O que tem na mochila do Paulo Higa.

O que tem na sua mochila, Paulo Higa?


9/2/15 às 9h39

Foto do Paulo Higa.

Paulo Higa tem 21 anos, mora em São Paulo e escreve sobre tecnologia no Tecnoblog, onde trabalha como editor. Teoricamente é usuário de iPhone, mas está com um smartphone diferente a cada duas semanas. De dia, anda com câmera e notebook para cobrir eventos, coletivas de imprensa e afins. À noite, leva papel e caneta para a faculdade de Jornalismo.

  1. Kindle Paperwhite. Às vezes quero ler um texto longo na web, mas não tenho tempo naquele momento. Então salvo o artigo no Instapaper, que se encarrega de enviá-lo automaticamente para o Kindle, e posso lê-lo em outra ocasião. Acho mais confortável que ler na telinha do celular ou no display brilhante do tablet.
  2. Chaves. No molho de chaves que só tem uma chave, levo o token do banco, um ejetor de bandeja de SIM card e um pen drive discreto Kingston DTSE9.
  3. Sony NEX-F3. Controles manuais, fotos em RAW, sensor competente e um corpo relativamente compacto para trabalhar ou para quando a câmera do celular não é suficiente. Virei um grande fã das mirrorless da Sony e certamente compraria outra, apesar dos altos preços (e baixa variedade) das lentes.
  4. Mochila Mizuno Manchester. Não é nada compacta, mas me permite carregar todas as tralhas do trabalho e da faculdade, além de me acompanhar em viagens. Tem tanto zíper (até na alça) que certamente eu já guardei algo nela e nunca mais vou achar.
  5. LensPen. Em uma extremidade, um pincel bem macio para tirar a poeira da lente da câmera. Em outra, uma ponta de carbono para remover marcas de dedo e outras possíveis sujeiras com segurança.
  6. Bloquinho e canetas. Geralmente acabo usando o celular para fazer anotações rápidas, mas rabiscar num papel ainda é mais rápido e eficiente que digitar num teclado virtual. As canetas são a Uni-ball Signo 207 (muito confortável e com tinta bem escura, como eu gosto; pena ser tão cara no Brasil) e uma Pilot Precise V5 (Rollerball com ponta fina; uso principalmente na faculdade).
  7. MacBook Pro de 13 polegadas com tela Retina. É meu computador pessoal, meu computador de trabalho e me acompanha nas coletivas de imprensa que cubro. Quase tão leve (1,57 kg) quanto o MacBook Air que substituiu e tem autonomia satisfatória; quando preciso ficar o dia inteiro fora, o carregador entra em ação.
  8. iPhone 6. Meu smartphone principal. Eu nunca gostei da ideia de usar capinha, mas resolvi fazer isso no iPhone 6 por dois motivos: 1) a espessura ficou tão absurdamente fina que o aparelho escorrega na mão e 2) aquela lente protuberante da câmera traseira me dá aflição.
  9. Fones de ouvido Etymotic hf5. São fones com excelente qualidade sonora, mas a principal característica é a borrachinha de tripla falange, que elimina praticamente todos os ruídos externos. Funciona para ouvir música, eliminar choros de bebês no avião, reduzir o barulho das marteladas na obra do vizinho, proteger o ouvido de motores de carros no autódromo e tem outras 997 utilidades.
  10. Cabos. Um cabo Lightning para carregar o iPhone, da Anker (o original da Apple tem sérios problemas de durabilidade) e um cabo Micro USB para recarregar a bateria externa, transferir dados e qualquer outra necessidade que surgir.
  11. Carregador portátil Anker Astro E3 de 10.000 mAh. Eu tenho um iPhone e… né?
O que tem na mochila do Paulo Higa.
Clique para ampliar.

Nota do editor: O Na mochila é uma seção semanal do Manual do Usuário que apresenta o que gente que admiro carrega em suas bolsas e mochilas. Acesse este link para espiar as demais.

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês