Anúncio Conheça a máscara antiviral que desativa os vírus em até 5 minutos

Bloco de notas 20#27: Facebook comprou o Instagram para neutralizar uma ameaça

Uma curadoria semanal de notícias, curiosidades e esquisitices da tecnologia pessoal.


🗞 Notícias

Os CEOs de quatro das Big Tech, Sundar Pichai (Alphabet/Google), Jeff Bezos (Amazon), Tim Cook (Apple) e Mark Zuckerberg (Facebook), foram ouvidos em uma comissão antitruste do Congresso dos Estados Unidos. Entre perguntas inócuas e delírios anticomunistas de republicanos, algumas boas perguntas colocaram os executivos contra a parede. O destaque foi a relevação de e-mails do Facebook em que Zuckerberg escreveu que a compra do Instagram se deu para neutralizar uma ameaça — be-a-bá de monopólios. [House Judiciary/YouTube, The Verge, em inglês; Folha]

Levantamento feito com base em 15 mil consultas no Google revelou que 41% da primeira página é composto por resultados que mantêm o usuário nas propriedades do Google. Além de uma ruptura aos princípios fundacionais do Google, trata-se de outro sinal de abuso de dominação de mercado. [The Markup, em inglês]

Twitter e Facebook suspenderam contas de influenciadores, empresários e políticos ligados ao presidente Bolsonaro por determinação do STF. Na decisão, o ministro Alexandre de Moraes justificou o bloqueio para interromper “discursos com conteúdo de ódio”. Foi a segunda vez que o STF deu a ordem ao Twitter e Facebook. O primeiro pedido, de maio deste ano, era inexequível por não indicar as contas a serem bloqueadas. Especialistas apontam que a decisão é inconstitucional e cria um precedente perigoso. [Folha, @britocruz_/Twitter]

Ilustração com uma mãozinha depositando uma moeda em uma caixa com o logo do Manual do Usuário em uma das faces, segurada por dois pares de mãos. Ao redor, moedas com um cifrão no meio flutuando. Fundo alaranjado.

Apoie o Manual do Usuário.
Você ajuda a manter o projeto no ar e ainda recebe recompensas exclusivas. Saiba mais »

Frente ao abuso sistemático das plataformas, entregadores estão se organizando para trabalharem em cooperativas. O modelo já existe lá fora e tem vantagens evidentes em relação à centralização de apps como iFood e Rappi. O difícil, porém, é tirar a ideia do papel. [Uol Tilt]

Notícias dos celulares de um futuro próximo. A Qualcomm anunciou a tecnologia Quick Charge 5, de recarga rápida da bateria. Ela é 70% mais rápida que a geração anterior, suporta 100W e recarrega a bateria de 0 a 50% em 5 minutos. Já a Corning mostrou ao mundo o Gorilla Glass Victus, que promete vidros mais resistentes a arranhões e a quedas de até 2 metros de altura. Ambos devem aparecer em celulares comerciais até o fim de 2020. [Qualcomm, Corning, em inglês]

Um hacker conhecido por ShinyHunters liberou bancos de dados de empresas com dados de 386 milhões de usuários. Entre os bancos vazados, estão os de duas brasileiras: Vakinha e Hurb (antigo Hotel Urbano). [BleepingComputer, em inglês]

Claro, TIM e Telefônica (Vivo) fizeram nova proposta pela unidade móvel da Oi em fato relevante publicado na segunda (27). Desta vez, com preço: querem pagar R$ 16,5 bilhões, além do direito de cobrir outras propostas maiores. [Folha]

O Grupo JCA começou a operar na quarta (29) a Wemobi, sua resposta à investida das startups de transporte coletivo, como a Buser. Por ora, há somente um trecho (SP-RJ) e a passagem está com um preço promocional de R$ 19,90 (assento executivo). [Diário do Transporte]

A Xiaomi lançou um punhado de novos produtos no Brasil,incluindo a nova pulseira inteligente Mi Band 5 (R$ 499), o Mi Box TV, rival do Chromecast/Fire Stick TV (R$ 499) e um novo par de fones de ouvido sem fio (R$ 399). [Gizmodo Brasil]


📚 Livro do mês

Todo mês, os assinantes pagantes do site concorrem a livros selecionados especialmente da nossa ~livraria online. Em julho, escolhi Instruções para um futuro imaterial, do Stefano Quintarelli, como o livro do mês. E a ganhadora foi… Luiza Pagliari. Parabéns! 📚🎉

Para concorrer aos livros dos próximos meses — e, de quebra, ajudar a manter esta newsletter funcionando —, apoie o site. A assinatura custa a partir de R$ 9 por mês e pode ser feita no Catarse ou PicPay. Obrigado!


📱 Apps

A Anatel lançou um app que compara serviços de telecomunicações — telefonia fixa e celular, banda larga fixa e TV por assinatura. O usuário pode ver preços e detalhes das ofertas na sua região e compará-las. As informações são das próprias operadoras. [Anatel]

Criada por um ex-executivo da Yellow/Grow, o Orelo é um novo app de podcasts brasileiro. Além do acervo público, comum a qualquer app do tipo, ele conta com produções exclusivas de famosos, acessíveis só para assinantes pagantes (R$ 6,90/mês). [Exame]

O iOS 14 traz indicadores de uso do microfone e da câmera. Pessoas que estão testando o sistema notaram que o Instagram acessa a câmera em locais onde ela não está em uso. Em nota, o Instagram disse tratar-se de um “bug” que será corrigido. [The Verge, em inglês]

O WABetaInfo flagrou em uma versão beta do WhatsApp para Android vestígios de uma opção para silenciar grupos para sempre. Ela deverá substituir o atual prazo máximo, de um ano. [WABetaInfo]

O backup do telefone presente no Google One agora é gratuito a todos e chegará em breve ao iOS, onde cumprirá o mesmo papel do iCloud. O app, que fará sua estreia no sistema da Apple, também ajudará o usuário a limpar arquivos de suas contas Google. [Google, em inglês]

A Lightricks lançou o Facetune Video, que — você deve estar imaginando — serve para editar vídeos de selfies, ou selfies em vídeo. O app é gratuito, com alguns recursos extras desbloqueáveis mediante assinatura de R$ 32,90/mês. Por ora, apenas para iOS. [Lightricks, em inglês]

O Mastodon 3.2.0, lançado no domingo (26), traz como principais novidades anotações privadas de quem você segue,novos recursos nas miniaturas de arquivos de áudio e vídeo, muitas correções, ajustes de interface e outros detalhes. [tootsuite/GitHub, em inglês]


💡 Dicas e curiosidades

Este vídeo prova que o cinema experimental brasileiro é incrível.(Não sei se o assalto foi real ou encenado, mas 10/10 pelo uso narrativo de novos meios, no caso, a live.) @CRIPTOPRAGA/Twitter]

Você piscou e, no último dia 14, o formato MP3 completou 25 anos.Curiosa a história de que o Fraunhofer, instituto alemão que criou o formato, queria comercializá-lo, mas graças à pirataria do CODEC (!) o plano não se sustentou. [Hackaday, em inglês]

Adam Molina percebeu que fones de ouvido sem fio têm uma característica preocupante: seus apps coletam quantidades enormes de dados pessoais dos usuários. As fabricantes argumentam que essa coleta ajuda a melhorar a qualidade dos produtos, mas não negam que podem repassar tais dados a terceiros. Como dados de menstruação ajudam a melhorar fones de ouvido é uma questão em aberto. [SoundGuys, em inglês]

O Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia dos EUA descobriu outra vantagem no uso de máscaras: elas confundem algoritmos de reconhecimento facial. Foram testadas 89 soluções comerciais e, com máscaras, a taxa de erros ficou entre 5% e 50%. [NIST, em inglês]

Ainda em beta restrito por convites, o Medium agora tem temas/layouts personalizados e exibe parte dos posts na página inicial. O processo de transformação no Blogger (ou em qualquer plataforma de blog convencional) está terminado. [Medium, em inglês]

Print do site da loja da Apple mostrando o cabo Thunderbolt 3 Pro de R$ 1,3 mil.
Imagem: Apple/Reprodução.

O novo cabo Thunderbolt 3 Pro da Apple (acima) marca todas as caixinhas de recursos: tem cabo reforçado de 2 metros, suporta 40 Gb/s de transmissão, é compatível com USB 3.1 Gen 2 e DisplayPort (HBR3) e passa até 100W de potência para recarga. O preço? R$ 1,3 mil. [Apple Store]


Se você curtiu este Bloco de notas, assine gratuitamente a newsletter do blog para recebê-la semana que vem, gratuitamente, direto no seu e-mail:


Edição 20#27

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!