Banner com ilustração de bonecos coloridos com cabeças de objetos, e a frase 'Ajude a financiar um lugar legal na internet'.

O que vocês leram de bom?

Toda quinta, na newsletter do Manual (cadastre-se gratuitamente), indico leituras longas/de fôlego (artigos, reportagens, ensaios) publicadas em outros sites.

Seria o máximo se esse trabalho fosse colaborativo, feito com a sua ajuda.

Indique nos comentários uma leitura longa da última semana, relacionada aos temas que costumam aparecer aqui no site, que você acha que deveria ser lida por mais gente. Vale em português ou inglês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 comentários

    1. Está nas referências do artigo, mas, esse paper sobre o papel dos EUA e das Big Techs no colonialismo digital é muito bom pra entender a lógica que estamos inseridos atualmente no mundo (como habitantes do “sul” do mundo e reféns do norte em termos econômicos e sociais).

      https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=3232297

      O abstract do artigo dá um bom panorama.

      Este artigo propõe uma estrutura teórica e conceitual que explica como os Estados Unidos estão reinventando o colonialismo no Sul do globo através do domínio da tecnologia digital. Utilizando-se da África do Sul como exemplo, argumentamos que as multinacionais americanas exercem o controle imperial no nível da arquitetura do ecossistema digital: software, hardware e conectividade de rede. Isto dá origem a cinco formas relacionadas de dominação. Primeiro, o poder de monopólio das corporações multinacionais é usado para a extração de recursos através do aluguel e da vigilância, constituindo uma nova forma de dominação econômica. Segundo, ao controlar o ecossistema digital, as corporações Big Tech controlam experiências mediadas por computador, dando-lhes poder direto sobre os domínios político, econômico e cultural da vida – uma nova forma de controle imperial. Terceiro, a peça central do capitalismo de vigilância, Big Data, viola a santidade da privacidade e concentra o poder econômico nas mãos das corporações americanas – um sistema de capitalismo de vigilância global. Quarto, como uma característica do capitalismo de vigilância, as agências de inteligência do Norte Global fazem parcerias com suas próprias corporações para realizar vigilância em massa e direcionada nos países do sul; isto intensifica a vigilância do Estado imperial. E em quinto lugar, as elites americanas convenceram a maioria das pessoas de que a sociedade deve proceder de acordo com suas próprias concepções de classe dominante do mundo digital, estabelecendo as bases para a hegemonia tecnológica.

      Estas cinco características demonstram que o colonialismo digital é tanto estrutural quanto conceitual, e a comunidade internacional precisa criar um ecossistema tecnológico fundamentalmente diferente que descentralize a tecnologia, colocando o controle diretamente nas mãos do povo. Para esta tarefa, a Tecnologia Popular para o Poder Popular – combinada com educação, movimentos populares e legislação criativa – fornece soluções práticas para combater o rápido avanço da fronteira do império digital.

  1. Naruhodo é um podcast excelente de divulgação científica e curiosidades.

    Os dois episódios mais recentes tratam sobre a Singularidade, partindo do ponto de vista da matemática, passando pela física, biologia e chegando até as ciências humanas. Vale a pena.

    Aqui a parte 1 https://www.b9.com.br/shows/naruhodo/naruhodo-277-o-que-e-singularidade-parte-1-de-2/

    Aqui a parte 2 https://www.b9.com.br/shows/naruhodo/naruhodo-278-o-que-e-singularidade-parte-2-de-2/

  2. Duas discussões que, pessoalmente, acho interessante.

    Primeiro, esses estudos que estão sendo feitos para entender se programação é mais para linguagem natural ou matemático, motivos de eternos debates desde que programação existe: https://arstechnica.com/science/2021/03/how-does-the-brain-interpret-computer-languages/

    Outro, que até foi compartilhado no Conselho, mas achei muito bom é sobre os limites (e possibilidades) dos dados. Em um mundo que usar números virou regra e até uma forma de conforto, onde é o limite?
    https://www.newyorker.com/magazine/2021/03/29/what-data-cant-do

    1. Vídeo em inglês que pode colocar onde achar melhor: “O que aconteceu com as lojas especializadas?”

      O David do “8-Bit Guy” analisa o fim das grandes lojas varejistas de computadores e eletrônicos / gadgets nos Estados Unidos, além de contar um pouco da história de varejistas famosos e de como eram os shoppings por lá antigamente (spoiler: maiores do que você pensa…).

      https://www.youtube.com/watch?v=dyuk2cbEZfs

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!