Post livre

Post livre #210

Toda semana, o Manual do Usuário publica o post livre, um post sem conteúdo, apenas para abrir os comentários e conversarmos sobre quaisquer assuntos. Na semana do Carnaval, vamos estender o papo em alguns dias 🎊

Acompanhe

Newsletter (toda sexta, grátis):

  • Mastodon
  • Telegram
  • Twitter
  • Feed RSS

133 comentários

  1. Eu consegui largar o WhatsApp e estou somente no Telegram.

    Avisei a todos via stories e mandei e-mail para meu chefe e colegas de trabalho. Respondo via SMS, e-mail, Telegram ou até mesmo telefone.

    Uns 4 ou 5 instalaram Telegram pra falar comigo. Só acho ruim perder contato mais próximo com meus pais. Mas vou instalar pra eles.

    1. Máximo respeito!

      Estou sem Facebook e Instagram a mais de um ano (nunca tive Twitter). Tentei migrar para o Telegram mas pouquíssimos amigos usam.

      Meu sonho de médio prazo seria largar o WhatsApp. Realmente não gosto da maneira que transformou nosso fluxo de comunicação.

  2. estou achando bem bacana o lance da popularidade do mastodon. estou há um bom tempo (desde de julho do ano passado) tentando emplacá-lo na firma pra talvez ser a única rede social da qual fazemos parte em algum momento glorioso, mas sem sucesso. e, caso a coisa engrene algum dia, ao criar um instância vcs conhecem de alguma discussão q tenha rolado ou mesmo algum tipo de orientação no sentido legal?

    a minha preocupação é a seguinte (e estou antecipando o q o jurídico me questionaria): crio uma instância; muitas pessoas entram; e, de repente, alguém, sei lá, resolve fazer algo q possa render um processinho. exemplo: um usuário ofende o outro e resolve processar a ele e ao proprietário da instância por não ter criado um ambiente seguro etc.

    vcs acham q algo assim já foi debatido, discutido ou mesmo já aconteceu? uma situação q me parece análoga com a própria área de comentário. alguém escreve algo terrível e aquilo não é deletado em tempo e uma pessoa resolve processar o autor do texto e o proprietário do site por permitir q aquele comentário fique disponível tempo suficiente pra ser lido por X pessoas.

    1. Acho que o raciocínio é esse mesmo: o dono da instância responde solidariamente ao ofensor. Por isso é legal limitar o tamanho da instância, para que haja braço para moderar bem. A instância em que estou, a Mastodon(te), tem um teto de 1 mil membros.

    2. Teve uma vez um caso que fiquei a ponto de processar quem cuidava de um fórum (O OuterSpace). Só que no final me segurei pois não queria gastar tempo e dinheiro (que eu não tinha) para uma idiotice.

      Mas me arrependo um pouco, queria ser um dos pioneiros a processar gente estúpida online.

  3. acho que vou criar aqui uma espécie de mini-seção, com o nome de “Contos da Santa Ifigênia”, mesmo não sendo relacionado a Santa.

    Dias atrás uma empresa de terceirização de mão de obra de tech me ligou perguntando se eu estava livre para fazer um serviço.

    O cara falou de um jeito rápido demais e tive a sensação que o cara queria forçar algo. Eu estava no meio de outro atendimento enquanto falava com ele.

    Perguntei como é as condições de pagamento – 10 dias depois do serviço feito. Recusei pois vi que não ia compensar eu me deslocar com pressa para algo que eu ia receber muitos dias depois.

    Fui pesquisar o nome da empresa e achei uma página dela no Reclame Aqui, com diversas reclamações sobre atrasos no pagamento.

    Sinto que fiz bem em recusar um serviço que ia ser arriscado NÃO RECEBER. Pois não duvido que dariam qualquer desculpa para não pagar. Detalhe que a empresa que terceiriza fica em outro Estado, não no Estado que estou (São Paulo).

    Já pensei em procurar o Get Ninjas, mas sou muito covarde pra isso. Queria era na verdade achar alguma forma de trabalhar com alguma empresa que pague no ato do serviço, algo meio difícil. E como não tenho na verdade jeito comercial – precificação, agendamento, etc – tudo para mim acaba bem difícil.

    1. Vi lá e achei legal.

      Não sei se estou certo, mas não era o Marcos Gomes o cara que ajudou a fazer o Taboola ou tou ficando maluco e confundindo as coisas?

        1. Sim, ele criou a Boo-Box e depois vendeu pro grupo do Jovem Nerd e se mandou pros EUA. Ele trabalhava (ou trabalha) pra Palantir do Peter Thiel (o que não é algo 100% bom) que é uma empresa focada em “vigilância” (leia-se: dados pessoais).

          Sobre o Taboola, não sei se foi obra dele, mas é bem possível @ligeiro, uma vez que ele foi um dos pioneiros nesses esquemas de mkt online segmentado. Dava pra ganhar dinheiro na época da Boo-Box veiculando anúncios no Twitter. Cheguei a sacar R$800 uma vez na minha conta com eles.

  4. Alguém tem um atalho para iOS para chamar números que não estão nos contatos pelo whatsapp? Tinha o “chamar no zap” que foi até recomendação aqui do MDU, mas não tem funcionado mais.

  5. Ghedin, pensei uma coisa aqui que se eu tivesse dinheiro até financiaria este trabalho.

    Lembro quando tu fez a reportagem sobre o Flogão, e nisso achei bacana pois expôs um nicho dos “fãs de transporte”, que meio que virou algo o que a terminologia japonesa chamaria de “otaku”, que ao contrário da amenização da tradução ocidental, no Japão significa fã obsessivo.

    Bem, fora esta introdução, a ideia era fazer uma reportagem sobre os “canais de motoristas” no YouTube. Tipo “Gustavo Interestadual” ou “Ônibus Na Rodagem” (este último sou fã, não nego). Acho interessante que tenha uma audiência cativa e de alguma forma cria núcleos de fãs e interessados nas áreas onde os “hosts” atuam, sejam motoristas de ônibus, caminhão, etc…

    Ao meu ver, destacar eles também ajudaria a rebaixar o valor que canais de “condutores irresponsáveis”, como Mike Terrorista, KLE (este último acho que apagou o canal), e canais de gearheads / motorheads / petrolheads que dizem que “estão simulando uma situação” mas na verdade estão acelerando acima dos limites de velocidade em vias públicas e/ou gerando situações de perigo de tráfego, quando não incentivando práticas criminosas.

  6. Alguém conhece alguma distribuição linux pequena mas funcional para pequenas manutenções (recuperação de arquivos, acessar o hd etc) e que funcione apenas pelo pendrive? quero deixar algo assim em um pendrive que tenho na mochila para casos nos quais eu precise acessar a maquina caso o sistema da maquina quebre e ao mesmo tempo, não quero ocupar todo o espaço do meu pendrive (ele tem apenas 8GB).

    1. Antix ou Mx linux: leves, rápidas (em um i3 com 4GB de RAM inicial em 40 segundos).

      1. Não conhecia esses, mas o que eu quero é algo menor que 1gb para manter no pendrive e sem ocupar muito dele.

          1. Obrigado!!

            Uma outra pergunta, saberia algum programa para passar o sistema para o pendrive onde, ao mesmo tempo que ele cria um novo particionamento no pendrive, ele deixa “ocultado”?..
            ..eu lembro que tinha algo assim para windows, mas eu não lembro agora o nome do software que fazia isso

          2. O que vc quer deixar oculto? desculpe, não entendi a pergunta…

          3. O processo seria o seguinte..
            O sistema criaria uma nova partição no pendrive => passaria os arquivos para serem identificados ao dar boot no sistema => deixaria essa partição não identificável pelo sistema operacional (apenas para o boot do sistema)

  7. Alguém aí tem familiaridade com “fabricação” de PCs? Eu lembro que li em algum lugar, que acho que foi aqui, sobre empresas na China que faziam a montagem de PCs de acordo com o que era pedido pelo cliente, com HW e SW específicos prontos. E personalização de “case”.
    EU estou procurando algo parecido, mas no lugar de PCs, quero/preciso de Sticks, aqueles computadores parecidos com um chromecast da vida, sabem? Alguém conhece algum lugar que eu possa encomendar esse tipo de coisa?

    1. não conheço, mas uma sugestão seria comprar um Raspberry Pi e um case para ele caso não encontre o que procura de forma personalizada..

    2. Você quer só um para você, ou em volume? Se for só um, as lojas chinesas devem ter dezenas desses negócios à venda. Se for em volume, provavelmente é com os mesmos fornecedores, mas aí precisa a burocracia é maior para importar e, por ser equipamento que emite ondas eletromagnéticas, tem que homologar junto à Anatel antes de vendê-los aqui.

      1. Seria em volume, e a burocracia eu sei que existe. Estava tentando achar justamente um desses fornecedores, mas não sei nem como pesquisa-los ainda! Alguma dica, Ghedin?

        1. Não duvido que os mesmos vendedores do AliExpress e outras lojas trabalhem com volume, mas ficarei lhe devendo informações mais precisa :/

    3. Dias atrás vi um lote na Santa Ifigênia, em uma loja da Rua Aurora. Só que eram sticks prontos, com android. Acho que já foram vendidos todos, pois não vi mais nada.

      Usar um “Android Box” não compensaria não?

  8. Chegou a hora da pergunta semanal: o que estão lendo/ouvindo/vendo/experimentando?

    1. Já falaram aí embaixo algumas coisas.
      Mas eu ao menos não tenho escutado nada ultimamente.
      Eu quero é descolar um rádio FM para escutar nas caminhadas ao trabalho.

    2. Lendo: algumas coisas sobre literatura, escritores, arte etc. que coloquei no Pocket e um livro de Marketing Digital

      Ouvindo: playlist maneira que montei para minha mãe

      Vendo: meus amigos aqui na petit paris brasilien

      Experimentando: as mesmas comidas que como quando venho a petit paris brasilien

    3. Lendo: Rápido e Devagar (Daniel Kahneman) e Barba Ensopada de Sangue (Daniel Galera – que conheci aqui pelo MDU :))

      Ouvindo: Coldplay – Viva la vida (pela nostalgia kkkk)

      Vendo: Special (Netflix)

      Jogando: Darksiders e Skyrim. Joguinhos antigos mas ainda muito bons.

    4. Lendo: Sonhos Elétricos, durante o dia alguns artigos sobre tecnologia e sobre como utilizar melhor as assistentes pessoais, e perto da noite coisinhas sobre moda calçadista.

      Ouvindo: de tudo, sempre fui eclético, minha playlist pessoal tem desde Asking Alexandria até Cássia Eler.

      Vendo: nada, já olhei tudo de novo na Netflix, olhei pirata ontem o novo Exterminador do Futuro, estou esperando a nova temporada de Altered Carbon agora final de fevereiro, e metade de março tem a terceira temporada de WestWorld (e fica aqui a indicação do podcast do Mamilos sobre consciência, partindo da visão de WestWorld)
      Experimentando: comida nordestina, abriu um restaurante/pub perto da minha casa e é tudo maravilhoso.

    5. estou lendo “A Guerra: a ascensão do PCC e o mundo do crime no Brasil”

      1. Se você gosta desse tipo de leitura eu recomendo o “Rota 66” e do “Abusado” do Caco Barcellos.

    6. Lendo: Essa Gente, do Chico Buarque
      Ouvindo: LCD Soundsystem
      Vendo: Peaky Blinders, na Netflix
      Experimentando: Apple Music, mas me dá uma preguiça danada “treinar” o algoritmo pro meu gosto musical que o Spotify já aprendeu há anos. Falando nisso, há alguma forma de “migrar as preferências musicais” do Spotify para o Apple Music?

        1. “Leite Derramado” do CB é melhor do que “Essa Gente”.

    7. Lendo: algumas coisas do meu pocket e tentando ler O Senhor dos Anéis

      Ouvindo: umas playlist aleatórias de musica clássica e metal no spotify

      Vendo: aluguei na locadora paulo coelho a segunda temporada de westworld

    8. Ouvindo: Architec Project
      Vendo: A série “Prescrição Fatal”, série sobre a crise de opióides, triste mas muito interessante
      Experimentando: A distribuição linux brasileira DuZeru Os

    9. Saiu album novo do Ozzy, então vou digerir ele nesse fim de semana. Quero aprender também umas músicas do primeiro álbum do wolfmother.
      Ainda preciso parar e ver o que saiu de filme para esse fim de semana.

    10. Lendo: O Grande Gatsby que a Amazon deu de graça para Prime um dia desses.

      Ouvindo: não exatamente essa semana, mas tinha pego Epic do Kamasi Washington para ouvir e que incrível!

      Vendo: assisti Modern Love no Prime, boa série tipo “feel good”para assistir.

      1. tentei ouvir, mas não deu. ruim demais…
        fica pra outra oportunidade.
        algumas letras são mesmo engraçadas.

    1. O sertanejo antigo, da época do Almir Sater era bom. Eu gosto de ouvir até hoje. “Tocando em Frente” é uma canção muito boa mesmo.

      Esse novo sertanejo que bebe da estética do funk e da festa de barretos não tem como. O Feminejo idem.

  9. Resolvi sair do Mastodon. Sinceramente acho que vicio fácil em redes sociais (só verem o quanto de anos vocês me aguentam aqui no Post Livre :p ), e sinto que eu já tava perdendo demais a mão.

    Entendo toda a movimentação “em busca de uma rede social perfeita”, mas sinto que tudo isso irá em vão a partir do momento que a galera se tocar que estamos indo demais atrás de contatos e menos de relacionamentos. Sei lá, só quis falar um parágrafo bonito agora.

    Continuarei no twitter para acompanhar os perfis informativos que costumo ver, no Facebook para ver o Marketplace e o YouTube para ver minha lista de deep house lo-fi e os episódios de Linus Tech Tips e Techmoan. Não tem como, o comodismo vence.}

    E afinal, qual o MEU valor para as empresas? Não tenho dinheiro, tou duro, não ganho nada, não tenho nada de valor – nem ético, nem de informação útil, nem de relevância social

    1. se vc está online, tem algum valor.
      se vc pode ser rastreado de alguma forma, mínima q seja. tem algum valor.
      e mesmo se vc não tiver nada, agora com o reconhecimento facial, vc tem valor, pq o reconhecimento só existe pra poder nos monitorar, esteja vc online ou não, então nossa imagem e presença em determinados lugares tem valor. no simbólico e no real, nos tiram tudo.

      1. Não tenho.

        Valor significa reconhecimento e retribuição também. Não é apenas um número que significa audiência.

        Existe um erro em pensar que “os grandes e malvados empresários tiraram tudo de nós”, sendo que no final nós buscamos padrões em atendimento, produtos e serviços, o que significa monopólio.

        30 anos de uma “corrida do ouro” pelo valor do serviço online e ainda não se caiu a ficha que se pessoas tivessem valor para empresas, teria cabo de diva ótica até em rincões distantes , e cobertura 4g em toda e qualquer via pública.

        1. ..pra mim, vc tem valor, nem que seja para um anuncio que tem como finalidade, te influenciar para alguma ideologia ou, fazer você, em uma roda de amigos, influenciar (comentar sobre o que viu/leu/ouviu) alguém que para aquela empresa tem valor..

          1. hoje estou “bad vibe”, perdão. Aqueles dias que fico refletindo sobre no final o que tenho feito de útil (nada…) e o que tenho ganho (nada)
            Se eu tivesse uma grana a mais, ia fazer algum bate-volta em algum lugar ao invés de ficar remoendo nestes comentários.

            Nessas horas entendo o quão relevante as pessoas consideram as religiões, pois tais ajudam a “tirar o peso da consciência” – jogando em algum inimigo a culpa da mazela ou achando uma forma de melhorar a auto estima da pessoa.

        2. É exatamente porque as pessoas tem valor para empresas que não tem cabo de fibra ótica nos rincões. Essas pessoas temo menos valor (são menos ricas) que aqueles que vivem nos centros econômicos.

          Você está incorrendo no erro da “pós” política de acreditar que o problema são as pessoas e não o sistema. De pensar que as pessoas buscaram ativamente o modo de vida atual ignorando o que movimento as campanhas de marketing e os valores sócio-culturais que nos movem.

          [deu um esticada no conceito de pós política pra aplicar pra vida e não apenas pra política]

          1. Posso até ter passado essa impressão, mas não, não penso assim..

            ..é como um li (não lembro se foi em um livro ou matéria) uma vez algo mais ou menos assim, “enquanto você é uma pessoa de um lado da tela, existem outras 1000 do outro lado pensando em como obter mais do seu tempo”..

            ..eu não acredito que todo mundo tem o mesmo valor, mas acredito na hipótese que a “nova moeda” das empresas é seu tempo, e para isso, conhecer melhor quem você é, é sim importante para elas.

            “É exatamente porque as pessoas tem valor para empresas que não tem cabo de fibra ótica nos rincões.” Calma, acredito que agora entramos em um outro universo onde, custo vs beneficio não é realmente vantajoso em nenhum aspecto (vide o google removendo os wifi gratuito dela do mundo inteiro), mas se pensarmos em um Facebook da vida (um serviço de aspectos e com um modelo de negocio diferente, e acredito que seja o ponto atual da discussão), podemos chegar ao ponto onde, a “massa” deu o poder para ela crescer da forma como é hoje (tem números de visualizações e tempo por usuário etc etc) e isso não é pq meia dúzia de gente rica acessa.

          2. O @Ligeiro colocou a questão de que as pessoas não tem valor para as empresas porque, por exemplo, não temos infraestrutura nos bairros mais pobres/afastados. E a questão é que é o oposto disso pra infraestrutura: exatamente porque as empresas enxergam as pessoas em valores diferentes que existe essa discrepância de infraestrutura.

            Pelo Facebook todo mundo teria acesso à plataforma deles, mas, eles não são uma empresa de infra (até tentaram ser, acho). Idem pro Google. A questão do ponto de termos muito mais opções no mercado “rico” é exatamente porque esse mercado, essas pessoas, são “melhores” para empresas porque gastam mais. E isso é, exatamente, valorar as pessoas como mercadoria, o oposto do que o @Ligeiro tinha dito anteriormente.

            Acho que o que ele quis dizer é que as empresas não se importam com as pessoas como seres humanos, somos apenas números que eles olham numa planilha de dados pra traçar estratégias melhores para vender mais coisas sem sentido. Se for isso eu concordo.

            Acho que, no fundo, foi isso que o @Ligeiro quis dizer.

          3. Eu entendi errado então sobre o ponto que o @Ligeiro colocou em pauta..
            ..e sim, concordo 100% com você, nesse aspecto

          4. Facebook e Google lucram bilhões de dólares todo trimestre mostrando anúncios para pessoas. Evidente que elas não nos enxergam como iguais ou com alguma humanidade, mas a base desses negócios é a atenção que damos a eles e, portanto, qualquer um conectado tem valor, ainda que seja menor. (O Facebook quebra o quanto cada pessoa, em média, lhe rende dependendo do continente. Os norte-americanos são mais valiosos, mas é bom ter em perspectiva o porquê: eles gastam mais.)

            Facebook e Google investem em infraestrutura na medida em que se faz necessário para alcançar mais… pessoas! O Station, programa de Wi-Fi gratuito do Google, foi encerrado porque cumpriu sua missão — não era oferecer Wi-Fi de graça, era pressionar as operadoras a ampliarem o acesso e reduzirem o preço do 3G/4G.

            Ligeiro, vi que seu comentário foi motivado pelo Mastodon. E notei (te sigo/seguia lá) que você ficou agitado com a nova onda de usuários, nem todos aderentes as convenções do local, alguns mais espalhafatosos e tal. Cara, é normal. Em qualquer reunião de pessoas, online ou presencial, haverá distorções do tipo. Socializar é negociar constantemente — ceder, retrucar, concordar, discordar, esbravejar, elogiar etc. — seja aqui, no Mastodon ou numa mesa de bar com os seus melhores amigos.

          5. Acho que no final acabarei sempre discordando um pouco de ti Pilotti (e também do Montarroios e do Ghedin), pois tenho muito na cabeça que “O ser Humano É o Sistema”. Pois sempre estamos buscando algum tipo de melhoria para nós, ao mesmo tempo esperando esta busca em outros também. Mas é um ponto pessoal, nem irei me estender nisso. Mas vi que a conversa estendeu legal neste tema. A ideia dos rincões e do valor das pessoas chegaram onde eu pensava também.

            @Ghedin, grato pelas palavras. O ponto é que hoje foi mesmo uma bela duma “bad vibe” que se eu tivesse aí perto chamaria tu para tomar um café e conversar (ou talvez o Pilotti também, se morasse perto dele), e provavelmente até levaria bronca de vocês dois pelo desabafo.

            Mas são coisas pessoais que acabo as vezes trazendo aqui ao invés de botar na sala de terapia. ;)

            O(s atos no) Mastodon foi ainda efeito da “bad vibe”, mas de qualquer forma até melhor evitar entrar em novas redes enquanto a cabeça não estiver bem estabilizada em aceitar opiniões contrárias ou lidar com o mar de informação – sinceramente estava em um ponto que eu acessava quase que incessantemente a rede social (Domingo usei sem parar enquanto andava em SP) e entrei em um embate bobo por uma convicção estúpida. “Someone is WRONG on the internet”.

          6. @ligeiro

            Como assim “o ser humano é o sistema”?

  10. Eu tenho quase certeza que foi postado aqui, ainda no passado, o relato dos trabalhadores da Cultura sobre assédios e tantas outras coisas.

    Agora saiu uma mais matéria (hoje) sobre o ambiente de trabalho daquele inferno chamado Cultura onde mostra que a coisa piorou depois que vieram à tona os relatos de abusos cometidos pelos chefes da empresa.

    E a tendência, com a crise e a “liberalização” da economia é que esse tipo de ambiente seja cada vez mais o padrão das empresas.

    https://passapalavra.info/2020/02/129948/

    1. Caramba, ainda não tinha visto sobre, é triste ver isso e infelizmente vai acontecer muito daqui pra frente, a famosa meritocracia e números atrás de números. obrigado por compartilhar Paulo.

      1. A tendência é piorar bastante. A Cultura vai encontrar seu merecido fim – já está em recuperação judicial – mas para cada Cultura que fecha abrem outras 100 empresas como chefes como esse.

  11. Uma coisa que “me peguei” implicando é, estou bem mais rigoroso com os sites/blogs que visito.. ao se deparar com o modelo/estilo do MdU é difícil o método “tradicional” agradar..

      1. Acho que pra mim o que mais pesa é a simplicidade do site (o que, meio que filtraria os sites pesados) e a qualidade do conteúdo..

    1. Obrigado pelo elogio!

      É realmente difícil encontrar outros sites que tenham o mesmo compromisso com velocidade e simplicidade. Se eu for meticuloso, a maioria incomoda em alguma medida. (Por isso acabo lendo muita coisa por RSS mesmo.)

      Um reforço que ameniza o estado lamentável da web é ter instalado um bom bloqueador de anúncios. A experiência, embora ainda não seja a ideal, muda da água para o vinho.

      1. Verdade. O chato é que ficam uns espaços em branco nas páginas, o que as faz parecerem “quebradas”.

    1. Certo que aquelas receitas do Tastemade são assim também.

    2. Minha esposa é viciada e fã desses tipos de vídeo, eu nunca gostei, mas fiquei espantado com isso, é o clickbait para adultos. O que importa são visualizações e não o conteúdo. Obrigado por compartilhar.

  12. Semana passada o Tiago Bacciotti (adorei o sobrenome) mencionou ter gostado do álbum que recomendaram aqui, mas não entrei no site a tempo de responder ele. Mas caso ele esteja lendo, não fui eu que recomendei, foi o Capitão Caverna. Só endossei a recomendação. Mas que bom que gostou. O álbum é bom mesmo.

    Uma banda que vou recomendar sempre, pra todo mundo, é Fleet Foxes. Tive que escutar o primeiro álbum deles umas três vezes pra começar a gostar, e agora não vejo a hora de lançarem o quarto. Gosto muito do som deles.

    Recomendo os dois últimos álbuns da Weyes Blood também. Nunca escutei os dois primeiros dela, não sei por quê. Um dia talvez eu ouça. Mas os dois últimos são maravilhosos. Podem escutar sem medo. “Movies” é a minha música preferida dela, do último álbum, lançado ano passado. Meu álbum favorito do ano passado disparado, mesmo amando Vampire Weekend.

  13. Comprei a Sony Nex 6 que comentei a uns dois PL atrás, mas ainda estou apanhando.. vcs tem alguma indicação de site ou canal para visualizar algumas coisas dicas para iniciantes?!

    1. Há muitos canais bons em inglês sobre assuntos de fotografia, inglês é um problema para você? Se não for, o canal do casal Tony & Chelsea tem uma playlist que pode ser útil para começar a navegar nesse meio: https://www.youtube.com/watch?v=JwT5WzsaXv0&list=PLwIVS3_dKVpsyZJ-BhsCHwTj8Y6PEAurc

      Quando estava bem no começo, tentei aprender como controlar o triângulo de exposição (ISO, obturador e abertura da lente) na minha câmera e demois comecei a praticar e continuo acompanhando alguns canais do YouTube que se se aprofundam nesses e outros conceitos. Para mim funcionou, mas sei que nem todo mundo aprende igual.

      Eu tenho um livro sobre o básico de fotografia com infográficos chamado “Photo-Graphics: Exposure: An Infographic Guide to Photography” achei um ótimo guia para iniciantes. Dá para comprar pela Amazon, mas é caro por ser importado. Se interessar, posso ver de empresta-lo para você…está apenas enfeitando minha estante no momento.

      1. O inglês não chega a ser um problema, mas sei que vão existir alguns termos que não vou entender, o que pode dificultar um pouco o aprendizado, mas nada que um certo esforço não resolva..

        “triângulo de exposição” já da para ter um ponto de referencia para quem não sabe absolutamente nada, obrigado.

        É realmente meio caro o livro na Amazon, e pelo o que eu pesquisei, é um livro que normalmente aparece entre os livros recomendados no meio fotográfico (em sites gringos). Ficaria feliz em poder tê-lo em mãos, mas um medo meu de pegar emprestado é, de que alguma forma, eu acabe prejudicando o livro.

        1. Eu ficaria mais feliz com ele estragado mas sendo útil para alguém do que na minha estante, sinta-se a vontade…pode mandar um e-mail para gda.gabriel@gmail.com ou na rede social que preferir que estou como gdarruda (Instagram/Twitter) e a gente combina se você se interessar.

          Em relação a esse negócio do triângulo, tem esse vídeo do Sean Tucker sobre modo manual que é ótimo: https://www.youtube.com/watch?v=LUtlZ3sahz8. O canal dele é mais focado na parte artística, mas essa é uma ótima explicação técnica.

          E boa diversão com esse novo hobby!

          1. Enviei uma e-mail com o titulo: Post Livre – Livro.

            Novamente, muito obrigado.

    2. Falando como fotógrafo amador, o que mais impactou a minha relação com a fotografia depois que peguei uma câmera decente foi entender os conceitos de velocidade do obturador e abertura do diafragma e, principalmente, como eles se relacionam. Tem material abundante explicando esses conceitos, inclusive em português.

      De qualquer maneira, com uma câmera tão boa como a NEX-6, até no modo manual você consegue tirar fotos espetaculares.

      Sendo assim, a minha principal dica é: tire muitas fotos.

      1. Um amigo meu me deu uma leve apresentação de como usar, e desde então, só estou tirando fotos no manual, mexendo na velocidade do obturador e abertura do diafragma e um pouco na ISO.. estou bem animado com essa descoberta kk.

      2. Uma coisa que ainda falta é, saber como dar um “tapa” nas fotos tiradas em RAW.

        1. Use o programa da câmera ou se tiver o Photoshop / Lightroom, é lá que você faz os ajustes e compensações quando necessário.

    3. aqui (kutt.it/mTA96U) algumas das fotos que tirei hoje e que estão minimamente boas (assim eu deduzo)

  14. Li uma matéria no The Verge sobre a Microsoft que se prepara para lançar um app anti-vírus (o renomeado Microsoft Defender) para dispositivos Android e iOS.
    Queria saber se vocês usam esses tipos de aplicativos e o que acham deles – realmente precisamos de antivírus nos smartphones?

    1. Eu sinceramente acho que não. Se você não baixa apps das lojas (ou apps de japinhas/da Baidu na Play Store), já tem um nível razoável de tranquilidade.

      Até porque, no caso do Android, os antivírus são mais prejudiciais e menos confiáveis que os vírus em si (alô Avast e AVG!).

    2. depende muito

      creio que o antivírus vá identificar quando vc entra em site falso de banco, quando baixar algo fora da playstore, então se vc não faz isso, creio que não deva se preocupar

    3. Coisas que melhoraram muito minha qualidade de vida envolvendo computador:

      -não usar antivirus
      -não instalar o software de multifuncional da HP
      -não instalar nada de internet banking no PC

      1. Por via das duvidas, deixo o antivirus do sistema operacional (se tiver).

        No meu caso, como uso Win 10, só com o da própria microsoft.

        Trivia: uma pessoa conhecida tem o costume de instalar o Avast, e já falei para a mesma que só serve para deixar a máquina mais lenta, enquanto que ela fala que é o da Microsoft que deixa lento… ¬¬

    4. Um amigo meu é tão medroso com isso que instalou o Avast E o AVG no smartphone. hahahahaha

      1. Se é algo que “ganho dinheiro fácil” é quando vejo a pessoa que tem AVG, Avast, Avira, Segurazo, Baidu e McAfee tudo instalado ao mesmo tempo na máquina.

        (ganho dinheiro fácil e surto ao mesmo tempo, dado que falo pro cliente: “ow cara, presta atenção no que instala!”).

        (Já tive casos de ter que desinstalar na unha um Baidu no pc, já que não tem nem mais suporte para este troço)

    5. No iOS é especialmente estranho porque um antivírus, no sentido mais puro, nem é viável e nem existe “vírus” ou qualquer coisa do tipo que corrompa o sistema.

      Existem algumas outras ameaças, como instalação de adwares, golpes, etc., que são mitigáveis por antivírus modernos. Mas… sei lá. Acho que para o leitor assíduo do Manual, é meio dispensável.

      Opa, falei disso uma vez aqui em profundidade! Link para a matéria: https://manualdousuario.net/antivirus-celular/

    1. Bloquinhos no fim de semana e atualizar o sistema da firma segunda e terça ¯\_(ツ)_/¯

    2. Acho que vou nuns bloquinhos no final de semana e viajar para ver meus pais na segunda-feira.
      Queria mesmo era dormir bastante e fazer algum esporte também…

    3. Eu vou pro bloquinho e beber moderadamente (estou tomando antibióticos).

    4. Cuidar do meu filho, terminar ao menos um dos livros que comecei (provavelmente o “Economia Donut” e começar a trabalhar nas músicas do meu próximo album.

      E vc Ghedin?

    5. Chácara com a família da namorada (pra fugir da muvuca dos bloquinhos) e passeio com a vó na quarta-feira. (:

    6. Ganhei a Segunda e Terça de Carnaval de surpresa pela 1ª vez em uns 10 anos.
      Tô perdido igual aquele meme do John Travolta no Pulp Fiction porque não planejei absolutamente nada que não fosse trabalho.

        1. E qual o problema?

          (Tipo, eu não curto carnaval, preferiria ganhar dinheiro)

          1. Se você trabalha por conta própria, normalmente feriados/folgas não dizem muita coisa porque, afinal, você pode tirar essa folga quando quiser (teoricamente).

            Mas quando você trabalha nas folgas usuais via CLT, você apenas está perdendo uma folga/feriado e ajudando o ciclo de exploração dessas empresas que querem que você “vista a camisa”.

        2. Trabalho por conta, mas no entanto não tem vindo tanto serviço quanto gostaria. Então não tenho nenhuma reserva financeira, nem nada.

          (Não trabalho em empresa pois fico nervoso fácil em questão de receber ordens. “Não tenho o perfil ideal”, provavelmente.)

          Tudo que eu queria era ganhar o suficiente para me manter bem. Mas infelizmente galera ama “chorar preço”, e a gente tem que se virar com o que nos é ofertado

        3. O período de Dezembro a Março, na área de auditoria, é chamado de “Busy Season”, porque todas as empresas fecham seus balanços muito perto umas das outras, então é a época que eu tinha mais trabalho quando era auditor externo. Não era raro eu trabalhar 16h por dia de Segunda a Segunda, incluíndo Natal, ano novo e Carnaval, fechando 10 clientes ao mesmo tempo.

          Ano retrasado, depois de 4 crises de síndrome de Burnout, migrei pra auditoria interna que é anos luz mais tranquila com relação a carga de trabalho, mas só ganho a Terça de folga (indústrias não costumam emendar feriados).

          Esse ano vou trabalhar meia horinha a mais por uns 6 meses e emendar todos os feriados do ano com BHE.

          1. Tá doido.

            Eu já ficava brabo quando eu trabalhava na Dell e via os americanos com feriados todos os meses enquanto aqui os chefes obrigava o cara a trabalhar de tarde na quarta-feira de cinzas. Trabalhar no meio do carnaval e emendar festas de final de ano não é pra mim.

            Quando eu traduzi um livro sozinho eu fiz 10h por dia por 35 dias e depois tive que ficar de barriga pra cima por quase um mês.

    7. Casa dos pais em um condomínio fechado no interior de SP e meio afastado da cidade.

    8. beber beber e beber mais um pouco até eu esquecer q bebi tanto e aí voltar a beber

    9. Bloco do “coloca o bebê pra arrotar” seguido pelo desfile da Acadêmicos da Fralda Suja. A trilha sonora, parece que vai se o funk do Michael Douglas, aquele do “nunca mais eu vou dormir”. ;)
      (E ainda devo ter que levar trabalho pra casa.)

    10. Dormir e jogar videogame.

      Nunca imaginei que ficaria ansioso pra fazer isso nos feriados, depois dos 30 anos e casado.

    11. Depois que virei dono de casa, estou ansioso para testar o robô aspirador que comprei e deve chegar hoje. Além da casa, acho que vou dar uma faxina nos meus arquivos e tals fazendo uma instalação limpa do SO.

      Por fim, visitar meus mais e talvez os bloquinhos…até porque agora eu estarei no epicentro deles e não tem como fugir.

        1. Desta tira do Dahmer aqui ( https://i.imgur.com/kelmUGC.png ), eu tenho uma histórinha.

          Fui morar sozinho por uns tempos em uma casa de um comodo único, e a cama que eu usava era toda amarrada, sem parafuso. Ela usava tipo restos de fios onde era para estar os parafusos.

          Um amigo meu, na época paquerando, “pediu a casa emprestada”. Beleza, foi lá, e falei: “olha, cuidado com a cama”.

          Resultado: fiquei fora de casa esperando no portão e 10 minutos depois só escutei o pec-pec- PAM! E a cama caiu.

      1. Gabriel, qual robô aspirador você comprou? Eu comprei o Xiaomi Mi Robot 2 no Aliexpress que já está no Brasil, não vejo a hora dele chegar em casa, até estou deixando a casa mais suja para testar ele na potência CoronaMax.

        1. Eu comprei um basicão, o Eufy RoboVac 11s. Dentre os mais simples, eu vi bons reviews dele e em uma promoção da Amazon saiu por R$999,00.

          Pena que prometeram para ontem, mas não chegou nem hoje. Então acho que só semana que vem :/

      1. Senti que o Post Livre começou meio fraco hoje. E sinto também que há muito movimento no Mastodon.

        Isso depois que uma twitteira famosa resolveu mudar de casa por causa de uma desaforra do Twitter.

    12. Sou nerd de carnaval: irei todos os 4 dias na Sapucaí (com todos os sambas já decorados e enredos estudados). E na terça vou dar um pulo na Intendente Magalhães.

    13. Queria aproveitar o resto do verão e dar uma passada em Capão da Canoa e talvez em POA pra comprar uma barraca na Decathlon.
      Pegar pelo site o frete dá absurdos R$154…., com uns R$100 eu vou e volto de POA.

      1. Eu quero entender o fenômeno que acometeu o frete das lojas online. Antigamente valia a pena fazer comprar online, hoje em dia, apenas aqueles que o preço difere muito da loja física. Esses tempos fui comprar um fone de ouvido pra minha mãe e o frete era R$55 e 10 dias de prazo pela DHL. Fui no shopping aqui perto e paguei R$70 pelo fone.

        Alguma coisa errada não está certa.

        1. Creio que é a questão dos Correios começarem a taxar alguns produtos, fora as questões de segurança e até problemas de entrega que eles tem enfrentado (e mão de obra também, dado a falta de gente para operar, ou falta de confiança em alguns funcionários que desviam produtos).

          Entregadores avulsos sempre serão mais caros pois lidam com diferentes formas de logística para entregar rápido (muitas vezes fazendo movimentação em empresas diferentes).

          1. Mas e quando não é entregue pelos correios?
            Só recebo por eles quando compro pelo Mercado Livre

          2. Como disse o Rafael, os Correios entregam uma parcela bem menor das encomendas por empresas. A Amazon usa a Total Express e a Directlog por exemplo. A Kabum usa a DHL e outras (eles dão várias opções). Americanas (e todas as empresas do B2W) usam a Directlog, muitas usam Plimor e outras empresas no Markeplace, mesmo assim, os preços são absurdos.

            Na real, o Correios tende a ser a opção mais em cona pra PAC e intermediária pra Sedex.

    14. Trabalhar, já que fui um dos sortudos a ser selecionado para trabalhar na segunda e terça de manhã. Normalmente trabalho de tarde, até às 9 da noite, entao meu feriado será meu domingo normal.

    15. Final de semana resolver os problemas que não consegui na semana e assistir filmes/Neflix.
      Segunda e terça de Carnaval trabalhar. :-(

Os comentários deste post foram fechados.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!