O que tem na mochila do Wellington Albertini.

O que tem na sua mochila, Wellington Albertini?


31/10/16 às 13h48

Foto de Wellington Albertini.

Wellington Albertini de Souza tem 33 anos, é casado com a @brunamuIIer, cristão e faz barulho na igreja com trombone de vara e teclado. Formado em Direito e advogando em Araras e região, no interior de SP, desde 2005. É fã assumido da melhor rede, na qual pode ser encontrado pelo perfil @weto.

  1. Bolsa carteiro da Bufallo Couro. Não utilizava bolsa até que, há dois anos, ganhei essa da minha sogra para trabalhar e não larguei mais, pois gostei muito da comodidade de andar só com o celular no bolso da calça e nada mais. Essa bolsa tem o tamanho perfeito para carregar processos físicos de até três volumes. Os maiores que isso têm que ser no braço mesmo.
  2. Bateria portátil Zagg (6000 mAh). Bateria que comprei às pressas em uma viagem, por isso, no momento da compra não me importei muito com o tamanho e formato dela. Ela é meio “gordinha” demais, mas salva meu guerreiro Moto X de 1ª geração que tenho desde o lançamento e que já anda com a bateria cansada.
  3. Carregador e cabo do celular. Ainda são os originais do Moto X. Gosto desse carregador porque ele tem duas saídas.
  4. Fones de ouvido Philips SHE9550. Fones que uso por achar tanto o som quanto o formato melhor do que os originais do meu Moto X.
  5. Molho de chaves. Chaves de casa com chaveiro do R2-D2 que ganhei da minha esposa.
  6. Carteira. Modelo “quase” compacto da Guess que já está perdendo as letras da logo.
  7. Canetas e lapiseira. Essas duas canetas e a lapiseira foram achadas jogadas na rua em lugares e momentos distintos. Por essa característica em comum, resolvi usar as três na bolsa.
  8. Cartões de visita com dados profissionais..
  9. Caderno. Estilo Traveler’s Notebook (Midori) feito pelo Cristiano Machado. Acabou substituindo minha agenda depois de algumas modificações e acréscimos (calendário e daily planner).
  10. Token. Token com certificado digital usado para assinar ações e petições on line de processos digitais.
  11. Pen drive. Item essencial depois da implantação dos processos digitais devido a necessidade constante de digitalizar documentos.
  12. Kindle (2014). Modelo básico com tela sensível a toques. Me ajuda a enfrentar as esperas e os atrasos de audiências. Já tive casos na Vara do Trabalho de atrasos de três horas! Atualmente estou intercalando a leitura de dois livros nele: O Sucesso Segundo Deus, do Pastor Antônio Carlos Costa (Fundador da ONG Rio de Paz) e Tudo que é Ruim é Bom Para Você, do Steven Johnson.
O que tem na mochila do Wellington Albertini.
Clique para ampliar.

Nota do editor: “Na mochila” é uma seção semanal do Manual do Usuário que apresenta o interior das bolsas e mochilas de leitores, colegas e amigos. Veja as outras mochilas já publicadas e mande a sua.

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês