Banner anúncio do Revelo UP, com o logo do programa e o texto 'Financiamento de curso em tecnologia' à esquerda, a frase 'Investir no seu futuro começa agora' no meio e, à direita, a palavra 'UP' vazada, com uma mulher pensativa no 'U' e um homem fazendo anotações no 'P'.

Signal testa transferências de dinheiro usando criptomoeda

O Signal começou a testar um recurso de transferência de dinheiro usando a MobileCoin, uma “privacy coin”, ou criptomoeda que se esforça para preservar o anonimato dos usuários e das transações (ao contrário do bitcoin, esses dados não ficam expostos numa blockchain pública). Por ora, as transferências só estão disponíveis no Reino Unido, pelos apps para Android e iOS.

A notícia preocupa. Em entrevista à Wired, Moxie Marlinspike, criador do Signal e CEO da fundação responsável pelo aplicativo, argumenta que o objetivo é dar às transações financeiras o mesmo tratamento privado existente para a comunicação, o que parece uma premissa falha — existem numerosos cenários que justificam conversas privadas; já para transações financeiras, só consigo imaginar cenários ilegais, como lavagem de dinheiro. Ao misturar as duas coisas, periga enfraquecer o argumento da privacidade nas comunicações em vez de fortalecer o da privacidade como um todo.

A novidade também borra o foco do Signal, que sempre foi um app de mensagens, e com certeza atrairá um escrutínio pesado de governos e órgãos reguladores. Moxie dá a entender que a oferta de transferências financeiras seja um imperativo competitivo, como se o destino de todos os apps de mensagens fosse virar os super apps chineses. Não precisa ser assim.

O maior impacto, porém, é na confiança. Para muita gente — e eu me incluo nesse grupo —, é forte a associação entre criptomoedas e atividades suspeitas e ideias malucas. O Signal sempre teve um foco cirúrgico em manter conversas privadas. Agora, não mais. O clima no tópico de discussão da novidade está péssimo. Via Signal (em inglês), Wired (em inglês).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 comentários

  1. Aquela coisa, enviar dinheiro para contas anônimas em paraísos fiscais é um dos jeitos de lavar dinheiro. Com esse modelo de transferência, os paraísos fiscais estarão à mão.

  2. ‘já para transações financeiras, só consigo imaginar cenários ilegais, como lavagem de dinheiro’

    Já mete logo um ‘afinal, quem não deve não teme’ 😂

  3. Falei em algum comentário aqui no MDU, sobre o Signal, que não tinha certeza sobre os motivos nobres de sua mantenedora, era apenas a opção menos pior. Agora vem essa notícia…

  4. Acredito que a proposta é muito coerente com a ideia do app de garantir a privacidade dos usuários.

    O uso de criptomoedas é absolutamente promissor e revolucionário no sentido de que o poder do controle do dinheiro está espalhado nas mãos dos próprios usuários e não apenas num ente que pode usar esse controle pra oprimir indivíduos, organizações e até nações.

    Acredito que no futuro as pessoas farão o seguinte questionamento: se as pessoas em 2021 se preocupavam tanto com privacidade das suas mensagens por que elas achavam OK não ter privacidade em suas transações financeiras?

    1. O dinheiro, ou a posse e disposição dele, não deveria desfrutar do mesmo nível de privacidade das comunicações. Dinheiro é um jogo de soma zero e é preciso transparência, em muitos casos, para evitar abusos que respingam (desaguam, na real) na coletividade. Vide as famosas rachadinhas, por exemplo.

      A ideia de que cripomoedas sejam usadas para circulação de bens e serviços ainda é só uma promessa. No momento, ela é um ativo especulativo. A MobileCoin, por exemplo, saltou de ~US$ 6 para +US$ 60 com essa notícia do Signal. Como usar isso para transacionar? É inviável, e isso joga ainda mais dúvidas à iniciativa do Signal.

      1. O uso de criptomoedas pode ou não ser absolutamente transparente (dependendo da moeda).

        O Bitcoin como maior exemplo tem todas as suas transações abertas e registradas desde a primeira em 2009 e está longe do controle dos agentes que praticam as “rachadinhas” e principalmente dos abusos que são mais invisíveis como a inflação que atinge de forma cruel os mais pobres.

        A alta volatilidade dos valores diz muito mais sobre o pequeno tamanho ainda desse mercado (O Bitcoin, que é a maior moeda, recentemente atogindiu 1 trilhão de dólares de “capitalização de mercado” enquanto o ouro tem quase 10 trilhões. O mercado inteiro de criptomoedas tem “apenas” 2 trilhões de dólares. Realmente qualquer pequena migração do dinheiro comum pra esse novo dinheiro vai causar grandes variações num mercado que não tem nem 15 anos de existência.

        1. The top 2.8 per cent of bitcoin addresses now control 95 per cent of the supply (including many that haven’t moved any bitcoin for the past half-decade), and more than 63 per cent of the bitcoin supply hasn’t been moved for the past year, according to recent estimates..

          Sim, com certeza isso vai dar certo e não, não tem absolutamente nada obscuro e/ou ilegal rolando às custas de bitcoin.

          Aliás, recomendo a leitura (precisa de um cadastro gratuito).

    2. Eu tenho notado que o uso de criptomoedas mais oprime do que liberta. As especulações e desvios econômicos causados criam mais desigualdade social, oprimindo a população que não tem criptomoedas.

      Claro que as situações onde há situação econômica problemática (Venezuela por exemplo) existe justificativa para uso – sei de histórias de uso de criptomoedas para populações como a venezuelana, que depende de remessas de quem está no exterior.

      Mas faço coro ao Ghedin: uso de dinheiro, de quaisquer forma, deve ser algo transparente, controlável pela população em certo aspecto.

      O uso de criptomoedas hoje está mais voltada à especulação e atividades ocultas – isso no Brasil. E olha que engraçado, prometiam que muitos lugares físicos iam aceitar criptomoedas e no final não tem nada disso.

      No final, ao menos no Brasil, o governo (ou melhor, o Ministério da Economia / Fazenda e Banco Central) usaram parte da ideia (a troca fácil entre pares) para a criação do Pix, um mecanismo que aparentemente é transparente e prático para transferência monetária.

      Mais engraçado é pensar que a galera que apoia criptomoeda o que mais faz é viver da especulação, vendendo na alta e comprando na baixa. Emulou o mesmo mercado que outrora criticava.

      1. Não há dinheiro mais controlado pela população que o usa que as criptomoedas. Código aberto, com transações auditáveis e descentralizado.

        Sobre a aceitação desse tipo de moeda é normal que ainda não seja two popular. A primeira moeda foi criada em 2009 o normal é que o uso dela seja popularizado de forma mais rápida onde a moeda corrente se mostre pior (como em ditaduras ou países com alta inflação como a Nigéria).

        Sobre o Pix, ele é uma ótima ideia em relação a rapidez e praticidade mas diferente do Bitcoin, estamos apenas aqui citando um sistema de pagamentos. O Bitcoin é tanto a moeda quanto o seu próprio sistema de pagamentos. A fragilidade do Pix mora justamente na moeda utilizada.

        Sobre a especulação e o mercado, o movimento de criptomoedas normalmente não é crítico ao mercado em si mas à manipulação recorrente de governos que “imprimem” dinheiro e entregam esse dinheiro novo aos mesmos players de sempre que usam esse dinheiro novo e “grátis” pra manipular o mercado e ficar cada vez mais ricos.

        1. Bitcoin é especulação tanto quanto o mercado de ações. Serve para fomentar a concentração de renda, nada mais. Não existe nenhuma aplicação plausível do BTC até o momento e, afirmo com 99% de certeza, jamais teremos pelo custo energético da mineração e pelo caráter especulativo da moeda.

          Outras moedas podem surgir usando a blockchain como base, claro, mas não tem nenhuma que fuja, até o momento, da concentração de renda inerente a própria fórmula de desenvolvimento do capitalismo.

          Acreditar que o BTC vai ser mais do que um ativo especulativo usado pra lavar dinheiro e concentrar riqueza longe dos olhos estatais é ingênuo, pra dizer o mínimo. Não por nada que os grandes fomentadores do “mercado” de BTC são as pessoas que lucram com especulação.

        2. Não há dinheiro mais controlado pela população que o usa que as criptomoedas. Código aberto, com transações auditáveis e descentralizado.

          Parte da população não entende de tecnologias (e provavelmente nem nunca vai o entender). Então não existe este suposto controle. O controle de criptomoeda está em quem detém a mesma e consegue a extração do código que se dá o valor, e isso é feito por especialistas, que é só uma pequena fração desta população.

          A primeira moeda foi criada em 2009

          De forma obscura, gerando até problemas para uma pessoa que apontaram que seria o suposto criador da moeda…

          Sobre a especulação e o mercado, o movimento de criptomoedas normalmente não é crítico ao mercado em si mas à manipulação recorrente de governos que “imprimem” dinheiro e entregam esse dinheiro novo aos mesmos players de sempre que usam esse dinheiro novo e “grátis” pra manipular o mercado e ficar cada vez mais ricos.

          O interessante nas criptomoedas é valor dado ao zero à esquerda – diz-se que não se “imprime criptomoedas”, mas gera-se casas decimais à direita. Isso não deixa de ser uma forma de impressão de dinheiro.

          A propósito, impressão de moeda varia conforme a necessidade econômica, e não significa inflação ou deflação se tal for bem coordenada. Eu admito que preciso entender mais de economia, mas sei que a impressão de dinheiro é baseado mais no PIB, no que é produzido e gerado pelo país por produtos e serviços. O problema aqui é que quem espela – incluíndo fãs de criptomoeda – são os maiores geradores de inflação, se notar.

          Enquanto isso, fãs de criptomoeda criam “bancos” para ajudar gente a lavar dinheiro com tais criptomoedas…

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!