Servidor do CNPq “queima” e deixa serviços fora do ar [Atualizada]

Vários serviços do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), agência federal de fomento à pesquisa, estão indisponíveis desde o último sábado (24). Uma falha em um servidor interrompeu as atividades do órgão e, para piorar, há suspeitas de que não exista backup ou de que a restauração seja complexa. Via Revista Fórum.

Em grupos de WhatsApp, circula o print de um e-mail  (veja) desta segunda (26), supostamente enviado por alguém do CNPq e endereçado à Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), pedindo ajuda para restabelecer o equipamento avariado, um servidor de armazenamento EMC VNX 8000, da Dell. A mensagem informa que “o equipamento encontra-se fora de garantia e não possui contrato de manutenção corrente que permita um reparo imediato”.

Uma mensagem publicada diretamente no WhatsApp, também supostamente de alguém do CNPq, explica que “desde sábado [estamos] tratando de resolver com a Dell um apagão no controlador do sistema de TI. Não se trata de uma placa. Infelizmente, a recuperação da infraestrutura da instituição não tem como ser feita da noite para o dia. Há um ano estamos trabalhando focados na organização institucional, com recursos financeiros administrativos adequados. Obviamente, a pandemia com o trabalho remoto tem atrapalhado”.

Também em grupos do app de mensagens, circula o áudio (ouça abaixo) de uma suposta servidora do CNPq afirmando que diversos serviços da agência, como a plataforma Lattes, e-mail e até a folha de pagamento, estão indisponíveis devido à falha. É nesse áudio que a pessoa fala que “a placa do servidor do CNPq ‘queimou’ e não tinha backup” e que não sabe precisar, em relação ao backup existente, o que se perdeu, “se segundos, alguns minutos, horas, dias…”

Pelas redes sociais, o CNPq informou que está trabalhando junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações para restabelecer seus sistemas após “evento que causou a indisponibilidade das plataformas”, que a prioridade é restabelecer o acesso à plataforma Lattes e que prazos estão suspensos e serão prorrogados. O posicionamento oficial omite dificuldades ou problemas com o backup de dados.

Nota relacionada: Em 2021, CNPq tem o menor orçamento do século XXI. Via Poder360.

Atualização (14h45): Em nova manifestação nas redes sociais, publicada às 14h21, o CNPq informou que “o problema que causou a indisponibilidade dos sistemas já foi diagnosticado em parceria com empresas contratadas e os procedimentos para sua reparação foram iniciados” e que “já dispõe de novos equipamentos de TI e a migração dos dados foi iniciada antes do ocorrido. Independentemente dessa migração, existem backups cujos conteúdos estão apoiando o restabelecimento dos sistemas. Portanto, não há perda de dados da Plataforma Lattes.” Disse, ainda, que o pagamento de bolsas não será afetado e reforçou a suspensão e prorrogação de prazos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 comentários

  1. Ligeiro !!
    Você deve ser um daqueles otários que diz RuWindows ou Lichunix….
    Voce é um tremendo otário !!!

  2. Desde sexta que eu tentava acessar o Currículo Lattes e não conseguia. Pesquisei sobre isso algumas vezes e não encontrei nenhuma informação sobre o motivo. Bizarro demais ver que um negócio desses aconteceu e os motivos só serem divulgados dias depois.

  3. Tenho um conhecido a frente da TI de uma universidade federal e esse tipo de bomba pode explodir em quase todas as universidades do país. O problema é: normalmente, estes equipamentos de servidores são vendidos com a garantia do fornecedor, o que significa que eles operam quaisquer correções e manutenções necessárias. O usual é que, uma vez que essa garantia vence, novas máquinas sejam adquiridas, pois este suporte é extremamente valioso e útil.
    Com orçamentos minguando na educação, muitas federais e órgãos provavelmente estão com a garantia da infra para vencer/vencidas e, a partir disso, quaisquer problemas nas máquinas vão gerar esse tipo de perrengue, o que, se não voltarmos a investir o mínimo na educação, vai se tornar algo recorrente.

    1. Provocação do dia: a comunidade Open Source não poderia ser voluntária ajudando a criar servidores melhores e não dependentes de hardware propriotário?

        1. Entenda como quiser.

          A ideia é que seja possível criar sistemas de fácil manutenção e que não dependa justamente de contratos com grandes empresas.

          Na necessidade, não importa se o cara vai pegar uma placa mãe do lixo ou o que for. Se é para por para funcionar, que ponha para funcionar.

          E oras, por quê não tentar incentivar criar um hardware no quintal de casa? Não nasceu as máquinas atuais “em garagens”?

          1. O problema é que quando o hardware do quintal de casa der problema, vão recorrer a quem? Nesses grandes contratos, o hardware é só parte da solução vendida/comprada. Tem o suporte e outras garantias de resolução rápida de problemas.

            O órgão poderia bancar uma equipe para ficar a postos para resolver esses pepinos? Sim, mas provavelmente sairia mais caro que um contrato com uma empresa especializada, logo, não compensa.

          2. O ponto do comentário que eu fiz @ghedin é do fato que pode ter o contrato que for, na pratica o suporte falha e só é possível confiar em quem forneceu o equipamento.

            Se houver políticas de incentivo ao próprio usuário fazer cópias pessoais de arquivos por exemplo, já é algo relevante – cópias pessoais podem depois reintegrar a base geral.

            Do hardware, é pensar que poderia ter um equipamento menor para servir de apoio a situações como essa.

          3. @ Ligeiro

            O contrato, geralmente, é com quem fornece o equipamento. Eu entendo a lógica do que você diz, e ela faz sentido em vários outros locais, como no trato de dados de usuários comuns, mas essa lógica não se aplica a grande projetos e/ou aplicações críticas, é o caso do CNPq. Não tem a mínima condição de montar um PC e contratar um técnico para rodar aquilo. A complexidade, as dependências e o público atendido são de outra natureza.

          4. Entendi @ghedin, entendi.

            Bem, de qualquer forma, só acho que poderia se pensar em formatos para fugir disso, mas entendo. Desculpe a bagunça.

  4. tranquilo, o problema foi só armazenamento. Dado o nível de importância desse governo à pesquisa científica, já separaram um Zip Drive pra recuperar o backup… kkkkkk

    1. não entendi esse descaso com o zip drive… ora, tinha um qdo era jovem e ele nunca, repito, nunca falhou! haha

  5. Chamou minha atenção o “Há um ano estamos trabalhando focados na organização institucional, com recursos financeiros administrativos adequados.”.

    1. Bem, se levarmos em conta que já tivemos até ministro da educação comemorando um corte de verbas à sua pasta, dá para entender o porquê dos recursos financeiros adequados.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário