Fundo azul, com uma chamada para um PlayStation 5 no centro. À esquerda, a frase “Ofertas de verdade, lojas seguras e os melhores preços da internet.” À direita, “Baixe o app do Promobit”.

A volta dos que não foram, estrelando ICQ

Hoje compartilharam comigo um post do Olhar Digital que dizia que “o ICQ voltou”. Durante o dia, um punhado de sites reverberou a notícia, incluindo alguns grandes e que não tratam especificamente de tecnologia, como Veja, G1 e Galileu.

O Henrique, do ZTOP, mandou para mim o comunicado à imprensa que anunciou as versões para smartphones do ICQ no Brasil. O e-mail data de 21 de junho de 2012. No iOS, o ICQ existe desde fevereiro de 2009.

Por que, então, 31 sites (no mínimo) publicaram essa “nãotícia”? O leitor Vagner Abreu matou a charada:

https://twitter.com/VagnerLigeiro/status/486274963138437121

O Mail.ru, atual proprietário do ICQ, está disparando um e-mail convidando antigos usuários a darem uma olhada nos apps. Na chamada vem escrito “Say hello to new ICQ”, seguido de uma lista de destaques. Concordo que o conceito de “novo” possa ser relativo, mas convenhamos: não é o caso aqui.

O (não tão) novo ICQ.
Imagem: ICQ.

O “novo” ICQ, versão 5.0, foi lançado em abril. Ele trouxe o novo visual no iOS, suporte a grupos de bate-papo, vídeo chamadas, papéis de parede e outros recursos menores, todos os que as “nãotícias” de hoje deram como novidade. A única destacada por elas que realmente consta da última atualização, a 5.3 de 26 de junho, é a presença dos stickers, aqueles emoticons gigantes.

Dá até para imaginar os russos olhando, intrigados, para relatórios de audiência e tráfego mostrando um aumento explosivo no uso do ICQ no Brasil hoje. A palavra tem poder.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Dúvidas? Consulte a documentação dos comentários.

8 comentários

  1. Acho que essas notícias não foram exatamente um erro, ou não só isso, teve muito a ver com a nostalgia que surgiu com as notícias do fim do Orkut que era tão usado aqui no Brasil.

    Pessoalmente, trabalho com segurança e não recomendo o ICQ. Diferente do caminho que quase tudo está seguindo hoje, inclusive todos os outros serviços populares de chat, o ICQ ainda não usa SSL/TLS ou outra camada de segurança. Isso significa que qualquer pessoa na mesma rede (atenção pessoal que usa wi-fi em qualquer lugar) pode interceptar a sua comunicação e ler suas mensagens (isso é bem trivial de se fazer).

  2. Fale Gedhin, o grande alarde do ICQ é que ele veio com um recurso pra enviar SMS de graça, talvez seja isso :p

  3. Vou dizer que o app está redondinho, parece que fizeram a lição de casa.
    Mas acho pouco para convencer as pessoas a migrarem. Só a galera da nostalgia mesmo.

  4. Nossa bateu uma saudade do ICQ, o barulho das mensagens era marcante kkk….
    Tem gente falando que vai desbancar o WhatsApp, mas acho meio difícil, eu acho que se não fizerem uma boa divulgação não terá tanto público assim, mesmo que seja um público não tão grande como o do WhatsApp…. e mesmo assim o pessoal mais novo que não pegou essa época não vai migrar…

  5. O que eu gostei é que desta vez eu consegui recuperar meu número velho e conectar na conta original. Basta saber o número e ter o email cadastrado funcionando.

    1. Mesma situação aqui.
      Na última “volta” eu não conseguia recuperar meu cadastro de jeito nenhum.
      Por sorte, antes de abandonar a rede na ascensão do MSN eu mudei o email no cadastro do finado Zipmail (pelo menos a minha conta) para o Yahoo (que embora não seja meu email principal ainda segue ativo).

  6. Como não sou modinha, e sim saudosista (ou um verme), tenho instalado o ICQ no meu Nexus 4 desde que comprei o aparelho. Não há com quem conversar, a não ser quando o ICQ ressurge pela enesima vez, e todos voltam lá pra tirar a poeira

Compre dos parceiros do Manual:

Manual do Usuário