Logo da NordVPN Anúncio Assine a NordVPN com 68% de desconto e acesse a internet sem preocupações por dois anos.

Estilo de vida

O que tem na sua mochila, Bia Kunze?

O que tem na mochila da Bia Kunze.
Foto da Bia Kunze.

Bia Kunze é formada em odontologia e atuava em periodontia, geriatria e homecare até 2010, quando deixou a profissão por motivos de saúde. Passou a atuar exclusivamente como consultora em tecnologia móvel, palestrante e professora. Possui o blog Garota Sem Fio desde 2003, é podcaster desde 2005 e hoje também é comentarista na rádio CBN Curitiba. A maneira mais fácil de entrar em contato com ela é pelo Twitter: @garotasemfio

  1. Lenços de papel. Sou chamada de “rainha dos lencinhos”. Levo vários, secos, umedecidos, etc. O problema é que tomo imunossupressores, já fui hospitalizada várias vezes por causa de infecções oportunistas e hoje não uso papel higiênico de banheiros que não sejam os de casa.
  2. Teclado Bluetooth Logitech para Windows e Android. Não raro passo o dia todo fora de casa, pulando de um compromisso a outro. Nos intervalos aproveito para escrever. Nos smartphones mesmo. Não ando com notebook. Tablets, só levo quando vou dar aulas ou palestras.
  3. Porta-cartões cor creme, da Cavezzale. No dia a dia não uso mais carteira, só quando viajo para fora do país e preciso de algo decente para levar os passaportes, cartões de crédito, etc. Neste, minimalista, levo apenas identidade, cartão de débito, cartão do plano de saúde e cartão-transporte. É mais discreto e fica num bolso lateral da mochila para fácil acesso. Deixo notas e moedas no outro bolso lateral.
  4. Porta-cartões de visita. Não sei a marca, ganhei de um cliente, mas não tem logo. É de metal, com revestimento em couro vermelho e fecho com imã. Adoro!
  5. Mochila City Pack Kipling Monkey Madness. Como toda mulher, tenho muitas bolsas, para combinar com cada ocasião. Boa parte é da Kipling, pois são bonitas, super leves, com zíper patenteado à prova de falhas e nelas cabe o universo. Também sao cheias de bolsos e divisões, e no meu mundinho, tudo precisa ser compartimentado. A que mais uso é essa, chama-se City Pack e é estilo mochilinha, já que ando muito à pé e de transporte público. Na foto não aparece, mas há um pequeno guarda-chuva morando dentro. O clima de Curitiba é traiçoeiro. Também há sempre uma garrafinha d’água, e se o dia for puxado, levo uma tumbler para abastecer nas cafetarias da cidade. Aqui tem um review bem legal dessa mochila.
  6. Necessáire. Para itens de higiene, maquiagem, medicamentos, enfim, mulherzices em geral. Os itens mais importantes são o Tide-To-Go, porque vivo pingando café na roupa, o Band-Aid Friction Block Stick, para não machucar o pé quando preciso usar salto, gloss labial, lixa de unha, álcool gel, escova de dentes e fio dental. A case laranja ganhei da Nivea.
  7. Estojo Freedom da Kipling. Nele levo a caneta Livescribe Sky 8 GB para fazer anotações com áudio em reuniões, coletivas de imprensa, palestras, etc. A caneta manda tudo para o Evernote por Wi-Fi. Ainda levo canetas Pilot Frixion (só uso tinta gel, para ficar bem escaneada no celular ao enviar para o Evernote). As coloridas são para fazer mapas mentais. Desde que descobri as Frixion não larguei mais, pois dá para apagar, a escrita é maravilhosa e funciona de verdade. Levo ainda um marcador permanente da Sakura, post-its diversos e uma Bic Cristal Stylus — melhor esferográfica com stylus do universo, porque custa R$ 6!
  8. Chaves. Tem um pen drive de 4 GB junto, mas que nesses tempos de nuvem raramente uso. Bem, nunca se sabe, né? Nele tenho instalada a suíte PortableApps, que já me salvou em algumas situações. O chaveiro é o macaco-mascote da Kipling. Entenderam que sou fã da marca, né?
  9. Spray de pimenta. (Item polêmico, mas vamos lá…) Depois de enfrentar uma tentativa de assalto, onde até apanhei, e dois tarados em terminais de ônibus, procurei na web uma receita caseira para defesa pessoal e coloquei num porta-perfume. Se estou andando na rua, o spray está na mão. Sempre.
  10. Óculos de sol. Sou extremamente conservadora com isso, uso Ray-Ban aviador há uns 20 anos. Só admito usar outro, esportivo, na hora de correr, pedalar e remar.
  11. Smartphones. Um ou dois; no momento, Moto G e Zenfone 2. Estou sempre testando aparelhos, então, podem ser qualquer modelo. Uso como meus mesmo, para tudo. Uma época, antes do advento dos dual SIM, eu andava com três, pois monitoro redes móveis também, mas minha família começou a se preocupar com minha sanidade mental e parei.
  12. Bloco de notas da Livescribe. Às vezes levo caderno, mas o bloco, por ser compacto, fica sempre na bolsa.
  13. Caderno de notas sem pauta. Para mapas mentais e anotações diversas.
  14. Necessáire geek Uatt. Para cabos, power bank, carregadores e fone de ouvido. A cara dela diz tudo.
  15. Sacola dobrável em formato de morango. Às vezes passo na biblioteca ou supermercado antes de voltar pra casa, tê-la comigo quebra o maior galho. É feita de um tipo de nylon super resistente. Custou US$ 0,50 numa Walgreens nos EUA.
O que tem na mochila da Bia Kunze.
Clique para ampliar.

Nota do editor: O Na mochila é uma seção semanal do Manual do Usuário que apresenta o que gente que admiro carrega em suas bolsas e mochilas. Acesse este link para espiar as demais.

Ilustração com uma mãozinha depositando uma moeda em uma caixa com o logo do Manual do Usuário em uma das faces, segurada por dois pares de mãos. Ao redor, moedas com um cifrão no meio flutuando. Fundo alaranjado.

Apoie o Manual do Usuário.
Você ajuda a manter o projeto no ar e ainda recebe recompensas exclusivas. Saiba mais »

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

57 comentários

  1. Tbm uso o PortableApps no pendrive como chaveiro, já me salvou e fora o fato que se VC vai na casa de alguem
    …navega no seu navegador

  2. Eu só não entendo por quê esses blocos de notas custam tão caro, um outro de uma outra marca aqui eu encontrei por 60 reais um minúsculo

  3. Como assim? Uma mochila que NÃO TEM UM KINDLE?!? rs A Amazon não vai gostar disso, Ghedin. :P

  4. Bia, tenho a mesma mania dos estojos e necessárias. Separo tudo, acho bem mais fácil de localizar qualquer item depois. Uso uma mochila da Adidas, muito boa e discreta, toda preta mas com poucos compartimentos. Depois vou olhar essas da Kipling e ver como são.

    Abraços!

  5. Tadinha da Bia.
    Fico com dó dela quando ela diz que tá internada.
    Melhoras sempre, menina.

  6. Tadinha da Bia.
    Fico com dó dela quando ela diz que tá internada.
    Melhoras sempre, menina.

  7. Puxa Vida! Comecei a acompanhar o trabalho da Bia lá por 2004 ou 2005 quando eu trabalhava no ramo de telefonia móvel. Existia pouquíssimo material em português sobre o assunto.
    Lembro que se falava sobre smartphones de diferentes marcas mas sem guerrinhas de hoje. As discussões eram mais sobre as aplicações que o dispositivo ou aplicativo poderia te dar.
    Lembro também que o site tinha cabeçalho azul com os olhos da Bia com o nome do site.
    Parabéns felicidades e saúde.

  8. Bia, não sei se você ainda vai responder, mas fiquei super curioso quanto à sua profissão. O que, exatamente, faz um consultor mobile? Como você vê o mercado e a demanda por esse tipo de profissional atualmente?

    1. Olha, é tudo muito novo ainda. Meio que fui “jogada” nesse meio, hahaha. A maioria ainda não entende do que se trata mesmo. Eu apenas procuro tornar a vida de pessoas e empresas mais eficiente com ajuda da mobilidade.

    1. Que isso… se você me chamar pelo nome, não leva spray na cara não :) só não chame de gostosa! hahahaha!

  9. Tenho esse mesmo teclado da Logitech e eu uso combinado com um tablet da LG, o V500. Estou conseguindo usar mesmo numa carteira escolar daquelas com espaço limitado. Mas ele é pesadão… Esto esperando a oportunidade pra comprar um desses da Microsoft:

    http://www.amazon.com/Microsoft-Universal-Foldable-Keyboard-Android/dp/B00UBGU4PY/ref=sr_1_1?ie=UTF8&qid=1442257786&sr=8-1&keywords=microsoft+foldable+keyboard

    O mais chato é a acentuação, pq como é um teclado pra produtos Apple, tem q ficar lá caçando os acentos… mas ele funciona muito bem.

      1. não deu pra mim, ficou ruim… não tem galho, já meio q me acostumei. preferiria, claro, um teclado abnt2… mas tá quebrando um galhão.

        1. No Windows, é ir no “opções regionais > opções de teclado” Lá, bastaria colocar “Lingua portuguesa” e teclado tipo “estados unidos – internacional” (o acento agudo fica ao lado do L, onde seria o ç). Não sei como fazer isso em Android.

          1. Boa, Ligeiro. Vou dar uma olhada. E, coincidentemente, ao entrar na loja do Google tem um comentário da própria Bia sobre ele!

          2. Boa, Ligeiro. Vou dar uma olhada. E, coincidentemente, ao entrar na loja do Google tem um comentário da própria Bia sobre ele!

    1. Sonho em voltar a usar teclados dobráveis, esse da Microsoft tá na minha lista. Pretendo ao menos testá-lo.

      1. Se não fosse o dólar no valor q está, já teria comprado um desses… E estava por 99 no lançamento, agora tá com preço até melhor. E, a propósito, boas dicas para o Evernote no seu site (faço uso justamente dele e desse teclado pra tomar notas em aula)… Vou dar uma espiada com calma depois.

  10. Bia Kunze, além de portar uma ferramenta com o intuito de se proteger, recomendo praticar um sistema de defesa pessoal (fuja de artes marciais), pois é muito fácil um marginal tomar qualquer objeto de você caso não esteja condicionada a uma reação efetiva.

    Procure por Kombato na sua região. Tenho certeza que há representantes certificados em Curitiba. Kombato é a empresa responsável por treinar os seguranças pessoais da presidente da República, militares, policiais, seguranças privados e também treina civis em aulas regulares e cursos.

    Não conheço exatamente esse produto que você mesma concebeu, mas é temeroso você tê-lo e porventura utilizá-lo. Dependendo da composição você pode estar infringindo alguma norma. Visto que o spray de pimenta certificado é considerado de uso restrito pelo Exército Brasileiro. Existe um spray de gengibre que não é restrito e já vem num recipiente adequado.

    Eu porto diariamente um bastão expansível tático e uma faca tática.

    1. Na verdade acredito que as polícias militares pelo país afora também usem Spray de Pimenta. A questão é que, como você falou, dá pra ser enquadrado em porte ilegal de arma. Não tenho certeza, mas acredito que andar com uma faca também possa ser considerado como porte de arma… Um amigo meu já teve problema por transportar, no porta-malas do carro e a caminho de um churrasco, uma faca, uma chaira e um avental.

      1. As armas brancas estão numa zona cinza, não é ilegal, portanto é legal, mas vai com a interpretação da lei.

        1. Ou seja: Vai da bom humor do “Seu Gualda”!

          A idéia de um spray de pimenta caseiro já rondou minha mente há uns tempos, mas nunca consegui chegar a algo mais sofisticado do que molho de pimenta num borrifador.

          1. Vai por mim: saber se defender (luta corpo-a-corpo) é muito mais eficaz. Mas, claro, deve-se evitar o confronto a qualquer custo. Aprenda a evitar situações perigosas.

          2. Ultimamente, estar sozinho na rua parece ser situação perigosa por si só…

          3. Mais ou menos (da questão de arma branca).

            Como já dito pelo Victor, depende de como a pessoa porta uma arma branca. Ela deve estar a um alcance fácil, porém ao mesmo tempo não pode ser imediato. Tipo, ficar andando com faca na mão que nem a Kitana. :p

          4. Vi que lançaram o spray de gengibre,o qual não possui restrição, ao menos, até o momento. e funciona bem o bastante para substituir o spray de pimenta.

          5. Acho que isso se chama principio da legalidade, se algo não está explicitamente proibido por lei, é legal portanto, mas desde o estatuto do desarmamento, há certa obscuridade sobre certos itens. Ai de facto, vai da vontade do “Seu Gualda”.

      2. O Exército restringe exatamente para ser de uso exclusivo das forças de segurança pública.

        Sobre faca, como o Marcos disse, não é ilegal.

        Mas aqui no Rio há um absurdo: portar faca com lâmina maior de 10 centímetros, se for flagrado, fica sujeito à multa de R$2.400. Grande ideia de um “jênio” deputado para acabar com a violência. Ridículo. Solução? Comprei uma faca menor.

        Sobre a abordagem do policial, tudo depende da situação e como você se porta. Eu já fui revistado duas vezes durante mais de 7 anos portando bastão e faca. Foi super tranquilo. Policial educado, eu idem. Antes de iniciar a revista eu falei sobre as armas. Somente em uma das situações ele pediu para ver o bastão, eu até expandi para ele ver o bastão aberto (sem piadas); o soldado curtiu, falou que compraria um pra ele também e me desejou boa noite.

        Teoricamente, se o policial considerar o local inapropriado e situação inadequada para o cidadão portar a faca, teriam de ir todos à delegacia e haver a apreensão da faca registrada na delegacia. Mas sabemos que as coisas provavelmente não aconteceriam desse modo.

        E nas raras vezes que precisei ir ao banco, nunca tive problema com os vigilantes. Informei sobre as armas, passei-as para o vigilante e ele as manteve consigo durante minha permanência na agência. Do mesmo jeito quando precisei ir ao fórum. Deixei as armas guardadas com os vigilantes. Basta ser educado.

        1. Sobre o porte de armas no dia-a-dia, no Brasil, é um male que se faz necessário, dada a violência. Mas se conseguirmos sanar esse extremo, não acho que se faz necessário. Vejo os casos, aqui em SP, de policiais executando bandidos, e depois encenando a reação dos mesmos para justificar, e temo que isso aconteça com ainda mais frequência, e não seja restrito aos policiais.

    2. Li rápido e ia comentar do spray de gengibre, mas tu já falou.

      Sei que o que é proibido o porte e é considerado risco:

      * Lâminas (dependendo do tamanho – de facas grandes a espadas)
      * Spray de pimenta
      * Soco inglês
      * Teaser de contato (arma de choque)

      Sei que spray de gengibre não tem restrição.

      Sinceramente, penso que qualquer “arma branca” poderia ter porte liberado, desde que a pessoa tenha um registro. Tá, sei que é uma burrocracia. Mas essa é a diferença entre uma pessoa de respeito e um criminoso. Criminoso só vai fazer registro de uma arma branca se ele quer fazer alguma coisa grande. Pois criminosos não querem ser identificados.

      1. Como discutimos aqui, não existe lei que proíba porte de lâmina. Simples assim. Mas existe a arbitrariedade do policial em apreender o objeto, registrando o procedimento em uma delegacia de polícia. Porém, ninguém é preso por ter uma faca na cintura ou andar com um machado, espada na mochila ou soco inglês. Spray de pimenta e arma de choque são produtos controlados. São de uso restrito pelo Exército Brasileiro. Mas você ser fichado e preso mesmo, só arma de fogo.

        Logo, não é necessário, não existe porte ou registro de arma branca. Isso só acontece para arma de fogo.

        O Estado precisa interferir menos na vida das pessoas. Ridiculamente, o Brasil proíbe a posse e o porte de arma de fogo. Senão eu já teria várias em casa e andaria com elas dissimuladamente. Arma é segurança, arma é liberdade. E com todos nós armados há um equilíbrio de forças. Se há alta criminalidade cada vez mais violenta e abusada é porque os cidadãos de bem estão desarmados, não podem se defender. Então, os marginais “pintam e bordam” porque sabem que não terão resposta à altura.

        Felizmente, eu estou prestes a me tornar policial e terei porte de arma. Assim, poderei comprar as minhas armas de fogo como revólveres, pistolas (inclusive de calibre restrito), espingardas.

        Texto necessário:

        A arma é civilização

        Major L. Caudill – Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA

        As pessoas só possuem duas maneiras de lidar umas com as outras: pela razão e pela força. Se você quer que eu faça algo para você, você tem a opção de me convencer via argumentos ou me obrigar a me submeter à sua vontade pela força.

        Todas as interações humanas recaem em uma dessas duas categorias, sem exceções. Razão ou força, só isso.

        Em uma sociedade realmente moral e civilizada, as pessoas somente interagem pela persuasão. A força não tem lugar como método válido de interação social e a única coisa que a remove da equação é uma arma de fogo (de uso pessoal), por mais paradoxal que isso possa parecer.

        Quando eu porto uma arma, você não pode lidar comigo pela força. Você precisa usar a razão para tentar me persuadir, porque eu possuo uma maneira de anular suas ameaças ou o uso da força. A arma de fogo é o único instrumento que coloca em pé de igualdade uma mulher de 50 Kg e um assaltante de 105 Kg; um aposentado de 75 anos e um marginal de 19, e um único indivíduo contra um carro cheio de bêbados com bastões de baseball.

        A arma de fogo remove a disparidade de força física, tamanho ou número entre atacantes em potencial e alguém se defendendo.

        Há muitas pessoas que consideram a arma de fogo como a causa do desequilíbrio de forças. São essas pessoas que pensam que seríamos mais civilizados se todas as armas de fogo fossem removidas da sociedade, porque uma arma de fogo deixaria o trabalho de um assaltante (armado) mais fácil.

        Isso, obviamente, somente é verdade se a maioria das vítimas em potencial do assaltante estiver desarmada, seja por opção, seja em virtude de leis – isso não tem validade alguma se a maioria das potenciais vítimas estiver armada.

        Quem advoga pelo banimento das armas de fogo opta automaticamente pelo governo do jovem, do forte e dos em maior número, e isso é o exato oposto de uma sociedade civilizada.

        Um marginal, mesmo armado, só consegue ser bem sucedido em uma sociedade onde o Estado lhe garantiu o monopólio da força. Há também o argumento de que as armas de fogo transformam em letais confrontos que, de outra maneira, apenas resultariam em ferimentos.

        Esse argumento é falacioso sob diversos aspectos. Sem armas envolvidas, os confrontos são sempre vencidos pelos fisicamente superiores, infligindo ferimentos seríssimos sobre os vencidos.

        Quem pensa que os punhos, bastões, porretes e pedras não constituem força letal, estão assistindo muita TV, onde as pessoas são espancadas e sofrem no máximo um pequeno corte no lábio.

        O fato de que as armas aumentam a letalidade dos confrontos só funciona em favor do defensor mais fraco, não do atacante mais forte. Se ambos estão armados, o campo está nivelado.

        A arma de fogo é o único instrumento que é igualmente letal nas mãos de um octogenário quanto de um halterofilista. Elas simplesmente não funcionariam como equalizador de forças se não fossem igualmente letais e facilmente empregáveis.

        Quando eu porto uma arma, eu não o faço porque estou procurando encrenca, mas por que espero ser deixado em paz. A arma na minha cintura significa que eu não posso ser forçado, somente persuadido. Eu não porto arma porque tenho medo, mas porque ela me permite não ter medo. Ela não limita as ações daqueles que iriam interagir comigo pela razão, somente daqueles que pretenderiam fazê-lo pela força. Ela remove a força da equação.

        E é por isso que portar uma arma é um ato civilizado. Então, a maior civilização é onde todos os cidadãos estão igualmente armados e só podem ser persuadidos, nunca forçados.

      2. Teaser???? Não sabia…..
        Na ultima vez que fui na 25 de março, galeria pagé tinham dezenas de caras vendendo nas ruas….

        Eles ficavam com os teaser nas mãos disparando…. Não comprei e não teria coragem de experimentar, mas o som e a “faísca” são intimidadores….

    3. Olá, pessoal! Obrigada a todos pelas dicas! Realmente, esses sprays de defesa estão numa zona cinza de legislação. Eu fiz aulas de luta e cheguei a me matricular num curso de krav maga, mas tive que parar tudo porque minha doença migrou para a cervical. Estou quase 100% e pretendo retomar. Será que andar por aí com uma camiseta de artes marciais ajuda a bandidagem a desistir de mim como alvo? :)

      1. Espero que fique bem e volte às atividades.

        Como ensina Sun Tzu: “Seja extremamente sutil, tão sutil que ninguém possa achar qualquer rastro. Seja extremamente misterioso, tão misterioso que ninguém possa ouvir qualquer informação.”

        Não recomendo que você mostre que pratica alguma luta, assim como adesivos mal encarados no carro, por exemplo. Há bandidos que interpretam esse embuste como desafio e vão com força total para eliminar o alvo e provar que são superiores.

  11. Bia Kunze, além de portar uma ferramenta com o intuito de se proteger, recomendo praticar um sistema de defesa pessoal (fuja de artes marciais), pois é muito fácil um marginal tomar qualquer objeto de você caso não esteja condicionada a uma reação efetiva.

    Procure por Kombato na sua região. Tenho certeza que há representantes certificados em Curitiba. Kombato é a empresa responsável por treinar os seguranças pessoais da presidente da República, militares, policiais, seguranças privados e também treina civis em aulas regulares e cursos.

    Não conheço exatamente esse produto que você mesma concebeu, mas é temeroso você tê-lo e porventura utilizá-lo. Dependendo da composição você pode estar infringindo alguma norma. Visto que o spray de pimenta certificado é considerado de uso restrito pelo Exército Brasileiro. Existe um spray de gengibre que não é restrito e já vem num recipiente adequado.

    Eu porto diariamente um bastão expansível tático e uma faca tática.

  12. Sobre o item 2, boa idéia!! Principalmente pra segurança, suas costas e etc. E olha que eu ia questionar o que você faz com o tamanho da fonte na hora de escrever no smart. Mas antes virei meu Moto X 2 Gen e comparei ele na horizontal com o monitor. A fonte é grande o suficiente e quase do mesmo tamanho do monitor normal. Embora bem mais APERTADO, dá pra ler sem problemas! (e morreu a piada com a visão biônica)

    Vc usa isso em um programa nativo para digitar? Ou pegou algum outro, aqueles editores minimalistas?

    Dá pra expandir esse assunto. Um teclado desse (e até um mouse BT) + um Chromecast + um mini router da Tp-Link e vc tem um “computador” em qualquer local com uma TV por perto. Interessante.

    1. Usei teclados dobráveis com Palms e Pocket PCs desde 2000, 2001. Estou bem habituada com o tamanho da tela, que aliás, aumentou bastante se formos analisar bem! Sobre programa, uso o Evernote mesmo, porque sincroniza com a nuvem em todos os meus dispositivos. Depois colo o texto no WordPress ou no MS Word, de acordo com a finalidade. Abraços!

    1. Oi, tuneman! Eu dou consultoria para empresas, muitas me consultam antes de fechar pacotes de dados corporativos porque não sabem qual tem melhor cobertura em sua área de atuação. Preciso checar todas antes de escolher para meus clientes a melhor telecom de acordo com suas necessidades. Abraços!

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!