Fundo azul, com uma chamada para um PlayStation 5 no centro. À esquerda, a frase “Ofertas de verdade, lojas seguras e os melhores preços da internet.” À direita, “Baixe o app do Promobit”.

Sem títulos estrangeiros nem das gigantes locais, China volta a licenciar novos jogos

Em fevereiro, nós contamos aqui sobre a indústria de jogos de videogame na China. Uma das questões que andava incomodando os fãs era que o governo chinês não liberava licenças para novos jogos desde julho de 2021. Pois bem, liberou.

Após mais de 260 dias, a lista de novos títulos saiu nesta segunda (11) e tem 45 jogos domésticos — ainda sem novidades dos internacionais. Chamou atenção não ter nessa leva nenhum jogo da Tencent e da NetEase, as duas gigantes chinesas do setor, mas não é a primeira vez que isso acontece.


A Shūmiàn 书面 é uma plataforma independente, que publica notícias e análises de política, economia, relações exteriores e sociedade da China. Receba a newsletter semanal, sem custo.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Dúvidas? Consulte a documentação dos comentários.

1 comentário

  1. Talvez o governo esteja em uma estratégia dupla de protecionismo e anti-conglomerados. a oferta de jogos no mercado nacional se daria por empresas chinesas de tamanho não gigante (grande médio pequeno etc), assim o capital circularia internamente (em vez de sair da China para Japão /Eua/etc) e não haveriam mega-conglomerados controlando o mercado inteiro ou quase (garantindo competição e diversidade). Eh controverso, mas sendo jogador / gamer de terceiro mundo, posso dizer que seria inteligente e tem seus méritos.

Compre dos parceiros do Manual:

Manual do Usuário