Anúncio Black Friday: Assine a NordVPN com 72% de desconto

O escritório em casa do professor e estudante Brenno Machado

Mesa de trabalho com uma tela e um computador, nichos nas laterais e, ao fundo, uma bandeira LGBT.

Durante a pandemia de COVID-19, a seção de mochilas será convertida em escritórios domésticos. Faz mais sentido, certo? Vale para os recém-chegados ao home office e para quem já está nessa há tempos. Mande o seu seguindo estas instruções. Todo o texto abaixo é de autoria do Brenno.


Olá, me chamo Brenno e sejam bem-vindos ao meu guarda-roupa… digo, meu escritório em casa. Construído ao longo de 2020 depois de perder o escritório de estudo e trabalho na sala, que montei no final de 2019, para o marido que começou a trabalhar em casa, e também por não ter me adaptado na mesa de jantar, sofá, cama e demais ambientes do apartamento. Resolvi dar um jeito no nicho do quarto, no qual havia um guarda-roupa embutido de ~210x148x78cm (AxCxL) e que há muito só servia como espaço para entulhar caixas de sapatos, cobertores e outros cacarecos.

Atualmente dou aulas eventuais/particulares de física e matemática enquanto termino uma graduação que iniciei em 2018, graduação essa que sofreu bastante impacto/atrasos com a pandemia. Apesar de ser da área de educação, meu hobby é tecnologia e venho estudando para tentar migrar profissionalmente para TI.

  • Mesa para computador com estante. Um móvel simples e barato, que coube como uma luva no espaço que tinha. Maior que isso eu cairia para trás no degrau que o nicho do guarda-roupa tem (sim, tem esse risco ainda). Fiz uma modificação semana passada que me permite colocar o notebook elevado, dando espaço para usar o mouse onde ficaria o notebook.
  • Monitor LG Ultrawide de 25″. Monitor adquirido numa promoção em 2020. A LG jura que o monitor é gamer, mas não tem LEDs RGB e foi relativamente barato, sendo assim duvido da alcunha.
  • Suporte para monitor ELG FN80. Essencial para ajudar a economizar espaço na mesa e ser articulado é uma mão na roda.
  • Teclado Masterkeys Lite L da Coolermaster. Teclado de 2017, não é mecânico e, diferente do monitor, possui luzes RGB. Foi adquirido em um combo com mouse que está guardado.
  • Notebook suspenso. Acima, nicho com CDs e um quadro.

  • Mouse Logitech G603. Mouse sem fio é vida, e esse da Logitech é muito bom, não é espalhafatoso… e ajuda nos games de vez em nunca.
  • Notebook Dell G3-3590. Peguei no final de 2019, numa promoção muito boa e que deixaria qualquer um que tentou comprar laptop durante a pandemia um pouco desgostoso. Dá para usar tranquilamente para trabalho e encara um ou outro joguinho leve muito facilmente. Tem um processador Intel Core i5 9300H, com HD de 1 TB, 8 GB de RAM e GPU Nvidia GeForce GTX 1050. Com a promoção e descontos adquiri esse notebook, o mouse da Logitech, um SSD NVMe de 512 GB e +16 GB de memória RAM. O combo saiu por pouco menos de R$ 2,8 mil, parceladinho em 12 vezes sem juros.
  • Suporte para notebook. É o que faz o notebook ficar inclinado. É simples e feito de hastes de aço com junções de plástico, mas garante melhor circulação de ar. Qualquer elevação ajuda a diminuir alguns ou vários graus da maioria dos notebook. Antes, eu usava uma borracha.
  • Microfone USB Fifine K670. Ótimo para as aulas, reuniões e conversas de amigos no Discord. Logo sai um podcast também para aproveitar mais o brinquedo. O braço articulado e pop filter são os mais baratos que encontrei no Mercado Livre.
  • Suporte de celular com ring light. Suporte com gancho que encaixo atrás do monitor no braço articulado da ELG. Além da haste com ring light há outra para pôr o celular. Utilizo apenas o ring light para as aulas, principalmente as noturnas, pois me ilumina melhor e melhora a imagem da webcam fraca do notebook.
  • Fones de ouvido KZ. A KZ faz fones de ouvido muito bons e, o melhor, baratos. No notebook fica sempre o KZ ZSN, e em um módulo Bluetooth uso o KZ ZSN Pro, que carrego pela casa sempre comigo.
  • Fones Bluetooh Haylou T15. Sempre vi earbuds Bluetooth como desperdício de dinheiro, caros e que a bateria morreria em menos de dois anos. Peguei esse da Haylou por ser pequeno e por não custar o olho da cara. A intenção era apenas ir para cama usando-os, para dormir ouvindo música ou podcast. Gostei tanto que uso para correr também.
  • Headphone Bluetooth Sony BTN200. Headphone de 2014, velho de guerra. A bateria ainda dura alguns dias e uso no computador quando quero mais liberdade do cabo do fone KZ.
  • Abajur e Lâmpada Inteligente. Abajur pois o buraco do guarda-roupa não possui iluminação. Para incrementar o ambiente e o conforto de estar nele uso uma lâmpada colorida da Xiaomi, Yeelight 1s.
  • Amazon Echo Dot 3º geração. Tenho duas na casa. Essa me permite controlar as intensidades de luz da lâmpada do abajur e a luz do quarto sem precisar me levantar, seja trabalhando ou na hora de dormir.
  • Samsung Galaxy Tab S7. Um excelente tablet. Infelizmente ainda bem caro, mas boa parte dos meus estudos é feito nele e eventualmente assisto a uma série ou filme deitado na cama. Comecei usando um Galaxy Tab S4 para aposentar o caderno físico nas aulas e troquei pelo Tab S7 ano passado, que hoje me é uma mão na roda para aulas pois também uso para espelhar a tela enquanto apresento e escrevo nele. Foi um excelente investimento.
  • Mesa Digital Huion HS611. Mesmo o tablet da Samsung sendo mais prático (por conta dos aplicativos de notas muito melhores), também utilizo a mesa digital para dar aulas. Às vezes invento de usar o Krita para desenhar, é terapêutico e me faz lembrar a época que ficava horas fazendo isso.
  • Câmera Samsung NX30. Mirrorless que uso desde 2015 para tentar tirar umas fotos melhores de vez em quando. Apesar da Samsung ter abandonado o setor de câmeras digitais portáteis, ainda é uma boa câmera e consigo usar alguns adaptadores para lentes de outras marcas. Penso em adquirir uma placa de captura simples e dar um incremento nas aulas/reuniões e usá-la como webcam. Só não sei como fixaria ela para isso. Aceito sugestões.
  • Escritório do Brenno de outro ponto de vista, mostando a cadeira que ele usa.

  • Livros e cadernos. Ter uma mesa pequena com espaço para livros, mesmo que poucos, é muito cômodo. Deixo aqui os livros que mais uso durante os estudos ou os que utilizo para as aulas (o GREF nunca sai daqui).
  • Nichos com CDs. Meu marido possui muitos CDs e quando montei o pequeno escritório, queria tirá-los do entulho e dar um espaço adequado. Fica muito bem pro ambiente como decoração.
  • Miniaturas e quadro. Tenho várias dessas miniaturas de promoções do McDonalds pelas estantes de casa. O desenho no quadro é de uma amiga e excelente artista, Olivia Maia. Produz arte sob licença Creative Commons, faz lives desenhando, jogando, escreve, faz miniaturas, tem newsletter, faz zines… quem puder conheça o trabalho dela. É possível contribuir e também adquirir cópias e originais dos desenhos no estilo “pague quanto puder”. Contribua com a arte e com artistas nacionais sempre que puder, há pessoas incríveis fazendo trabalhos maravilhosos por aí :)
  • Bandeira LGBT. Adquiri na ocasião do meu casamento e estava parada na gaveta. Acho que deu um toque final muito bom no ambiente e tenho muito orgulho dela.

Dentro do espaço que tinha, e com as dificuldades dessa pandemia, acho que consegui um resultado muito bom. Gostaria de colocar algumas plantas e ter uma cadeira que não fosse a da mesa de jantar, mas para isso preciso também me livrar do degrau que há no nicho do que hoje é o escritório pois, mesmo sendo só de ~8 cm, posso cair. Mas isso fica para futuras modificações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

31 comentários

  1. Cara, seu escritório é muito legal, parabéns!
    Algumas coisas que me chamaram MUITO a atenção:
    1 – Que guarda roupas fundo você tinha! hahahahahah
    2 – Caraca, para quê tanto fone de ouvido? Eu tenho 3, e só uso mesmo um!
    3 – Cuidado com o degrau!

    1. Meu pai comprou um Apt antigo, há 24 anos.

      Qdo fomos trocar a madeira de um guarda roupas embutido no quarto dele havia um vão tão profundo atrás que fizemos um banheiro completo no quarto!

      1. É bem isso mesmo Emanoel, aqui o prédio também é antigo. Dessa vez essa característica foi positiva. :D

    2. Obrigado André!
      Acabou que ontem separei 2 fones de ouvido para jogar fora, um headphone bem antigo da multilaser (nunca compre nada multilaser) e um Samsung U Flex (parou de funcionar, sdds)…
      E provalmente terei que jogar fora o módulo bluetooth que uso nos fones da KZ, estão estalando e parando de funcionar aleatoriamente.

      PS.: Comprei outro módulo bluetooth pros fones. E tô pensando em substituir o headphone por outro da Arcano. :D

      PS.2: Tô tomando cuidado.

  2. Eu tenho exatamente esse mesmo suporte da ELG e gosto muito. Acho um baita custo/benefício. É uma peça muito bem acabada, fácil de instalar e bem confiável.

    1. Sim, é muito bom. Eu penso que assim que der comprar um pro escritório do marido também… hoje ele usa um suporte genérico (esses tipo mesinha que tem pé destacável)

  3. Feliz que você publicou aqui. ❤️ Eu já tive um laptop semelhante mas comprei por um preço um pouco mais elevado no fim de 2017/começo de 2018! Meu primeiro computador comprado com meu suado dinheirinho. ✨ Mas o seu realmente foi campeão de custo-benefício!

    A bandeira enche o espaço de cor, dá o tom, a forma. 🤌🏻 Tudo muito bonito!

    1. Lembro também do meu primeiro laptop pago com meu dinheirinho (2008?). Eu sofri com ele na verdade, pois tinha uma placa integrada SiS. Esse laptop me fez aprender bastante na época pois o tanto de problema que dava pra rodar Ubuntu (qualquer coisa na verdade) nele era de outro mundo. Foi onde compilei kernel pela primeira vez hahaha. A marca era um Amazon PC, uma montadora brasileira e que deixou de existir tem muito tempo. Enfim, PCs/laptops baratos custeados pelo governo… aliás, sdds dessa época!

      🏳️‍🌈 ❤️ 🏳️‍🌈 ❤️ !

  4. Parabéns pelo excelente aproveitamento de espaço, ainda mais por ter conseguido fazer isso e criar um ambiente bonito e aconchegante.

    Curiosamente ouvi falar pela primeira vez da Olivia Maia ontem, em um curso da Aline Valek no Domestika e já encarei a segunda menção em tão pouco tempo como um sinal para assinar a newsletter dela.

    No mais: Caramba, quantos fones de ouvido.

    1. Obrigado Lucas!
      Dê uma chance para newsletter sim. Aliás, ela está no repositório do Ghedin de newsletter também. :)

      PS.: A vontade era ter mais alguns fones, haha.

  5. Fantástico! Parabéns pela criatividade no aproveitamento do espaço! Eu nunca teria essa ideia de aproveitar o guarda-roupa.

    Não quero minimizar as soluções encontradas. Todas foram realmente muito bem pensadas e implementadas. Parabéns por tudo, mas o que realmente me chamou a atenção foram o degrau e o notebook.

    O degrau pela implicações de segurança envolvidas. Além do susto, uma queda pode causar lesões potencialmente graves se você bater a cabeça no chão. Lembre-se que cair com a cadeira para trás, estando a cadeira no chão (em condições normais) já é potencialmente perigoso. Mas no seu caso a cadeira está elevada em 8 cm, o que piora em muito a situação. Além do impacto ser maior, a chance de bater a cabeça é muito, mas muito maior pois a cadeira irá parar em um ângulo negativo em relação ao chão (considerando zero graus o nível do piso do armário e o círculo trigonométrico em sentido anti-horário), ou seja, sua cabeça será o ponto de impacto.
    A princípio achei que meu textão ficou confuso, mas aí lembrei que você dá aulas de física e matemática… tenho certeza que consegue visualizar a situação que descrevi…

    E do notebook… falar o quê? Acho que você conseguiu a melhor relação custo-benefício da história da informática!! Incrível o preço pago pela configuração! E ainda com SSD e mais 16 GB de RAM é pra humilhar mesmo! Esfregar na nossa cara! Esse notebook é para manter pelo resto da sua vida. Mesmo que pare de funcionar, tem que manter pela lembrança, como souvenir…

    1. Muito obrigado pelo comentário Rogério.

      Achei digno de menção o preço do notebook pois foi a primeira vez na vida que comprei um aparelho eletrônico e não me apareceu oferta posterior com preço mais baixo. Acho que já tem um recorde mundial aí pois foi preço bom mesmo sem o cenário de pandemia e escassez de chips, e indo para o segundo ano depois da compra nunca vi oferta de algo semelhante chegar próximo do valor que dispendi.

      A preocupação/ponto que mostrou sobre o degrau é super válida e também me preocupou de início (ainda preocupa na real). Entendi toda a explicação sim.
      Apesar de eu tentar minimizar o problema usando a cadeira da mesa de jantar, que possui um pé maior para dar mais estabilidade (quando começa a sair o pé pra fora do degrau ainda ter um curso grande para sair totalmente), há logo atrás de mim, à 42 cm de distância, uma sapateira/calçadeira almofadada de 60cm de altura. Na hipótese de uma queda de costas eu acabo parando nela. Não que não machuque, mas acaba sendo o menos pior.
      Já ocorreu de um dia totalmente distraído, rindo e conversando com com amigos d’eu cair inclinado para o lado… raspei a perna na cadeira e fiquei com machucado. Enfim, nem o local nem a cadeira são apropriados e eu me excedi na distração (^^”), mas ainda é melhor que usar a mesa da sala sistematicamente para os trabalhos diários.
      Para me livrar do degrau eu preciso de uma reforma que irá quebrar parte do chão, infelizmente isso não é possível no momento… mas já tenho planos para uma mini reforma do quarto que tô desenhando, quando me sobrar dinheiro farei essa modificação.

      Forte abraço.

    2. Bom dia.

      Belo setup e criatividade na elaboração do projeto em um canto “inútil” da casa.

      Uma coisa me deixa chocado no setup do pessoal. Ninguém usa nobreak? Parece que só eu vejo utilidade real para eles kkkk.

      Fique bem.

      1. Bom, nobreak costuma a fazer mal a computadores (pra fonte) fazendo os trabalhar mais para compensar a péssima qualidade do equipamento. Um nobreak bom custa literalmente uma fortuna. No mais com um laptop que possui bateria a “necessidade” debum nobreak fica menos atraente ainda.
        Quando penso em nobreak me penso em anos 90. Ou em situações realmente necessárias/locais com cai a energia regularmente… talvez aí seja vantagem.

        1. Olá, Brenno. Obrigado pelo feedback.

          Então, nunca fui de pensar em usar no break, sempre usei energia elétrica da concessionária, porém depois de um tempo para cá, consegui um trabalho como home-office e comecei a pensar nessa necessidade. Não sabia que o valor energético do nobreak era inviável para a fonte, vivendo e aprendendo. Eu utilizo notebook em casa que possui bateria (aliás, duas), mas meu roteador não. Era pensando nessa possibilidade de faltar energia para o roteador que acabei pensando em nobreak. Não queria ficar sem internet no meio de um trabalho importante, porém não vejo ninguém utilizando nos setups mundo a fora.

          Obrigado pelo seu feedback e parabéns outra vez.

  6. Breno, tava pensando aqui sobre o que você questionou sobre usar a câmera mirrorless de webcam.

    Tente achar algum suporte flexível usado ou tripé pequeno resistente (tipo “GorillaPod”), pois imagino que você precise de algo que suporte o peso do tripé + lentes.

    1. Obrigado por compartilhar seu escritório e recomendar o trabalho da Olívia, tinha visto alguns vídeos dela pintando no peertube e havia perdido. Já vou salvar no NewPipe.

      1. Fernando,
        Gosto muito do trabalho da Olivia e sempre recomendo. Tornou-se uma amiga muito querida nesse mundo de meus deus da internet.

    2. Pensei num gorilapod, mas fiquei com receio de não conseguir firmeza e encaixe suficiente atrás do monitor. Mas acho que só vou ter certeza disso se tentar. Obrigado pelo reforço da sugestão. :)

      1. Se não se sente seguro com um GorilaPod, tente aqueles suportes articulados de monitor. Compre um usado e tente pensar em uma forma de adaptar para uso com seu PC.

  7. O que vem achando do pop!Os? Já usou outras distros Linux? Quais as principais vantagens dele ao seu ver?

    1. Então, eu usei por muitos anos o Ubuntu (desde 2004?), antes disso teve umas incursões com Conectiva, Mandriva e Kurumin… Quando veio o Unity eu migrei pro Linux Mint, e usei também Debian. De uns anos para cá venho usando e testando um monte de versões debian-like da força.
      Fui usar mais o PoP!_OS na versão 20.10 para testar um pouco do tiling dele. Acabei ficando um bom tempo pois achei o sistema como todo bem redondinho, funcionando tudo.
      Eu cheguei a testar o Ubuntu 21.04 por um mês e pouco, mas voltei pro Pop, agora na versão 21.04. Acho que vou ficar por aqui um tempo ainda, pois tem me atendido muito bem.

    1. 2,8k com upgrade de SSD NVME e RAM, + mouse. A realidade que a pandemia trouxe, sobretudo no mercado brasileiro, é de chorar mesmo. :(
      A aquisição que fiz foi no momento mais oportuno possível, sou grato pela sorte disso.

    1. Obrigado Pedro! Foi difícil chegar nesse resultado, mas hoje quando olho gosto bastante também. :)

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário