O que Telegram e Manual do Usuário têm em comum?

O que Telegram e Manual do Usuário têm em comum? A visão sobre publicidade digital e privacidade.

Pavel Durov, CEO do Telegram, já disse que considera anúncios direcionados “imorais” e não deve recorrer a esse artifício quando o aplicativo passar a veicular anúncios. Na matéria do Wall Street Journal desta terça (16), sobre a dívida do Telegram, um porta-voz do aplicativo disse que pretendem mostrar que “a publicidade precisa, baseada em contexto, não só é uma alternativa ética à publicidade direcionada, mas que também pode ser tão eficiente quanto”. Nós também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 comentários

  1. Grande maioria não toma assuntos da segurança e privacidade em sério (por falta de conhecimentos ou ignorância), assim sendo, quando alguém vê algum app que já conhece nem pensa dois vezes sobre alternativas disponíveis. Daí, por causa da pouca demanda os outros apps não estão sendo oferecidos (por portais, sites, e-commerce, etc) assumindo (erradamente) que como ninguém os usa (tcc maioria), não tem necessidade de oferecê-los, daí gradualmente estão sendo eliminados (como uma forma de contato), e se por coincidência alguém gostaria de usar outro app para entrar em contato, mas ele não está mas disponível, normalmente acontecem dois coisas, ou a pessoa escolha o que conhece/usa ou não entra em contato (dependendo da situação). É um processo gradual, e aqui estamos hoje …

  2. … a falta de criptografia por padrão faz diferença! Porque ninguém quer diversificar um pouco e usar outras alternativas tipo: xmpp, matrix, signal ? Telegram não é a melhor opção, minimamente melhor que zap

    1. Sim, e eu sou o primeiro a reconhecer isso. Não ter criptografia de ponta a ponta por padrão, porém, não significa que o app seja inseguro nem que deva ser descartado.

      Usamos o Telegram para reunir o grupo de apoiadores do Manual (conheça), por exemplo. É a melhor opção, tanto pelos recursos (usamos o Chat de Voz para transmitir o Guia Prático ao vivo) e, veja só, por privacidade — o Telegram é o único desses apps mainstream que permite ingressar em grupos sem ter que expor seu número de telefone a desconhecidos.

    2. Acho que se criptografia de ponta a ponta fosse tudo isso que dizem o Whatsapp não seria a piada que é no que se refere a segurança. Tudo no zap já foi uma porta de acesso para hackers e em algum momento todas já foram exploradas.

      Outra coisa que os defensores da criptografia P2P ignoram é o backup que, não vamos mentir: a maioria faz. E é mais claro que o sol que esse backup não é criptografado de ponta a ponta.

      Finalmente, mesmo se o WhatsApp tivesse um histórico primoroso e impecável em segurança ele ainda falharia nesse detalhe final: é naturalmente dependente de apps de terceiros e essa falta de autonomia é uma grande brecha por uma razão muito simples:

      1. Se o app for bloqueado de novo em algum país o Whatsapp, diferente do Telegram, não suporta ajustes de proxy. Quer dizer que você vai ter que instalar apps de terceiros para furar bloqueios. E ainda na semana passada tinha app de VPN malicioso sendo banido da Play Store. Mesmo sendo Whatsapp fosse seguro (o que nunca foi) ele expõe indiretamente os usuários a apps que podem não ser.

      2. Para fazer figurinhas e adicioná-las ao Whatsapp você precisa de app de terceiros. E vamos combinar: o número de apps maliciosos de figurinhas para Whatsapp que já foram descobertos só não é maior que o número de usuários que já usaram algum app para esse fim em algum momento da vida.

      3. Backups não são feitos nos servidores do WhatsApp, mas nos servidores do Google e Apple.

      O que quero dizer com isso é que todos nós sabemos que o elo mais fraco da corrente é o usuário final. Todos nós sabemos que a razão mais comum para violações de segurança e privacidade é a falha humana. Então vir falar que o usuário está mais protegido só porque o conteúdo das suas mensagens pode ser lido apenas no seu smartphone é no mínimo ingênuo.

      1. Vcs sabem que existe uma diferença entre segurança e privacidade, ainda que em algum momento as duas se cruzem, certo?
        E essa diferença é bem nítida quando a gente compara telegram e whatsapp.

      2. É justamente essa demora ao implementar recursos novos que está fazendo muita gente sair (é, “sair naquelas”, mas enfim) do WhatsApp. É bem notório isso.

        Tu vê essas versões modificadas que são melhores que o app oficial (e ainda bane quem usa esses apps)

        Essa arrogância vai custar caro demais. Além do WhatsApp ser do Facebook, mas aí é chover no molhado.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário