Quase um novo smartphone.

10 minutos com o Android 5.0


24/11/14 às 14h00

O Android 5.0 é a maior atualização da história do sistema. Ela traz gráficos mais leves, cores chapadas e animações fluídas — o Material Design é tão gostoso que quase dá vontade de morder. Mas há mais do que visual nesse novo Android sabor pirulito. Passei alguns minutos com um Nexus 5 recém-atualizado e conto, com palavras, fotos e vídeo, o que achei.


O cartão de visitas do Android 5.0 é a sua tela de bloqueio. Ela traz notificações expostas na tela de maneira bastante parecida com a do iOS, mas alguns truques legais, em especial as configurações granulares que extrapolam essa tela e alcançam os sons e alertas com o smartphone desbloqueado — englobadas na palavra “prioritária”, que também funciona como um “Não Perturbe” nativo. Notificações sensíveis também podem ser ocultadas e as do mesmo tipo são empilhadas, fornecendo mais informações em menos espaço físico.

As notificações na tela de bloqueio lembram as do iOS.
Clique para ampliar.

Todos os elementos do sistema, como botões, listas, seletores e animações foram alterados. Eles ganharam movimento, uma das bases do Material Design, e isso muda bastante a percepção do sistema. É o tipo de sutileza que sempre sobrou no iOS e que o Google não conseguia replicar, mesmo investindo em melhorias internas como o Project Butter da versão 4.1. Não posso dizer, ainda, se é só impressão inicial ou se essa fluidez é algo real, consistente, mas o primeiro contato foi animador.

Telas internas, como o painel de notificações e as configurações, mudaram também. Gostei muito da sinergia entre as notificações e a tela de atalhos rápidos. Elas não são mais duas áreas paralelas; agora elas são contínuas, convergentes no rolar da página. Ah, e incluíram um botão de lanterna para ativar o flash de LED do smartphone. Parece bobagem, mas é uma mão na roda — e um app a menos para baixar.

As configurações, embora estejam mais bonitas, ficaram mais intimidadoras. A ideia de priorizar contatos, apps e tornar o smartphone “context-aware” é linda no papel, mas achei tudo meio… confuso. A tela Segurança, dentro das configurações, pareceu-me bastante fragmentada e não consegui definir algumas coisas (o tempo era curto). Resolvi então colocar um padrão para a tela de bloqueio, o que funcionou ok, mas depois me enrolei e não consegui remover esse padrão — o item “Nenhum”, nas opções de bloqueio, ficou acinzentado e indisponível. O que houve? Sei lá.

Telas diversas do Android 5.0.
Clique para ampliar.

É importante que opções avançadas existam, mas também que elas sejam fáceis de entender. Fiquei com a impressão de que o Google errou a mão aqui e que recursos muito legais ficarão ocultos na maioria dos smartphones devido a uma implementação desnecessariamente complexa. Novamente, apenas uma impressão; não tive muito tempo para entender como as coisas realmente funcionam.

Queria isto em outros apps.

Queria, ainda, que a notificação não interruptiva para ligações recebidas valesse para outros apps. É uma limitação similar à do iOS 8, com a diferença de que, lá, ela é exclusiva do iMessage.

De qualquer forma, o Android 5.0 é um passo acertado rumo ao futuro. O Android nunca pareceu tão moderno e revigorado como agora, arrisco dizer mais até que o iOS. Ainda levaremos algum tempo para entendê-lo por completo e os desenvolvedores também precisam de espaço para incorporar e adaptar seus apps a esse novo paradigma, mas é inegável que há um ganho considerável na nessa nova versão.

Lollipop, ou Pirulito, é o codinome do Android 5.0.
Imagem: Google.

Para saber (ler) todas as novidades do Android 5.0 “Lollipop”, clique aqui.

Cadê os anúncios?

O Manual do Usuário é um projeto independente, que se propõe crítico e que respeita a sua privacidade — não há scripts de monitoramento ou publicidade programática neste site. Tudo isso sem fechar o conteúdo para pagantes. Essas características são vitais para o bom jornalismo que se tenta fazer aqui.

A viabilidade do negócio depende de algumas frentes de receita, todas calcadas na transparência e no respeito absoluto a você, leitor(a). A mais importante é a do financiamento coletivo, em que leitores interessados sustentam diretamente a operação. A assinatura custa a partir de R$ 5 por mês — ou R$ 9/mês para receber recompensas exclusivas:

Assine no Catarse

Newsletter

Toda sexta-feira, um resumo do noticiário de tecnologia, indicações de leitura e curiosidades direto no seu e-mail, grátis:


Nas redes sociais, notícias o dia todo:
Twitter // Telegram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

24 comentários

  1. Não gostei do Android 5, testei o Moto g 2 dtv e as vezes trava, na tela de notificação as opções ficam decendo de repente, e ruim de olhar outras opções, bateria achei que dura pouco tambem. Eu gostei muito foi do Android 4.1 e 4.4 esses sim testei em varios aparelho e é rapido e tem muitas funções.

  2. Qual app para o lollipop para gravar ligações? nenhum app esta funcionando para esta finalidade alguém conhece um?

      1. @ghedin:disqus

        no meu ainda nada… vc fez algum procedimento de limpeza de cache ou algo assim pra atualizar?

        e o q está achando do L? valeu a espera? =)

        ah, quando vc vai fazer um review do Moto X²? tenho dúvidas sobre a câmera, embora sei que vai ser bem melhor do que a do N4, em que pese de noite poucas câmeras mobile se salvem…

        pra vc, entre N5 x Moto X, considerando que vc citou o N5 como o campeão discreto, o que vc diria para quem quer sair do N4?

        abs,

        1. @ghedin:disqus

          atualizou tranquilo, apesar de demorar bastante, pensei até que tinha travado.

          a única coisa ruim que percebi foi que quebrou a instalação do Angry Birds Transformers… até desinstalei e reinstalei, mas ele não entra mais. até carrega, mas quando vai entrar na tela de jogo, dá a msg de erro e fecha.

          tava no nível 107… ¬¬

  3. Tenho um Nexus 5 com o Lollipop. Já é bastante louvável a evolução do Android por ser um ecossistema aberto, porém, com uma nova filosofia bastante rígida chamada “Material Design”. Fazer um sistema redondo como o IOS só mesmo fechando-o ao máximo. E olhe lá! As falhas têm aumentado ano a ano, fruto talvez da enorme evolução da concorrência e a necessidade de se atualizar o SO. Ecossistemas fechados “facilitam” o trabalho ao mesmo tempo que se ganha credibilidade perante os desenvolvedores.

    Farei uma analogia, pois acredito bastante que o Android Lollipop, e até o kitkat da Motorola no Moto X, já passaram, com certa folga, o IOS em modernidade. O que pode-se ter duvidas é na parte da estética e design do Lollipop com relação ao IOS 8.0.

    Pra mim o IOS é aquele aluno de 1º semestre, que já se demonstra bastante maduro, com boas experiências e retorna com belos trabalhos. No 2º semestre evoluiu um pouco, nada demais, porém, com fortes qualidades. 3º semestre a mesma coisa… Assim vai. Caminha, evolui, mas, percebe-se que aquele aluno menos destacado no 1º semestre, evoluiu muito e no 6º ou 7º já influencia colegas ou estes o querem no grupo. No 9º semestre, todos percebem o primeiro, o IOS, mas já sabem mais ou menos a sua linha de projeto. Algumas propostas surpreendem, contudo aquele hype sempre bem justificado, agora virou colegas daquela velha panelinha conhecida. Enquanto isso o Android rouba a cena (ou o Lollipop não está com a bola toda e muitos ansiosos por testa-lo?). Ele empresta alguns recursos do velho “amigo” e melhora outros, ainda que com certos deslizes tais como um app de gravador de voz que falta. Porém, o outro não da o braço a torcer.

    A quanto tempo se fala da malfadada autonomia de bateria do iphone? O nexus não é referencia, mas a melhoria do 5.0 foi significativa, ao menos é o que estou sentindo. E o moto X nunca foi ruim nesse quesito, que dirá os HTC, Note 4 e agora Moto Maxx. Isso é modernizar-se. Design? Quanto evoluiu o Iphone 4 para o 6 (conceitualmente) em relação a um Razr HD para um Moto X 2014 ou Galaxy X para o N6? E os recursos de voz do Moto X 2013, que foi aprimorado no 2014 e bastante incorporado nos Nexus 5 e 6? Isso é modernizar-se incrivelmente! A Siri nem sequer se deu ao trabalho de aprender Português… E os widgets do Android? E os cards do google now bem como sua interação com o usuário? Isso é modernizar-se! O android chutou o IOS em design, em Flat design, pois não parou apenas na palavra, mas virou uma filosofia, a Material Design. Ainda não está tão fluido, nem talvez tão simplificado, mas já está ali, no vácuo. E pode passar se a Apple não se modernizar, pois isso, acredito que ela somente manteve-se moderna, mas não evoluiu consideravelmente num contexto aonde os usuários evoluíram muito. A maçã se apega em seu Hype conquistado.

    1. Olá Matheus. Qual seria o lugar dos lumias com a última versão do windows phone na comparação acima? ou eles não teriam lugar, pois estão muito atrás?

      1. Então Gustavo, o WP é o SO mais novo dessa tríade, criado em 2010. O Android é de 2006, o IOS é de 2007. Contudo, a Microsoft como um gigante nessa área de tecnologia, quando era “apenas” o SO de alguns devices, entre eles e principalmente na linha Lumia da Nokia, não demonstrava esforço real em aprimorar a plataforma, sobretudo no que tange a credibilidade perante os desenvolvedores. A Nokia fez diversas inserções com apps muito bons e, por vezes, exclusivos para o SO instalado em seus mobiles. Recentemente, com o WP8 e a atualização para o 8.1 GDR1, diversas mudanças vieram e deram fôlego ao produto, nada substancial no aspecto estético.

        Isso tudo quer dizer que, potencial para ser muito melhor o WP tem. Não acho, porém, que esteticamente as coisas irão mudar significativamente e nem acho necessário por agora. É um sistema que está amadurecendo mais na parte funcional e buscando desenvolvedores, a final, apps por vezes demoram a chegar ou nem chegam para a plataforma. O Windows Phone roda com muita fluidez, mas peca nas confusas configurações avançadas, tal como o Lollipop. A Cortana ao menos já entende um português razoável e, se a Microsoft investisse pesado na ideia de potencializar o Bing tal como é o Google, integrando-o a Cortana, poderia ser arrasador. Não é tarefa fácil.

        A proposta de celulares com ótimas câmeras tornaram-se um diferencial e espero que não mude agora sob o comando da Microsoft. Agrada-me também o design do aparelho, a proposta de solidez. Como um todo, eles são mais agradáveis que os Iphones da vida, até porque a falta de respeito com o consumidor brasileiro em cobrar R$3.199 da versão de 16GB do IP6 é para acabar. Novamente, quem compra Beats poderia estar ciente que está levando design cool, aparelho bom, mas longe de ser a melhor relação custo beneficio. Assim também é, em menor proporção quando falamos de qualidade do produto, com a Apple.

        1. Muito bom o seu comentário, elucidativo. Concordo plenamente. O que mais prezo em um sistema operacional é a facilidade de uso, a clareza. Estou comprando o meu segundo smartphone, o anterior era um razr i. Estou analisando se continuo no android ou migro para o wp. Obrigado por dedicar alguns minutos do seu tempo para me responder. Abraço.

  4. Olá Rodrigo, talvez seja cedo para confirmar, mas pelo o que estou observando, o android 5.0 está menos intuitivo, como foi a sua impressão também. Você acha que isso pode se transformar em vantagem para o windows phone para aqueles que priorizam um sistema mais claro de usar?

    1. gostei do android 4.4 e 4.1 bem mais rapido que o 5 e dura mais bateria. o windows phone ainda precisa melhorar, facilitar pra ligar conexões e precisa ter os mesmo apps e jogos do android

  5. Instalei no Nexus 4 a ROM oficial que foi disponibilizada no site de imagens do Nexus (fiz uma instalação limpa). Gostei muito da versão! Parece que o Android saiu da puberdade e está finalmente virando um adulto. Começou na instalação que te pergunta quais app’s você quer retornar do antigo backup do sistema. Ao entrar, vc nota um visual bonito com soluções muito elegantes e bem sacadas. Gostei demais da subcortina de utilidades, do brilho “mínimo” (que tanto sentia falta do iOS), da smartlock que sabe que quando meu Nexus está conectado no som do meu carro e não precisa da tela de bloqueio.

    O sistema parece mais estável. A Google Now Launcher cai como uma luva para ele (e PASMEM: ela salva sua home screen a partir da nuvem!!! Nada de ficar configurando pastas, está tudo ali desde quando deixei no KitKat)

    A bateria do Nexus 4 melhorou consideravelmente (o que significa que ela está menos ruim, ou passa com nota D agora) com o 5.0 o que realmente é um alivio.

    O que não gostei: A lanterna foi um ótimo app a menos para baixar. Mas o Android ainda não sabe fazer conta de porcentagem então ainda preciso baixar um app de calculadora. Ele continua não sabendo gravar sons então preciso ver banners de algum app para conseguir a função. Outra coisa HORRENDA que ainda bem que dá pra desativar, mas infelizmente vem como padrão: as abas do Chrome se misturam na multitarefa do sistema. Pense em algo completamente caótico (eu normalmente deixo várias abas abertas). Carece também de uma melhor organização no “não perturbe”, apps prioritários e o volume. Ficou bem confuso e não tenho certeza mais se meu nexus está silenciado, meio silenciado ou apenas vibrando.

    Enfim, mais testes. Mas no geral, é um Android bem melhor.

      1. Mais ou menos. Uso a câmera do Google e a impressão que tive é que o auto foco está um pouco menos perdido, principalmente com o flash. No escuro, a foto do clique fica estranha na hora mas vai certa pra galeria.. Com luz natural tbm senti melhora…. Mas não há milagres. Por outro lado está um pouco mais lenta, tanto na hora de abrir, como na hora do clique. Em alguns momentos ela demorou tanto pra se achar que… Perdi o momento da foto . Ah, e pra variar o nexus 4 ja rebootou usando ela, em um mesmo episódio de demora.

        Enfim, em resumo : a boa notícia é que o desenvolvimento do app de câmera vai evoluir em separado. A má é que a cam do nexus é muito limitada e bugada então sempre vai ter um porém hehehe

    1. essa do gravador eu não entendo. seria por causa de alguma patente que o Android nao pode vir com um por padrão?
      se for ver a LG e a Samsung colocam suas proprias soluçoes para gravador.

      1. é todas colocam. Não dá pra entender: calculadora e gravador. Até porque para o Android puro se popularizar, ele precisa ter o “kit básico de ferramentas” sem precisar ficar baixando. O tempo que perdi procurando uma calculadora que não mostrasse banners foi razoavel. Gravador de som então, nem tenho paciência de procurar.

  6. Esperando chegar a atualização no meu.

    No próximo vídeo, dê uma atenção ao foco e exposição. Não ficaram mt bem nesse vídeo.

  7. Ja usei o 2.2, 2.3, 3.0, 4.0, 4.1 e 4.4 (talvez até mais), mas até hoje nenhuma versão me agradou, sempre achei o Android ligeiramente lerdo e muitas vezes bugado (digo isso pelas variações de hardware, mas a maioria das minhas experiências foram com aparelhos top de linha), além disso o design nunca me impressionou, apesar de ser inegável que tenha evoluído de forma incrível. Só agora com o 5.0 que estou começando a pensar em deixar o Windows Phone de lado e migrar ano que vem pra o Android, claro, isso tudo vai depender de como o Windows 10 vai se sair, particularmente estou com com muitas expectativas.

    1. O que me fez abandonar o Android foi a mesmice da interface/UX. Fora as pequenas travadinhas que irritavam no uso contínuo.

      1. prefiro o android, mesmo com algumas travadinhas as vezes… por que iPhone não tem radio fm, tv digital, acessorios sao fracos etc, Windows phone eu ate poderia usar, mas ainda precisam melhorar e falta mais aplicativos e jogos.