O bizarro caso de assédio via WhatsApp perpetrado por um atendente da NET


26/5/15 às 22h18

Troca de mensagens entre o atendente da NET e a Ana.
Clique para ampliar.

Receber ligações de operadoras oferecendo serviços que você não tem interesse já é chato demais. Imagine, então, ser assediado pelo atendente via WhatsApp? Foi o que aconteceu com a jornalista Ana Prado, horas depois de receber uma proposta (de plano) de um atendente da NET.

A troca de mensagens, que ela printou e publicou em seu perfil no Facebook, mostra uma abordagem cínica, com frases ameaçadoras (e preocupantes) do tipo “Nos (sic) temos acesso a todos os dados dos clientes.”

Além de machista e inoportuno, o atendente ainda desdenhou a possibilidade de ser processado: “Agora, caso queira me processar ou processar quem quer que seja, fique a vontade… Terei o prazer de ganhar a causa hahahahaha.”

Assédios do tipo, infelizmente, ainda são comuns, mas aqui envolve uma empresa que, bem ou mal, detém informações (teoricamente) privadas de muita gente. Para piorar, outras pessoas relataram casos similares ocorridos nos comentários da postagem original da Ana, como o Rafael: “Cara, aconteceu A MESMISSIMA coisa comigo. E o cara ficou me mandando msg, perguntando se eu gostava de filme porno, se eu era casado, etc. Falei com a ouvidoria da Net e falaram que nunca tinham autorizado contato por Whatsapp..”

Pelo Twitter, o perfil oficial da NET se desculpou pelo ocorrido e prometeu tomar as “devidas medidas quanto à isto.” Entrei em contato com a assessoria da NET pedindo um posicionamento e, em resposta, a empresa disse que irá “apurar e tomar as medidas necessárias.”

Atualização (27/5, às 17h40): A assessoria da NET elaborou e encaminhou ao Manual do Usuário uma nota de esclarecimento sobre o caso relatado acima. Reproduzo-a, abaixo, na íntegra:

“Com base nas informações tornadas públicas pela cliente Ana Prado em 26/05/2015, a NET informa que está averiguando o fato relatado e tomará todas as medidas cabíveis para apurar, identificar e afastar sumariamente qualquer colaborador ou prestador de serviço que faça uso indevido de informações pessoais, confidenciais e sigilosas de nossos clientes;

Estamos, ainda, solicitando à cliente para que faça registro de um Boletim de Ocorrência na Polícia, a fim de que o fato seja apurado também na esfera criminal;

Cumpre ainda esclarecer a todos os nossos clientes que tratamos suas informações pessoais com as mais rigorosas práticas e políticas de proteção ao sigilo. Todos os prestadores de serviços da companhia estão obrigados contratualmente a assegurar a proteção dos dados dos consumidores e são proibidos de utilizar estas informações para qualquer outro fim. Também ficam cientes das sanções contratuais, cíveis e criminais aplicáveis em caso de descumprimento;

Além disso, os colaboradores envolvidos em atividades de atendimento ao cliente têm acesso aos dados estritamente necessários para executar suas funções, sempre de forma individualizada e rastreável.

Atenciosamente
NET

Assine o Manual do Usuário

Ao acessar este blog, você não é rastreado ou monitorado por empresas como Google, Facebook e outras de publicidade digital. A sua privacidade é preservada. O Manual do Usuário tenta viabilizar-se por métodos alternativos e éticos. O principal é o financiamento coletivo. Colabore — custa a partir de R$ 9 por mês:

Assine no Catarse