Anúncio Conheça a máscara antiviral que desativa os vírus em até 5 minutos

Como funciona um apoio comercial em uma mídia independente

Outdoor branco em um poste; à esquerda, uma palmeira.

Se você acompanhou o Manual do Usuário ao longo do ano, percebeu que a divulgação comercial de marcas, empresas e produtos passou a ser um pouco mais recorrente por aqui. Em 2020 iniciamos o trabalho de gestão de parcerias e ações de publicidade. E quem faz isso, atualmente, sou eu, a autora desse texto. Meu nome é Gislaine Bueno, sou jornalista especializada em Comunicação Empresarial com experiência em gerenciamento de vendas, especificamente em agências de marketing.

Eu me lembro que uma das perguntas que eu e o Rodrigo nos fizemos, no início deste trabalho, foi: de que forma seria viável para um veículo de jornalismo independente oferecer espaços publicitários para empresas privadas? Não que o anúncio de marcas não acontecesse anteriormente; ele só não estava sendo buscado de maneira ativa. Para (tentar) responder a essa pergunta, vou contar um pouco do nosso modo de fazer a gestão comercial no Manual.

Para começar, partimos da premissa de que anúncios e parcerias de publicidade ajudam o Manual do Usuário a alcançar dois objetivos principais: expandir seu alcance (com o reinvestimento dos recursos obtidos) e entregar informações relevantes sobre produtos e serviços para quem lê o site.

Além da concordância com nossos princípios de privacidade, buscamos o alinhamento entre a empresa anunciante e o perfil de quem nos lê, considerando as limitações decorrentes do nosso posicionamento pró-privacidade (quem anuncia aqui sabe que não receberá dados pessoais dos visitantes do site). Junto a isso, consideramos essencial que a empresa seja idônea e que seus produtos ou serviços vendidos cumpram o que prometem.

Resumidamente, o Manual do Usuário só veicula publicidade seguindo critérios pontuais e específicos — não vale tudo por dinheiro. É por isso que já recusamos dezenas de ofertas de sites, entre eles de apostas esportivas, cassinos e outros negócios que, mesmo que não sejam ilegais, não estavam alinhados conosco.

Ilustração com uma mãozinha depositando uma moeda em uma caixa com o logo do Manual do Usuário em uma das faces, segurada por dois pares de mãos. Ao redor, moedas com um cifrão no meio flutuando. Fundo alaranjado.

Apoie o Manual do Usuário.
Você ajuda a manter o projeto no ar e ainda recebe recompensas exclusivas. Saiba mais »

Hoje, o atendimento comercial tem duas portas de entrada. A primeira é o contato espontâneo de marcas que se identificam com o site e o encontram através de pesquisas e indicações. A segunda é a prospecção ativa, quando fazemos contato direto com as empresas e propomos o patrocínio do Manual do Usuário para a exposição de produtos ou serviços.

A nossa preocupação central se aplica também à área comercial do site: a transparência e o cuidado com o público. Por isso, em ambos os casos, a abordagem começa deixando claro os princípios de respeito à privacidade dos leitores e a explicação do que oferecemos: um espaço para iniciar o relacionamento com pessoas verdadeiramente interessadas em tecnologia pessoal.

Como uma mídia de nicho (focada em tecnologia pessoal e de consumo) e que é lida por cerca de 70 mil pessoas por mês, o poder do Manual do Usuário está em chegar bem perto do seu público, um grupo de pessoas que quer se manter atualizado e que participa, interage e ajuda a construir comunidades em nossos canais. Basta ver os posts livres para entender do que estou falando.

Como mídia, o Manual do Usuário tem um posicionamento bem claro: serviços, marcas ou produtos não são endossados. A ação de parceria ou de publicidade é focada no “aluguel” do espaço para a apresentação comercial, e se restringe a isso. Um dos exemplos do nosso propósito de manter essa separação entre “Estado e Igreja” é que a negociação dos anúncios e conteúdos patrocinados fica a cargo de uma pessoa que não tem relação alguma com o editorial (eu!).

Por fim, é importante ressaltar que anunciar no Manual do Usuário significa ter acesso a uma audiência qualificada e atenta a questões como qualidade, relação custo-benefício e inovação. É um público que cobra transparência, acessibilidade e respeito a boas práticas tanto comerciais quanto de produção, ou seja, que está conectado às exigências por um mercado de tecnologia mais sustentável e humano.

Se quiser conversar e trocar informações sobre parcerias, me mande um e-mail para gislaine.bueno@manualdousuario.com.br.

Foto do topo: Kate Trysh/Unsplash.

Edição 20#38

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!