Procon-SP exigirá que Apple entregue carregador a compradores de iPhone que pedirem

O Procon-SP irá exigir que a Apple entregue o carregador de parede que deixou de vir na caixa do iPhone aos compradores que pedirem por ele. A mudança, que alcança todos os modelos à venda, segundo a Apple foi feita em prol do meio ambiente.

O Procon-SP argumenta que o carregador é peça essencial para o uso do produto e que a Apple não demonstrou os alegados ganhos ambientais que justificariam a remoção do acessório, não informou adequadamente os clientes dessa alteração e não respondeu se o uso de um carregador de terceiro pelo cliente poderá ser usado como argumento de recusa para eventuais reparos. O Procon-SP também cobra um plano de reciclagem/logística reversa da Apple para acessórios e aparelhos antigos, o que traria ganhos ao meio-ambiente. Essa novela ainda vai longe. Via Procon-SP.

A grande discussão (rolando no nosso grupo do Telegram, aliás) é se cabe ao Procon-SP/Estado interferir nessa discussão. O que você acha?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 comentários

  1. Diria que é normal esse cabo-de-guerra, e que se deixar, as empresas vão fazer o máximo pra lucrar, ou seja, vão fazer o mínimo pra ter relação sadia com clientes, pois relação sadia com clientes implica em prejuízo. Nunca vi uma regulação pró-cliente ser bem vista pelo empresariado.

  2. Mas por que não caberia ao Procon?

    Dadas as características do produto e a necessidade de ser um carregador oficial (ou certificado) para que o aparelho não perca a garantia, trata-se de um caso de venda casada e faz todo sentido que o Procon atue.

    1. É essa interpretação, a da necessidade do carregador, que é questionada. Entre outros argumentos, estão o de que o consumidor pode recorrer a outras marcas que entregam o carregador na caixa, e que ele pode usar o que já tem/comprar um novo à parte. Em linhas gerais, que não caberia ao Estado interferir em uma decisão de negócio.

      (Só estou relatando os argumentos contrários à atuação do Procon-SP. Pessoalmente, acho o órgão faz bem em pegar no pé da Apple nesse caso, se não pelo comprador de iPhone, no mínimo pelos efeitos sistêmicos que essa prática pode acarretar se copiada pelo resto da indústria.)

      1. Teoricamente ele não pode usar um que já tenha, mesmo da própria Apple, porque o cabo que acompanha o iPhone tem entradas USB-C/Lightning (que custa, novo, R$399). Você teria de comprar o novo carregador deles, o modelo USB-C de 20W, que custa R$199 (o oficial).

        A maioria dos carregadores que temos no mercado ainda não tem entrada USB-C como padrão (são cabos USB/USB-C).

        Depois do defensor de vidraça, do defensor de banco, do defensor de cartão de crédito o brasileiro agora inova e vira defensor de empresa que vende produto pela metade.

        O Brasil de 2020 só pode ser um experimento social e psicológico.

        1. Esse ponto é um problema mesmo. Trocar o cabo que vem na caixa por um USB-C quebra a retrocompatibilidade. Há quem argumente que, no caso dos que já têm carregadores antigos em casa, têm ele por inteiro (carregador e cabo), mas… né? Complicado.

          1. Sim, aí você já tem que ter um iPhone (ou iPad), não pode ser seu primeiro aparelho Apple.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário