68 comentários

  1. Tou pensando em mandar uma lista de placas de carro para o TSE/tre para investigarem os “espalha lixo”.

    Só que se até agora não resolveram pendências… Duvido que vão investigar isso.

    1. Depois desta mensagem, surtei de uma forma que acabei vindo para São José dos Campos

    2. No caminho até a escola onde voto, tinha tanto papelzinho no chão que eu andei com cuidado pra não escorregar. Isso é um absurdo.
      O mais incrível é ver gente em pé, no sol, do lado de fora da escola, cheio de adesivo na blusa, com bonézinho do político. Me surpreendi por ninguém falar nada, nem entregar papelzinho esse ano.

      1. Eu até entendo que essa coisa existe pq tem a velha “oferta-demanda”: gente que se oferece para fazer (os caras da boca de urna) e gente que precisa (políticos). Ainda mas em uma época onde ainda é cada um por si.

        Ontem e hoje realmente surtei a ponto de não ficar em casa no dia da eleição.

        A única coisa que eu poderia fazer no meu estado mental, se eu escrever o Ghedin “ajusta” o comentário devido ao nível.

        Mas bem, podemos dizer que estou há umas 30 horas acordado, mas um pouco mais calmo

  2. para quem instalou o big sur: como vão as coisas?

    logo que instalei senti que o sistema ficou levemente mais lento, mas a sensação já parou e sinto que ele está muito mais bem aparado e desenhado agora

    área de widgets mais bonita, ícones na barra superior mais bem organizados, aparência geral mais bonita

    aliás, o simples fato da barra superior variar em positivo/negativo de acordo com o fundo de tela e não só de acordo com tema claro/escuro já é uma mudança enorme

    em tempo: curiosamente, quando escrevo “big sur”, o corretor sugere trocar para “bug sur”

    1. única coisa estranha: quase não há diferenciação na cor da janela ativa para as janelas de fundo

    2. Não me animei muito em fazer a instalação já, mas acho que a farei essa semana. Entendo a lógica de aproximar a identidade visual do macOS à do iOS, e talvez eu morda a língua, mas, pelas fotos e vídeos, me parece um negócio meio “fora do lugar”. Pós-instalação, você não teve essa sensação?

  3. Interessante artigo sobre preocupações de privacidade nos computadores Apple: https://sneak.berlin/20201112/your-computer-isnt-yours/.

    Preocupante como uma lentidão em num servidor pode causar tantos problemas para os usuários. Por mais que a Apple defenda a bandeira da privacidade, ela também obtém muitas informações dos seus usuários.

    1. Achei essa questão bem interessante… Não sou muito entendedor dos sistemas da maçã, mas imagino que esses sistemas de log eram, de alguma forma, usados para fazer backup das atividades ou algo assim, para que, quando as pessoas trocassem de Mac, as atividades da sua máquina anterior fossem portadas para a nova “como mágica”.
      Não concordo de forma alguma com a não possibilidade de você mesmo mudar esses parâmetros, sendo essa falta de personalização “real” no ecossistema da Apple. De uns anos pra cá, mesmo o Windows vem perdendo essa vertente com suas atualizações forçadas, tentativa de forçar as pessoas a usar o edge, etc…
      Infelizmente, os FOSS (Linux, BSD, Android, etc) vem se tornando o único reduto da liberdade “de fato” e da privacidade como ela deve ser.

      Outra questão que noto bastante neste ponto é que as novas soluções são cada vez mais baseadas na usurpação da privacidade e etc. Se você optar por usar um sistema livre e que não te rastreie, por exemplo, soluções como nuvem, continuidade (fazer algo da máquina x de onde você parou na máquina y) e até mesmo usar o teclado do seu smartphone, são coisas penosas e te fazem sentir preso na tecnologia de 10 anos atrás.

      1. Não tem a ver com backup. O OCSP verifica a validade de certificados digitais, que desde o Mojave são obrigatórios em apps que rodam no macOS. É uma forma de evitar que apps maliciosos rodem no sistema. Essa verificação compulsória já acontecia no Catalina; agora, no Big Sur, a diferença é que ferramentas de filtragem de requisições à internet, como o Little Snitch, não conseguem mais bloquear as conexões do sistema ao servidores da Apple.

        A matéria do Ars Technica traz uma boa explicação.

        @ Gustavo

        Preocupante como uma lentidão em num servidor pode causar tantos problemas para os usuários.

        O mais bizarro é que se o servidor estivesse fora do ar, não haveria problema — o macOS simplesmente ignoraria a tentativa de validar os certificados. A lentidão no servidor não ativou essa exceção e causou todos os problemas.

        Por mais que a Apple defenda a bandeira da privacidade, ela também obtém muitas informações dos seus usuários.

        Sim, é meio contraditório mesmo, ainda que, fora o Linux, nenhum sistema comercial, hoje, funciona sem se conectar várias vezes ao dia com servidores da empresa que o desenvolveu. Esse caso do OCSP da Apple tem uns agravantes, como o fato da conexão não ser criptografada, por exemplo. Dependendo da proporção que essa história tomar (e já está grande; pelo menos cinco pessoas me indicaram esse post entre ontem e hoje), a Apple terá que se manifestar.

    2. Um contraponto.

      Acho que o autor tem muita boa vontade com a Apple, e que esta poderia implementar a mesma funcionalidade de uma maneira menos controversa. De qualquer forma, é o “novo padrão” — não acho que exista outra sistema operacional comercial, hoje, que não se comunique com servidores centrais da sua “dona” o tempo todo.

  4. Guedin, o que acha de uma matéria sobre o consumismo desenfreado no mercado tech?
    Vejo você ainda ser dono de um iPhone 8 e sinto uma baita inveja.
    Sinto que estou doente, sinto que muitos estão só não admitem.
    Troco de celular pelo menos 3 vezes por ano e nenhum me satisfaz por completo, só esse ano foram S10+, iPhone XR e agora S20+, nessas idas, perco dinheiro com capas, peliculas e mais uma série de coisas.
    Me propus a ficar pelo menos 1 ano e honestamente, não sei se consigo.
    Hoje percebo que canais tech, canais de unboxing etc se tornaram um baita gatilho.
    Um abraço!

    1. Interessante. Eu não troco de celular todo ano (condição financeira, segurança da cidade onde moro, e dos lugares que frequento não permitem), mas tenho uma vontade enorme de trocar porque sim.
      Eu percebi que tem um patamar de celular que me satisfaz, e tudo o que tá acima (mesmo que eu queira gastar dinheiro que não tenho, pra testar) é supérfluo pra mim.
      Resistência a poeira e água, tela 2k, caneta s-pen, tela amoled/oled, integração de baixo nível com instagram, apps de música profissionais, são incríveis. Só que o meu celular não tem nada disso, e ainda assim faz tudo o que eu preciso de uma forma fluida. Uso ele a 1 ano e nem senti o tempo passar.
      Para diminuir a vontade de trocar, parei de acompanhar os sites/canais de unboxing, “reviews” e “comparações” de celulares. Até vi notícias sobre o anúncio dos novos iphones, mas nenhum review.
      Acredito que quanto mais você se expõe a algo, mais chances tem de ser influenciado. Mesmo indiretamente. E coloquei uma regra na minha cabeça: se não tá travando, se funciona perfeitamente, não preciso trocar.

      1. hoje em dia tb quase não acompanho canais de tecnologia, muito menos no youtube, e quem acompanha bastante o site deve ter percebido que estou de olho num S10e, fui e comentei com minha namorada e ela me perguntou se o meu não atende minhas necessidades, se tem algo que preciso usar que não funciona nele e eu não tive resposta, aí desisti da compra, sendo que pro meu uso o meu redmi note 7 que tenho a mais de 1 ano me atende perfeitamente, não tiro muita foto, não jogo e se não pifar do nada, consigo usar por mais de 2 anos fácil

        1. Já viu os vídeos do Marques Brownlee, do Dave Lee ou do unbox therapy?
          Aquilo é outro nível… Nem vejo mais vídeo de youtubers brasileiros que falam de celulares. Os caras devem gastar um bocado em equipamentos, só pra filmar. Vem aquela “coceira” (ou tique interno) pra experimentar os aparelhos. Estou evitando esses canais por esse motivo hahaha.

          Eu ia pegar justamente o Redmi Note 7, baita celular equilibrado ano passado. Já vi um em ação com a GCam, o bicho é brabo. Escolhi o Zenfone 5Z por causa do snap845, e tirando a bateria (3300mah é pouco pra tanto processador), ele é excelente pro meu uso. Até testei o genshin impact, e o jogo roda no ultra a 60fps (!!!), muito melhor que o meu notebook (720p, low, 30fps, cpu e gpu fritando).

          Mas enfim, se o snap845 + 3300mah de bateria é pouco, imagina o S10e, que é ainda mais potente, e só tem 3100mah de bateria :(

    2. Kleverson, daria para resumir essa matéria dizendo apenas que é o capitalismo agindo em sua plenitude. De qualquer forma, você é um ponto fora da curva — as pessoas, no geral, não trocam de celular com tanta frequência.

      Pelo seu perfil, imagino que você acompanhe muito de perto sites e canais de YouTube de tecnologia que falam de lançamentos, fazem reviews, esse tipo de cobertura. Talvez uma diminuída nas visitas a esses lugares ajude. E tenha sempre em mente que não existe celular perfeito e que a cada seis meses sairá um “melhor”, mas que, na real, é só marginalmente melhor que o anterior e de maneira alguma comprá-lo te deixará mais feliz ou trará qualquer benefício relevante à sua vida, por mais que a publicidade e os youtubers digam ou sugiram o contrário.

      1. Concordo com tudo o que disse, exceto que sou um ponto fora da curva, na realidade, existem alguns grupos no Facebook repleto de pessoas que trocar de lançamento em lançamento.
        Várias pessoas que conheço, compraram S20 Ultra e venderam ou deram em troca na Samsung pra comprar o Note 20 ultra para então aguardarem o S21 e por aí vai. Haha.

        1. Vocês são um ponto fora da curva. Digo isso num contexto amplo, considerando todas as pessoas economicamente ativas. Posto de outra forma, são um nicho.

    3. gente, você deve me achar uma aberração! :)

      uso o iPhone 6s já há CINCO anos!

  5. qual é a opinião se vcs referente a nova identidade com mais de 10 documentos/informações nela? vale a pena ou não vale a praticidade em relação a privacidade?

    1. Cara, nem vi a notícia. Não apareceu nos sites que acompanho. Poderia mandar um link, por favor?

        1. Ah, ESSE documento… Eu não teria coragem de andar com o original por aí hahaha
          A primeira coisa que eu faria era tirar uma cópia e autenticar no cartório. Imagina perder o único documento que tem basicamente todos os números que te identificam no país?
          Eu acho que poderia ter um jeito de integrar tudo no combo CPF + RG. Seria mais jogo, você vai no prédio lá que faz o título de eleitor, faria o processo todo, mas não sairia com outro “papel”, na verdade só “ativaria” outra função pelo CPF/RG. A mesma coisa com a carteira de reservista, e assim por diante.

          1. na verdade pra vc as informações na identidade vc precisa ter o original dos outros, é tipo o CPF, eu tenho o cartão dele, mas nunca usei, pois ele fica na identidade

            e apesar de ser perigoso perder e alguém ter todos os seus números, facilita muito a sua vida na hora de uma contratação por exemplo, bastando entregar a identidade que já vai ter tudo ali.

            e eu tb concordo com esse combo que vc falou, seria muito mais prático

          2. Ok, bom ponto. Menos coisa pra carregar numa eventual necessidade. Já tive que voltar pra casa, só pra pegar algum documento que esqueci, ou não foi avisado que era pra trazer.
            Decidi que quero um documento desse, mesmo com os eventuais riscos haha

    2. Eu acho que vale a pena!

      Sobre as questões de privacidade, qual a novidade? Afinal, o governo já tem todos os seus dados cruzados e, pelo que eu entendi, a única coisa que esse documento faz é te dar um papel autenticado com tudo junto…

  6. Ghedin, sobre aquele trecho do podcast onde vocês falam sobre a CNH no celular: No último sábado fui parado em um posto da polícia rodoviária estadual. O agente pediu que eu colocasse a CNH na parte do QR Code, fotografou, e depois pediu pra ver o CRLV, que é no mesmo app. Ali, ele apenas pediu pra eu dar zoom na parte do exercício, e me liberou. Acredito que o normal seja não pegar o aparelho da mão da pessoa.

    1. Imagino que verificações referentes à CNH sigam esse protocolo mesmo, de não repassar o celular ao policial. E nem acho que eu, com essa cara que tenho (branquelo, em resumo), sofreria algum abuso de policiais. Ainda assim, prefiro não arriscar. Você já viu aqueles programas de TV do tipo “Polícia 24h”? Os policiais pegam os celulares de “suspeitos”, desbloqueiam e ficam vendo conversas de WhatsApp. É surreal e revoltante.

    1. Ele tem um aspecto de rede social mais forte, mas dá para usá-lo de maneira privada. Não vai ter os recursos de inteligência artificial, mas para guardar fotos e organizá-las manualmente, deve substituir o Google Fotos sim.

  7. Tem horas que acho que o mal da internet é pq ela começou feita por pessoas anti-sociais (ou melhor dizendo, pessoas com trejeitos sociais diferentes, mais reclusos ou de comportamento distante do comportamento de pessoas mais “públicas”, de relacionamentos mais abertos e amigáveis).

    Nisso, o ambiente online acaba, por mais que tenta emular uma sociabilidade, sendo não social, mais aceito a segregações, nichos e disputas.

    Soma-se o fato que a maioria dos “best sellers” – os sites de alta frequência de usuários – contam com pessoas cínicas o suficiente para dissociar certos comportamentos do site em relação aos seus usuários, e temos a tão dita “polarização” que hoje nos aflige.

    1. Não acho que tenha tanto a ver com os “pais” da Internet, Ligeiro… A questão de atuar com a sua identidade mascarada vai bem além da personalidade dos percursores da rede, mas é algo bem mais amplo, que tem a ver com a natureza humana. Agir sem ser identificado sempre foi algo que trouxe o que há de pior das pessoas…

      Sobre a polarização, acho que é muito mais válido que as pessoas com alguns “podres” (crentes da pseudociência, neonazis, etc) tendem a buscar refúgio na Internet, onde encontram muitas outras pessoas, que, por outra via, jamais conheceriam, e compartilham dos seus ideais.
      Pense, por exemplo, se no Brasil houverem 100000 neonazistas espalhados na população de 209 milhões de pessoas. Isso é basicamente 0.0004% da população. Mas pense em um site neonazista com 100 mil usuários. Parece muito, não?
      A questão da Internet é que o lugar de fala não é proporcional a realidade. Se, para cada 100000 neonazistas bostejando na internet houvessem os outros 208.9 milhões de pessoas falando do quão isso é ridículo falando, com certeza teríamos um ambiente mais representativo e democrático por aqui. Mas quantos % dos neonazis vão para a internet falar sobre? E quantos % dos “não-neonazis” fazem o mesmo? Essa é a questão da representatividade…

    2. Esse raciocínio é muito reducionista, Ligeiro. A internet pode ter começado em laboratórios e no Exército dos EUA, e mesmo que hoje ainda falte diversidade nas posições de liderança e tomada de decisões, não é nada muito diferente do “mundo real”. Essa distinção, aliás, caiu. A internet, em boa medida, reflete a sociedade. Acho que há muitos outros motivos, mais atuais e fragmentados, que explicam a polarização.

      1. Estou adepto do reducionismo. Parece que ajuda um pouco a manter a sanidade.

  8. gente, não parece urgente esclarecer essas invasões de hackers nos sistemas públicos? isso super preocupante…

    1. Se nem nos meios geeks se fala sobre isso.

      Acho que tem um tabu mal tratado sobre isso. Não sei se é cisma do setor com a população (eu tenho uma teoria que profisisonal de informática é um tipo bem nariz empinado e preconceituoso com a população, mas divago) ou se é falta mesmo de políticas públicas de tratamento de dados e segurança. Por mais que tenha tido a Lei de Dados e tudo mais, a área de informática no Brasil tem um descaso que poucos lidam.

      (mas em tempos: se eu conhecer um cracker / invasor criminoso de redes, vou parar na cadeia pois vou cometer um crime contra o mesmo.)

    2. Difícil o governo admitir que está sendo chantageado por um hacker random e virtualmente impossível de pegar, muito menos pagar o resgate. Essa história vai longe.

  9. Comprei um MacBook Air usado para me aventurar no mundo Apple e conhecer um pouco mais deste sistema. Vocês que já são usuários do macOS há algum tempo, tem alguma dica para um iniciante como eu? Uma das coisas que me agradaria saber é um bom bloqueador de anúncios para o Safari, por exemplo.

    1. Se estiver disposto a gastar, 1Blocker. Se não, tem o Ka-Block! (simples, mas funciona). Isso, claro, considerando que você vá usar o Safari.

      Acho que a melhor dica básica é aprender os atalhos no teclado. Eles funcionam em quase todos os programas, da mesma maneira, e agilizam muito a vida. Alguns intimidam (o de colar sem formatação até hoje acho bizarro), mas vale a pena o esforço.

      1. Obrigado, Chefe! Os atalhos são realmente muito úteis, tô me esforçando para tentar lembrar de todos 😅. Vou olhar os bloqueadores que você indicou. Por ora tô usando principalmente o Edge, porque já usava ele antes e a Microsoft realmente fez um bom trabalho. Mas queria usar o safari por estar mais integrado ao sistema e assim desfrutar da experiência completa.

    2. Paguei a licença lifetime do AdGuard na Black Friday passada e tô gostando demais! Em um ano já bloqueou 115K anúncios, 636K rastreadores e me economizou mais de 30GB de tráfego… Além disso, não mostra aqueles anúncios do YouTube (essa feature realmente valeu muito a pena pra mim).

      1. Bom saber. Vou aguardar pra ver se eles vão fazer promoção novamente.

    1. Sério, não sei como as pessoas levam a sério o “dá bilhão” (constantino)…

      1. Tomei conhecimento dele há uns 6 anos, acho. Asco total, mas por sorte as bobajadas que ele escrevia não apareciam para mim. Dai que uns 2 anos atrás apareceu algo dele que… concordei. Aí li outra coisa e concordei. Achei estranho, estava quase achando que tinha sido injusto com ele. Mas outra bobajada me fez voltar pra realidade. E aí acho que é o que acontece: você é enganado pelo relógio quebrado e acredita que ele tá certo.

        1. É tipo aqueles perfis de Twitter que sempre pintam na sua timeline via RT, e aí você fica meio curioso e começa a seguir, só para ver que de cada 100 tuítes, um ou dois são legais — justamente aqueles que apareciam na sua timeline.

        2. Se você concordou com o Rodrigo Constantino, recomendo uma releitura da sua opinião ou mesmo do que ele escreveu (pra se certificar que não leu nada errado).

          Eu conheço ele desde a época do Orkut, quando ele era “postador” em algumas comunidades de cunho libertário – e quando o movimento do Mises Brasil estava nascendo – e ele sempre se portou desse mesmo modo. O que acontece hoje em dia é que ele ganhou engajamento com as tática da extrema-direita usando o algoritmo dessas redes para subir. Assim como o Olavo de Carvalho, ambos sempre foram e sempre serão figuras execráveis.

      1. Ghedin, você que viu a máquina de dentro – e deve ter sofrido pra caramba – , sabe dizer o que motivou essa guinada à direita da Gazeta?

        1. O link que o Paulo indicou dá uma boa ideia. Resumidamente, a direção do jornal viu que a opinião pública, pós-impeachment da Dilma, estava se inclinando para as ideias reacionárias que eles defendem, aí resolveram explicitar o viés ideológico e colocar na praça um projeto editorial que o refletisse, defendesse e tivesse escopo nacional.

    2. achei bom q tenham mantido o constantino… assim deixam claro pra todo mundo o q pensam os donos do jornal. aos bons profissionais q ainda lá estão só resta lamentar mesmo – e torcer pra q eles logo possam arrumar outra coisa.

  10. Olá humanos, tudo bom?
    Venho aqui perguntar se conhecem outros blogs/sites que tenha a mesma pegada do Manual do Usuário, com foco em simplicidade e privacidade.
    Obs: De preferência em pt-br, porém me contento também com conteúdo em inglês e espanhol :)

    1. Cara, o Interfaces (Antigo ZTOP) recomendo pela simplicidade.

      Fora isso, sinceramente tou lendo muito pouco online “conteúdo relevante”, gastando mais tempo em se estressar no twitter… :\

      (Se não fosse o fato que me procuram pelo whats, eu ficaria usando só o Nokia N95…)

      1. Se eu te disser que preferia o visual da época do Ztop?
        Tô achando o visual atual muito estranho. Carregado.
        E Ligeiro, como é que tá sendo a experiência com o N95? Consegue navegar na internet de hoje com ele? Acessar youtube, twitter? Jogos, ainda tem algum fórum da época que tem os arquivos symbian pra instalar?
        Não sei se eu sinto saudades dessa época (tive um 5530 usado haha), mas foi muito emocionante. Quase brickei o celular tentando instalar uma CFW.

  11. eu sempre procuro alternativa open source para os meus aplicativos, no post livre 246 descobri o open board e finalmente substituí o swiftkey, pois antes tinha testado o anysoftkeyboard mas não me adaptei.

    e depois disso fui caçar um substituto ao evernote e achei o https://joplinapp.org/ (aliás, como configura link nos comentários?), ele é bem legal, integra na nuvem de sua preferência e tem até um web clipper, ele não é tão automático como o evernote, mas o substitui muito bem, estou adorando e até deixei de usar o próprio evernote (que inclusive importa coisas dele) e meu aplicativo de notas e pocket

    1. Uso o Notas, da Apple, e acho bem funcional para quem está nesse ecossistema. Temo apenas pelo futuro, caso um dia resolva adotar outra solução (não sei se ele exporta); como tenho poucas notas salvas, não seria tanto transtorno fazer uma migração manual.

      Esse Joplin, é leve? Quando vejo soluções multiplataforma, esse é o meu primeiro receio — geralmente usam alguma tecnologia que facilita o desenvolvimento, como Electron, mas que acaba sendo mal otimizada.

      Sobre o link, por padrão o espaço para comentários aceita alguns códigos HTML. Estas tags:

      <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote> <cite> <code> <pre> <del datetime=""> <em> <i> <q> <strike> <strong>

    2. Cara, brigadão. Finalmente vou testar algo pra substituir o swiftkey hahaha
      Na boa, tô mal acostumado ao bing integrado no teclado, você consegue fazer uma busca direto nele, tirar print (!) da tela e ainda por cima mandar só o print no whatsapp/telegram. Isso é irado demais!
      Nem sei se o teclado do google tem algo assim (não o uso desde março). Só essa função já é suficiente pra me sentir preso ao swiftkey.

      1. nem fala, o usei durante anos, cheguei até a comprar ele na época, hahah

        e essas funções que citou são sensacionais e infelizmente não tem (assim como por exemplo, não tem como colocar palavras sugeridas nas buscas em sites e aplicativos, e até o momento, só o swiftkey faz isso msm), assim como não tem o flow, que é o que estou sentindo falta, mas estou me adaptando bem a ele, e sobre a busca, como um arrastar de dedo na tela abre o navegador pra mim, então já pesquiso e tiro print (meu celular tem como apagar o print depois de compartilhado) e envio pra alguém, então não sinto tanta falta disso.

  12. Olá! Como boa parte do público é da área de TI, gostaria de perguntar se alguém por aqui trabalha com WP e banco de dados (MySQL). Eu tenho um site sobre carreira com blog e uma parte de vagas (que é a que usa banco de dados). O endereço é vidadetrainee.com

    A ideia é trabalhar com projeto de melhorias no site e correção de erros, mas a essa altura eu também estou disposta a remover alguns recursos do site para que seja mais simples fazer alterações (nesse caso bastaria conhecimento em WP).

    Quem tiver interesse ou conhecer alguém pode enviar um e-mail para contato@vidadetrainee.com

    PS: Eu sei que a ideia do post livre não é bem essa, mas está tão difícil conseguir indicações que decidi arriscar por aqui.

  13. Aproveitando que tá tudo vazio ainda, mas alguém já passou pelo erro “THREAD STUCK ON DRIVER” que aparece numa tela azul do Windows? Vez ou outra, quando estou usando o Premiere (e na maioria das vezes em algo super simples), o notebook trava e aparece essa tela. Já fiz uma vistoria nas atualizações dos drivers, mas aparentemente está tudo normal. Não faço ideia do que está rolando.

    1. Pesquisei no Duck Duck Go e lá só achei um tópico que falou sobre problemas em um driver AMD.

      Tente usar um driver mais antigo, pode ser que o driver atualizado tenha alguma função que o Premiere tenta acessar, só que a placa não fornece tal função.

Os comentários deste post foram fechados.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!