12 apps utilitários que complementam e melhoram o macOS

Quebra cabeça com algumas peças faltando de um notebook da Apple com o macOS Big Sur. Ao redor, caneca com café, uma mão, algumas peças e chocolates.

Oferecimento:
CleanMyMac X

O sistema operacional é o software básico de qualquer computador de uso geral. Seu notebook e celular não teriam muita utilidade sem um instalado. Os mais populares estão há décadas sendo refinados e, por isso, hoje são estáveis e bem completos, mas não totalmente: sempre há um ou outro recurso que lhes falta e que um aplicativo de terceiro acaba provendo. Com o macOS não é diferente, por isso listo, abaixo, 12 aplicativos que complementam o sistema da Apple.

Vários desses apps têm alternativas mais populares, pagas ou apenas diferentes. Como critério para listar os que listei, dei preferência àquelas gratuitas e/ou de código aberto. Também considerei a leveza e a… digamos… elegância, ou seja, apps que fazem o que têm que fazer da maneira mais simples e intuitiva possível.

Com exceção dos dois primeiros itens, o restante da lista está em ordem alfabética. Indiquei, quando possível, se o aplicativo já está otimizado para os novos Macs com chip da própria Apple e para o macOS Big Sur até o dia 8 de dezembro de 2020.

Esta lista é patrocinada pela MacPaw. Além de um pagamento, a MacPaw cedeu uma licença vitalícia do CleanMyMac X ao Manual do Usuário e compras deste app e da ClearVPN feitas a partir dos links abaixo rendem uma comissão ao site.


1. CleanMyMac X

Print do CleanMyMac X mostrando o resultado da Análise Inteligente.
Análise inteligente do CleanMyMac X.

Computadores acumulam “sujeira digital”, restos de aplicativos, arquivos esquecidos e outros detritos que, se não comprometem o desempenho ou a segurança, ocupam memória desnecessariamente e deixam o espaço bagunçado. O CleanMyMac X, da MacPaw, se propõe a manter o macOS em ordem. Ele vasculha o SSD ou HD em busca de arquivos que não estão sendo usados, permite remover apps da inicialização e ocupam memória do sistema e limpa caches e históricos de diversos apps. Também tem um desinstalador de apps e um “atualizador” que busca novas versões tanto de apps instalados pela Mac App Store quanto fora dela em uma interface unificada. Por fim, tem ferramentas de análise da memória de armazenamento, apontando grandes arquivos que estão ocupando muito espaço.

Preço: ~R$ 150 (um ano) ou ~R$ 470 (compra única)
Atualizado para o Big Sur? Sim
Otimizado para chips Apple? Sim

Experimente ou compre o CleanMyMac X.


2. ClearVPN

Print da mesa do macOS, com a barra lateral mostrando o ClearVPN na área de escolha da origem dos servidores — Brasil na lista.
Imagem: MacPaw/Divulgação.

Já falamos bastante de VPN aqui. A ClearVPN é a mais nova solução do tipo, lançada recentemente pela MacPaw. Todas as vantagens e garantias das melhores VPNs, como política de não registro de relatórios, múltiplos servidores e suporte multiplataforma (além de macOS, funciona também em Android, iOS e Windows), estão presentes, com a interface e experiência de usuário de primeira característica dos apps da MacPaw.

Preço: ~R$ 67 (um mês) ou ~R$ 486 (um ano)
Atualizado para o Big Sur? Sim
Otimizado para chips Apple? Sim

Experimente ou assine a ClearVPN.


3. Aware

Imagem de divulgação do Aware para macOS.
Aware fica na menubar discretamente. Imagem: Aware/Divulgação.

Um pequeno cronômetro na menubar, indicando há quanto tempo já dura a sessão à frente do computador. É aconselhável levantar-se para dar uma esticada a cada ~50 minutos; de modo discreto, sem alarmes ou qualquer aviso abrupto, o o Aware, criado por Joshua Peek e Patrick Marsceill, te lembra disso. Como fica numa área bem visível, é fácil notá-lo sem se distrair. O cronômetro reinicia depois de três minutos sem qualquer tipo de interação, então é preciso ficar atento com situações do tipo, como ao assistir a um vídeo.

Preço: Grátis
Atualizado para o Big Sur? Sim
Otimizado para chips Apple? Sim

Baixe o Aware.


4. coconutBattery

Dois prints do coconutBattery, um de um iPhone 11, outro de um MacBook Pro.

O coconutBattery, da coconut-flavour, é uma ferramenta de análise profunda da saúde da bateria do próprio computador e de outros dispositivos da Apple, como iPhones. A pequena janela oferece informações detalhadas da bateria, como contagem de ciclos e capacidade máxima, e mantém um histórico do estado da bateria ao longo do tempo — basta abrir o app para que o registro seja feito automaticamente.

Existe uma versão “plus” do coconutBattery, que acrescenta recursos como verificação da bateria de dispositivos via Wi-Fi e mais detalhes no mostrador da menubar. A gratuita, porém, já ajuda bastante.

Preço: Grátis ou ~R$ 55 (Plus)
Atualizado para o Big Sur? Sim
Otimizado para chips Apple? Sim

Baixe o coconutBattery.


5. Day-O

Menubar do macOS mostrando o calendário de dezembro via Day-O.

Sabe a data e o relógio que aparecem na menubar, no canto superior direito da tela? Jeito rápido de verificar isso, certo? No Windows, um clique ali revela o mini-calendário, que sempre quebra um galho para consultas rápidas. O macOS, inexplicavelmente, não tem esse mini-calendário.

O Day-O, criado por Shaun Inman, supre essa lacuna, além de permitir que se personalize bastante a exibição da data fixa na menubar. E… bem, ele só faz isso.

Preço: Gratuito
Atualizado para o Big Sur? Não
Otimizado para chips Apple? Não

Baixe o Day-O.


6. GrandPerspective

Print do GrandPerspective mostrando arquivos em uma pasta de documentos.

Sempre bate aquele desespero quando o sistema avisa que está faltando espaço em disco. O GrandPerspective, de Erwin Bonsma, é uma maneira rápida e gratuita de tentar resolver esse problema. Após a análise do disco (ou de uma pasta específica), ele exibe todos os arquivos armazenados em blocos proporcionais ao espaço que ocupam, ou seja, os mais pesados são maiores, facilitando a identificação dos maiores culpados pela falta de espaço. Às vezes, são arquivos que nem estão em uso, ou que foram esquecidos, e que podem ser apagados sem qualquer prejuízo. Só fique atento aos do sistema; o app não faz qualquer distinção entre eles, então se você vir um arquivo grandalhão e não souber identificá-lo, melhor deixar quieto.

Preço: Gratuito (código aberto)
Atualizado para o Big Sur? Sim
Otimizado para chips Apple? Sim

Baixe o GrandPerspective.


7. Maccy

Print do popup do Maccy com várias setas e textos explicando cada parte da imagem.
Imagem: Maccy/Divulgação.

Muita gente não saberia dizer o que é a “área de transferência”, mas todos fazem uso dela: o espaço na memória em que um elemento copiado fica até ser colado ou substituído por outra cópia. Por padrão, os sistemas operacionais só lidam com um elemento por vez na área de transferência. Apps como o Maccy, desenvolvido por Alex Rodionov, criam um histórico e permitem lidar com várias cópias ao mesmo tempo.

Todo item copiado fica no histórico do Maccy. Se você quiser recuperar algum antigo, basta usar o comando Command + Shift + C para exibir um popup com a listagem e escolher o desejado — os nove primeiros têm atalhos do tipo Command + [1–9] —, ou recorrer ao ícone na menubar. O Maccy se lembra de textos, links e até imagens, e permite ignorar cópias em apps ou sites mais sensíveis (pense nas senhas do seu gerenciador de senhas) sejam armazenadas.

Preço: Grátis (código aberto)
Atualizado para o Big Sur? Sim
Otimizado para chips Apple? Não

Baixe o Maccy.


8. MOS

Print da tela de configurações do MOS.
Imagem: MOS/Divulgação.

O trackpad dos notebooks da Apple é sensacional: responde prontamente aos comandos, é cheio de atalhos com dois ou mais dedos e tem uma rolagem super suave. Abdicá-lo em prol de um mouse, seja por qual motivo for, elimina essas vantagens. A rolagem suave, pelo menos, é possível recuperar com este pequeno aplicativo, o MOS, criado por Caldis Chen. Ele tem configurações bem detalhadas, o que é importante — em apps de edição com linha do tempo, como o Audacity, a rolagem suave mais atrapalha do que ajuda, e o MOS permite ignorá-la em apps escolhidos.

Preço: Grátis (código aberto)
Atualizado para o Big Sur? Não
Otimizado para chips Apple? Não

Baixe o MOS.


9. Rectangle

Print da tela de configuração dos atalhos no teclado do Rectangle.

Não é à toa que o gerenciamento de janelas do Windows é tão bom — estranho seria se não, afinal está no nome do sistema. O do macOS poderia ser melhor. Faz falta, em particular, os arranjos automáticos de divisão da tela, como arrastar uma janela para o canto esquerdo e vê-la se expandir para ocupar toda a metade esquerda da tela.

Vários apps suprem essa deficiência. O Rectangle, criado pelo desenvolvedor Ryan Hanson, é um dos mais recentes, e dos melhores. Ele já vem com atalhos no teclado pré-configurados, então basta segurar as teclas Ctrl e Option e apertar a seta à esquerda ou direita para colocar janelas em meia tela, ou Enter para maximizá-la à moda Windows. Ctrl + Option + Backspace retorna a janela alterada ao estado original. Se preferir o mouse, basta arrastar a janela para as extremidades da tela para obter os mesmos resultados.

Preço: Grátis (código aberto)
Atualizado para o Big Sur? Sim
Otimizado para chips Apple? Sim

Baixe o Rectangle.


10. The Unarchiver

Print de duas telas de configuração do The Unarchiver.
Imagem: MacPaw/Divulgação.

No tempo da internet lenta, arquivos compactados eram mais importantes. Ainda hoje, porém, vez ou outra recebemos um .zip, que tem suporte nativo no macOS, ou .rar, que não tem. O The Unarchiver, da MacPaw, dá ao macOS o poder de lidar com arquivos .rar e outros formatos de compactação. Simples, ele praticamente não tem interface: basta um clique duplo no arquivo compactado para descompactá-lo — caso o formato ainda não esteja associado, basta selecionar o The Unarchiver na opção Abrir com… do menu de contexto.

Preço: Grátis
Atualizado para o Big Sur? Sim
Otimizado para chips Apple? Não

Baixe o The Unarchiver.


11. Stats

Prints de diferentes configurações do Stats, na barra de menu e das janelas suspensas com mais detalhes.
Imagens: Stats/Divulgação.

Idealmente, um app desses não é necessário. Afinal, quando o computador está rodando bem, que importa saber quanta memória está sendo consumida ou se o processador está sendo usado ao máximo? O Stats revela esses e outros dados, como atividade da rede, dados de sensores, níveis de bateria e utilização da GPU, direto na menubar. Com um clique nele, painéis maiores aparecem na tela. Tudo é bastante personalizável, incluindo a apresentação dos dados.

Preço: Grátis (código aberto)
Atualizado para o Big Sur? Sim
Otimizado para chips Apple? Sim

Baixe o Stats.


12. Tot

Prints do Tot para macOS e iOS (iPhone), lado a lado.
Imagem: Tot/Divulgação.

Post-its digitais fazem sucesso com alguns público, mas não costumam receber carinho das empresas que desenvolvem sistemas operacionais. O recurso, que era mais proeminente em versões antigas do Windows e do macOS, acabou deixado de lado. O macOS ainda carrega o app Notas Autoadesivas, mas é tão deslocado do sistema que nem compensa usá-lo. O Tot, da Iconfactory, supre essa lacuna. É um app de anotações rápidas, com sete páginas identificadas por cores, acessível pela Dock ou na menubar, e com suporte a comandos no teclado — aqui, configurei ele para abrir com o comando Ctrl + Barra de espaço. O Tot também está disponível no iOS, como um app pago (compra única), que sincroniza com as notas salvas no computador via iCloud. Antes dele usava o Tyke.

Preço: Grátis
Atualizado para o Big Sur? Sim
Otimizado para chips Apple? Sim

Baixe o Tot.

Edição 20#46

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 comentários

  1. Recomendo fortemente o Day-O principalmente para quem, como eu, fica irritado ao ver o símbolo anglo-saxão de hora (:) aqui num país que adota o sistema internacional, que tem como unidade padrão o segundo (s), mas também recebe as unidades minuto, com o símbolo min, e hora, com o símbolo h – e não os horríveis dois pontos. O macOS permite a personalização do formato de hora do sistema, mas desde o Snow Leopard isso deixou de valer para o relógio da barra de menu. Assim, instalei o Day-O e desativei o relógio original da menu bar. Nas preferências do Day-O, basta digitar
    H’h’mm
    para ele exibir a hora no formato 0h00–23h59.

  2. Boa lista e acho q o cleanmymac acertou o espaço. Afinal, uso mac e o cleanmymac kkkk fiquei até meio triste de não ter comprado por aqui pra dar aquela moral pro manual

  3. Excelente lista, já conhecia e usava alguns aplicativos da lista.

    O Tot pareceu muito interessante, só assustei com o preço da versão dele para iOS.

    Gostaria de sugerir o “PopClip for Mac” (https://pilotmoon.com/popclip/), que traz para o macOS o menu suspendo do iOS com a possibilidade de adicionar vários atalhos por meio de extensões oferecidas por eles.

    1. Ah, também tem o CloudMounter (https://cloudmounter.net) que permite mapear os serviços de nuvem como uma unidade externa no Finder. Os pontos positivos são que não os arquivos não ocupam espaço em disco (são baixados por demanda, sendo possível configurar o tempo que ficam em cache no Mac) e não precisa dar acesso completo para o cliente nativo do serviço (Dropbox, estou falando com você).

        1. Eu uso o PopClip diariamente, eu acho que é dos um aplicativos que eu mais uso no Mac. Quando conheci ele eu não dei muita bola, mas depois que dei uma chance para ele entrou muito bem no meu uso diário e quando uso um computador que não tem ele (por exemplo o da minha esposa) eu acho muito estranho.

          Segundo os artigos de suporte dele é possível sim fazer o suco sem o mouse/trackpad via AppleScript (https://docs.pilotmoon.com/article/36-controlling-popclip-using-applescript), mas eu confesso que nunca testei esse opção.

  4. Nossa, como tava precisando desta lista. Acabei de migrar do Windows e a organização das janelas era realmente um problema. Nisso, o sistema da Microsoft ganha de lavada. Lista maravilhosa. Aproveitei para baixar vários.

    1. Esta lista é o resultado de anos cavucando repositórios e lugares esquisitos da web. Fiz essa “passagem” há pouco tempo, em 2015, e sei como listas assim são úteis. Feliz que lhe ajudou, Paulo :)

      1. Haha, que bom pra nós então. Inclusive já tinha topado com o review antes, foi uma das leituras que me fez ter mais vontade ainda de experimentar esse sistema 😀
        Sobre o Day-O, uma dúvida: como faz para deixar os nomes do mês e do dia com inicial maiúscula? Tentei aqui de todo jeito mas só ficou assim: “qui 17 dez, 00:00”. Queria que ficasse “Qui 17 Dez, como no exemplo deles.

          1. Que estranho. Tentei de tudo quanto foi jeito, mas só fica em minúscula.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário