tenha uma “impressora PDF” embutida, só usar o “Microsoft Print to PDF” que dá na mesma.

          Ou se preferir, instale o “CutePDF”, pois ajuda até a gerar PDF de programas antigos que só imprimem (caso use o Windows 7 também vale para isso).

        2. Cliquei em imprimir aqui e no pé da janela tinha o lance de salvar em pdf. firefox para mac, não sei se tem diferença da versao win.

  19. Pessoal, meu oneplus 3t de 2016 caiu e quebrou a tela. Vocês me recomendam qual melhor custo benefício, hoje? Não quero pagar mais que uns 700 em Telefone, não.

    1. Acho que nesse valor você só vai encontrar aparelhos de entrada ou muito antigos. A menos que esteja disposto a importar, arrisco dizer que suas opções estão limitadas aos Moto G mais baratos e à linha Galaxy A(30? 20?).

      1. Rafael, esse max pro m1 ja’esteve por 600 mais ou menos no fim do ano passado! Incrível o aumento!!

  20. Alguém aqui usa o Vivo Easy? Estava lendo sobre e me pareceu mais adequado ao meu perfil de uso. Só estou com receio de haver alguma pegadinha, daí a pergunta aqui.

    1. eu uso e tô curtindo muito, em novembro paguei R$200,00 e recebi 100gb de internet, como estava em promoção, recebi R$100,00 de volta pra gastar no aplicativo, então comprei tudo de ligações e SMS, até o momento foi o único gasto que tive, ainda tenho mais de 40gb e 73 diárias de ligações.

      antes eu tinha tim beta, e se o ainda tivesse, já teria gasto mais de R$350,00, até aqui, uma economia de mais de R$150,00.

      infelizmente essa semana os preços da internet aumentaram, mas ainda vale muito a pena, ainda mais se vc não gasta muito a internet, então se vc comprar 100gb pode durar meses, até anos.

    2. Não tem pegadinha não!
      Estou usando desde fevereiro e gostando muito! Meu gasto mensal, que era de R$ 55 com o Tim Beta, passou a ser de aproximadamente R$ 20 com o Vivo Easy.
      Além disso, trabalhando em casa nos últimos dois meses eu quase não usei a minha franquia de dados, apenas nos raros momentos em que precisei sair. Se ainda fosse cliente Tim, teria que pagar mais caro por um pacote que expira ou ficar sem Internet móvel. Essa flexibilidade faz total diferença.

      1. Obs: O plano vale muito a pena levando em consideração os pacotes de dados de 100GB, comprar menos não me parece ser tão vantajoso.

        Com relação ao custo mensal de R$ 20, peguei uma média do meu consumo e verifiquei quanto tempo os pacotes que comprei durariam.

      2. Interessante isso! Não conhecia. Alguém sabe se é só para novos clientes/novos números? Atualmente uso um controle da Vivo. Me atende, mas pelo que vi esse Easy sairia bem mais em conta.

        1. Só transformar o número em pré e depois aderir ao Vivo Easy pelo próprio app. Bem tranquilo.

    3. Não conheço bem o easy, mas uso um planozinho pré da vivo que está por 19,99 em alguns DDDs. Ele dá ligações ilimitadas para qualquer número do brasil, whatsapp ilimitado e 3gb de internet por mês. Não são todos os DDDs, tem que ver a lista disponível.

      Tem me servido muito bem. Aqui no interior de MG nenhuma operadora bate a vivo em qualidade de sinal. Como não uso redes sociais, 3gb dá e sobra no meu caso. Pode ser útil para alguém que também tenha esse perfil…

      https://www.vivo.com.br/content/dam/vivo-sites/vivo-com-br/pdf/para-voce/produtos-e-servicos/para-o-celular/pre-pago/regulamentos-vivo-pr%c3%a9-turbo/Regulamento-Promocao-Vivo-Pre-Turbo.pdf

      acabei de ver aqui que vale para todos os DDDs, exceto o 68

      1. Interessante esse também, hein? É tranquilo de colocar crédito quando a internet acaba? Se eu estiver no meio da rua, consigo fazer a recargar pelo próprio celular, como no Vivo Easy?

        1. Consegue sim, usando cartão de crédito. E o app ainda te dá alguns bônus quando você carrega por lá.

          1. Estava cogitando seriamente migrar para o pré-pago, mas tem dois pontos complicados e que a Vivo se recusa a responder (o SAC desligou três vezes, aí desisti):

            1) A oferta de 30 dias não aparece no site, só no regulamento (PDF). Será que ainda está valendo?

            2) Como é o roaming? Eu não mudei meu número quando vim para Curitiba, que tem um DDD diferente, mas consigo fazer e receber ligações sem qualquer custo adicional. No pré também é assim?

    4. Situação parecida com o Will e o Wilson. Era cliente antigo do Tim Beta e passei pro Easy quado anunciaram que promoção dos 100Gb por R$200 com cashback de R$100 ia acabar. Peguei na última semana. Pelo meu consumo terei dados e ligações por cerca de um ano pelo valor de R$200, enquanto no Beta pagaria R$720 pelo mesmo período.

      O controle pelo aplicativo é simples e bem intuitivo e o sinal da Vivo é excelente na minha região (interior de São Paulo).

      Acho que mesmo com o pacote de 100Gb tendo subido para R$300, o valor por GB ainda é bom.

      1. e ganhei ainda uma vantagem, apesar de não usar sempre, aqui no RJ a TIM não funciona no metrô, e a Vivo funciona perfeitamente (exceto linha 4)

    5. Não uso, mas parece que tem uma pegadinha na hora do cancelamento em função de renovação automática por fidelização. Parece que só pode ser feito em um determinado dia; depois, já era. Mas talvez alguém que tenha o plano, pois não sei se ainda está valendo. Acho que o CanalTech noticiou isso uma vez.

      1. Leonardo, o plano funciona com pacotes. Ao aderir um pacote de dados, o aplicativo me dá a opção automática, após chegar a um limite mínimo estabelecido. No meu caso, não aderi e tenho meus dados e diárias de ligações/sms até que os use, sem definição de tempo.
        Como a compra de pacotes é feita, não entendo como haver fidelização, uma vez que é um pré/controle digital.

Os comentários deste post foram fechados.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!