Deixe um comentário

É possível formatar o texto do comentário com HTML ou Markdown. Seu e-mail não será exposto. Antes de comentar, leia isto.

8 comentários

  1. Bem que poderiam abrir o código e hardware para quem quisesse reproduzir/produzir.

  2. Essa notícia já não deveria ter uns, sei lá, 5 anos? Produto da década passada…

    Eu lembro que para mim a função mais interessante seria tirar fotos. Uma espécie de go pro mais prática. Mas, né, toscas demais as outras funções.

  3. Fazendo uma conexão mental aqui, será que a notícia que o trabalho presencial é (na média) mais produtivo que trabalho remoto, como visto no manual https://rghedin.wpcomstaging.com/notinha-meta-demissao-em-massa-zuckerberg , não abala um dos fundamentos do óculos virtual como ferramenta de trabalho, talvez o principal ?

    Se o próprio marquinhos escreve que ”Nossas análises preliminares de dados de desempenho sugerem que engenheiros que ingressaram na Meta no [trabalho] presencial e depois se transferiram para o remoto ou que permaneceram no presencial desempenham melhor, na média, do que pessoas que ingressaram remotamente” , ”Enquanto isso, encorajo todos vocês a buscarem mais oportunidades de trabalharem com seus colegas presencialmente” , isso é um forte indicador que presencial dá mais desempenho que qualquer tecnologia remota.

    Se é verdade com os trabalhadores, que teoricamente são coordenados por uma instituição central (a empresa, os gerentes), será que não seria também para as chefias, gerentes, representantes etc quando se reunem com sócios, parceiros, etc em reuniões conferencias e etc ?

    AInda resta saber se um óculos caro realmente faz diferença a um simples zoom, teams, etc no computador normal.

    1. O Google Glass tem uma pegada/proposta diferente da dos headsets da Meta/realidade virtual. Eles são mais “assistentes” em campo do que acessório para home office.

      O (agora) antigo site do Google Glass (cópia na Wayback Machine) mostra alguns casos de uso, como em obras e fábricas.

    2. Não compro essa balela do zuck. O que a gente viu foram estudos sobre aumento ou, no mínimo, equiparação da produtividade com o home office, por mais que medir produtividade seja um negócio meio zoado. Pra mim ele demitiu a galera por pressão de investidores, já insatisfeitos com o metaverso e naquelas “tá todo mundo demitindo, vamos demitir também”

  4. Quando lançaram estava meio na cara que a tecnologia não tinha amadurecimento suficiente para ser comercializada, agora que que as coisas evoluíram o google cancela!? Bem na hora que a Xiaomi está lançando os óculos dela!
    No futuro as pessoas vão se perguntar: como o google acabou? Quem viver poderá responder: quando parou de inovar.

    1. Só que creio que o Google tinha a intenção de fazer os Glasses como “o novo celular”, e como não vingou a ideia, ele jogou para nichar o projeto.

      Creio que não a toa o Google desistiu agora: se não compensa e tem outro que consegue fazer mais barato, melhor continuar lavando dinheiro com propaganda…