Quão rápida é a sua conexão? Dicas de como fazer teste de velocidade de internet

Cabos de internet conectados no modem.

Oferecimento:
Bitdefender

Quem nunca ouviu alguém reclamar que a internet está lenta ou que paga caro, mas não tem nem metade da velocidade prometida pela empresa que fornece a conexão?

A melhor forma de descobrir o que está acontecendo, nesses casos, é fazer um teste de velocidade de internet. O teste pode ser realizado usando o computador ou até mesmo o celular, e é bem simples de se fazer: existem sites que fazem a medição sem precisar executar downloads e em poucos cliques.

A seguir daremos algumas dicas de como fazer o teste de velocidade para garantir resultados precisos. Confira!

O que o teste mede?

A velocidade de download, upload e o ping.

A velocidade de download é a principal informação do teste, e ela mostra o quão rápido você está baixando arquivos da internet. O ideal é que ela se aproxime bastante da velocidade contratada, por exemplo, se você contratou 15 Mbps, o valor mostrado no teste deve ser algo entre 13 e 15 Mbps.

A velocidade de upload é o quão rápido você pode enviar arquivos via internet, e geralmente é uma velocidade diferente da oferecida no download. O valor precisa ser exatamente igual ou próximo ao contratado com a operadora.

Já o ping (ou latência) é a medida de “lag” ou atraso entre as informações de entrada e saída. Em outras palavras, a função do ping é avaliar a conexão da rede com equipamentos internos e a conexão com servidores de internet ou endereços de determinados sites, analisando o tempo de latência da resposta entre as máquinas.

Pessoa conectando cabo da internet no notebook.
Foto: rawpixel.

Fazendo o teste

Antes de iniciar o teste é preciso tomar algumas medidas:

  • Desconecte da rede todos os dispositivos que utilizem Wi-Fi, como smartphones, tablets e notebooks;
  • Feche todos os programas do computador, se possível reinicie o PC para desativar todos os programas que ficam rodando em segundo plano;
  • Evite usar o Wi-Fi, essa conexão impede a análise da velocidade real da sua conexão. Ao invés disso, conecte diretamente o cabo da internet no seu computador.

Depois, é só entrar em uma plataforma para medir a velocidade, como o Velocímetro. O teste é rápido e você tem o resultado na hora.

Internet rápida e segura

Além de uma internet rápida, queremos também segurança para acessar todos os conteúdos de nosso interesse, certo?

Então, depois de fazer o teste, aproveite para complementar sua proteção com uma varredura completa usando um antivírus de confiança. Assim, você mantém seu dispositivo seguro e garante que a velocidade da sua conexão não diminua por conta de vírus, malwares e outras ameaças virtuais.

Gostou das dicas? Conhece outras formas de medir a velocidade da internet? Compartilhe com a gente nos comentários!

Este artigo foi criado pela equipe Bitdefender para uso exclusivo do Manual do Usuário.

Foto do topo: Pixabay/Pexels.

Acompanhe

Newsletter (toda sexta, grátis):

  • Mastodon
  • Telegram
  • Twitter
  • Feed RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 comentários

  1. Mesmo sendo infomercial, acho que, considerando a audiência do blog, poderiam ter informações um pouco mais profundas como sobre perda de pacotes, jitter…

    1. Na verdade, na imensa maioria das vezes se recebe o que foi contratado, contudo, as pessoas tendem a ter equipamento obsoletos (roteadores e, principalmente, telefones sem tecnologia AC dual band) que acabam nivelando a velocidade de download pelo equipamento mais baixo.

      Um exemplo é aqui em casa: apenas a minha mãe tem um telefone com WiFi AC/5Ghz (iPhone SE) que consegue pegar os 240M da NET na WiFi. Todos os outros equipamento WiFi são banda N, que acabam pegando perto dos ~50M. A maioria das pessoas faz esse teste via telefone ou tablet e não se atende a isso quando mede a velocidade.

      Ainda temos a questão de roteadores antigos e cabos no padrão errado em algumas casas.

      O maior problema das operadoras brasileiras é down time e oferta decente em bairros periféricos. Aqui em POA, por exemplo, só a NET oferecer velocidades acima de 100M na ZN da cidade (região mais pobre), as outras variam entre 15M e 25M.

        1. Sim, são bem caros. Mas a questão é que as pessoas assinam 120M na promoção da NET e quando fazem o Speedtest aparece só 50M e acham que é a operadora que tá “capando” a internet deles.

          Outra coisa que ficou na cabeça das pessoas é a ideia de que as operadoras fazem trafic shapping em torrent e streaming, sendo que é mais caro fazer isso do que liberar a banda e o que normalmente ocorre é falta de seed e rotas ruins pra servidores específicos, tipo o Twitch ou alguns jogos que ainda usam Amazon como provedor (ainda que streaming seja tráfico local, via CDN).

          1. Me arrependo amargamente de não ter continuado o curso da Fundação Bradesco / Cisco que ia fazer em 2015… :'(

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!