Dois homens, em poses diferentes, usando cuecas pretas da Insider, um em cada canto da imagem. No centro, a frase: “A cueca mais confortável com 12% Off. Cupom MANUALDOUSUARIO12”

As maravilhas (e os perigos) dos aplicativos alternativos

Nesta semana, o Manual do Usuário ganhou um novo assinante: Daniel Marinho. Obrigado!

Gosta do podcast? Toque aqui e torne-se um(a) apoiador(a). A partir do plano II (R$ 16/mês), você acompanha as gravações ao vivo e ganha outros mimos.

***

Nas últimas semanas, ouvimos histórias do WhatsApp GB e do Vanced, aplicativos alternativos para WhatsApp e YouTube. Os apps alternativos trazem características distintas dos oficiais e, em muitos casos, uma experiência de uso melhor. Neste podcast, Rodrigo Ghedin e Jacqueline Lafloufa debatem esses aplicativos, comentam os seus preferidos e chamam a atenção para alguns riscos em casos específicos.

Indicações culturais

  • Jacque: O filme Red: Crescer é uma fera [Disney+], de Domee Shi.
  • Ghedin: A série Elza & Mané: Amor em linhas tortas [Globoplay], de Caroline Zilberman.

Recados

Quer mandar seu alô para nós? Escreva para podcast@manualdousuario.net.

O Guia Prático é editado pelo estúdio Tumpats.

Links citados na conversa

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Dúvidas? Consulte a documentação dos comentários.

9 comentários

  1. Eu utilizava o imo.im, ainda disponível, mas virou um aplicativo próprio para mensagens.
    Era ótima a interface no navegador que permitia o acesso a vários apps na mesma página.

  2. A criptografia de ponta-a-ponta dia mensageiros não é empecilho para a interconexão dos aplicativos de mensagem, conforme foi relatado no podcast. Basta que todos implementem o mesmo algoritmo de criptografia ponta-a-ponta. Pronto! Problema resolvido!

    Inclusive será mais seguro, pois qualquer problema na criptografia será muito mais visível. Segurança por obscuridade só é bom para quem implementa, não para quem usa.

    1. Eu usava o Trillian. Ainda existe, mas pelo que eu vi por cima, virou um mensageiro pra se usar internamente em empresas, tipo o Teams.

  3. A grande questão que fica é: Se os aplicativos de mensagens conversarem entre si como é que os juízes brasileiros farão para bloqueá-los arbitrariamente todo ano?

    1. Pelo que entendi (e considerando que detalhes ainda não são conhecidos), os aplicativos dos gatekeepers terão que ter APIs abertas. Aí é só bloquear o “servidor” deles, não? (E a regra só vale para aplicativos grandes, com faturamento elevado; se duvidar nem o Telegram entra nessa.)

  4. “quem usa o iTunes para Windows em 2022?” – GHEDIN

    EU USO!!!! Poxa, eu uso sim! É prático e organizado, consigo conferir os episódios dos podcasts que assino em ordem cronológica e colocar para tocar numa lista fácil de criar…

    eu que me pergunto como é que as pessoas conseguem ouvir podcast no Spotify! Além de toda a polêmica que já foi abordada também pelo Guia Prático quando do pouco caso da plataforma com o discurso antivacina no podcast do Joe Rogan, a usabilidade simplesmente é horrível! Você tem que ficar catando o podcast que quer ouvir, pra ver se tem episódio novo…além de gentrificarem o mundo aberto dos podcasts e não pagarem criadores.

    E eu já tentei outros softwares para ouvir podcast no Windows: Grover, MusicBee…versão web do Google Podcasts…Meh. O iTunes é ainda é o melhor.

Compre dos parceiros do Manual:

Manual do Usuário