Pessoa de sexo não identificado, com cabelo roxo e pele azul, segurando uma xícara de café com vários ícones em alusão ao Manual do Usuário na fumaça e um celular na outra mão. Embaixo, o texto: “Apoie o Manual pelo preço de um cafezinho”.

Robô que imita humano, Ryan de The O.C. contra o bitcoin e outros links legais

Todo sábado, um amontoado de links curiosos e/ou interessantes. Leia as edições anteriores.


— Um robozinho da Sony, ainda protótipo, que imita movimentos de um ser humano. Fofo até a hora em que ele começar a, sei lá, bater em outros robôs. Ou em seres humanos.

— Ben McKenzie, o eterno Ryan Atwood da série The O.C., está em uma cruzada contra o bitcoin (em inglês). Da série coisas inusitadas, mas que restauram a fé na humanidade. (Pontos extras pelos comentários de Josh Schwartz e Adam Brody de uma improvável continuação da série em que os irmãos de Luke Ward viram cryptobros e passam a controlar o mercado imobiliário de Newport 😄)

— Para celebrar o Chrome 100, o Google publicou uma linha do tempo de grandes eventos relacionados à web (em inglês) desde o lançamento do seu navegador.

— Mais nostalgia? Um passeio por todas as interfaces do Firefox (em inglês). Que saudade das primeiras versões! Éramos felizes e não sabíamos. (Nah, a gente sabia sim.)

— Aquele botão “Pular abertura” da Netflix é apertado, em média, 136 milhões de vezes por dia (em inglês), o que economiza tempo equivalente a 195 anos. (Eu não contribuo com esse número. Quem pula abertura já perdeu a alegria de viver.)

— Corpinho de Compaq LTE 286 (de 1989), entranhas de Raspberry Pi. Um “mod” bem legal (em inglês).

— Tendência de 2022: MacBook sem tela.

— Muito bonito este Apple Studio Display, digo, este novo monitor da Samsung(em inglês).

— Este cara fabrica e vende placas de circuito impresso com atalhos e comandos de Linux e git (em inglês).

Uma visualização do dia em blocos (em inglês) — 144 deles, cada um representando 10 minutos. Passe o mouse na lista de atividades à direita para ver quantos blocos cada uma consome.

Lançamentos literários:

  • Box especial Rupi Kaur (3 livros) [Amazon, editora]1, de Rupi Kaur, publicado pela Planeta.
  • Fascismo e grande capital [Amazon, editora]1, de Daniel Guérin, publicado pela Unicamp.
  • Kim Jiyoung: Nascida em 1982 [Amazon, editora]1, de Cho Nam-Joo, publicado pela Intrínseca.
  • Viver uma vida feminista [Amazon, editora]1, de Sara Ahmed, publicado pela Ubu.

— Uma listona com atalhos do teclado e aplicativos (em inglês) que estendem atalhos no teclado no macOS.

— Você ama Helvetica e adora Comic Sans? Seus problemas acabaram: o designer Alexander Pravdin criou a fonte Comic Helvetica (em inglês) que, sim, é exatamente o que você está pensando.

— Agora dá para escrever no Google Docs usando Markdown (em inglês).

[x]it! é um formato em texto puro para listas de tarefas.

Just a Calendar é o que o nome promete: apenas um calendário simples, na web.

Inbox Shield cria um sistema de triagem para o seu e-mail — parecido com o do Hey, serviço de e-mail do pessoal do Basecamp, mas que aqui funciona com qualquer provedor de e-mail.

— Um aplicativo que usa a câmera do iPhone para ler textos em braille (em inglês).

Cider é um aplicativo decente, gratuito e de código aberto, para ouvir músicas no Apple Music. Para Linux, macOS e Windows. Dica do Thiago Silva.

A Rovio relançou o Angry Birds original para Android e iOS. Rovio Classics: Angry Birds custa R$ 4,90.

jtx Board é um aplicativo para notas, diários e tarefas que sincroniza dados usando o padrão iCal. Para Android.

— Conversas legais no post livre #310:
– Cadê os celulares de <R$ 1 mil?
– O primeiro post livre.
– Furinhos no umbigo da camiseta.
– Seguro para notebook.
– Jogos de Nintendo Switch mais baratos.
– Bancos e cartões: quais os melhores?
– Anda, anda, e não sai do lugar. Mais alguém?

— No Guia Prático desta semana (ouça), Jacque indicou o filme Red: Crescer é uma fera [Disney+], de Domee Shi, e eu, a série Elza & Mané: Amor em linhas tortas [Globoplay], de Caroline Zilberman.

— Para fechar, uma foto do William Schnorrenberger no nosso grupo de fotografia no Flickr. Veja outras e mande a sua!

Foto em close, lateral, de uma flor rosa desabrochada contra fundo escuro.

📱 Galaxy S7
📅 4/9/2021

Este post saiu primeiro na newsletter do site. Cadastre-se gratuitamente para receber os próximos direto no seu e-mail.

  1. Ao comprar por estes links, o Manual do Usuário recebe uma pequena comissão das lojas. O preço final para você não muda.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Dúvidas? Consulte a documentação dos comentários.

7 comentários

  1. O melhor “Links legais” dos últimos tempos!
    Praticamente todos os itens são interessantíssimos.

    Valeu, Rodrigo!

  2. Já pensei em fazer com meu MacBook Pro 2011 o que um leitor do manual fez no seu escritório: Prendeu a carcaça de um notebook sem tela atrás do monitor. Eu ainda acho o MacBook Pro 2011 (i5, 8gb e SSD), mesmo ainda no High Sierra, bem superior a esses notebooks vendidos aqui na faixa de R$2.55~3000, só a bateria que já foi pro espaço a muito tempo.

    1. AHahAHahah, fui eu!

      Aquele PC não existe mais, ou melhor, ainda existe, mas virou um PC headless. Arranquei a tela fora (ela ainda funciona) e estou fazendo dele meu PC de estudos/testes/servidor de sincornização, servidor de backups… enfim, o que me der na telha.
      Por ser um notebook, o consumo é baixo e o poder computacional dele dá e sobra para isso que eu quero fazer.
      Quando preciso da tela, simplesmente plugo um cabo VGA nele e ligo no meu monitor.

      O bom que ele ficou um PC extremamente portátil, leve e que consome pouco.

  3. sobre a linha do tempo do google: achava que o Google Fonts fosse mais antigo, mas de fato a gente começou a ver as mudanças na virada da década

    de fato foi uma transformação gigantesca no imaginário da web

  4. O design do monitor M8 foi criado antes do Apple Studio Display, então, ao menos dessa vez, a Apple imitou a Samsung.

  5. Uma coisa que sinto falta é uma descrição nas fotos. Tipo o lugar onde foi tirada ou a descrição do objeto mesmo, 1uando for o caso. Fica a sugestão.

    1. Todas as imagens publicadas no Manual são descritas no código, para permitir que pessoas com deficiência visual entendam do que elas tratam.

      No caso das fotos do Flickr, quando o autor posta uma legenda ou descrição própria, eu transcrevo para cá. Mesma coisa com o local da foto. Quando não tem, aí não dá :)

Compre dos parceiros do Manual:

Manual do Usuário