Lumia 435, 532 e 535: Qual o melhor Lumia de entrada à venda no Brasil?

Lumia 435, 532 ou 535?

Já faz mais de um ano desde que a Microsoft anunciou um smartphone topo de linha — o último, Lumia 930, foi apresentado sem muito alarde em abril de 2014. De lá pra cá a empresa tem apostado em aparelhos de entrada, baratos e acessíveis. Não, você não está entendendo: aparelhos baratos mesmo, com preços de lançamento abaixo dos R$ 400 e que, em promoção, chegam perto dos R$ 200.

Entre eles, qual o melhor custo-benefício? Existe algum muito ruim, que mesmo custando pouco, não vale a pena? Se você está com essas e outras dúvidas, não se preocupe: o Manual do Usuário está aqui para ajudá-lo.

O exército de Lumias baratinhos

Antes, vamos colocar ordem nas coisas. Atualmente a Microsoft tem, em seu portfólio, seis smartphones de entrada:

  • Lumia 430
  • Lumia 435
  • Lumia 530
  • Lumia 532
  • Lumia 535
  • Lumia 540

Desses aí, podemos riscar dois: Lumia 430 e 540. A assessoria da Microsoft confirmou que ambos não serão lançados no Brasil. Sobram quatro.

Imagem de divulgação do Lumia 530.
Lumia 530.

O Lumia 530 é o mais fraco do grupo. Pela idade (foi lançado em meados do ano passado), costuma ser o mais barato também — já chegou perto dos R$ 200 em promoção, o que é surreal para um smartphone. Ele tem outra peculiaridade: é o único do grupo que foi lançado com a marca Nokia, quando a divisão de dispositivos móveis dessa já tinha sido absorvida pela Microsoft, mas a mudança no branding da linha Lumia ainda não havia ocorrido.

O grande problema do Lumia 530 é a memória. Ou melhor, as memórias, no plural. É o único, dessa leva, com 512 MB de RAM e parcos 4 GB de espaço para armazenar sistema, apps e arquivos do usuário. É pouco. Mesmo o Lumia 435, o mais barato de todos, oferece 1 e 8 GB, respectivamente.

O Lumia 530 não entrou no meu comparativo, então ficarei devendo uma opinião mais assertiva sobre ele. De qualquer modo, viver com 4 GB de espaço é difícil, e só esse detalhe já me faria desaconselhá-lo, especialmente porque, no mercado, é fácil encontrar o Lumia 435 e o 532 pelo mesmo preço do 530.

Como foram feitos os testes

A janela que tive para analisar os três aparelhos (em tempo: Lumia 435, 532 e 535) foi menor que o ideal. Isso significa que não pude testá-los a fundo, o que afetou áreas que demandam mais tempo de uso, como a duração das baterias.

Apesar disso, pude instalar apps, rodar alguns jogos, fazer comparações lado a lado de desempenho e tirar fotos, sempre com os três juntos, em diversas situações. Além de usá-los no dia a dia, claro.

Tive apenas um problema com o Lumia 532, que com frequência desligava sozinho e não ligava de novo. A única saída era abrir a tampa, tirar e recolocar a bateria, e ligá-lo novamente. De certo é uma falha da unidade que me enviaram e, claro, outro fator que prejudicou um pouco o comparativo.

Cada um com um acabamento diferente.

Uma curiosidade: os três modelos que recebi eram brancos (do tipo que encarde fácil), cada um deles com um design diferente. O Lumia 535 é fino e todo arredondado. Os outros dois são quase iguais: parecem lajotinhas, quadrados e grossos. Mas mesmo eles têm uma diferença visual: o Lumia 532 apresenta uma espécie de bumper em acrílico transparente que envolve suas bordas e dá um aspecto mais elegante — e 1 mm extra de espessura. O 435 não tem esse adorno, e é quase como se fosse uma versão mais espartana/utilitária do 532.

Similaridades e diferenças de hardware

Um Lumia em cima do outro.

Os três Lumias testados têm 1 GB de RAM e 8 GB de espaço interno, além de slot para cartão microSD de até 128 GB. Todos também são dual SIM (apenas 3G), rodam a versão mais recente do Windows Phone 8.1 (Denim), têm sensores de luminosidade e proximidade (coisa que a antiga Nokia negligenciava em dispositivos de entrada e até médios) e suporte a rádio FM.

Por dentro, Lumia 532 e 535 compartilham mais características. Ambos usam um SoC Snapdragon 200, com CPU quad-core de 1,2 GHz e GPU Adreno 302. O Lumia 435 tem CPU dual-core, com a mesma frequência (1,2 GHz) e mesma GPU. Em termos práticos, a diferença é marginal, embora tenha notado alguns engasgos ocasionais nas animações do Windows com esse aparelho mais fraco. Todos sofrem com o “Retomando…” comum em smartphones Windows, independentemente do quão poderoso seja o hardware, mas eles são ágeis no geral, mais do que eu esperaria de aparelhos tão baratos assim.

Os três têm duas câmeras, ou seja, principal e frontal. Câmera é sempre um ponto que pesa na hora de cortar custos e, nesses casos, não é diferente. As frontais dos Lumias 435 e 532 são imprestáveis; as de trás, bem ruins. (A do 532 leva uma ligeira vantagem, por ter resolução maior.) Ambas têm foco fixo, o que as tornam inúteis para fotos próximas. Volto às câmeras mais abaixo.

Um diferencial bacana dos Lumias 435 e 532 é terem suporte a TV digital. Das unidades que recebi, só o 532 veio com TV e, por esse motivo, dos três ele foi o único que trouxe fones de ouvido na caixa. Fones de ouvido que acompanham smartphones baratos normalmente são tão ruins que… né? melhor deixar de lado, mas justamente por serem produtos de entrada, ou seja, destinados a quem não quer ou não pode gastar muito, é uma ausência que pesa. Antes um par de fones mequetrefes que nenhum, certo?

Uma exclusividade do Lumia 532 é o Glance, aquele recurso que exibe na tela, quando o celular está bloqueado, o relógio e algumas notificações. A tecnologia da tela é a mesma nos três aparelhos (LCD, que não se beneficia do preto para economizar energia), logo é estranho que nem mesmo o Lumia 535, superior, não traga o recurso.

Câmeras

A câmera do Lumia 535, sem surpresa, é a melhor.

Câmera é um negócio importante. Para muita gente, a do celular é a única, ou seja, todas aquelas lembranças, do churrasco de família, apresentações dos filhos na escola e situações do cotidiano são registradas com esse aparelho. Se você for confiar tal missão a esses Lumias, atenção.

Nenhuma dessas câmeras é realmente boa, algo esperado em produtos abaixo de R$ 500. A do Lumia 435 é a pior, não por acaso — é o mais barato dos três. Ela tem resolução de 2 mega pixels e a lente mais escura (abertura f/2.8). Também é a que tem a maior distância focal, o que na prática se traduz em fotos com enquadramento mais apertado1.

Não acaba aí. A câmera principal do Lumia 435 deixa a desejar em definição e gera cores sem vida. Curiosamente, ela segura bem o nível de ruído, o que indica um pós-processamento pesado. A câmera também carece de Flash e tem foco fixo, o que significa que imagens próximas ficam desfocadas.

Câmera do Lumia 532.

A câmera do Lumia 532 melhora um pouco, mas não muito. Ela tem 5 mega pixels e abertura f/2.4. A distância focal é menor, praticamente a mesma da câmera do Lumia 535 (os dados EXIF omitem essa informação). Só que o sensor parece mais próximo do usado na do 435 (se não for o mesmo), ou seja, a câmera repete os problemas de cores apagadas e falta de definição (mesmo com mais que o dobro de pixels). Em ambos os casos, 435 e 532, a câmera frontal só está ali para cumprir tabela (VGA, ruidosas, horríveis).

Com o Lumia 535 a situação melhora um pouco. A câmera, de 5 mega pixels e lente com abertura f/2.4, tem foco automático e entrega resultados mais agradáveis. Não é um primor, longe disso, mas ela tem qualidade mínima em um leque maior de situações, e é mais versátil — fotos “próximas,” entre 30 e 50 cm de distância, saem focadas, pelo menos. A câmera frontal do Lumia 535 também tem 5 mega pixels e faz um bom trabalho com selfies.

Fora tamanho físico, é na câmera que o Lumia 535 mais se destaca dos outros dois aparelhos, e o que justifica seu preço mais elevado.

Abaixo, alguns exemplos. Clicando nas fotos, você as vê num tamanho maior, em novas abas. Para vê-las inteiras e em tamanho natural, clique aqui (Flickr).

Foto ao ar livre, com Sol, com os três Lumias.
Nenhum se sai bem na exibição de detalhes.
Foto de livros com iluminação artificial com os três Lumias.
Repare na lombada vermelha, como os Lumias 435 e 535 sofrem para retratá-la.
Foto quase macro com os três Lumias.
O foco fixo dos Lumias 435 e 532 mostra sua fraqueza aqui.
Foto do meu pezinho contra o Sol, com os três Lumias.
A distância focal menor dos Lumias 532 e 535 captura mais área.
Foto do pôr do Sol com os três Lumias.
Raro caso em que o Lumia 435 se saiu melhor (e numa condição difícil).
Selfie com os três Lumias.
Na selfie, o Lumia 535 não dá chance.

Lumia 535, facilmente o melhor

Não há muito o que discutir sobre qual o melhor dos três. É o Lumia 535. Nota-se no preço e, na prática, ele faz jus aos Reais extras que a Microsoft cobra pelo primeiro smartphone lançado com sua marca.

O Lumia 535 tem uma tela de 5 polegadas com resolução de 540×960, o que lhe confere uma densidade de 220 PPI, pouca coisa menos que os outros dois modelos. Tão menos que, a olho nu, é difícil detectar a diferença vendo os três ao mesmo tempo. Ele é, também, o único com revestimento Gorilla Glass 3 e, estranhamente, que tem botões do sistema virtuais, na tela, uma solução que sempre encarei como artifício para reduzir custos. Os Lumias 435 e 532 têm botões táteis, como os modelos mais caros. (E sem luz para iluminá-los no escuro…)

Lumia 535 na mão.

Lumia 535 é o mais fino dos três.

Como dito, o Lumia 535 é o mais fino e elegante, e isso, somado ao tamanho físico maior para distribuir o peso, faz com que ele pareça (não é) o mais leve.

O acabamento da tampa traseira é em policarbonato fosco, o mesmo material de que são feitas as tampas dos outros dois Lumias. É um material que agrada ao tato, mas que, aqui, se torna perigoso quando combinado com as curvas do design. Se por um lado isso deixa o manuseio mais confortável (os cantos pontudos dos outros dois modelos podem incomodar), por outro traz uma sensação maior de insegurança, como se o Lumia 535 pudesse escapar num momento de distração, ou ao tentar alcançar o canto superior esquerdo da tela com uma mão apenas.

Enquanto finalizava este post (16/6), o preço mais baixo do Lumia 535 no varejo brasileiro era de R$ 422. O sugerido pela Microsoft na época do lançamento, em novembro passado, era de R$ 599.

Lumia 435 vs. Lumia 532, uma decisão difícil

Lumia 435 na mão.
Lumia 435.
Lumia 532 na mão.
Lumia 532.

O comparativo que importa, pelas características e faixa de preço, é este. Qual é o melhor, Lumia 435 ou Lumia 532?

O posicionamento do Lumia 532 fica um pouco acima do Lumia 435, mas por detalhes. Ele tem um processador com quatro núcleos, contra apenas dois do 435, e uma câmera superior, mas ainda assim fraca. Ah sim, e aquela moldura acrílica transparente, que dá um charme especial, mas não alivia o fato dele ser muito grosso (11,6 mm).

Um detalhe importante, que não se vê em tabelas de especificações e não sei se está restrito às unidades de testes, é a fidelidade de cores. O Lumia 435 apresenta cores mais fiéis. As telas do 532 e 535 puxam para o amarelo e têm um aspecto meio lavado. Achei estranho o modelo mais barato ser o que acerta melhor uma configuração em que, geralmente, apenas usuários exigentes reparam.

Comparativo de telas dos Lumias 435 e 532.
Lumia 435 (à direita) tem cores mais fiéis.

Considerações feitas, eu ficaria com o Lumia 532. A diferença de preço é ínfima, logo compensa mesmo sendo poucos os benefícios que ele traz sobre o Lumia 435. Esse, por sua vez, não é uma má compra, e se TV for importante a você, a versão com suporte a ela sai mais ou menos o mesmo preço que o 532 sem TV.

Qual Lumia comprar?

A tabela abaixo, com preços sugeridos e os que encontrei na data de fechamento deste post (16/6), dá uma ideia de como é difícil se decidir entre os celulares de entrada da Microsoft:

Preços sugeridos e mais baratos dos smartphones Lumia de entrada.

A hierarquia dos números parece acertada quando cruzada com os preços praticados no mercado. Quer o melhor dos quatro? Vá de Lumia 535. O segundo melhor? Lumia 532. Se a grana estiver curta, ou esse for um “celular de balada,” Lumia 530 e 435 disputam o seu dinheiro.

A única complicação advém da TV digital. O Lumia 532 básico custa praticamente o mesmo que o 435 com TV. Se esse requisito for importante, as perdas do modelo mais simples são poucas, então ele passa a ser mais interessante.

Só fique atento com o Lumia 640, que ainda não testei, mas pelas especificações parece bater fácil todos esses outros. Ele tem preço sugerido de R$ 799, mas já hoje está por R$ 494 na Americanas, por exemplo. (E, até 30 de junho, ainda dá um ano grátis de Office 365.)

Essas recomendações excluem o Android da conta. Considerando o lado Google do mercado, existem bons aparelhos em todas essas faixas, como o Xperia E1, frequentemente abaixo dos R$ 300, mesmo caso de alguns dos infinitos Galaxies da Samsung e do Moto E de primeira geração. Depois dos R$ 400, para quem se interessou pelo Lumia 535, existem ainda mais opções, de quase todas as fabricantes…

Nunca se teve tantas opções de smartphones baratos, o que significa que nunca foi tão difícil escolher um. A Microsoft aposta forte nisso e, para quem convive bem ou tolera o Windows, esses Lumias estão entre as melhores ofertas de entrada no mercado brasileiro. As cartas, ou melhor, os celulares estão na mesa. Qual você vai querer?

Comprando pelo link acima o preço não muda e o Manual do Usuário ganha uma pequena comissão sobre a venda para continuar funcionando. Obrigado!

  1. Para entender o que é distância focal e como ela afeta o resultado da câmera, leia isto.

Acompanhe

Newsletter (toda sexta, grátis):

  • Mastodon
  • Telegram
  • Twitter
  • Feed RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

36 comentários

  1. Depois de usar quase por 1 ano o 530.. Agora peguei o 532 como “update” pra ele.

    Fica a dica semelhante ao android: aparelho wp com no min 1 GB de RAM e 8 de armazenamento. Menos que isso nem vale a pena.

  2. O 532 não vem com fones e não funcionou com nenhum tipo de fone que testei! A microsoft resolveu utilizar uma exclusividade burra (somente fone WH-308) que nem vende no Brasil ainda. E quando vender será caro! Estou aqui sem fone, sem rádio FM…

    1. Respondendo atrasado. Cara se ainda estiver com problema, pode ser seu aparelho, pois tem um Lumia 532 aqui em casa e funcionou com fones comuns (o padrão da motorola, um Panasonic HJE 290 e um AKG K404).

    2. Respondendo atrasado. Cara se ainda estiver com problema, pode ser seu aparelho, pois tem um Lumia 532 aqui em casa e funcionou com fones comuns (o padrão da motorola, um Panasonic HJE 290 e um AKG K404).

      1. Felizmente descobri que fones dos celulares Samsung funcionam nele! Paguei R$ 234,00 no cel e não tava a fim de gastar com fones. Mas agora resolvi o meu problema (NÃO graças ao suporte da Microsoft).

    1. Então, eu acho que, em smartphones de entrada, pouca memória é um problema. O consumidor em potencial desses smartphones já está, em tese, economizando o que pode (caso contrário compraria um celular melhor); exigir dele um gasto extra com cartão microSD é contra-intuitivo. Felizmente a Microsoft percebeu isso e passou a colocar 8 GB de memória interna mesmo nos modelos mais baratos.

      1. Rodrigo, tendo em vista o custo hoje para se importar um cartão SD (R$ 10,00/8GB, R$ 20,00/16GB não acho contra intuitivo, uma capinha pra ele as vezes custa mais do que isso. Não dá 10% do valor dele.
        Eu mesmo vou aproveitar um de 32GB que tenho o tablet e usar nele.

  3. Tenho 530 como segundinho e telefone pra ligações. O 512 RAM nem e principal problema dele. O que é ruim mesmo e a falta de espaço. Mesmo usando o SD pra instalar app, ainda peca nisso. Mas é um bom 2o aparelho. Vai fazer 4 meses e paguei na época 270,00!

  4. To com um 535 aqui e a experiência vem sendo muito boa. Claro que tem uns negócio meio arcaicos no sistema, mas os pontos positivos superam os negativos.

    Comprei por 356 na americanas.

  5. Ghedin, eu acho que dá pra incluir ai os Lumia 630 e 635, o 630 por vezes fica no preço dos 435 e 532, e na minha opinião, apesar dos 512mb de RAM ele é mais negocio. O 635 é o mais barato com 4G, se esse ponto for importante, ele é a unica opção.

      1. Poxa cara, pelo preço que caiu muito ele se tornou uma opção melhor até que o 1o Moto E, falo isso porque testei os dois.

  6. Vendo a matéria, lembro da notícia do suposto valor que será cobrado pelo Redmi 2. Se esse valor se confirmar, a Microsoft vai ter trabalho na área de smarts de entrada. Desejo boa sorte a ela e ao Windows 10. Sempre gostei dos Lumias.

  7. Post sensacional. Parabéns, SEO perfeito :)

    Só senti falta nas fotos onde mostram os 3 aparelhos algum indicativo de quem é quem. Para quem entra no post sem interesse/tempo de ler tudo para identificar fica ruim. É bom deixar mesmo a legenda em todas as fotos…. melhora muito :)

  8. O Lumia 830 que é o smartphone intermediário também vem sem fone de ouvido, um aparelho que no próprio site da Microsoft custa R$ 1.200,00 vem sem fone, nesta parte a Microsoft esta deixando a desejar.

      1. O interessante é que por ter uma entrada P2, uso qualquer fone, não precisa ser necessariamente um fone com microfone e se alguém me liga uso o próprio microfone do aparelho pra falar.

  9. O Lumia 830 que é o smartphone intermediário também vem sem fone de ouvido, um aparelho que no próprio site da Microsoft custa R$ 1.200,00 vem sem fone, nesta parte a Microsoft esta deixando a desejar.

      1. E que não venham apenas com câmeras excelentes, que o sistema tire proveito e quem sabe algum desenvolvedor aparece por lá.

  10. Sofro de uma curiosidade violenta pelo Windows Phone, mas o que mais me segura nem é a tão propalada falta de apps: é não saber como funciona a pirataria, já que uso zilhões de apks baixados pelas internets no Android há anos…

    1. Existe um tipo de”jailbreak” para o WP. Mas só usuários avançados em WP fazem(se procurarem no YT ,users básicos tbm aprendem). Aí depois de feito,é só procurar os XAPs(formato dos apps) no Google. Rsrsrs

      1. Pois é. Me acostumei a ir testando os apps via .apk no Android e depois ir legalizando nas promoções do Google Play ou da Amazon. Mas também já me ferrei. Por exemplo, peguei o Endomondo Free, gostei, paguei pelo app e depois eles mudaram as regras do jogo e agora eu teria que pagar de novo para ter todas as funções pelas quais eu supostamente teria pago quando paguei pela versão Pro! E recentemente descontinuaram a versão Pro, e me mandaram baixar o free de novo! Depois usuário de Android é que é malandro!

    2. Eu já usei WP por looongos 4 meses , um L925 torradeira , a UI é enfadonha , autonomia de bateria pifia , apps dedicados da MS como office inferior ao oferecido no Android , skype idem , demais apps nem quero lembrar , tem até uns ” genericos” de um tal de Rudy razoáveis , se quiser testar pega um low end “balatinho ” como smartphone back up .

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!