Anúncio 15% de desconto no Sh*ft Festival com o cupom MANUALDOUSUARIO

O que chamou a atenção no iOS 15, iPadOS 15 e macOS 12 Monterey

A abertura da WWDC 2021 ficou dentro do esperado, com novas versões dos sistemas da Apple, a saber: iOS 15, iPadOS 15, watchOS 8 e macOS 12 Monterey. Abaixo, o tradicional comentário no calor do momento dos anúncios:

  • A oferta de aplicativos e serviços próprios é tão grande que deu à Apple o luxo de passar quase duas horas falando de integrações e benefícios que só dizem respeito a usuários mergulhados em seu ecossistema. Se você está nessa ao ponto de usar o iMessage para conversar com família e amigos, foi um prato cheio. Se não, sobraram algumas migalhas interessantes.
  • A maioria das novidades se espalha por todos os sistemas. Coisas como itens compartilháveis em apps como Fotos e Mensagens (Shared With You), experiências remotas pelo FaceTime (Share Play), configurações de notificações personalizáveis (Focus) e reconhecimento de escrita em imagens, por exemplo, estarão presentes no iOS 15, iPadOS 15 e macOS 12.
  • O iPadOS 15 mistura os widgets aos ícones da tela inicial e ganhou a Biblioteca de Apps, acessível pela Dock. A atualização mexe — mais uma vez — na multitarefa do tablet da Apple. Desta vez, pelo menos, haverá indicadores visuais para facilitar a descoberta e o uso desses recursos.
Tela inicial do iPadOS 15 com widgets misturados aos apps.
Imagem: Apple/Divulgação.
  • O nome do novo macOS 12 é Monterey. Sua maior novidade exclusiva é a chegada do aplicativo Atalhos, já presente no iOS e iPadOS. Diz a Apple que o app é “o futuro da automação no macOS”.
  • O Safari foi redesenhado e está ainda mais discreto. Agora, a barra de endereços fica dentro da aba do site em foco. O navegador da Apple também ganha suporte a grupos de abas/sites e as versões do iOS/iPadOS, suporte a extensões. No iPhone, a barra de endereços vai para o rodapé da tela.
Print do novo Safari do macOS 12 Monterey, mostrando os grupos de abas.
Imagem: Apple/Divulgação.
  • Usuários pagantes do iCloud ganham um “upgrade” sem custo ao iCloud+, que dá direito a uma espécie de VPN/Tor nativo e máscaras para e-mail.
  • Boas novidades de privacidade, como uma linha do tempo (de até sete dias) de recursos do celular acessados pelos aplicativos, ocultação do IP/localização do usuário a sites no Safari e o bloqueio de pixels rastreadores em e-mails/newsletters no Mail.
  • ênfase, também, às novidades em saúde: será possível compartilhar dados biométricos com familiares e médicos e a Apple avisará quando algum dado monitorado apresentar variações preocupantes. Tudo muito bonito e útil, desde que você tenha grana para comprar um iPhone e um Apple Watch — no Brasil, esse kit versão básica (Apple Watch SE e iPhone SE) não sai por menos de R$ 4 mil.
  • A Siri passa a processar requisições de tarefas mais simples no próprio dispositivo, sem se conectar à internet. Além do fator privacidade, a mudança acelera um bocado o tempo de resposta.
  • O iOS 15 será compatível com o iPhone 6S, lançado em 2015. Aparentemente, os demais sistemas também chegarão aos mesmos dispositivos compatíveis com os sistemas de 2020.
  • As versões beta dos novos sistemas já estão disponíveis para desenvolvedores. Ao público, elas chegam em julho. E as versões finais, em algum dia do “outono” (primavera aqui no hemisfério Sul).

Mais coisas foram anunciadas — foi um evento cheio, com quase 2 horas de duração. Deixei escapar alguma interessante? Comente aí embaixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 comentários

  1. Só espero que permitam que outros browsers possam implementar extensões.

    Eu uso muito o Firefox Relay, fiquei interessado no recurso parecido que a Apple lançou. Só espero que ñ fique restrito ao Mail.

  2. Li agora que o Live Text só está disponível no A12 Bionic.
    Tomara que seja algo apenas da versão beta!

  3. Eu li a listona de mudanças, vou deixar aqui umas coisas que gostei e que não foram citadas:

    – Mute any app or messaging thread temporarily, for the next hour, or for the day.

    -Refresh a web page by pulling down from the top of the page.

    -Locate your devices using the Find My network even after they have been turned off. The Find My network and Activation Lock can locate your device even after it has been erased.

    -If a site offers two-factor authentication, you can set up verification codes under Passwords in Settings.

    -Translate text by selecting it and tapping Translate.

    Não foi um evento com grandes novidades, achei que teriam melhorias mais significativas em notificações. Me incomoda muito quando estou vendo alguma coisa em tela cheia e vem aquele banner gigante na tela, por exemplo.

  4. Não assisti ao evento, mas achei engraçado um conhecido que citou que para Apple, pessoas de mais de 25 anos nunca aparecem no material publicitário deles. Será um marketing “gerontofóbico” :D

  5. Surpreso com a compatibilidade no iPhone 6s.
    6 anos de atualização! Em algum Android isso acontece?

    1. Nem de longe. Sequer o Google atualiza os Pixel por mais de 3 anos.
      Mas, como usuário de Android, digo que isso tem tido cada vez menos importância para mim. Dificilmente vou ficar com um mesmo aparelho por tanto tempo e, estando as atualizações de segurança em dia, para mim está ok.

      1. Com o aumento nos preços dos smartphones, o fato da Apple controlar (até demais) o ecossistema traz benefícios interessantes para seus consumidores.

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário