Dois homens, em poses diferentes, usando cuecas pretas da Insider, um em cada canto da imagem. No centro, a frase: “A cueca mais confortável com 12% Off. Cupom MANUALDOUSUARIO12”

Post livre #314

Toda semana, o Manual do Usuário publica o post livre, um post sem conteúdo, apenas para abrir os comentários e conversarmos sobre quaisquer assuntos. Os comentários fecham segunda-feira ao meio-dia.

277 comentários

    1. Acho que sempre podia. Tem até o a manhã de colocar na msg do email “Convert” e o Kindle tentava converter automaticamente.

        1. Só conseguia converter de DOC, PDF, TXT, RTF. Pra EPUB é recente. Tanto que o pessoal da comunidade do Kindle no Reddit tá comentando isso. Antes até dava pra fazer usando um esquema, renomeando a extensão e mandando por e-mail para ser convertido.

          A diferença que agora o MOBI é que vai deixar de ser suportado conforme a página de ajuda da Amazon.

    2. Não é bem um suporte, não? Pelo que li em outros lugares, a Amazon converterá os arquivos EPUB para sabe-se lá qual formato. Sabe de algo a esse respeito?

      1. A Amazon converte para AZW3. Pelo menos tá assim no meu Kindle os EPUBs que eu enviei por e-mail. Não tem os recursos avançados de tipografia comuns nos ebooks comprados da loja, mas tem mais opções de formatação se comparado com os antigos arquivos MOBI.

  1. Pessoas compradoras de AliExpress. Alguma vez vocês tiveram que enviar documentos para comprovar uma compra?
    Parece que é um ‘alerta’ sobre a veracidade da tua compra/dos teus dados, mas não me parece verídico pela quantidade de tempo que tenho a conta e a quantidade de compras que já realizei.
    Na primeira vez que isso aconteceu, não enviei os dados que pediram e cancelaram o pedido. Criei outra conta e realizei a compra, tudo certo.
    Uns meses atrás, fui atrás de um novo item para meu notebook e já não funcionou mais criar outra conta ou mudar de cartão nem nada.
    Pensei que podem ter vinculado ao meu endereço, é possível?
    Qual seria a recomendação? Não dar os dados, dar os dados, nunca mais vou comprar uma memoria ram? :´(

    1. Na conta da minha mãe aconteceu isso no primeiro pedido dela.

      1. E ela fez o rolê? Depois deu certo ou é só um esquemão mesmo?

        1. Como o valor tava muito bom(6 centavos) acabou que passou os dados.

  2. pessoal, tem alguma unanimidade quando se trata de cadeiras?

    eu tenho uma comum de escritório para estudar mas estou aberto a adquirir uma nova.

    aliás, pra estudar por longas horas, vocês acham melhor que sejam uma fixa ou dessas que giram?

    aceito qq sugestão.

    1. Cara, unanimidade não existe em lugar algum. Minha namorada tem uma mas não posso te ajudar em relação a marca, pois, eu não sei, ela não lembra e também não tem escrito em lugar algum. Eu gosto bastante dela.

      E sobre a segunda pergunta, eu prefiro as giratórias para escritórios, fixas apenas para sala de estar, sala de jantar, etc.

  3. Pessoal,
    Minha mãe tem um celular que usa para jogos (não é o principal), modelo ASUS_Z00LD (acredito que seja Zenfone 2 Laser), 1gB de RAM. Ele está parado no Android 6.0.1, embora imagino que qualquer atualização vá torná-lo impraticável. Gostaria de saber se compensa tentar instalar o Android Go nele ou quaisquer ganhos de desempenho seriam insignificantes.
    Obrigado

    1. Salvo engano, o Android GO é só uma distribuição “capada” do Android, sem todos os apps google “grandes”, apenas deixando os “webapps” (Atalhos para os sites com otimização para celulares). Se você desativar serviços do Google no seu celular (como Play Music e Games por exemplo), não fica tão diferente do Android GO (e geralmente e inclusive o próprio Play Store acaba te recomendando a usar um app Google “versão GO” quando tem um celular de capacidade menor).

      Se quer usar para jogos apenas, você pode deixar apenas os apps que deseja, desinstalando ou desativando o que não irá usar.

      1. Excelente resposta, @Ligeiro!
        Muito obrigado. E o LineageOS teria alguma vantagem nesse sentido?

        1. O Lineage tou usando aqui e de fato ajuda bastante, mas creio que varia também. Se for só para joguinhos, vou ser sincero e dizer que nunca usufrui para joguinhos, mas creio que deva funcionar bem. O ideal é ver em fóruns se o celular que quer colocar o Lineage tem compatibilidade e se há pessoas reclamando – e também se há como “voltar atrás” (colocar a rom antiga de volta).

  4. Cês perceberam que não dá mais pra remover a foto de perfil em muitos apps?

    Uber, Twitter, Pinterest, Yahoo… Nenhum permite remover a foto, só enviar outra.

    Um detalhe de design bastante irritante.

    1. Creio que é para evitar fraudes. Uma coisa é um lugar como até mesmo os comentários daqui, onde se permite algum nível de anonimato. Outro é sites onde você precisa pagar por algo, seja serviço ou produto.

  5. Fui hoje na Avenida Paulista para ver se achava SSD barato (e não achei. Os Kingston estão a partir de R$ 200,00 :p), e me deparei com vários terminais de auto atendimento do QIWI.

    O que achei interessante foi o fato que agora os terminais permitem emitir passagem de ônibus rodoviário (via parceria com a Click Bus – uma empresa que torço o nariz, mas já chego nela já). Tipo, se a pessoa está na Avenida Paulista e quiser comprar uma passagem de ônibus para o Rio, ela pode ir lá e comprar nestes totens ATM.

    Sinceramente torço o nariz para a Click Bus pois além do fato que ela domina demais os anúncios do Google – e o site é só uma espécie de “agência de viagens eletrônica”, a taxa de conveniência é algo que me irrita também (prefiro sempre comprar direto na empresa de ônibus). Mas sinceramente fiquei tentado a experimentar comprar uma passagem por um totem deste em um futuro próximo.

      1. Tem promoção de SSD na Kabum por $ 100 (Husky). E tem baixado os preços dos SSDs de novo.

    1. Faz um pouco de tempo que eu não vou à Paulista e posso estar desinformado, mas será o melhor lugar pra achar coisas baratas?

      1. Resposta curta: nem tanto. Dependendo, compensa ir na 25 de Março ou online mesmo.

        Resposta longa: houve várias ações policiais que fecharam algumas lojas. Por um tempo até que tinha coisa mais barata que 25 de Março ou Santa, mas depende muito da loja e de quanto está disposto a bater perna. Só que tem um detalhe: as lojas na Galeria Pajé hoje já deixam bem claro que trabalham “no atacado” (vende um valor mínimo ou um número mínimo de peças.).

    2. Ligeiro, há quase 1 mês estava planejando uma viagem, e fui na Clickbus comprar passagem, vi a taxa de conveniência e achei caro, daí alguns dias depois tinha dentista e relativamente perto de lá fica a rodoviária, aproveitei e fui lá comprar, no clickbus estava 65 reais (+ taxa de conveniência), enquanto na rodoviária estava saindo por 140 reais, comentei com o atendente, ele disse que no site era preço promocional, então voltei pra casa e comprei pelo site, sei que eles podem estar fazendo isso para ganhar mercado e aniquilar clientes, mas a diferença de preço era tão absurda que era melhor comprar por eles.

  6. A matéria sobre as TVs da Samsung com defeito fez meu dia.

    A minha deu defeito no começo do ano e foram quase 3 meses até conseguir convencer a Samsung. Nesse meio tempo comprei um LG que acabou virando meu monitor após o reparo da Samsung.

    Aliás, fica a dica: coloque a TV em “Modo Game” e use como monitor. Até 50″ (meu caso) é satisfatório, mas algo mais próximo de 40″ é melhor. O equivalente a usar 4 monitores Full HD, sem as desvantagens de usar 4 monitores.

    1. Fiquei curioso: Qual a resolução? Não fica desconfortável para uso tão próximo?

      1. A resolução é 3840×2160. Eu uso ela pregada à parede, a 75 cm do rosto. Uma tela um pouco menor, com maior DPI, seria melhor, mas eu não uso as janelas dos aplicativos em tela cheia.
        Como tenho que ficar com várias janelas abertas, uso o recurso de snap windows, ou o FancyZones do PowerToys quando preciso de um layout mais exótico pra distribui-las, junto com as áreas de trabalho virtuais. Assim não fico precisando fazer Alt+Tab em 8+ janelas.

        Um monitor WQHD de 32″ teria a mesma largura que essa tela de 50″, se não me engano, mas a altura extra da tela da TV ajuda pra trabalhar com editor de texto/código.

        1. É, a resolução é boa mesmo. Fiquei bem curioso com esse seu setup. Se não for pedir muito, rola postar uma foto?

    2. Bom, como um dos personagens da matéria não poderia estar mais esperançoso de que o esforço de algumas pessoas possa ajudar a outras dezenas. A jornada junto à Samsung ainda está sendo bastante cansativa, pois mesmo com meu problema resolvido, vi a oportunidade de envolver uma ação judicial exigindo recall de todas as TVs. A experiência toda está trazendo algumas reflexões e fatos:

      – a atitude da Samsung comigo foi muito mais um “cala a boca” do que reconhecerem que havia algo de errado.

      – Tecnoblog, Escolha Segura, Loop Infinito fizeram vista grossa sobre o assunto. Minhas mensagens com alguns editores foram solenemente ignoradas. Sei que os canais jamais adivinhariam que haveria tantos problemas, mas da mesma maneira que se intitulam “canais que vão ajudar você a definir sua próxima compra” deveriam ao menos dar ouvidos aos consumidores que foram influenciados pela indicação.

      – o CDC que fica pendurado na parede de qualquer loja é meramente decorativo. Os gerentes da autorizada sequer sabiam da aplicação da Lei sobre Vício Oculto.

      – Muita gente afetada pelo problema tem numa TV dessas a realização de um sonho: poder contar com um produto tecnologicamente interessante por um preço que cabe no carnês de prestações. Havia gente que precisaria pagar mais 1 ano de prestações por uma TV que para ser consertada, custaria 1 1/2 o preço original.

      – Numa conversa com Procon SP (já que o Procon MG é decorativo), os consultores defenderam a Samsung alegando que não havia obrigação de prestarem o reparo mesmo argumentando com alguns processos que abriam jurisprudência.

      – Segundo um técnico da autorizada que comprou minha briga, em janeiro e fevereiro deste ano eles estavam recendo em média 15 tvs por semana com o problema. Foi por este técnico que soube da informação sobre a qualidade dos cabos flat.

      Desculpem o textão, que serviu um pouco de desabafo também. Agradeço demais ao time do Manual do Usuário e ao Rodrigo Ghedin por ter escutado minha história e ter se disposto a apurar. Espero de verdade que muita gente possa ser ajudada por meio desta matéria a compreender quais são seu direitos.

      1. Interessante que no meu caso usei os mesmos argumentos que vc (inclusive a jurisprudência do STJ sobre garantia e vida útil esperada) no consumidor.gov.br pra ter a solicitação atendida.

        1. Na prática meu problema foi resolvido via consumidor.gov pois a assessoria de imprensa identificou minha reclamação e encaminhou as tratativas através do canal. Então não sei se obteria sucesso simplesmente por ali.

      2. Sobre os jornais techs que te recusaram como pauta, só digo uma coisa:
        “Jornalismo de verdade requer recursos (de verdade, não bitgolpes)”

  7. Boa tarde. Tenho uma Smart TV Samsung ligada a uma SoundBar JBL. Funciona perfeito. Agora liguei um Roku Express na TV (porque agora ela já não é tão smart mais) e o som não sai pela SoundBar. O som sai normalmente pelos altofalante da TV. Contudo, se eu ligo a SoundBar tudo fica mudo. Alguém com esse problema?
    Obrigado

      1. A ligação da TV com a SoundBar está correta e funciona na saída ARC. O problema foi que conectei o RokuEspress na TV (sem desconectar nada de audio) e o aúdio só sai pela TV e não mais pela SoundBar.

  8. Vocês acham que vale a pena ter coleção de musicas em flac? Estou com bastante musica no computador mas estava pensando em converter tudo pra MP3. Alguem faz coleção também? Tem alguma dica?

    1. Na minha opinião vale muito a pena utilizar formatos sem perda de qualidade (lossless), ainda mais que o preço dos HDs vêm caindo com uma constante estabilidade. Se não houver mesmo jeito, sugiro que não converta abaixo dos 320kbps.

      Há alguns anos comecei a converter os cds novamente, trocando os arquivos que havia convertido em mp3 nos anos 2000 (128/256) para Flac. Isso, combinado com o uso de um bom DAC em casa ou usando um DAP por aí me fizeram redescobrir com boas surpresas grande parte da minha coleção.

      1. Ah e um adendo, joguei todos os arquivos em um NAS e desentulhei meu computador. Hoje consigo tocar os mp3/flacs a partir de qualquer aparelho.

        1. Léo, qual NAS você utiliza/recomenda para essa finalidade? tenho tido interesse em usar essa exata solução para reproduzir minhas mídias

          1. Pedro, eu uso um Synology Diskstation Ds220+ com dois hds Toshiba. O sistema é muito fácil de instalar e usar.

        2. só é alto o preço desse NAS…. cruzes. Manter o backup em HD ainda me é mais barato.

        3. @Leo B, sempre tive uma curiosidade sobre “raids proprietarios”. Se um HD queimar, basta colocar outro de mesmo tamanho e tudo ok. Mas e se o equipamento queimar? Posso colocar os 2 HDs em outro RAID/NAS de outro fabricante e os dados se mantém?

          1. Sim, você pode ligar em um computador e acessar seus arquivos. Se eles estiverem configurados em RAID ou SHR você precisará ligar todos os drives ao mesmo tempo. Normalmente os da Synology estão formatados em ext4 ou Btrfs, daí uma máquina com linux consegue lê-los nativamente. Ou até um Mac, com algum driver específico. Confesso que no Windows não sei como seria.

          2. Socorri um cara uma vez com esse exato problema e a solução não foi tão simples assim. Embora os discos fossem formatados em EXT4, o NAS (era um Synology, mas não lembro mais o modelo exato), usava um SoC ARM. O sistema de arquivos tinha uma diferença mínima entre uma arquitetura e outra, por isso o Linux no computador não conseguia montar o RAID novamente. Precisei usar um software de recuperação de dados para extrair os dados.

      2. O grande problema pra mim é o espaço no celular. Eu teria que comprar um cartao sd muito grande pra caber tudo. Pensei até em usar servidor no pc ou na web pra ouvir no celular mas ai gastaria do plano de dados também.
        Ouvi fala nesse dac hoje. Recomenda algum bom e não tão caro?

        1. Para o celular realmente a melhor coisa é usar mp3. Ou então baixar de algum serviço de streaming uma versão para uso offline em boa qualidade. Se você for usar um DAC no celular eu recomendaria no BR o USB-C KD-1 da Kuba Audio ou um Jcally jm50 ou um ddhifi tc35 pro (no Aliexpress). Se for usar no computador, um Fiio K5, Loxjie d30. Depende muito de quanto quer gastar e os fones de ouvido e caixas de som fazem bastante diferença também.

          O legal seria você pensar no sistema inteiro, para evitar ter arquivos em boa resolução e baixa compressão e fones que não conseguem reproduzir essa qualidade.

    2. Eu passei por essa época e num belo dia descobri que o HDD que guardava minhas músicas simplesmente mórreu… e eu perdi o tesão de manter o arquivo. Outro ponto também para eu descontinuar a coleção em Hi-Fi foi o fato de não ter nada que toque música que não seja bluetooth. A umas semanas atrás até comprei um conversor Lightning para P2 mas na prática não está dando muito certo. Acabei desencanando. Hoje em dia só tenho as minhas playlists numa qualidade compatível com o fone de ouvido que tenho disponível.

    3. Não, mas não sou audiofilo e não percebo diferença alguma no som

    4. Deixo tudo mp3, geralmente 320kbps. A praticidade acima da qualidade.

    5. Converti todos meus CDs pra FLAC – escuto pouco, preferi streaming HD.
      Tenho Fone Samson SR850 e DAC Fiio K1 pra melhor qualidade tabto no celular quanto jo PC, mas não vale tanto o esforço.

      1. falando em Samson, temos um par de microfones dessa marca aqui no estúdio que trabalho (2º ‘emprego’) e são excelentes. Têm um ganho muito alto e a qualidade sonora é muito boa.

  9. Temos um desses filtros de torneira e para beber ainda tenho uma jarra-filtro (sempre ficam resquícios no ante-filtro) eu ainda acrescento umas pastilhas que prometem imantar e alcalinizar a água 😏😁
    (sou dessas otárias felizes que correm atrás de produtos holísticos para saúde já que estou no bico do corvo … ou do pássaro🦤dodô, só o Mais Alto sabe)

    1. Alcalinizar a água, dependendo do que for feita a pastilha, eu acredito que possa ser possível. Imantar é algo que não faz o menor sentido físico. Desculpe por desequilibrar sua água holística. :)

  10. Bom fim de mais uma bela semana laboral, indago-lhes a seguinte inquietação:

    “Como vocês filtram água?”

    Aqui em casa compramos um Filtro de Barro® em dezembro do ano passado e ele está “dando problemas”.
    Primeiro foi um micro furo na base que fazia com que nossa água vazasse de forma tão sutil que levamos uns meses para descobrir o motivo do filtro estar cheio às 22h e vazio às 8 da manhã. Meti um Durepox®.
    Agora a questão tem sido pouca água sendo filtrada, mesmo procurando por novos furos e fazendo a manutenção do filtro como recomendado.

    1. Também uso o bom e velho filtro de barro®. Talvez o elemento filtrante (aquela peça cilindrica dentro do filtro) esteja saturado. Aqui em casa nós costumamos tirá-lo e lavar apenas com água corrente, enquanto esfrega com a mão mesmo. Você consegue repetir essa lavagem até umas duas ou três vezes, porque depois ele vai ficar bem lento de filtrar. Daí só substituindo o elemento filtrante, que você pode encontrar em qualquer supermercado ou loja de casa/construção.

    2. Filtro de barro tem que achar os que são bem acabados. Não entendo tanto, deve ter tutoriais perdidos por aí. Mas como são meio que “sensíveis” – oscilações de temperatura demais e vibrações provavelmente podem gerar trincas – o certo é sempre revisar.

      Em casa minha mãe pegou costume de comprar garrafão de “Água Mineral®”. Por um tempo usei uma bombinha elétrica, mas ela não gostou (parece que o caninho da bombinha gerou reação). Agora usamos uma bomba manual de plástico.

      1. O duro da água mineral é que a gente nunca tem certeza da procedência da água vendida por aí…

    3. Filtro de parede, inclusive está na hora de trocar as velas

      Detesto aqueles filtros que são na torneira da pia da cozinha

    4. Não filtrava, mas agora morando com minha namorada temos um filtro de parede.

      1. Diego, tu confiava na empresa de água e esgoto da tua cidade?
        Aqui no Rio seria impossível de fazer um troço desse. Hospital na certa.

        1. Vino, nunca tive o hábito de filtrar água, nem de comprar água mineral, mesmo quando viajo. Em 2015 passei minhas férias em Paraty, bebi a água local e… permaneci forte e bonito! AHahahahha

          1. Corajoso! Fora de casa eu só tomo água de garrafinha. Ainda que as chances sejam baixas, a depender do local, é o tipo de contaminação que te derruba legal. Prefiro não arriscar.

    5. Nunca tive esse hábito. Aqui no Paraná a água da torneira, da Sanepar, é de boa qualidade. Desde que passei a morar com a namorada, porém, adotamos um filtro de barro. É ruim que tem que limpar de vez em quando e trocar o filtro ~1 vez por ano, mas, fora isso, tem vantagens também — a água sai fresca e… né, tem uma filtragem extra.

      Não tivemos qualquer problema com vazamentos.

      1. Aprendi a limpar com açúcar cristal. Esvaziar o filtro, tirar as velas, e com a mão limpa colocar bastante açúcar cristal na mão e usar como uma “lixa” nas paredes dos filtro e na vela. Enxaguar e encher de novo.

        1. Não faça isso! Você pode entupir os poros da vela ao lavá-la com açúcar. O recomendado pelas fabricantes é lavar em água corrente com uma bucha macia. Faço isso nas velas no daqui de casa e funciona.

    6. #timefiltrodebarro
      Já estou no segundo (precisei trocar o primeiro por um de maior capacidade) e nunca tive problemas. Lavar as velas a cada 2 ou 3 meses, substituí-las lá pela terceira lavagem.

    7. Nunca tive problemas em nenhum dos imóveis onde morei até hoje, sempre bebi da torneira.

      A única exceção foi no começo da pandemia, em que a água passou uns dias vindo com gosto estranho, mas imagino que tenha sido algum problema de aumento de demanda sem que a empresa de água tenha feito os devidos ajustes.

    8. Na antiga casa usava um filtro que vinha acoplado na torneira que comprei, acho que era um me engana que eu gosto, porque com a pressão que saía não tinha chance daquela água ser filtrada.

      Em 2020 nos mudamos para o litoral e aqui não dá para confiar muito na água da rede, ainda mais no verão quando aumenta a demanda, então começamos a comprar aquelas bombonas de 20L de água mineral, porém morar no quarto andar sem elevador nos encorajou a buscar outra solução, agora usamos um filtro de parede da Consul, do mais baratinho, sem água gelada e etc, está atendendo muito bem.

    9. como engenheiro de saneamento, posso dar duas dicas:
      – elemento filtrante retira os sólidos em suspensão: geralmente barro
      – germicida mata microorganismos (geralmente bactérias e vírus): nitrato de prata
      – carvão ativado para retirar cheiro e gosto.

      De resto, é confiar no tratamento da Companhia de abastecimento municipal/estadual.
      Se for água de poço em zona urbana? Faça análise para verificar nitrato (esgoto novo) e amônia (esgoto velho) na sua água.
      Isso só sai com tratamento químico (caro) – se recomenda abandonar esse peço.

    10. Uso um filtro eletrônico (também mais conhecido como “purificador”) da Electrolux. A vantagem é que a água já vem gelada e filtrada. A desvantagem é que ele usa um filtro proprietário, que mesmo comprando de outras marcas, ainda é meio caro.

      Minha sogra utiliza um filtro com compressor, que combina o compressor de um gelágua de garrafão com água filtrada. É bem mais potente que o meu.

      Diz a lenda que a água tratada vinda das torneiras já é própria para o consumo, mas quem vai arriscar? Além disso, mesmo com um filtro, teve uma época que a água estava meio com um gosto de ferro, e mesmo passando pelo filtro, não resolvia — o problema só foi resolvido quando fizeram uma limpeza na caixa d’água do prédio.

      1. Você tocou num ponto importante, que é o aparato da casa ou prédio que recebe a água. Tem que dar manutenção na caixa d’água e nas tubulações, né? Sem isso, pode ser a água mais pura do mundo, que vai ficar zoada depois de passar pela caixa d’água que não é limpa há dez anos.

        1. Pois é. Quando se mora em um prédio ou condomínio, teoricamente é responsabilidade da administração solicitar limpezas periódicas. Já em casa, a gente mesmo que tem que se preocupar com isso.

      2. Eu não sei se confiaria nessa lenda que água tratada vinda das torneiras é própria para consumo. Já tivemos caso no RJ de água impropria e li uma matéria que existem mais de 700 cidades (incluindo SP) que a água estava contaminada acima do limite (devido radioatividade e agrotoxicos) entre 2018 a 2020

        https://reporterbrasil.org.br/2022/03/exclusivo-agua-da-torneira-foi-contaminada-com-produtos-quimicos-e-radioativos-em-763-cidades/#:~:text=Contribua-,Exclusivo%3A%20%C3%A1gua%20da%20torneira%20foi%20contaminada%20com%20produtos,e%20radioativos%20em%20763%20cidades&text=Moradores%20de%20S%C3%A3o%20Paulo%20e,encontraram%20subst%C3%A2ncias%20acima%20do%20limite.

        1. Penso que isso se aplica a qualquer tipo de água. A contaminação é da origem – no caso reservatórios e “circuitos de abastecimento” (rios, poços e demais).

          1. Sem dúvidas, mas as companhias responsáveis deveriam tratar a água, e se não for possível informar os dados da qualidade. No caso da matéria fica explícito, por exemplo, que a Sabesp só informa o básico

            “Os testes são financiados com dinheiro público e de quem paga a conta d’água, mas os resultados estão trancados a sete chaves. As companhias de abastecimento deveriam informar à população sempre que uma substância aparece acima do limite”

    11. Eu utilizo um filtro de torneira.

      Porém, na casa de verão do meu pai, a qualidade da água era péssima, então ele colocou um sistema de filtragem utilizando filtros 9 3/4 na caixa d’agua, semelhante ao que é mostrado nesse vídeo.

      https://www.youtube.com/watch?v=gf7k9nWlmHA

      Como a casa é usada no veraneio somente, todo ano antes da temporada meu pai troca o refil dos filtros, e é perceptível a diferença na quantidade de sujeira no momento de limpar a caixa d’agua.

      O bom de filtrar toda a água, não somente para beber/cozinhar, é que aumenta a vida útil dos chuveiros, máquina de lavar roupa, etc.

    12. Aqui em casa eramos adeptos do galão de 20 litros de água mineral, mas pelo preço que estávamos gastando todo mês resolvemos comprar um filtro da Purific (minha sogra tem um a vários anos, filtra rápido e a água fica sem gosto, fora que as velas duram 6 meses). Compramos um modelo de 6 litros que tem atendido bem, mas se esquecer de encher acaba entrando ar na vela e a filtragem para, aí tem que submergir a vela para tirar o ar e não é tão simples quanto parece.

    13. No meu primeiro apê, usava um daqueles filtros da Europa pra tomar água filtrada e cozinhar. Já o que tô morando atualmente tem um negócio tão mal feito no encanamento da pia que, pra conseguir instalar o filtro, vou precisar basicamente arrancar o cano de água da pia, e furar a pedra e lateral do gabinete pra passar um caninho.

      Como o apê é alugado, comecei a tomar água da torneira pra evitar a fadiga. Já foram 10 meses nisso aí e continuo firme e forte. Mas não recomendo e guardei o filtro pra instalar numa futura mudança (ou quando eu estiver com paciência pra quebrar metade da pia).

    14. Eu não filtro. Até temos um filtro de barro e minha companheira bebe dele, a água realmente fica mais fresca e gostosa, mas acabo vencido pela preguiça e bebendo água da torneira. Nunca tive problemas. Mas agora ouvi falar de um estudo que nossa água em Floripa tá cheia de substâncias tóxicas que mesmo o filtro não resolve. Quero ir atrás desse estudo e, se verdade, mudaremos para água mineral.

      1. Um adendo: já usamos 2 filtro na torneira e, mas a pressão estourou os dois e alagou o apartamento. No segundo alagamento desistimos.

      2. Tou tentando me lembrar as fontes de abastecimento da RM de Florianópolis. Não sei se é na própria RM, ou tal como o sistema Cantareira em São Paulo, fica em regiões mais distantes. Dado o fato que a região montanhosa é um desafio para tal também.

    15. Tenho no apartamento um filtro daqueles que vão na parede da pia da cozinha. Vou trocar por um de barro (talha), que filtra por gravidade. Uma dica: pra esses bebedouros de barro, não usem o filtro/vela mais simples. Usem um que tenha carvão ativado.

    16. Desde sempre, mãe faz o mesmo processo: filtro de torneira, depois enche o reservatório do filtro de barro com vela de carvão ativado.

      Recentemente, vi um vídeo ótimo sobre purificação de água. É grande mais vale a pena deixar ele tocando estilo um podcast.

      https://youtu.be/snlp9B5GH_s

  11. Quais plataformas vocês recomendam para quem procura imóvel para comprar?

    Na plataforma da OLX eu notei anúncios com imagens de imóveis repetidos em diferentes bairros, cidades e até Estados, e com valor muito abaixo do esperado. Quando você entra em contato percebe que trata-se de consórcio.

    1. Imobiliárias, e te aconselho a contratar os serviços de um advogado se achar que encontrou “o imóvel”.

    2. Pode ver direto nos sites das imobiliárias da sua região.

    3. Aqui em Minas eu uso lugarcerto.com.br
      Ele funciona como uma espécie de agregador da maioria das imobiliárias puxando as ofertas direto dos sites cadastrados na plataforma.

    4. Além dos sites próprios das imobiliárias, é interessante aqueles que são utilizados por elas para publicar anúncios, como ZAP Imóveis, VivaReal e NetImóveis.

      1. Usei bastante o Zap Imóveis quando estava buscando apartamento. A localização indicada por ele no mapa é em geral bastante precisa, e isso era meu critério número 1 na busca.

  12. Da série: dispositivos inteligentes que não são tão inteligentes assim.

    Desde ano passado venho comprando alguns dispositivos inteligentes (tomada, lâmpada, controle remoto universal) que vem funcionando muito bem, com rotinas para ligar e desligar em horários específicos e comandos de voz para acioná-los pelo assistente.

    Tudo funciona muito bem… a menos que a internet deixe de funcionar. Aí eles voltam a ser dispositivos burros como outros comuns que a gente tem em casa. Digo, faz sentido que eles dependam da internet para acioná-los remotamente, mas estando dentro de casa e dentro da mesma rede Wifi, eles não deveriam poder ser acionados e a programação não deveria funcionar do mesmo jeito, quando não há internet? Ou será que tem alguma configuração que eu esqueci de fazer?

    Enfim, fica aqui a minha indignação com esses dispositivos “inteligentes” da casa “conectada”…

    1. da uma pesquisada pois salvo engano sei que existem servidores pessoais para este tipo de coisa. Tipo, voce pode criar um servidor pessoal para usar no lugar dos online.

    2. Para as automações dos seus dispositivos funcionar sem depender de Internet há 3 principais plataformas: Hubitat Elevation, Samsung/Aeotec SmartThings e Home Assistant.

      Os 2 primeiros precisam de um hub importado na faixa de R$ 1500, no Home Assistant pode ser qualquer computador/notebook antigo, mini pc ou raspberry 3/4, porém, acima do básico no HA exige muito tempo disponível e há custos que podem chegar ou passar das 2 primeiras opções que citei.

      Alexa e Google Assistant pode esquecer, fazer algo por voz não é bem automação residencial, dependem 100% de Internet sempre.

      1. Eu uso o hub SmartThings + Raspberry 4b rodando Node-RED e nesse conjunto a maioria das minhas automações e dispositivos inteligentes zigbee funcionam sem depender de Internet.

        1. Tenho RPi 4 aqui, poderia indicar um link pra iniciar os estudos.
          Isso é um stress, toda ves que cai a internet, tudo para.
          O SmartThings é controlado por aparelhos da Samsung?

    3. Por aqui a opção é por HomeAssistant + nodered, num Rasp4

      Alem dessas opções, vc pode usar esp8266/esp32 ou arruino e fazer seus módulos autônomos.

    4. A gente chamar esses dispositivos de smart é a prova de que o marketing é uma ferramenta pra lá de poderosa.

      No máximo dá pra chamar de dispositivos programáveis.

  13. Seria hoje o dissipador de temperatura dos celulares e a bateria o que mais capa o desempenho?

    Um manolo modificou um Mi9 adicionando dissipador térmico, ventoinha mais duas baterias, e o Snapdragon 855 chegou proximo de desempenho ao atual Snapdragon 8 Gen 1 em benchmark. Fico imaginando se a temperatura e a bateria não fossem problemas qual seria o desempenho que os celulares poderiam alcançar.

    https://tecnoblog.net/noticias/2022/04/26/xiaomi-mi-9-e-modificado-para-virar-celular-gamer-e-ganha-ventoinha/

    1. É isso que acontece quando as fabricantes ficam obcecadas em fazer tops de linha cada vez mais finos e esquecem de todo o resto.

      Uns dias atrás, fiz um experimento com meu Galaxy S21, um aparelho excelente, mas que esquenta só de olhar torto pra ele: Prendi o smartphone na saída de ar condicionado do carro e liguei o modo Dex, que a própria Samsung avisa que superaquece o smartphone. Fiz o comparativo com o ar ligado e desligado.

      Não cheguei a ver em números, mas a experiência do Dex com o ar ligado diretamente no celular é absurdamente mais fluída do que em alta temperatura. Agora tô procurando alguma dock gamer com cooler onde seja possível conectar o S21 e usar o Dex com desempenho máximo.

      1. Pierre, não daria para fazer um Cooler DIY? Fui pesquisar e só tem aqueles “cooler gamer” para jogo. Não tem algum estilo “dock”.

    2. Tecnicamente, o M1 é a mesma arquitetura dos smartphones com restrições menores de dissipação e bateria. A Apple está bem na frente, mas o Surface Pro X seria um caso de Snapdragon com “mais espaço” para trabalhar: bem aceitável para o dia-a-dia e ótima bateria, o problema é o suporte de software.

  14. Tentei postar um comentário aqui e apareceu:
    “Você está enviando comentários rápido demais. Calma aí.”

    Estranho que não havia postado nenhum comentário ainda. Algum bug?

    1. às vezes acontece comigo — mas em seguida refaço o comentário e ele aparece normalmente

    1. de cabeça, só sincronizando dia Davx, quando usava o fastmail eu sincronizava a partir dele.

    2. Eu uso o calendário e agenda de contatos do Fastmail. Acho que a maioria dos serviços de e-mail (pagos…) tem isso. No Zoho, que uso aqui no Manual, também tem.

      E tem o Etesync, que não oferece e-mail, mas tem calendário, agenda de contatos, notas e tarefas — e tudo isso com criptografia de ponta a ponta.

    3. O do Outlook da Microsoft me parece decente. Só não sei se os contatos sincronizam com o celular (devem sincronizar).

      1. A Microsoft só sincroniza contatos, calendário e e-mail do Exchange, o aplicativo Outlook até exibe os contatos na agenda, mas as alterações não são sincronizadas… 🙄🤌

      1. Simple mobile tools é uma ótima sugestão.
        Eu uso o calendário deles, e funciona muito bem.
        Caso você opte por eles, @Rafael, sugiro instalar a loja de aplicativos F-droid (https://manualdousuario.net/f-droid-lojas-apps-android/). Lá eles disponibilizam a versão PRO do simple mobile tools gratuitamente. Claro que, se gostar e puder, sugiro doar aquele cafezinho para o desenvolvedor.

        1. Uso faz tempo…Eu gostei tanto que fiz questão de comprar. =)

    4. Eu uso Nextcloud. Sincroniza com celular e tudo mais. Acho ótimo…

  15. Olá pessoal,
    Eu encontrei essa distro linux recentemente (Tails OS) https://tails.boum.org/ e achei a proposta muito bacana. Dei até uma pesquisada aqui no manual do usuário (uso muito o operador de pesquisa site:manualdousuario.net quando encontro alguma novidade de tecnologia. Agradecimentos ao Ghedin por manter esse banco de referências!), mas não retornou muita coisa (apenas umas 3x postagens, basicamente citando a distro).
    Alguém aqui usa? Qual a aplicação no dia-a-dia de vocês?

    1. Pelo que já pesquisei, não é muito viável para uso diário. A proposta é que seja um sistema temporário para atividades que exigem mais segurança e privacidade. Acho muito interessante, mas ainda não encontrei uma aplicação no meu caso. Talvez para usar o computador em redes não confiáveis ou para executar tarefas bastante específicas.
      Outra distro que vai na mesma linha de segurança digital e privacidade e também é bastante famosa é a Qubes OS: https://www.qubes-os.org

    2. Uso no Pendrive para alguma emergência que eu precise enviar email ou trabalhar em algum computador de amigos ou em bibliotecas.

      Usar no computador de casa como sistema operacional não faz muito sentido, até porque esse não é a proposta dele (talvez o Snowden use dessa forma hehe).

      O Qubes OS é mais indicado, apesar de que eu ainda acho que você vai penar para usar no dia a dia se for sair da curva email, browser e processador de texto/planilhas.

    1. Castanha do pará, mas nunca parei “para” pensar muito nisso.

      Você está tentando iniciar uma nova guerra civil como a da bolacha e biscoito, Fred? Hahahahahah

      1. Detesto o termo castanha do brasil, mas aparentemente ele é mais comum do que eu achava e parece ser o nome oficial na embrapa ou sei lá

    2. No Brasil castanha do Pará e fora castanha do brasil “Brazilian Nuts” popularmente conhecida mundo afora.

    3. “Castanha do Brasil” parece muito coisa de bolsonarista falso patriota querendo resignificar símbolos nacionais. Sempre chamei de castanha do Pará.

      1. Oloco, o cara só fez uma pergunta e vc já associou a politica, relaxa cara.

        1. Eu dei risada quando o Pierre mandou o comentário.

          mas se seguir este raciocínio, vamos dizer que comer morangos te faz ter impulsos socialistas :3

        2. Eu sei, pô. Só tô zuando.
          Na próxima, coloco uma tag pra deixar mais claro.

    4. Castanha.

      Ja não sei as diferenças entre castanhas, vai castanha mesmo.

      (compro um pacote com castanhas diversas e uva passa por 1 $)

        1. Tipo assim, tem uma loja de 1 Real que é 1 real mesmo um pacotinho de 250g. Vem bem misturado e o visual é feio, mas o sabor tá bom e não parece estragado.

          Em outras lojas, um pacotinho menor (acho que 50g) tá na faixa de 2,50 $. E tem lojas que é 6, 7 contos. Depende muito.

          Tenho sorte que a cidade onde vivo tem lojinhas de um real que os produtos SÃO um real. Em tempos de inflação é meio que uma salvação, ainda que o produto perca algumas gramas ou ml.

    5. Castanha do Pará, porém minha namorada que é nutricionista chama de castanha do Brasil.

    6. Comentando direito agora já que causei polêmica no outro sem querer.

      Nem sabia que esse termo “do Brasil” existia pra se referir a castanha do Pará. Em que regiões se fala assim?

      E pergunta que parece brincadeira mas é séria: No Pará eles chamam de castanha do Pará ou só de castanha?

      1. Acho que castanha sem nada é sempre de caju ou um conjunto de castanhas

      2. Em Manaus ninguém fala “do Pará”. E se vc falar dessa forma, será corrigido/repreendido. É castanha do Brasil, ou castanha da Amazônia.

        1. o que deveria ser castanha-da-Amazônia.
          Apesar de ser um erro, pois Grão-Pará era a capitânia hereditária que gerou todos os estados da Região Amazônica.

      3. Aqui no Pará é castanha do Pará que chamam.

        Já a lógica de que no exterior todo lugar chama de castanha do Brasil não é tão correto. Um amigo meu holandês disse que o nome lá é ‘Paranoten’ e que ele desconhecia o termo Brazilian Nuts, mas entendo que deva ser o termo mais comum em países de língua inglesa por associar mais fácil.

    7. essa “confusão” no nome vem do desconhecimento da origem do termo – ou simples ignorância mesmo.
      Pa’ra significa “Rio-Mar”, como era chamado o Rio Amazonas pelos Tupi-guaranis.

      Quando os “Tugas” chegaram aqui, ouviram os indigenas falando e chamaram a região de Grão-Pará – o que deu origem à capitania hereditária.
      Então, quando mercadores vinham comprar as castanhas na região, eles falavam que eram “Castanhas do Grão-Pará”.
      Fácil saber que isso foi sendo contraído para “Castanha-do-Pará”

      Com a independência e a divisão da capitania,os diversos estados ficaram com birra do Estado do Pará, pois ele não queria aderir à independência (forte colônia portuguesa, população faz a Revolta da Cabanagem, Inglaterra envia um Navio de Guerra pra “conversar” com a galera e Pará se junta no rolê do Brasil-Estado).

      Como se manteve o nome “Castanha-do-Pará”, os demais estados da região norte ficam com “ciúmes”, dizendo que não é só do “Estado do Pará”, sem compreender a origem do nome – pode ser chamada de Castanha-do-Brasil quando se exporte (igual à castanha-portuguesa), mas o nome oficial é castanha-do-pará (apesar de gostar do nome castanha-da-amazônia)

      Apesar de já ter diversos nomes, o que só enfraquece a divulgação do produto: castanha-do-brasil, castanha-da-amazônia, castanha-do-acre, castanha-do-pará, noz amazônica, noz boliviana, tocari ou tururi – via wikipedia)

      1. Tem todo esse debate sim entre “do Pará”; “da Amazônia”; ou “do Brasil” (a Amazônia também compreende outros países onde se produz castanha, inclusive a Bolívia tem um mercado bem mais estruturado que o brasileiro, então não faria sentido chamar esse produto de “do Brasil”) mas, mais importante do que nomear, é consumir o produto, de preferência das comunidades extrativistas indígenas, quilombolas e ribeirinhas, que vêm sofrendo ataques absurdos nos últimos anos. Aqui tem alguns exemplos, inclusive alguns fáceis de encontrar em grandes redes: https://www.origensbrasil.org.br/produtos

  16. Lamentavelmente agora o consumidor.gov.br exigir que o acesso seja feito por uma conta gov.br de nível prata ou ouro.

    Estava com uma reclamação no sistema e agora não consigo acompanhar. Amo meu país.

    1. o simples fato de utilizarem esse vocabulário próprio de consumo de serviços privados (“ouro”, “prata”, “bronze”) numa plataforma destinada a garantir o exercício de direitos dos cidadãos já acho absurdo

      a segregação, então, é inadmissível

      1. Desculpa, mas não vejo problema nenhum nisso. Avanço de conta é um procedimento comum na maioria dos bancos, e eles também usam essa nomenclatura.

        A segregação que você mencionou segue o princípio do acesso mínimo: Você tem um perfil básico quando começa a usar o serviço, e não precisa fornecer tantos dados pra provar sua identidade. Quanto mais crítica é a função que você quer acessar, mais dados vai precisar fornecer pra validar que é você mesmo que está acessando e evitar fraudes. Isso é uma prática bastante comum e recomendada de gestão de riscos de segurança da informação nas empresas.

        Bom saber que pelo menos uma aplicação do governo foi implementada por gente de TI e não por um encostado do centrão, por isso funciona.

        1. Eu tenho birra com a nomenclatura

          Fosse 1, 2 e 3 eu nem observaria. Mas OURO parece que eu sou um cidadão top tier (mas na verdade significa que forneci uma foto do meu rosto pro app do governo que em algum momento será controlado pelo encostado do centrão)

          1. Eu ia fazer um comentário neste nível. No caso de segurança de conta, acho que a nomenclatura baseada em cores (eu colocaria amarela, azul e verde – vermelho não daria porque geralmente é associado a alerta, e não combinaria nisso) seria mais relevante.

        2. Você disse que é comum em bancos, mas eu não lembro de ter me deparado com isso nas minhas contas (nu e Sicoob). Seria algo a nível interno apenas?

          1. Sim, esqueci de destacar que é interno. Pro usuário, essa nomenclatura é transparente. Ou sua conta é avançada ou não é, apesar de ter alguns “níveis” de avanço interno.

        3. Interessante saber que os bancos utilizam essa nomenclatura. Pensei que fosse algo arbitrário que o pessoal de TI do governo idealizou. Mas faz sentido isso vir dos bancos: uma das maneiras de “avançar” seu cadastro é justamente conectar com sua conta do banco.

        4. eu só posso lamentar esse discurso rasteiro antipolítica

          o funcionamento de plataformas digitais cuja função é a salvaguarda de direitos de cidadania deve se guiar por princípios políticos, não por limitações técnicas — se quem define os procedimentos e protocolos são apenas técnicos, então temos aí um problema, sobretudo quando algo tão ideológico quanto definir quem seja “ouro” ou “bronze” se impõe como algo supostamente objetivo e neutro

          como Ligeiro comentou, há milhares de outras formas (muito mais transparentes) de assegurar a segurança no acesso

    2. mesma coisa no e-cac, ano passado conseguia acessar sendo bronze, agora, só a partir do prata, tive “sorte” que a minha empresa mudou de banco e esse permitia vincular para virar prata, o que foi minha salvação, se não eu abriria conta só pra aumentar meu nível sem pagar nada.

  17. Olá novamente! Uma questão diferente.

    Uso gerenciador de senha e autenticador já tem um tempinho. Comecei com o Samsung Pass que era muito conveniente em celulares samsung, mas não fora dele. Por isso, passei usar o LastPass. Gostava muito, mas com as mudanças que efetuaram no último ano precisei migrar. Lendo relatos aqui pensei no Keepass, mas achei meio confuso usar app de um e site de outro. Até pensei fazer como o Ghedin que cuida do próprio cofre, mas ia acabar colocando no onedrive. Diante disso optei pelo bitwarden, gostei muito, às vezes meio lento.
    Minha dúvida é: até onde vocês entram com suas contas pessoais em dispositivos das empresas onde trabalham?
    Por exemplo: no PC da empresa entro no meu email, mas não logo no navegador para ter acesso mais fácil aos favoritos e afins.
    Criei uma conta Firefox só para sincronizar coisas do trabalho e poder acessar do celular e outro PC.
    Recentemente loguei com minha conta do bitwarden para poder ter acesso às senhas mais fácil e não depender tanto do celular. Fiz errado?

    Quanto ao celular, utilizo o meu para trabalho e loguei o email e serviços afins, mas essa escolha foi minha. Não quero ficar andando com 2 celulares para cima e para baixo.

    Às vezes tenho à sensação que estou ficando paranoico.

    1. Eu separo as coisas com os Multi-Account Containers do Firefox. O que é do trabalho logo em abas “Trabalho”, pessoal nas abas “Pessoal”, etc. No note da empresa faço o mesmo, mas nunca marco a opção de manter logado nas abas pessoais. Ou seja, se o notebook for requisitado pela empresa, tem o histórico, mas não tá logado.
      O bitwarden a mesma coisa: sempre que inicio o navegador preciso entrar a senha-mestre.

      1. Vc poderia explicar mais sobre como funciona esse Multi-Account Containers do Firefox?
        Desde já agradeço.

        1. É uma extensão, João. Você cria “contêineres” que atuam como sessões paralelas e seladas na mesma janela, ou seja, os dados trafegados em um contêiner ficam isolados dos demais e da sessão normal/sem contêiner.

          Eu também uso aqui para logar no Facebook/Instagram e no Google. É uma das coisas legais que só o Firefox tem.

    2. Atualmente eu uso o Dashlane premium como gerenciador de senhas, que dá direito a VPN da hotspotshield e mais algumas funcionalidades. Ele tem um sistema de autopreenchimento que funciona muito bem e no geral é muito fácil de usar! Tem planos gratuitos também.

      Mas como estou buscando usar mais programas/serviços FOSS, pretendo testar o Keepass futuramente.

      Evito entrar em contas pessoais no dispositivo do trabalho. Pode ser um exagero meu, mas busco sempre acessar minhas contas apenas em dispositivos próprios, para evitar qualquer dor de cabeça.

      Com relação ao celular eu estou em uma situação similar, também tive que instalar alguns programas de autentificação para serviço em home office. Mas, com o perdão do trocadilho, são ossos do ofício mesmo.

    3. Eu não entro. Simples.

      A empresa se reserva ao direito de monitorar tudo que eu faço no meu notebook. Então se eu logar no whatsapp web no note do trabalho, seria como se eu assumisse o risco dos meus dados pessoais serem vistos por outra pessoa. É a mesma coisa de quando você configura o email da empresa no celular e ele solicita permissões de device admin.

      Gerenciador de senhas eu uso o Samsung Pass no smartphone pra senhas pessoais e o Bitwarden pra senhas dos sistemas internos.

      Caso precise logar no meu email pessoal em alguma emergência no trabalho, uso um navegador diferente (o “oficial” da empresa é o Edge), faço o login com a sincronização desligada e deslogo depois de terminar.

  18. Olá pessoal!

    Tenho lido muito a respeito de privacidade e cuidados com os dados virtuais. Infelizmente, mas nem tanto assim, minha conta de email principal é o gmail. Uso ela há mais de 14 anos (desde a época em que só entrava com convite), lendo relatos do Ghedin e de outros aqui no Manual até pensei em migrar para outro serviço, mas fiquei pensando em todos os lugares onde tenho esse email cadastrado, isso inclui cadastros bancários e governamentais. Será que vale a pena bancar essa mudança? Pensei em comprar um domínio e tudo mais, mas apareceu a seguinte a questão: o custo para manter isso? Isso tudo vale a pena para um usuário pouco acima da média?

    1. No Gmail, é possível configurar um redirecionamento automático para o novo endereço. Aí você consegue mudar as coisas aos pouquinhos e não fica no escuro no novo endereço.

      Eu faço assim. A transição foi suave. Além dos novos e-mails enviados ao antigo Gmail, o arquivo também veio junto para o Fastmail. Só vantagens.

    2. Sobre o domínio, se for fazer no registro.br, custa R$ 40/ano. Aí tu pode contratar uma hospedagem separada e apontar o DNS da hospedagem para o domínio.

      Como pretende usar como um domínio de e-mail, pode pegar o plano mais básico possível que já deve dar pro gasto.

      E pela quantidade de serviços onde você está cadastrado pelo gmail, vai mudando aos pouc0s. não dá pra refazer 14 anos em apenas 14 horas.

    3. Oi Juliano, acho que depende mais de você responder essa pergunta, no seu contexto pessoal.

      Quando você pergunta de custo, é só de grana, ou de outros tipos (tempo, esforço, etc)? Se for de grana, o custo de um domínio depende do TLD (final do domínio), os .br estão bem em conta com o dólar nas alturas, dá 40 reais por ano. Quanto a hospedagem de e-mail, existem algumas grátis, outras pagas, aí vai de escolha pessoal (eu uso o ProtonMail com meu domínio, é 5 dólares por mês, e eu particularmente acho caro por causa da cotação do dólar, mas pago).

      Quanto a sua pergunta sobre se vale a pena fazer a mudança, vai outra pergunta: qual seu modelo de ameaça, ou seja, quem você acha que pode ameaçar sua privacidade se obtiver acesso ao seu e-mail?

      Se você tem medo de hacker, bandidos, etc, não tem porque sair do GMail, porque o Google mantém padrões de segurança estado-da-arte, logo, não teria porque você mudar.

      Entretanto, se você teme que o Google tenha acesso ao conteúdo dos seus e-mails (seja qual for o motivo do medo), ou que o governo brasileiro obtenha acesso a eles (possível, via decisão judicial), aí vale a pena a mudança pra outra plataforma que você confie mais, ou que te ofereça mais segurança.

    4. Uns tempos atrás eu fiquei meio paranóica com isso de perder meu gmail com todas as minhas contas. Tinha lido no hacker news a história de um cara que perdeu absolutamente tudo, até acesso ao celular e o Google nem respondia para ele o porquê de terem fechado a conta.
      Aí comprei meu próprio domínio, dois anos no registro.br.

      Então, diferente de você minha preocupação não era tanto a privacidade, eu queria um email que eu conseguisse migrar de plataforma se precisasse.
      Eu fiz algumas pesquisas e acabei escolhendo o zoho, na época ele te deixava ter até 5 contas gratuitas num mesmo domínio personalizado. Então meu custo final foi uns 70 reais (e o tempo que eu gastei na pesquisa e configuração rsrs).

      A parte mais chata foi trocar as contas mesmo, até hoje não trouxe tudo, foquei nas coisas que eu acho mais importantes mesmo, e o resto vou mudando quando eu vejo.

      Do e-mail a única coisa que eu sinto falta são os filtros do gmail, principalmente de spam, no zoho eu sinto que passa muita coisa que no gmail não passava.

      Eu diria que é um projeto pra fazer quando se tem um fim de semana mais tranquilo, tomando uma cerveja e etc.

      1. Aproveitando o tópico migração de e-mail, um “causo”/pedido de ajuda: antigamente tinha o e-mail do Yahoo, mas um belo dia, quando tentei acessar, ele veio com a mensagem: “Observamos atividades incomuns em sua conta. Para sua segurança, escolha um método abaixo para confirmar se realmente é você que está tentando acessar esta conta”. O problema é que os dois e-mails cadastrados para o recebimento do código para acesso eram antigos, não usava mais nem lembrava as senhas. Ou seja, perdi totalmente o acesso. Já pesquisei endereços, contatos, formas de acionar o Yahoo,e nada. Alguém já passou por isso e conseguiu resolver?

  19. Estou desde cedo tentando publicar um comentário, mas esse problemático sistema de comentários sempre some com o meu comentário.
    Enfim, desisto.
    Abraço e tudo de bom para vcs.

    1. Oi João! Seus comentários estavam parando no sistema anti-spam. Algo no texto deve ter desengatilhado ele. (A ironia é que o comentário reclamando de comentários que não são publicados… foi publicado.)

      Acabei de restaurar seu comentário original. Quando se deparar com problemas do tipo, me avise diretamente, por e-mail ou nas redes sociais.

  20. TL;DR
    A produtividade melhorou muito usando o Gnome puro, seguindo o seu próprio conceito de usabilidade e ergonomia.

    Aos usuários do Gnome…
    Algum tempo atrás comecei a usar o Fedora e tentei usar o Gnome em seu estado puro, mas como eu ainda era preso aos costumes do Windows, acabei levando-os para o Linux instalando essas “dash to dock”.
    Eu sempre configurava a barra de tarefas na lateral esquerda, pois se vc observar, em todo SO sempre falta espaço vertical e sobra espaço horizontal.
    No entanto, precisei usar notebook com o Fedora e aproveitei para usar os atalhos do touchpad, afinal, como todo mundo sabe, ficar percorrendo a tela com o touchpad é bem ruim.
    Ao aprender e me acostumar com os atalhos do touchpad no Gnome 41, vi o quanto a proposta fazia sentido. Passei a alternar entre apps, workspaces, maximizar, minimizar, redimensionar e organizar as janelas em uma velocidade que eu nunca havia experimentado em nenhum outro SO ou DE. Fora que agora sobra bastante espaço na tela e por isso, é como se o SO estivesse com o seu modo foco ativado, pois não fica mais com aquela poluição visual que o Windows e MacOS oferecem por padrão.
    Ao retornar para o desktop (também com o Fedora), configurei o botão do meio do mouse (scroll) para abrir o overview de atividades. Usar dessa forma ficou mais prático que acionar a tecla Super ou jogar a seta do mouse para o canto esquerdo. Com isso eu removi a dash to dock e não preciso mais ficar viajando até a barra de tarefas para trocar de apps, pois com um clique no scroll, abro o overview de onde a seta estiver. Esse habito de ficar clicando nos ícones dos apps na barra de tarefas parece algo tao simples e cultural que talvez vc ache que está tudo bem e não tem pq mudar, mas a verdade é que no Gnome esse caminho é muito mais curto e rápido.
    Usar o Gnome “out of the box” deixou a ergonomia muito melhor e a experiencia muito mais fluida do que qualquer gambiarra de interface que já usei na vida.

    1. Gnome normalmente pessoal odeia ou adora, como eu tento resolver tudo via teclado e acho muito bom no geral. Não sei se é mais rápido fazer tudo pelo teclado, mas acho mais confortável no geral.

      Um atalho bem útil é usar “Ctrl + Alt + seta” para trocar de workspace, porque aí é mais fácil abrir as coisas no lugar certo de início. Para abrir, eu sempre preferi usar busca e funciona bem em todos os SOs (exceto Windows em alguns casos).

      Sinto um pouco de falta do trackpad, acho que não tem nada essencialmente mais produtivo nele, mas porque acho agradável de usar mesmo haha

      1. Com certeza estou no time dos que odeiam o GNOME! Me apaixonei pela primeira versão, que conheci em 2000, mas de uns anos pra cá tenho ficado perplexo com o quanto o ambiente se tornou pesado, sobretudo em hardware um pouco mais modesto.

        Nisso, redescobrir o KDE Plasma, que conheci também desde a primeira versão, me foi uma grata surpresa. Provavelmente sou um dos únicos na face da terra que prefere hoje em dia prefere o KDE ao GNOME. A diferença no consumo de recursos é gritante e dá pra sentir no uso do dia a dia.

        Uma vontade que eu ainda tenho, no entanto, é a de conseguir montar um desktop plenamente usável em 2022 em cima do Window Maker. Sinto falta das interfaces mais sóbrias dos anos 90. Já tentei encarar a empreitada algumas vezes, mas o trabalho que dá é monumental e muitas informações disponíveis na internet acabam levando a links quebrados de algumas dependências e/ou plugins. O CDE também seria uma boa pedida, aliás.

        Para além do ambiente gráfico, eu que sempre fui fã de carteirinha das distros derivadas do Debian, tenho flertado muito com o Manjaro nas últimas semanas.

        1. vc não é o único a preferir Plasma em vez do Gnome, pois pra mim é exatamente o contrário que o amigo comentou em relação ao ambiente gráfico, no Gnome vc precisa se “adaptar” ao workflow, no Plasma eu adapto o workflow para meu uso e isso pra mim não tem preço.

    2. eu sou fã de carteirinha do Gnome, é um ambiente sem distração, que privilegia o foco do usuário

      na época do Windows 7 então, era ridícula a comparação com o Gnome, o Windows 7 parecia um negócio jurássico

      o Windows 10 deu uma melhorada, mas eu sempre tento configurar o Windows para ficar parecido com o Gnome

      o Windows 11 piorou o Windows 10, mas procurando nas internets consegui deixar o 11 parecido com o 10 (e um pouco como o Gnome)

      no Gnome eu uso a extensão dash-to-panel (antes usava dash-to-dock), e mais umas outras simplezinhas

      também uso umas extensões eye candy: janelas gelatinosas, e minimização tipo “lâmpada de Aladim” (como tem no Mac)

  21. E aí, pessoal, como é a experiência de vocês com os robozinhos aspiradores? Tem alguma recomendação?

    Aqui a gente comprou há uns 3 anos aquele vermelhinho da Multilaser, o qual batizamos como Alceu (Alceu Dispor) e até que funcionava bem para fazer aquela limpeza diária. Ele não tinha base, então precisávamos levar ele até a tomada para carregar, mas isso nunca foi muito incomodo. O maior inconveniente do bichinho era o reservatório muito pequeno. Em todo caso em pouco mais de um ano a bateria do bicho morreu, então não recomendo a compra.

    Como tenho rinite, venho pensando em adotar outro servo tecnológico desses, mas não tô a fim de torrar 3 contos no troço. Eu já ouvi falar bem de alguns modelos do Kabum, mas pelo jeito são só chineses com a etiqueta deles, então talvez seja melhor comprar da China de uma vez.

    E vocês, qual usam/recomendam?

    1. Se você está disposto à gastar 3k, acho que não tem opção melhor que o Roomba, tenho um e5 há uns 3 ou 4 anos e tá funcionando bem até hoje. Compro as peças de reposição (filtros e escovas) no Aliexpress, onde também comprei 3 paredes virtuais.

    2. A uns 4 anos atrás eu comprei o ROPO2 de uma marca que nem me lembro qual é. Tá aqui no escritório e faz um trabalho competente nos cômodos com poucos móveis e sem a presença dos brinquedos dos gatos.

      Ele ajuda principalmente na limpeza por debaixo da cama, sofá e gaveteiros. É relativamente simples de limpar e dar manutenção e na época custava pouco mais de R$900 (o preço deve estar em outro patamar). No geral ele só tem 2 programas – agendamento de limpeza e retorno à base de carregamento.

    3. A alguns meses compramos aqui em casa o Liectroux xr 500 não, nossos requisitos era, ter base apra ele ir sozinho carregar, ter opção de mais de um mapa por morar em sobrado ele precisa ter o mapa dos outros andares e ter a área de sucção de pó grande e sensor de escada.
      Esse tbm tem opção de passar pano, vem com recipiente apra colocar agua com algum produto, mas utilizamos pouco, usamos mais como aspirador e para aspirar é uma beleza, por amis limpo q a gente acha q esta passa o robô e olha o armazenamento sempre tem algo. E as vezes ele “ajuda” a encontrar alguma peça de brinquedo da nossa filha armazenado junto com a sujeira aspirada. Ele tbm tem Alexa e acho q Google tbm, mas usamos mais o app dele ou modo manual, vamos até o robô e apertamos o botão para ele aspirar

    4. “Alceu Dispor”… parece que fui eu que batizei.

      Ri alto.

    5. Eu uso há mais de 3 anos um Liectroux C30B que funciona super bem, na época paguei 1k então foi um bom custo benefício, tem base e volta sozinho quando está com pouca bateria, passa pano molhado, integra com Alexa, aspiração potente sem ser barulhento (moro em apto, importante isso), não faz limpeza aleatória, tem uma certa inteligência, único inconveniente é que não tem mapa salvo para dizer quais cômodos ele deve ir ou não.
      Se eu fosse comprar um hoje, iria no modelo Liectroux XR 500 que é mais moderno e não é tão mais caro que o C30B.

      1. Vi em algum lugar que esses modelos da Kabum são justamente esses da Liectrolux rebranded (os famosos “white label”). Não sei se procede.

        1. Procede sim. Kabum importa lotes dos modelos da Liectroux e vende no Brasil como modelos Kabum. Vantagem que temos garantia nacional, manual e a voz do robô em pt-br.

    6. Uso um roborock S5, recomendo muito. Há mais de 2 anos comigo, usando dia sim dia não, ajuda muito a manter a casa mais limpa e prevenir crises alérgicas.

      Atualmente acho q está no S7.

    7. Eu peguei um Xiaomi Mijia 1c há 1 ano numa promoção da Banggood, é otimo porque tem o mapa da casa, da pra limitar regiões ou especificar regiões pra ele passar, anda de boa nas soleiras e pequenos degraus, além de passar um paninho que é bem util.

      Antes eu tive um modelo burro da Xiaomi que só ligava e ele passava, pra mim não valia a pena, a diferença de preço não é muito grande.

      1. Eu fico com um pé atrás com esses robôs inteligentes porque, no seu caso, a essa altura os amigos do Xi Jinping e vá saber mais quem devem ter a planta da sua casa em algum servidor obscuro na China. Isso não te preocupa/incomoda?

        1. Não posso garantir, mas a promessa da fabricante é que o mapa fica somente no robo sem sincronização em nuvem.

        2. No meu caso não,
          mas caso te incomode, pode facilmente instalar um firmware alternativo e deixar o controle todo local :-)

        3. Fiquei intrigado com esse comentário. Qual o risco/problema da planta de um apartamento ser enviada (caso realmente seja)? Não consigo pensar no que isso pode me causar.

          Pega um apto novo hoje em dia e você acha facilmente a planta no site das construtoras, por exemplo…

          1. Isoladamente, talvez não tenha aplicação alguma mesmo, mas é possível extrair insights valiosos para a publicidade ao combinar esse dado com outros associados a você.

            Em 2017, a iRobot se meteu numa confusão dessas. Desta matéria do New York Times, da época:

            But the data, if shared, could also be a windfall for marketers, and the implications are easy to imagine. No armchair in your living room? You might see ads for armchairs next time you open Facebook. Did your Roomba detect signs of a baby? Advertisers might target you accordingly.

            Jamie Lee Williams, a staff lawyer at the Electronic Frontier Foundation, a digital rights group, said information about the size of a home and the amount of furniture in it could allow advertisers to deduce the owner’s income level. Eventually, it might even be possible to identify the brands the owner uses.

            “Especially combined with other data, this is going to be able to reveal a ton of information about what people’s lifestyles are like, what people’s daily patterns are like,” Ms. Williams said.

    8. eu tenho um roomba do mais barato de todos desde 2015 e gosto muito dele. (o meu chama Rooney, o Roomba)
      por ser o mais barato e modelo meio velho, ele não tem um monte de coisas, mas ainda estou feliz q ele faz o suficiente. tem base, o reservatório é ok, não conecta com celular então a função de agendamento é minima (é só “sair limpando no cômodo q estiver tal horas” e nada mais). por não ter app, ele veio com paredes de infravermelho, q a gente coloca nas portas do cômodo q tá limpando.
      o equivalente atual dele é esse aqui: https://www.irobotloja.com.br/roomba-614-robo-aspirador-de-po-inteligente-bivolt-irobot-p/p
      mas eu paguei 200 dolares refurbished no ebay qdo o dólar era 3 reais. msm assim, se eu ficar sem eu pagaria 1700 por um novo.
      o que nunca precisou pq todas as vezes q quebrou, só tive q trocar alguma coisa modular q a própria irobot vende.
      a bateria por exemplo, já está na terceira (mas aí eu compro da paralela). e ano passado quebrou o motor pq ele engoliu algo q deixamos no chão e entortou dentro (fizemos o diagnóstico vendo videos no youtube, compramos original pelo ML por 500 reais e trocamos em casa msm).
      tipo, ele é mais caro q os outros pra mesmo esse modelo dumb q eu tenho, mas só de estar durando vários anos e ter peças de reposição fácil, eu acho bom negócio.

  22. Oi, gente!
    Estou no mesmo processo de mudança de e-mail do colega que postou antes. Tenho uma dúvida que pode soar bastante boba, mas lá vai: qual é a influência da empresa com a qual eu registro meu domínio sobre meus dados? O que eles podem acessar e como usam isso?
    Apenas para dar um exemplo: me parece um tanto contraditório usar um provedor de e-mail privado e manter um domínio registrado pelo Google Domínios. É mesmo tão problemático assim? Rs
    Inclusive, se alguém tiver sugestões para registro de domínio, eu aceito.
    Valeu!

    1. Oi Lucas; acho que isso vai mais do TLD (final do domínio). Por exemplo, os domínios do Brasil (.br) são controlados pela registro.br, independentemente de onde vc tenha registrado (dá pra registrar direto na registro.br inclusive). Os da Espanha são na nic.es, e assim por diante.

      Cada serviço de registro desses é submetido às suas leis locais, e portanto sujeito às intervenções legais daquele país sobre o seu domínio. A justiça do Brasil pode mandar a registro.br suspender o registro de um domínio seu que seja .br desde que tenha motivos pra isso.

      No fim das contas, a empresa que registra tem pouca influência, ela controla mais o método de pagamento, e o DNS (se vc usar o DNS deles!).

    1. Há tanto ódio online nos dias de hoje, e nossas opções para encontrar e construir conexões reais são poucas e bem escassas.

      Meu Deus, o Orkut era a sede do “Eu Odeio Segundas-Feiras”.

      1. Ok, mas esse é um ódio capaz de unir a todos, exceto talvez startupeiros.

        1. Eu odeio ironia, mas tem horas que faço algum uso humorístico ;) :p

          (li seu comentário e ri alto :D )

    2. O Orkut (pessoa) tentou criar uma rede chamada Hello, mas acho que não foi pra frente.

    3. “Nossas ferramentas online devem nos servir, não nos dividir. Elas devem proteger nossos dados, não vendê-los. […] A melhor rede social é aquela que enriquece sua vida, mas não a manipula.”

      Muito interessante esse trecho.

  23. Fala pessoal. Como estão?

    Essa semana fui escrever uma matéria sobre segurança digital e parei no site da Apple, no Find My. Simplesmente, a proposta das Air Tags é assustadoramente interessante.

    Alguém tem essas Tags? Usam ou viram uma outra utilidade diferente das convencionais, como chave, mochila e carteira?

    Além disso, conhecem outros projetos semelhantes? Eu não tenho nenhum produto da Apple, então acredito que não consiga usar essas tags, correto? Por isso, uma opção alternativa seria interessante.

    Tudo de bom! Até mais…

    1. Cara eu tenho um pacotinho de 3 AirTags que deixo basicamente no carro, na gata e na mochila de viagem.

      Até hoje o funcionamento tem sido bem tranquilo. Sobre concorrência posso citar a Galaxy SmartTag da Samsung e a Tile Mate que é compatível com qualquer smartphone.

    2. Eu acho o conceito tecnológico fantástico. Tenho dúvidas sobre a aplicabilidade prática no Brasil, pois pra localizar depende de ter outros iTrecos perto, e aqui no Brasil quem reina é o Android.

    3. Eu tenho a Galaxy SmartTag (equivalente a Air Tag da Apple) no carro. Acho bacana e útil que no app SmartThings mostra um histórico bem preciso dos lugares que o carro esteve e ainda tem um botão que posso usar para automação residencial, único detalhe é que só funciona em aparelhos Samsung.

  24. Vocês conhecem projetos sociais bacanas, de preferência relacionados à tecnologia, que dependem de doações para funcionarem?

    1. Sei que tem a “Casa Hacker”, mas admito que não procuro muita informação sobre (vendo aqui no site, é em Campinas-SP, que seria distante para ti ou eu).

      Imagino que você procure no Paraná, né? Talvez achar comunidades próximas de onde você mora serviria até como pauta. Possa ser que tenha algum espaço comunitário que dê aulas de informática ou precise de equipamentos para serviços como acesso a internet ou cadastro de pessoas. :)

    2. Comecei um com alguns amigos e amigas, mas ainda estamos em fase de organização, montando os projetos iniciais. Vamos começar na nossa cidade natal (Pinheiro-MA), embora estejamos espalhados por várias cidades (eu atualmente moro em Fortaleza-CE), e estamos em negociação para reforma de um antigo jardim de infância, que também servirá como sede. Uma das propostas é dar capacitação digital para jovens e idosos nesse ambiente.
      Nossa presença digital: https://www.kephas.org.br/
      Área onde pretendemos atuar: https://www.google.com/maps/@-2.5247041,-45.0753192,3a,75y,253.77h,70.06t/data=!3m6!1e1!3m4!1skte1ya6D1vEjfAd7CiJp1A!2e0!7i13312!8i6656

      Mas como disse, ainda estamos começando.

    3. Não sei se isso se encaixa, mas tem o pessoal do Sitio do Astronauta (https://sitiodoastronauta.com.br/). Conheci a galera do Plástico Maravilha (https://www.instagram.com/plasticomaravilha/) uma vez que fui a são paulo. O projeto é inspirada pelo Precious Plastic (https://preciousplastic.com/), até agora foi a forma mais acessível de aplicação dessa proposta que já vi, a galera tem ações abertas ao público de conscientização e mão na massa. Sei que tiveram financiamento pelo ProAC para construção dos maquinários, é uma pegada bem diferente do que normalmente vemos nessa linha.

      Uma outra coisa que conheço, mas não sei se encaixa no que tu deseja são os FabLabs em SP, mantidos pelo governo.

      Em algumas escolas públicos vejo pontualmente rolando por iniciativa de professores alguma coisa assim, mas essas iniciativas normalmente começam a partir de cursos (majoritariamente financiados por grandes empresas e “administrados” por ONGs).

      Niterói tinha algum projeto na linha de cultura maker em escolas públicas, se não me engano junto a UFF (federal daqui), mas não consegui lembrar nem achar algo mais detalhado por aqui.

  25. Qual é a experiência de vocês com emails pagos?

    Faz tempo que eu quero diminuir a onipresença do Google na minha vida. Até agora, os únicos passos significativos que tomei nesse sentido foram trocar o navegador para Firefox e utilizar DuckDuckGo como o buscador padrão.

    Pensei no ProtonMail principalmente por conta da privacidade, mas não conheço ninguém que utilize o serviço.

    O que vocês acham?

    1. Uso o Fastmail desde 2017, e gosto do serviço. Funciona bem, tanto na interface web quanto no IMAP (uso ele no Mail.app, tanto do macOS quanto do iOS), tem calendário, agenda de contatos e até um servidor web meia boca que uso para hospedar meu site pessoal.

      A alta do dólar deu uma assustada, mas não cheguei a considerar descartá-lo. O bom é que uso com um domínio próprio (e recomendo a todos que façam isso), então se um dia o Fastmail fechar, ficar muito caro ou cometer alguma bobagem, posso migrar para outro serviço sem perder meu endereço.

    2. O Protonmail é ótimo, cara. O único defeito dele é o pouco espaço de armazenamento. Mas se você não deixar acumular lixo nele, ele é ótimo e funciona muito bem.

      E falando em diminuir a onipresença do Google, o Proton agora tem o Proton Calendar e o Proton Drive (ambos em beta ainda), e tem o Proton VPN também, né. Tudo grátis, mas o problema do pouco espaço de armazenamento é o mesmo pra todos. Mas no geral, funciona bem pro dia-a-dia.

      1. Eu uso o ProtonMail diariamente, e a ProtonVPN esporadicamente. Acho super legal que estejam fazendo novos serviços voltados à privacidade, mas eu fico com um pezinho atrás que acabe se tornando um novo Google, sabe, centralizando tudo neles hehehe…. sei que está longe disso, mas me bate um medinho.

        Pra contatos e calendário tenho usado o Etesync, que tem uma proposta parecida com a do ProtonMail, mas pelo menos é outra empresa.

    3. Estou no mesmo processo!
      Estive usando a versão gratuita do Tutanota por algum tempo para e-mails mais “sensíveis”, mas a maior parte da comunicação pessoal ainda ocorria pelo Gmail.
      Recentemente decidi investir um pouco mais nisso, registrei domínios e comecei a buscar provedores. Nessa minha busca, encontrei várias opções interessantes:
      – Testei recentemente o Soverin.net (é interessante, mas o preço é muito alto e o suporte não é bom o suficiente pelo valor pago).
      – Já tenho experiência com o Tutanota, estou pensando em voltar pra ele (agora na versão paga e com domínio personalizado), é 1 euro por mês na assinatura anual. O problema, na minha opinião, é que ele não funciona com IMAP. Você só consegue acessar os e-mail com os aplicativos próprios deles.
      – Ouvi falar bem do Gandi.net. Se você comprar o domínio com eles, você ganha uma caixa de e-mail. 17 dólares o domínio .net

      Sobre o ProtonMail, ele é excelente. Já testei a versão gratuita e gostei muito. O que pesa pra mim é o preço, acho muito caro. A versão gratuita não tem domínios personalizados e acho que também não tem acesso via IMAP. Além disso, tem que botar na conta a compra do domínio.
      Se quiser, dá uma olhada nas alternativas apresentadas pelo privacytools.io. Tem algumas bem interessantes e até mais baratas que o próprio Tutanota.
      Espero ter ajudado de alguma forma!

    4. Eu uso o ProtonMail e adoro, apesar de achar carinho pra nossa realidade (eu pago pra usar domínios pessoais).

    5. Fui de migadu e tenho gostado bastante.
      Além do catch-all, vc tem a opção de um “send all” (acho q chamam de wildcard send, não me recordo ao certo).
      Pra uso pessoal, é mais que suficiente. Uso também com o mail.app da Apple e com Thunderbird.
      Além de não ter limite de aliases (que acho um absurdo em serviços pagos, quando vc tem domínio próprio), essa facilidade de enviar e-mail usando qualquer alias é ótimo também.

  26. https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2022/04/27/bolsonaro-volta-a-atacar-urnas-e-barroso-e-a-colocar-eleicoes-sob-suspeita.htm?utm_source=meio&utm_medium=email

    Bolsonaro ontem incitou, mais uma vez, que a eleição não deve ocorrer se não tiver uma conferência e acompanhamento das forças armadas diretamente.

    Semana passada ele liberou o Silveira, que atacou diretamente a democracia.

    Em que momento decidimos que a democracia é o caminho errado? Quando definimos que a direita liberal é qualquer coisa que o bolsonaro efetiva?

    (Só para constar, pau no cú da direita e do capitalismo liberal, rs.)

    1. Talvez aí esteja o erro de avaliação de grande parte dos eleitores do Bolsonaro. O papo liberalista entrou como música nos ouvidos da galerinha “votei no Amoedo” e de grande parte da população. Esqueceram foi de avaliar quem sentaria na cadeira do executivo, um cara retrógrado, autoritário e milico que recorre ao populismo para se manter em evidência.

      O que me surpreende é como as outras esferas de poder tem se proposto a receber ataques e ofensas ao longo dos último 3 anos com poucas retaliações.

      1. Não sei se falo besteira, mas a galera que votaria Amoedo (estereótipo de falso liberal) também tinha alguma pretensão de votar no salnorabo. Só não falavam pois na época soariam “retrógrados”.

        Quando a máquina de memes dos influenciadores atingiu os tios de bares de periferia com bancas de jogo do bicho (e os bicheiros, que não duvido que já conheciam a peça), aí tudo degringolou.

        O Legislativo sempre foi adepto de uma corrupção oculta, então esta com o salnorabo saberia que ia se dar bem com ele. Para eles, já era óbvio que tudo que o salnorabo faz é bravata. E mais ainda – sabem que se o salnorabo realmente provocasse um golpe real, a retaliação viria dos associados criminosos de muitos políticos do Legislativo.

        O STF sempre foi formado por gente “de elite”. Pince poucos que vieram de “familias humildes”. Se fosse para ferrar a vida de políticos, eles já teriam ferrado desde Temer.

        Por isso que falo: se a galera “vota errado”, só dá problema…

    2. Acredito que o sucesso do Bolsonaro veio do fato dele dar voz e visibilidade a um grande grupo de conservadores que não se sentiam representados. Um monte de gente que acha que direitos humanos só serve pra proteger bandidos, que relacionamento amoroso só pode existir entre homem e mulher, que a pessoa que não se identifica com o gênero de nascimento deveria ser internado em uma instituição psiquiátrica pro resto da vida, que pessoas negras e pobres deveriam “se colocar no seu lugar”, que educação sexual para os adolescentes é coisa de “gente sem vergonha”, etc, etc, etc…

      Esse pessoal não estava gostando do rumo que a sociedade estava tomando nessas questões, mas ficava quieto porque sentia que era uma “maré sem volta”, que não havia o que se podia fazer pra evitar isso. No máximo ficava resmungando um pouco aqui e ali.

      Mas quando eles viram um político que dava voz para tudo o que eles pensavam, se sentiram fortalecidos para assumir suas posturas com orgulho e para lutar contra essas mudanças que eles julgam prejudiciais e até mesmo totalmente destrutivas da sociedade humana.

      A grande maioria desse grupo de pessoas se auto denominam “direita liberal”, mas na verdade são só mesmo conservadores, muito conservadores. Uma pessoa que seja realmente da direita liberal não vota em Bolsonaro. Até porque acredito que o verdadeiro liberal é liberal em todos os sentidos, e isso inclui os costumes.

      PS: opinião totalmente pessoal baseada em nada além de minha própria percepção

      1. tenho entendimento parecido desse fenômeno.

        há alta carga de projeção narcísica do núcleo duro do bolsonarismo, o presidente personifica o sujeito branco, meia-idade, “cidadão de bem”, medíocre intelectualmente e com carreira estagnada. põe a culpa no que a vida poderia ter sido em grupos minoritários (se não conseguiu uma promoção foi por conta do feminismo que colocou uma mulher no cargo, não passou no concurso por culpa das cotas etc.) para não encarar a própria incapacidade.

        para Benjamin a ideologia política do fascismo é um sucesso porque deu visibilidade as massas e seu desejo por espetáculo sem responder as demandas proletárias por mudanças nas relações de propriedade. fascismo proteje a ordem social transformando política em teatro. bolsonaro traz respostas simples (e burras!) para problemas complexos (privatiza tudo, cloroquina etc).

        o ‘liberal brasileiro’ vai de bolsonaro em 2022 contra o Lula porque o fascista não passa de um liberal assustado, e essa gente se assusta com um ex-presidente de centro-esquerda que já governou por 8 anos e tem reconhecimento internacional porque qualquer coisa que fuja da cantilena liberal vira ‘comunismo’ pra eles.

      2. eu sempre evitei falar sobre política aqui no manualdousuario, porque não é o foco

        mas na época braba da Lava Jato, impeachment da Dilma, etc, eu percebi uma coisa, inclusive aqui : grande parte da classe média tinha (e ainda tem) nojinho de PT, esquerda, sindicatos, etc

        hoje, estamos vendo a volta da inflação, e o degringolar não só da economia, mas também da própria democracia brasileira

        o maior culpado de tudo isso, na minha opinião, é a mídia, especialmente a Globo, que fazem lavagem cerebral ininterrupta do povo brasileiro, desde os tempos da ditadura militar

        só pra lembrar: os donos da Globo são bilionários em dólares, a fortuna combinada deles era, alguns anos atrás, avaliada em 30 bilhões de dólares (parece que diminui, mas não boto fé nisso) … os donos da Globo são “oligarcas” brasileiros (pra usar uma palavra da moda)

        infelizmente eu não tenho esperanças para os próximos anos, acho que a situação política (e econômica) vai continuar piorando

        1. Falar que a culpa é da Globo ignora que é a própria Globo que está sendo vitima de seus atos tb.

          Prefiro ampliar para “grande midia” pois engloba os “barões” como Silvio, Edir e Saad. Estes últimos fizeram uso de suas máquinas de imprensa a favor do atual governo, enquanto a Globo batia cabeça com seus problemas internos (perda de audiência, revelação de problemas graves como assédios ocorridos, etc.)

          Fora tbm que ja ha estudos que correlacionam a internet e “publicidade online” com a ascenção da mentalidade que hoje as pessoas definem como “bolsonarismo”.

          Globo pode ser parte do problema, mas não é a principal (ao menos agora)

        2. A Globo já fez muita merda, especialmente a edição do debate Collor x Lula em 1989, isso é bem documentado.

          Agora, em 2022, será que não vale a pena refletir sobre o alcance da Globo, do Jornal Nacional vs Zap, Telegram, Facebook, Joven Klan, Youtubers e tudo mais?

          Na minha opinião acreditar que a culpa é da Globo ou argumentar que seus donos são bilionários é um resquício de um esquerdismo romantico adotado pela ultra direita bolsonarista.

      3. Rogério, acho que você faz uma ótima leitura no ponto que o Bolsonaro deu voz a uma parcela da população que se identifica com valores conservadores.

        Agora, política é conciliação, uma parcela expressiva de quem votou em Bolsonaro não é ultra conservador, é só gente que estava de saco cheio do PT.

        Essas pessoas precisam ser acolhidas e respeitadas, seja Lula ou outra candidato, precisam dessas pessoas para tirar Bolsonaro do poder.

    3. Ele pode dizer e incitar o que quiser, mas não fazer o que quiser.

      A eleição será como a lei manda. Eu, particularmente, confio nas nossas instituições democráticas, que permanecem firmes mesmo após esse desgoverno dos últimos 4 anos.

      1. O medo maior aqui é o seguinte:

        – Temos um grande número de pessoas armadas legalmente hoje. Com isso, é possível meio que gerar uma “milícia”.
        – Tal grupo de pessoas foram liberadas parte pelo Exército (responsável pela manutenção dos Certificados de Atiradores / Caçadores) e parte pela Polícia Federal (hoje sob gestão de alguém defensor do salnorabo).

        Com estes dois itens acima, podemos dizer que temos um poder de armas ligado ao salnorabo. E tal poder é meio perigoso, pois eles são bem reativos (vide os garimpeiros hoje na Amazônia, um dos poucos grupos que conseguiram penetração e força).

        – Salnorabo sucateou e/ou botou pessoas influentes positivas a ele em postos chave – polícia federal (ligado a ele), Ibama (sucateado), AGU e PGU (ligado a ele), STF (dois nomes posto por ele).

        – Se o Legislativo brasileiro estivesse a fim, já teria chutado o salnorabo. Para eles, do jeito que ele age, é pura alegria. Salnorabo desvia a atenção enquanto o Legislativo vai fazendo besteiras ocultas.

        – As provocações que o salnorabo faz instiga a base dele, que já reagiu algumas vezes de forma violenta. Há risco de nestas eleições ter algum tipo de conflito e intervenção de apoiadores do salnorabo. Então todo cuidado é pouco.

    4. Complementando sua pergunta do “em que momento decidimos” com uma indicação, saiu essa semana o podcast Mano a Mano do Mano Brown com a Dilma. Minha indicação não é por campanha, não entendam assim. Mas ao ouvir, terminei me perguntando como saímos de lá e fomos parar onde estamos..?

      1. Ivan, ouvi esse programa hoje cedo.

        O que me marcou fortemente foi ele comentando que na década de 90 era comum quase diariamente bater alguém em casa pedindo comida.

        Em minas a frase “tem pão ‘veio’ não’ é comum quando a visita toca a campainha”, herança dessa época.

        Estamos voltando para esse patamar.

        Outro ponto marcante, é sobre a petrobrás, desse tema deixo como indicação essa conversa sobre petróleo com um dos maiores pesquisadores da UFRJ: https://www.youtube.com/watch?v=jW5BqrQsPfA

        Nela é explicado o porque temos que importar petróleo. (Basicamente dar maior longevidade as nossas reservas e atender sem maiores problemas o mercado nacional).

        Porém o ponto forte é, que deveríamos ter uma expansão das refinarias nacionais (que gera mais emprego e produto de consumo ao país) e não uma privatização delas.

        Se a Petrobrás comprar petróleo bruto de fora e refinar no país, a gente consegue ainda compor um preço de gasolina, gás e outros muito mais barato, segurar a inflação e expandir as refinarias gerando bons empregos.

        Temos que desenvolver produtos para o mercado interno e não focar em vender commodities. Continuamos deixando os fazendeiros donos das senzalas no século 19, ricos e ricos. E enquanto isso a gente conta os troco pra comprar comida.

        1. André, sobre o podcast não ouvi ainda, mas tava me lembrando hoje do tempo que o Brasil tirava tempo para discutir a qualidade das sacolinhas plásticas de supermercado ou coisas assim, a fome e a miséria aumentaram muito.

          A discussão sobre o petróleo é até interessante, o negócio de refino é um negócio apertado no mundo todo, de margem apertada, você pode até discutir se todos nós deveríamos financiar gasolina mais barata para uma parte de nós.

          Mas onde está a discussão do futuro do Brasil? A educação? a produção de tecnlogia? de inovação? a indústria do futuro? o agro do futuro?

          Bolsonaro pauta a imprensa e a sociedade com apito pra cachorro, com mamadeira de piroca.

    5. Opa, boa tarde!

      O mau humor das pessoas com o PT já era muito perceptível em 2016 nas eleições municipais, o PT não conseguiu reeleger o prefeito de SP, não elegeu nenhum prefeito no ABC (berço do partido), por exemplo.

      Isso só piorou em 2017 e 2018, ampliando o ódio para toda a política, muito influenciado pela Lava Jato.

      Jair Bolsonaro (talvez o Carlos, não sei) soube capturar esse ódio anti PT e anti política como nenhum outro, levou uma facada e ganhou a eleição.

      O que não faltava era candidato em 2018 (Alckmin, Meireles, Ciro, entre outros), mas na minha opinião a manipulação desse ódio a política, ao PT, a Lava Jato fez com que a população desse voto ao Bolsonaro, inclusive acreditando na ideia que ele ia se acalmar e o que Guedes é que ia mandar.

      Terminamos com um idiota assassino ocupando a presidência e o Ciro Nogueira e Arthur Lira governando o país.

      Queria dizer, que pau no #¿$?%!¡ da direita é o caminho mais rápido para o Lula perder a eleição. Os votos do Hadadd no 2o turno não vão ser suficientes.

  27. Depois de 2 meses só moderando, lendo notícias e estudando, finalmente achei um tempinho para jogar um dos jogos que mais amo.

    Crusader Kings.

    Eu já tinha jogado o CK3 em 2020, e já tinha muita experiência do CK2. Acho que já gastei 10 horas só essa semana como o rei da França. Até perdi o trono, mas aí eu fiz com que meu personagem, uma criança, crescesse como um sádico, e pude fazer roleplay quando consegui meu trono de volta e ter uma galera na prisão. Além disso, me vi pesquisando coisas do tipo, “How do I commit incest?” e os resultados eram hilários.

    Além do Crusader Kings, joguei um pouco do novo Stanley Parable: Ultra Deluxe edition. Ouvi dizer que o conteúdo adicionado nessa edição é praticamente o dobro do original. Eu só joguei por 2 horas e posso dizer que vale MUITO a pena tanto para jogadores novos quanto quem já tem o jogo.

    Outra coisa que quero retomar é a leitura. Estou num clube de livro com amigos e estamos lendo o Nome da Rosa, de Umberto Eco (https://www.goodreads.com/book/show/42866579-o-nome-da-rosa). Parece que há um foco em semiótica, que é um negócio bem interessante, mas também acho confuso pra cacete hahaha.

    1. Cara, eu li o Nome da Rosa quando tinha uns 10 anos de idade, muito por influência do filme (que é muito competente por sinal, ótima atuação do Sean Conery e provavelmente estréia do Ron Pearlman nos cinemas). O que ajuda demais no livro é que, pelo menos na minha edição, havia um mapa do mosteiro e da biblioteca, que ajuda muito a entender o por que dela parecer um labirinto.

    2. Li O Nome da Rosa em 1986. Descobri Umberto Eco. Mas, como você percebeu, prefiro o Eco semiótico ao romancista. Leu 6 passeios pelo bosque da ficção? É emocionante, e me apresentou Italo Calvino.
      Ah! Comecei a participar do grupo Desafio Literário, no Telegram. Tem uma lista de desafios a cumprir *sem obrigações, claro, é ludico). E, todo mês, escolhem um livro para ser discutido no primeiro domingo do mês seguinte – é amanhã! :^D e vai ser O Visconde partido ao meio. Tou ansiosa.

        1. É o primeiro de uma trilogia que li na ordem “errada”. Eu gostei mais do último, o cavaleiro inexistente. Um dos meus favoritos é sob o sol jaguar.

  28. Eu gosto de comprar tabletes de chocolate (bem) amargo, experimentei uns da Cacau Show da linha Bendito Cacao mas prefiro os Lindth (80% >) que se encontra nos supermercados.

    Suponho que haja opções melhores, mas desconheço: alguém tem alguma recomendação?

    1. Você tem a opção de comprar da Lindt? É beeeem mais caro, mas a qualidade é impecável!

    2. Normalmente eu compro de uma marca belga chamada “Bianca”. As barras de 100g custam na casa dos R$15,00 aqui em BH.

    3. Chocolates bean-to-bar.
      Essa loja tem uma ótima variedade e preços ok, compro uns 5 ou 6 por vez para fazer valer o frete: https://chocolata.com.br/
      (Minhas marcas preferidas: Ambar – que é aqui de BH, tem uma loja física no bairro Funcionários – e Cacau do Céu.)

      1. Eu ia colocar o Talento como opção também, mas ele tem um sério problema, como é um chocolate “barato” a gente acaba matando uma barra numa sentada só kkk.

        1. Nossa, eu viveria com dor de barriga se adotasse essa dieta isso 😄

          Aqui como um quadradinho por refeição, dois quando estou com mais vontade de chocolate.

      2. Sempre tive curiosidade de experimentar. Mas já era difícil de achar e parece que deu uma sumida a mais recentemente.

    4. O pessoal fala muito bem da “Dengo”, que é especializada em cacau/chocolate brasileiro.
      Nunca provei, no entanto.

      1. Achei a Dengo *muito* cara. (Abriram loja num shopping de BH, passei lá com minha esposa, atendimento excelente, chocolates ótimos, porém gastamos um rim.)

        1. tenho curiosidade, mas toda vez q cogitei comprar alguma coisa, acabei desistindo qdo entrei e vi os preços. como é mta coisa, dá uma certa insegurança pagar caro pra provar sem saber

          1. Dengo é muito bom. É mais caro, sim, mas no mesmo nível que um Lindt ou Kopenhagen. E o bom é que o método de cultivo deles é plantar o cacau na sombra de outras árvores (cabruca), então mantém a floresta e dá renda digna aos produtores (o “prêmio”, valor pago aos produtores que eles pagam é bem acima da média de mercado). O Marcelo Costa (jornalista do site de música Scream and Yell), que curte bastante cervejas artesanais, especiais etc. usa a expressão “beber menos, mas melhor”. Acho que vale também pro chocolate.

    5. Cacau Show só tem nome

      Acho a linha Intense da Lacta uma boa relação “custo-benefício”

      Mas se tá comprando Lindt, então mantenha. Não há melhor.

    6. engraçado, eu não consigo gostar de lindth: acho todos eles doces demais (mesmo os amargos) — não sei porquê, mas até mesmo os terríveis chocolates nacionais me parecem menos doces que os lindth

    7. Cacildis quantas recomendações! Vou colocar tudo na planilha 3:)

    8. Da uma testada nos da Nugali (que tem opções totalmente sem açucar e concervantes), e tambem os da Danke. As duas marcas tem loja online.

    9. Como um colega comentou, é bom procurar chocolate bean-to-bar. Tem marcas brasileiras ótimas. Eu gosto muito da Amma (meu favorito é o chocolate deles 60% com pimenta rosa). Outras marcas brasileiras bem boas: Ubá, Quetzal, Chocolate da Ilha e Nugali (que vi mais pessoas elogiando).

      1. Adoro o Quetzal! Vendia no supermercado aqui perto de casa, há uns dois anos, de repente sumiu das prateleiras.

        1. Quetzal é D+++++++!!!
          Até o cacau 100% deles não tem aquele gosto de sal de outros. Curto também os com frutas (figo e bergamota são os meus preferidos), e os com sal rosa.
          Toda vez que tem juntalocal aqui no Rio de Janeiro eu colo o umbigo na barraca deles.
          Eles não fazem entrega aí? Não sei onde é, mas vai ter festival do café dias 14 e 15 e eles devem aparecer. Quer que pegue algo e te mande?

    10. Não esperava tudo isso, muito legal pessoal :)

      Não conhecia esse conceito de “bean-to-bar”, vou experimentar e algumas sugestões individuais que achar aqui em SP

    11. Tinha me esquecido dos chocolates Java, que são excelentes. Com a vantagem de ter barrinhas pequenas (acho que 40g) do tamanho de uma sobremesa rápida. Estão em vários pontos de venda aqui em BH, inclusive nas redes locais de supermercados, e têm uma loja online própria – não sei qual é a do frete.

    12. Eu costumo comprar chocolate com denominação de origem. Aqui na Bahia, por exemplo, tem a AMMA (meu favorito).
      Quem usa o termo “denominação de origem” sou eu e uso pra referenciar quando o chocolate denomina de onde vem o cacau usado na sua produção.
      A AMMA vai ao ponto de dizer a latitude e longitude onde aquele cacau foi plantado na capa da barra de chocolate. E são várias origens no Brasil, usualmente no norte ou nordeste do país. Além de fazer edições especiais para aproveitar as melhores características de cada região então alguns combinam bem com cupuaçu, outros com côco…

      Uma outra marca que consumo eventualmente é a Mendoá, também do nordeste, mas essa não tem a preocupação de informar a origem do cacau e fica ali entre o chocolate bem cuidado e o gosto popular, usualmente mais doce e/ou ao leite.

      Talento, Lakta, Cacau Show, Kopenhagen, Lindt… esses aparecem na minha vida como docinhos pra larica depois do almoço :) e de acordo com a especialidade da ocasião pq chocolate mesmo barato, é caro! eheheh

      Muitas das sugestões que vi aqui em outros comentários parecem ser de distribuição regional, o que eu adoro. Vou ficar atento quando estiver em viagem pra experimentar essas outras marcas!

  29. alguma alternativa ao notepad++ para mac? sem ser atom, vscode nem sublime, queria algo simples e leve igual ao notepad

      1. que top, eu gosto do notepad e sinto falto de algo tão leve e funcional em outras plataformas

    1. Precisa de um recurso específico? Acho legal e uso no Windows, mas nunca senti falta do Notepad++ nas outras plataformas. Acho que algo mais próximo para MacOS seria o CotEditor, mas nunca usei.

      1. a ideia é ter um editor que consiga identificar a “indentação” do arquivo (digo, “linguagem”) mas que seja leve e simples para fazer alterações pontuais ao invés de abrir o vscode

        e acredito que vc já me deu a resposta kk vou testar esse indicado

    2. Eu já ia indicar o Notepadqq, mas aí lembrei que não tem pra Mac. Mas você pode compilar ele.

      Testa o Lite XL. Mas não sei se ele indenta o código direitinho. Mas suporta plugins. Dei uma pesquisada e achei o Light Table e o Chocolat (achei interessante esse segundo).

    3. Fora os que já foram citados, tem ainda o BBEdit.

      Também sinto falta do Notepad++. Tenho alternado entre o Sublime Text e o BBEdit, mas acabo passando mais tempo no Editor de Texto (textedit.app) mesmo.

    4. tem vim para mac

      tá certo que, para que não está acostumado, tem que fazer algumas mudanças na fiação do cérebro …

      (e tem para Windows também, uso direto)

Os comentários deste post foram fechados.

Compre dos parceiros do Manual:

Manual do Usuário