Estilo de vida

O que tem na mochila de Christian Hartung

Conteúdo da mochila do Christian Hartung.

Foto do Christian Hartung. Christian Hartung é analista de sistemas na Unicamp e futuro especialista em Engenharia de Software pela Fundação Hermínio Ometto (Uniararas). Aspirante a atleta, fica pensando na vida enquanto encara as piscinas ou coloca os fones de ouvido e sai correndo por lugares desconhecidos. Quando não está trabalhando, estudando ou treinando, sai de moto para curtir o vento no peito e as paisagens que a vida em duas rodas pode oferecer. Redes sociais: Twitter, GitHub e LinkedIn.


  1. Mochila Nordweg NW072. É a mochila mais bonita que já vi. Também gostei muito da filosofia da empresa, que dá garantia vitalícia em todos os produtos. Me lembro de ter postado em alguma rede social que a mochila era cara e me deram um cupom de desconto. Como a mochila é de couro e não combina muito com chuva, sempre levo a capa de chuva NWA01 com ela.
  2. Notebook Acer Aspire VX5-591G. Não sou exatamente PC Gamer — jogo um Age of Empires ou um StarCraft de vez em nunca —, mas tenho a péssima mania de programar no escuro, e esse notebook tem as teclas retroiluminadas. Não entendia o motivo de tudo rotulado como “gamer” brilhar tanto, mas hoje agradeço por isso. Além disso, as IDEs, máquinas virtuais e emuladores que uso rodam lisinho nessa máquina. O único porém é que ele é bem grande.
  3. Mouse sem fio Microsoft. Não sei ao certo o modelo. Lembro de comprá-lo em uma promoção e ele me acompanha já tem dez anos.
  4. Mousepad Double Level Digitador MS703. Outro produto que me acompanha já tem dez anos (dá para ver que ele está começando a se desfazer). Gostei bastante do fato de ele ter dois níveis de altura (apesar de eu quase sempre usar o mais alto).
  5. Fone de ouvido JBL Duet NC. Tentar ouvir meus podcasts no trajeto de/para o trabalho, dentro da van, encarando o trânsito de Campinas (SP) se provou impossível com fones de ouvido comuns. Esse fone com cancelamento de ruído ajudou bastante. Só acho que a JBL não dimensionou bem o estojo para transporte que veio com o fone — é bem difícil fechar o estojo com o fone dentro.
  6. Galaxy S8 com capa Clear View. Meu primeiro celular com Android. Amava o finado Windows Phone e usei o sistema até quando deu, mas chegou uma hora que tive que desapegar e mudar para Android. Comprei ele pouco depois do lançamento do S9, quando os preços caíram drasticamente.
  7. Carteira Chimp Sleeve. Queria uma carteira bem pequena, que desse para eu levar alguns cartões. Dentro dela cabe uns seis cartões, a CNH e algumas cédulas. Por fora, ela tem dois bolsos para acesso rápido, onde deixo o Nubank e o vale-alimentação.
  8. Mini Guarda-chuva Fazzoletti (com estojo). Gosto de sempre ter um guarda-chuva dentro da mochila, mas sempre andava com modelos desajeitados e de baixa qualidade, que duravam uma chuva. Achei esse na internet e adorei. Ele é “flat”, então cabe no compartimento mais fino da mochila ou uma daquelas bolsas/pastas para notebook. E já vem com um estojo, o que ajuda bastante quando ele está molhado.
  9. Óculo de sol da Suncode, modelo Natural Carbon Shadow. A Suncode é uma marca brasileira, que faz óculos de sol de ótima qualidade, bem leves e a um preço justo. Toda semana eles lançam alguma promoção no Twitter, com óculos com 30% de desconto ou “compre um, leve dois’.
  10. Cabo USB-C. O cabo que veio com o celular. Ando com ele para caso eu precise testar alguma coisa no celular. Ele está amarrado com um Cable Clip da Chimp Carteiras.
  11. Carregador portátil da Gorila Shield. Queria um power bank pequeno, só para emergências, e achei esse de 2.000 mAh. Ele já tem um cabo micro-USB embutido, e vem com os adaptadores para USB-C e Lightning.
  12. Kobo Touch. É, diferente da maioria das mochilas aqui que tem um Kindle dentro, a minha tinha um Kobo. Peguei esse leitor simplesmente porque ele foi lançado primeiro aqui no Brasil. Encomendei um Kindle Paperwhite recentemente, mas ainda tenho alguns livros pendentes no Kobo, por isso ainda ando com ele. Na capa, O Despertar dos Dragões, de André Gordirro.
  13. Protetor labial de buriti da Natura.
  14. Álcool em gel da Natura. Nunca se sabe quando vai precisar.
  15. Caderno. Ganhei no estande do Google em alguma conferência que fui. Anoto quase tudo no OneNote, mas gosto de ter um caderninho para algo que precise desenhar.
  16. Estojo Nordweg NW0013. Tem algumas canetas, uma lapiseira e uma borracha dentro.
Conteúdo da mochila do Christian Hartung.
Clique para ampliar.

Nota do editor: “Na mochila” é uma seção semanal do Manual do Usuário que apresenta o interior das bolsas e mochilas de leitores, profissionais e amigos. Veja as outras mochilas já publicadas e mande a sua — a continuidade da seção depende de você.

Alguns links na lista de itens da mochila têm códigos de referência das respectivas lojas. Comprando algo após clicar neles, o Manual do Usuário recebe uma pequena comissão que não altera o preço final para você.

A melhor maneira de acompanhar o site é a newsletter gratuita (toda quinta-feira, cancele quando quiser):

Acompanhe também nas redes sociais:

  • Mastodon
  • Telegram
  • Twitter
  • Feed RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

27 comentários

  1. Hartung, tem esse fone há muito tempo? Ele incomoda depois de um tempo de uso? O cancelamento de ruído é bom mesmo?
    É que estou pensando em trocar o meu Sony MDR-ZX330BTque já está se desintegrando. Apesar de não possuir o cancelamento de ruído, tem um som excelente e é bastante confortável.

    Abs.

  2. Me senti representado com esse Na Mochila. Leitor que usa menos cadernos físicos e, ainda por cima, utiliza o One Note e não o Evernote. Meu app de anotações preferido, também.

  3. Outra pessoa de Araras aqui no MdU. ;)
    E ainda bem que tu mencionou que já encomendou um Kindle. O Bezos já estava com o celular na mão pra ligar pro Ghedin reclamando. haha

      1. É que eu não tenho certeza se o Ghedin já fechou o novo contrato de patrocínio bilionário com o Tim Apple, por isso não mencionei. rs

        1. É, há muitos pontos em comum nas mochilas que são enviadas sim. Talvez pelo assunto do blog ou pelo perfil de leitor que ele atrai. Mas não é algo intencional, nem mesmo incentivado. Eu gostaria muito de ver mais diversidade nas mochilas. Gadgets e/ou produtos de tecnologia caros não é pré-requisitos para elas serem publicadas. Pelo contrário: gosto muito das mochilas que divergem do padrão, das mais simples, das de profissionais de áreas diferentes das mais comuns entre a gente. Só não descobri, ainda, como chegar nesse pessoal e convencê-los a participar.

          1. Eu não percebi como ficou ambíguo o meu comentário, mas nem me referia ao comentário de “burguês” e sim ao Nubank. NO Tecnoblog tem até um “meme interno” sobre a tríade: Nubank, IPTV e Tim Beta (as vezes ainda tem o telefone Xiaomi comprado na GearBest) como sendo a mais chata da web brasileira atualmente.

            Sobre o fato da maioria das mochila serem super parecidas, é normal, o pessoal tem um Kindle (onipresente em qualquer segmento como eReader) e um laptop. O que fode do usual é que muitas são laptops bastante caros com uma grande predominância de MBP. Isso deve ser porque, exatamente, o pessoal que lida com TI e arredores no país é essencialmente quem tem acesso desde cedo a oportunidades e acaba, por isso mesmo, tendo um poder aquisitivo maior e comprando/usando equipamento Apple (iPhones, contudo, parecem estar se tornando menos comuns no meio).

            Eu gosto da seção porque vira-e-mexe eu consigo alguma dica barata ou de qualidade melhor de algo usava. Foi assim com as escovas Curaprox, por exemplo.

            Eu não uso mochila, mas quando usava eu não tinha laptop e nem kindle nela. Era totalmente analógico. Se for do interesse, mando por curiosidade como eu andava na época que estagiava numa revista científica da UFRGS como editor.

            O que eu mais uso, hoje, é mesa de trabalho no home-office mesmo. E ela é uma das coisas mais espartanas do mundo hahahaha

          2. Vou mandar a minha, Ghedin. Embora utilize alguns gadgets no meu dia, sou da área contábil, que diverge completamente do que geralmente temos aqui. Programadores, jornalistas, etc.

  4. Bacana mochila! Uma dica: os mouses mais novos da MS continuam ótimos e dispensam a necessidade de um mousepad. O que é uma boa, se o Mousepad for por necessidade (ou não é uma boa, caso seja por preferência). Abraços

    1. O Mousepad é só por causa do mouse mesmo. Ambos já estão mostrando os sinais da idade. O mousepad está começando a esfarelar, o scroll do mouse já está dando umas travadas, e vários cliques duplos acidentais).

      Ainda estou com ambos mais por uma questão de apego mesmo. Usei ele na graduação, usei para trabalhar, uso em casa e estou usando na pós. Talvez quando pararem de funcionar de vez eu vá atrás de um desses novos.

  5. Primeira menção é de que mochila Nordweg é coisa de Deus, eu tive uma mais “comum” que visava carregar notebook, era até compacta, mas foi roubada.
    Segunda menção é que, ir de um windows phone para um S8 é literalmente ir da água pro vinho.

    1. Para ser bem sincero, estou tem quase um ano com o S8, e tem horas que ainda bate uma saudade do meu finado Lumia.

      1. Tive quase todos os Lumias, 3 Lumias 930. Insisti no erro. Sentia saudade da câmera, dos controles manuais, da tela e da fluidez, na época troquei para um Nexus 5x. Hoje com um S8+ nem lembro que existiu lumia. É tudo melhor.

          1. Principalmente da interface em blocos. Era muito melhor e mais organizada do que as pastas que eu tenho no iOS e Android.

            Uma coisa que sempre se teve no WP era o thetering fáci, isso só rolou em iOS e Android nessas últimas versões.

    1. rapaz, a minha sanidade ainda não me permitiu pagar 1000 (mil) reais nessa mochila.

      uns 400 eu pagaria, acho que além disso é puro supra sumo da mais-valia.

      muito bonita.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!