Submarino vaza Redmi 2, primeiro smartphone da Xiaomi no Brasil [Atualizado 3x]


16/6/15 às 22h40

Poucos dias atrás a Xiaomi (ou apenas Mi) anunciou seu lançamento oficial no Brasil. Será em São Paulo, no dia 30 de junho, às 11h da manhã. Tem até um site para você se cadastrar para tentar participar da festa. Mas… o Redmi 2, um dos dois smartphones da marca já homologados pela Anatel, apareceu no Submarino antes da hora.

Redmi 2, da Mi, aparece no Submarino.

O preço que aparece na página é de R$ 393, bem barato pelas configurações do Redmi 2. Trata-se de um Android dual SIM, 4G, com tela de 4,7 polegadas, SoC Snapdragon 410, 1 GB de RAM e 8 GB de espaço interno, com câmera principal de 8 mega pixels.

O mais próximo dele no mercado nacional seria o novo Moto E, que tem tela e câmera piores, mas traz a mais a TV digital. Só que ele custa bem mais, quase o dobro do que o Submarino está cobrando pelo Redmi 2. Se o preço for esse aí mesmo, acho que teremos um novo campeão de vendas no Brasil.

Alguém aí arrisca comprar?

Atualização (22h56): Essa foi rápida, alguém do Submarino já derrubou a página. Mas ainda estou com ela aberta aqui. R$ 393, guardem esse número.

Atualização 2 (23h08): Passada a euforia, estou dando uma olhada com mais calma na página. A aparição do Redmi 2 no Submarino foi tão precipitada que nem se deram o trabalho de usar fotos localizadas — as imagens do produto mostram a MIUI, variante do Android que a Xiaomi usa, em chinês mesmo. Tinha a esperança de que essas fotos revelassem a presença ou não do Google Play na versão brasileira — o que é quase certo que tenha, mas enfim.

Outra coisa curiosa, essa nas especificações da página, é que o Redmi 2 só está disponível em duas cores, branco e “cinza” (não seria preto?). Em outros mercados são cinco cores; além dessas, rosa, verde e amarelo. O mal da antiga Nokia que acha que o Brasil compra celular da mesma forma que compra carro, ou seja, branco, prata ou preto, trocou de endereço.

Atualização 3 (17/6, 8h40): Em sua página oficial no Facebook, a Mi disse que venderá seus produtos no Brasil exclusivamente pelo site mi.com, e pediu aos interessados neles para quem aguardem o dia 30 de junho. O comunicado na íntegra:

A Xiaomi informa que nossos produtos serão vendidos apenas no site oficial da marca no Brasil, Mi.com – Portanto, recomendamos a todos os nossos Mi Fãs que só comprem produtos e acessórios no nosso site, onde podemos garantir que os produtos são oficiais, testados e preparados para funcionar no Brasil. Todos os produtos e valores, assim como formas de pagamento, serão informados no nosso evento de lançamento no dia 30 de Junho.

Entrei em contato com a assessoria do Submarino, para buscar uma resposta e saber melhor o que aconteceu ontem.

Lembrando que, ao contrário daquela vez em que um Nokia X surgiu do nada (a primeira das duas), o Redmi 2 que estava no site ontem era vendido pelo próprio Submarino, não por uma loja menor que usa o site de vitrine.

Atualização 4 (30/6, 18h15): Dias após a publicação desta matéria, o Submarino entrou em contato com clientes que fizeram a compra do Redmi 2 oferecendo um vale-compras de R$ 450. Hoje mais cedo, a loja oficial da empresa no Brasil abriu suas portas virtuais e a relação entre ela e a B2W, dona do Submarino, ficou clara: elas são parceiras na investida local.

Dica do leitor Willguevara. Valeu!

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

83 comentários

  1. Vai valer a pena em cima do moto g se rolarem 2 fatores: ter a versão com 2gb de ram e 16gb de armazenamento (desculpa, não da pra SOBREVIVER com 8gb de armazenamento, é muito pouco), e se a camera for melhor (o que não é muito dificil).

  2. Se sair a versão com 2GB desse Redmi 2 por um preço justo, a MI mata, em tese, todos os intermediários Android disponíveis no Brasil.

  3. Que sensacional !!!

    Vou comprar 3 para dar de presente. O preço está lindo, lindo. Tem que vir com esse preço mesmo. Lindo! comprar 3 !!

    E se tiver o de 2gb melhor ainda.. Que foda!!!!!

    Vem Xiaomi vem.. quebre os concorrentes!

    1. A tela do Moto G também é HD, e a próxima versão deve vir com 4G também — cortesia do Snapdragon 410. Mas, sim, numa comparação direta e rigorosa, ele parece estar acima — só usando para saber.

          1. Também acho que o novo “novo Moto G” vai vir com Snapdragon 6xx. Me surpreenderia uma tela 1080p. Mas se vier 2GB de RAM já compro. :) O ponto desse Redmi 2 é que é um dos melhores intermediários disponíveis no Brasil atualmente (não acho que entre em competição com o Moto E que é entrada em tese), se vier nesse preço e com marketing adequado toma o mercado da Motorola.

          2. Também acho que o novo “novo Moto G” vai vir com Snapdragon 6xx. Me surpreenderia uma tela 1080p. Mas se vier 2GB de RAM já compro. :) O ponto desse Redmi 2 é que é um dos melhores intermediários disponíveis no Brasil atualmente (não acho que entre em competição com o Moto E que é entrada em tese), se vier nesse preço e com marketing adequado toma o mercado da Motorola.

    2. “Novo” não fica bom nessa frase, já que é modelo do ano passado. O Snap 410 faz 23.000 pontos no Antutu , já o Snap 615 – que provavelmente virá no moto G 2015 – faz 39.000. Ou seja temos que esperar até o segundo semestre para saber. Mas me parece que o Redmi 2 vai concorrer na faixa do Moto E que também usa um Snap 410, mas tem tela e câmera piores e custa mais. A Xiaomi deve mostra um segundo aparelho mais parrudo para competir com o Moto G 2015.

      1. se o preço for o divulgado pelo sub, eles vão matar dois aparelhos (moto e/g) com um único golpe (redmi 2).

        só tem 2 aparelhos homologados por enquanto (redmi 2 e redmi note 4g). tomara que não demorem pra disponibilizar o resto da linha deles que é ótima.

      2. O novo Moto G disponível é o do ano passado, então sim, cabe a comparação. Moto E é entrada em tese, Moto G é intermediário em tese. Esse Redmi 2 é superior aos dois, em tese. Não dá para comparar um dispositivo lançado em janeiro com um dispositivo imaginário não lançado.

  4. Chato isso aí do submarino. Se o preço do smartphone vier por uns R$500, mesmo sendo um ótimo preço, criará aquele clima de decepção.

  5. Tenho medo da Xiomi, isso vai agitar muito o mercado low/mid devido a agressividade dos preços, assim como fez a Motorola fez com a chegada do E/G/X.

    Vejo duas saídas ou eles ajustam o preço para concorrer, ou vão tentar valorizar os celulares para torná-los “premium” a Samsung já está atacando o mercado com celulares de alumínio , dá uma aparência melhor, mesmo com os mais básicos, esse patamar de R$3000+ para celulares tem que abaixar.

  6. Concorrência jogando seus preços no chão em 5… 4… (senão ninguém vai comprar os telefones deles)

    Mas vai ser ótimo ver o Hugo Barra (o Hugo Barra! O HUGO BARRA!) demolindo o Lucro Brasil nos celulares.

    1. 3… 2… espera… A concorrência sabe que na cabeça dos brasileiros tem: “é chinês, é ruim!” (e isso pode ate atrapalhar a Xiaomi, mesmo sendo uma empresa competente, primeiro ela tem que mudar isso). Também torço para diminuir o lucro Brasil, mas não vai ser assim tão rápido. Quando ela lançar um top de linha para concorrer contra o Galaxy S6 e iPhone 6 com um preço baixo, ai sim vou ter mais fé nessa possibilidade. Não vai mudar o preço dos top de linha que são influenciados pelo iPhone, mas nos smartphone intermediários vai mudar bastante

      1. Pode crer….o preconceito do brasileiro médio é forte pra aparelho “xing ling”. independente se este for de uma qualidade acima. mta gente vai preferir comprar um motorola por 600 do que um xiaomi (xi o que? dirão os hueuhe) por 300 e pouco.

        1. Acho que estão tentando desviar o foco disso. A marca, por exemplo, será “Mi” no Brasil (como é em outros países fora da China), e não Xiaomi. O exemplo da indústria automobilística torna esse distanciamento compreensível…

          1. sim, o nome será fácil de falar. mas quando a conversa continuar e sair um “é uma marca chinesa” ai a pessoa vai fazer bico e falar “chinesa? vish”

            anunciei uma vez meu xiaomi pra vender, passou 6 meses e ninguém quis.

            agora bota um galaxy pocket, vende no mesmo dia se brincar…rsrsrs

          2. Mas isso vai ser no início, acontecia o mesmo com a Motorola, se você falasse que tinha as pessoas já faziam cara feia. Se a “Mi” se consolidar por aqui esse preconceito deve diminuir bastante.

          3. É, por isso o marketing é importante. Se o produto é bom, ninguém liga muito para a origem. A Lenovo é chinesa, sempre foi, e nunca vi alguém descartar um notebook da marca só pela sua nacionalidade. (E a Motorola agora é chinesa também, e quem se importa? :)

          4. Acredito que a aquisição da IBM ajudou muito nesse processo, a linha Thinkpad tem um respaldo muito grande com os consumidores, principalmente pela sua presença no mercado empresarial.

          5. O pessoal quer saber é da qualidade e preço. Depois que um compra e começa o boca boca.. já era… vide o Moto G.

            Motorola era uma desgraça no Android, depois… muita gente que negou a Motorola voltou fácil facil $$

      2. Lenovo vende horrores no mercado de notebook.
        Acho que esse preconceito só existe com força no ramo de automóveis.

      3. Lenovo vende horrores no mercado de notebook.
        Acho que esse preconceito só existe com força no ramo de automóveis.

      4. foi nesse pensamento assim que as montadoras fiat e gm se ferraram com a entrada dos carros chineses aqui! acabou o governo tendo que taxa-los em 30% pra ajuar eles. Nao tem esse esteriotipo nao

    2. corrigindo o termo: não é demolindo o lucro brasil, é criando um prejuízo gigante. a conta não fecha. (guarde isso)

    3. corrigindo o termo: não é demolindo o lucro brasil, é criando um prejuízo gigante. a conta não fecha. (guarde isso)

    4. Isso só vai acontecer, se venderem o telefone em lojas físicas (casas bahia, ponto frio, magalu, ricardão e etc)… Que é onde o consumidor comum vai comprar telefone!

  7. Se isso daí chegar com um preço por volta daquele preço ali… Não tem discussão, se a notícia se espalhar e as pessoas souberem que existe para comprar, acabou concorrência. Escritório da Microsoft deve estar em alerta máximo.

    1. Eu também consegui fazer o boleto, estava um pouco mais barato dessa forma e o prazo de entrega para o interior do RS ficou em 12 dias úteis (que é o que costuma aparecer nas compras do submarino). Seria presente para meu irmão caçula e, depois do comunicado, achei melhor não pagar pra ver o que aconteceria.

  8. Muito barato MESMO.
    Pra mim hoje eu teria de ter no mínimo 16GB, mas por esse preço é de se pensar. Já não sou mais o usuário que força o telefone.

  9. O preço ta muito, muito bom mesmo, foi um parto uma vez achar um bom smart pra minha mãe que não fosse capado e não tivesse pifios 8GB de ram ai meio que fui forçado a comprar o Moto G, se fosse hoje em dia já teria pensado fácil nesse ai.

  10. Droga, já tiraram o link, realmente vazou antes da hora. Se o preço se confirmar e o custo benefício for o mesmo nos outros aparelhos, as concorrentes estão phodidas.

        1. Comunicado oficial da Xiaomi no FB deles:

          “A Xiaomi informa que nossos produtos serão vendidos apenas no site oficial da marca no Brasil, Mi.com – Portanto, recomendamos a todos os nossos Mi Fãs que só comprem produtos e acessórios no nosso site, onde podemos garantir que os produtos são oficiais, testados e preparados para funcionar no Brasil. Todos os produtos e valores, assim como formas de pagamento, serão informados no nosso evento de lançamento no dia 30 de Junho.”

          1. eu sei, postei mais por questão informativa mesmo. só postaram isso por conta do vazamento do submarino. e acho bem provável que eles tenham firmado um acordo com a b2w.

        2. Mas por esse preço as configurações do aparelho estão muito acima do esperado. Se esse for mesmo o valor de venda ( em torno de R$ 400) e a Xiaomi aplicar esses preços tão baixos aos outros modelos, eu acho que vai ser um sucesso de vendas.

          1. O preço mais “em conta” é devido a fabricação nacional, pois a Xiaomi disse que poderia usar até a Foxconn BR para produzir aqui e assim baixar os preços.

        3. Algumas coisas:

          A MIUI tem sim idioma pt-br e todas as ROMS da MIUI vem com a Google Play instalada por padrão.

          A Xiaomi tinha dito que venderia os acessórios dos aparelhos vendidos aqui, incluindo capas, etc..

          O Redmi 2 não tem cor cinza, isso foi erro do submarino.

          Ele tem o Snap410, mas roda a 1.6Ghz enquanto que no moto g, o mesmo proc roda a 1.2Ghz.

      1. Tem uma versão com 8GB/1GB e outra com 16GB/2GB

        Resta saber se vão vender ambas ou só a mais barata por aqui