O iPhone 5c de menos de US$ 1 d’O Globo

*Suspira*

Vez ou outra alguém levanta o argumento do iPhone barato nos EUA para criticar os preços (caros, de fato) brasileiros. Ontem foi a vez d’O Globo soltar a matéria acima.

Ilustração com uma mãozinha depositando uma moeda em uma caixa com o logo do Manual do Usuário em uma das faces, segurada por dois pares de mãos. Ao redor, moedas com um cifrão no meio flutuando. Fundo alaranjado.

Apoie o Manual do Usuário.
Você ajuda a manter o projeto no ar e ainda recebe recompensas exclusivas. Saiba mais »

Ela não está errada. O Walmart realmente baixou o preço do iPhone 5c, de US$ 29 para US$ 0,97. É quase uma tradição por lá essa queima em agosto, já que tradicionalmente a Apple lança um novo iPhone no mês seguinte.

Se você está ligado, notou que o preço anterior era de US$ 29, o que ainda assim é muito barato. Smartphone em geral, nos EUA, passa essa impressão — lançamentos custam US$ 199, no máximo US$ 299. A pegadinha para quem leu e se impressionou e compartilhou o post d’O Globo ou outros que citam o mítico “iPhone barato” norte-americano são as letras (não tão) miúdas: esses preços são atrelados a um plano de operadora de dois anos. Você leva um iPhone quase de graça, mas se compromete a pagar 24 mensalidades a uma AT&T da vida. E isso não sai barato.

O iPhone 5c desbloqueado, como o que é vendido por aqui, custa US$ 549 na loja oficial da Apple dos EUA. Convertendo para a nossa moeda e somando o imposto de… digamos… Nova York (8,875%), o preço final fica em R$ 1.357. Repito: é mais barato do que aqui, mas está longe de ser de graça.

A título comparativo, o mesmo modelo de iPhone custa R$ 1.999 na loja oficial da Apple brasileira e, no momento, está em promoção na Saraiva, saindo por R$ 1.444 — salvo engano, o valor mais baixo que ele já atingiu aqui.

US$ 0,97? Experimente US$ 549.

A respeito da promoção do Walmart, O Globo faz apenas uma tímida menção ao GRANDE asterisco da questão do contrato:

A oferta começou nesta quinta-feira em todas as lojas da rede nos EUA e vale para todas as opções de cores, mas precisam de contrato de dois anos com alguma operadora local.

Na Quartz, uma publicação norte-americana, o título do post diz: “Não compre o iPhone de US$ 0,97” e traz, no final, uma explicação que lá todo mundo meio que sabe e que eu esperaria de qualquer site brasileiro ao se referir ao “iPhone de um dólar”:

De qualquer forma, é importante lembrar que US$ 0,97 — ou mesmo US$ 29 — não é o custo real do iPhone. Ambos os preços exigem a assinatura de um contrato com operadora móvel de dois anos, que normalmente varia de US$ 60 a US$ 100 por mês — facilmente mais de US$ 1.000 ao longo do contrato, quase sempre acima dos US$ 2.000. Nesse contexto, economizar US$ 28,03 não é um negócio tão bom assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 comentários

  1. Gosto do clickbait quando o texto em si é bem explicativo e sincero.

    Uma coisa é termos o título e o resumo do texto feitos de forma sensacionalista para angariar pageviews, outra coisa é o texto acompanhar a lorota.

    1. Apesar de não ser um “fã” de clickbait, considero-o inofensivo quando o texto explica em detalhes a notícia, ficando claro qual é a mensagem correta. Não foi o caso do Globo.com…

  2. Recentemente adquiri um Moto X pela claro por R$ 249,00 num plano de 2gb 4g + 60 minutos para outras operadoras + licações Claro – Claro e SMS ilimitados custando R$ 129,00 p/ mês.

    O iPhone neste plano sairia a 1.899,00, então acho que se você vai usar os serviços, acaba valendo a pena sim pegar um telefone que não seja o iPhone é claro…

  3. Essas reportagens click bait só existem para revoltar os consumidores desinformando-os. Aposto que os comentários variam de : “que absurdo no brasiu é mais de R$2500 culpa do pt que merda de país cansei de sustentar político” etc. Mas ninguém da “mídia tradicional” faz um serviço completo apresentando o valor total com os custos dos planos.
    Será que em comparação com os planos pós brasileiros fica tão mais barato assim?

    1. Não estou muito por dentro dos descontos em planos pós-pago no Brasil, mas acho difícil um iPhone sair de graça aqui como sai lá — leia-se sem contar com fidelidade, sem chorar muito e pagando menos de R$ 200 de mensalidade.

      1. sou cliente da vivo desde sempre (1996 para cá – antiga telemig celular), tinha bastante ponto no programa. Fui na loja, liguei na central e blabla, a unica coisa que te garanto na vivo, não existe nenhum plano o qual o iphone sai de graça. Recentemente trocamos aqui na empresa os pontos acumulados, atualização de planos e blablabla, 4 iphones e 20 aparelhos nokia 208. Está nos custando o iphone(16gb 5s) $4992,00 ou seja cada iphone $ 1248. E claro que peguei um para minha esposa…

      2. Nem tem como comparar. Tirando o fato de que todos estão careca de saber que os impostos nos EUA são mesmo mais baixos, lá os planos de operadoras são de 2 anos, e até a 21 dias atrás, sequer era legal o desbloqueio dos aparelhos mesmo após o período de 2 anos. Assim as empresas têm realmente muito mais incentivo e capacidade pra aumentar os subsídios.

        1. Mas você acha que se por aqui adotassem contratos de 24 meses ao contrário dos 12 meses de atualmente, o iPhone chegaria a esse preço? alias, o iPhone chegaria a custar ao menos R$ 700,00, duvido muito..

          1. Ajudaria. Como eu disse no meu primeiro post, é um dos fatores. Outro é o fato deles terem impostos mais baixos. Ou seja, nunca chegaria no mesmo preço, mesmo com os dois anos. Mas daria possibilidade das operadoras darem maior subsídio, sim.

            ….. e cobrar isso de volta com juros e correção durante o contrato, claro, assim como ocorre lá.

    2. Infelizmente no caso do iPhone não pq aqui no Br, ele virou tão ~cool~ e a grande maioria acha que ter um iPhone é sinônimo de ter algo a mais que qualquer outra pessoa que tenha qualquer outro smartphone…

      1. para os de mente fraca ate é sim e vejo muito isso, tenho um moto x e minha esposa 5s, não muda nada na nossa vida. Para minha esposa, as fotos que ela tira de nossa filha ficaram mais lindas do que antes (tinha um 4s) e para mim só a babaquice de brincar com os comandos de voz… e claro real racing 3 na veia!!! agora ja vi nego com xperia de 5″ (nao sei o modelo, mas nao é o top) tirando onda de que tem tela grande e blabla, ae perguntei pro camarada, voce ja gastou quantos reais em apps? ou roda tal aplicativo sem travar… se pudesse tirar um foto da cara de tacho… kkk

  4. Pois é, quando vi isso no FB ontem e tive a péssima de ideia de conferir se o que eu imaginava estava acontecendo, clicando para abrir os comentários, sim, lá estava uma chuva de “Enquanto isso aqui custa xyz!”, “brasileiro é muito idiota mesmo de pagar o que cobram aqui” e por aí vai…

    Mais um sinal do triste clickbait que antes só acometia blogs e sites menores mas que agora virou regra até pra grandes portais :(

    1. Quando eram sites pequenos a gente até entendia que o cara queria só ganhar dinheiro com os cliques, o ruim é um meio do tamanho do O Globo estar atras de dinheiro ao invés de informar, a não ser que a gente relacione isso com a postura politica do jornal daí sim faz mais sentido do que simplesmente desinformar só por cliques

      1. Globo que ainda usa recursos como atualização automática em suas páginas ( o que é extremamente irritante quando você está lendo notícias grandes).

        1. Isso é outra coisa que eu sempre fico instigado, na politica do Google se vc é pego fazendo isso o seu site entra na black list mas com portais de grande acesso isso não acontece

      2. Acho que nem é essa a questão. Ganhar dinheiro com uma publicação na web depende de cliques e da atenção dos leitores — não é pecado, não é imoral, sequer errado.

        O problema é, como disse o @juanloureno:disqus, apelar para um click bait rasteiro desses, ou seja, uma chamada que não chega a mentir, mas que omite uma parte importante da história, em prol de cliques.

        1. Por isso mesmo Ghedin que eu fiz o relacionamento com a postura politica do jornal, isso serve como combustível para o debate politico e corrobora com a criação do conceito de que no Brasil é tudo culpa do governo. Eu infelizmente não acho que tenha só haver com cliques. A exemplo das manchetes de hoje que o Brasil gerou menos emprego em julho o que também são é mentira mas o outro lado é só uma nota de rodapé onde explica que temos o menor índice de desemprego da história. Também não acho errado só acho injusto pois o jornal não diz que lado está.

    2. acompanhando a galera de alguns sites e principalmente alguns comentarios, evolui muito a minha percepção desse tipo de noticia. Hoje, ainda acho que tem bastante coisa barata lá fora, mas não é tão absurdo assim. Telefone nem vale a pena se ater aos valores que se mostram justamente por causa dos planos e outra, não tenho noçao do custo de vida de um americano… hoje pago no meu plano 4g R$ 149,00 o que deve dar uns $ 64,00 isso lá seria caro ou barato? vá saber

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!