Achados e perdidos #34

Todo sábado, pego uns links que acumulei ao longo da semana e que, embora curiosos e/ou interessantes, não renderam nem notinhas, e os publico num compilado que chamo de “achados e perdidos”. É um conteúdo mais leve, curto, quase lúdico — a cara do fim de semana.

***

Foto do chão de madeira de uma sala, com um robô aspirador de pó com setas em seu redor desviando de um cocô de cachorro. Ao fundo, um cachorro pequeno de pêlos brancos.
Foto: iRobot/Divulgação.

— A iRobot desenvolveu e estudou mais de cem modelos de cocô de cachorro (em inglês) e uma quantidade não saudável de fotos de excrementos reais para ensinar a inteligência artificial do seu último robô aspirador de pó a não passar por cima da bosta.

— Até dia desses, o Nintendo Switch não era compatível com fones de ouvido Bluetooth mesmo tendo uma antena Bluetooth. Demorou cinco anos (!), mas enfim a Nintendo agraciou os usuários com este avançadíssimo recurso (em inglês).

— Além do Facebook, a Xiaomi apresentou um par de óculos para stalkers, digo, com câmera (em inglês). No caso dos chineses, por ora é só um produto conceito.

— Você piscou e a GoPro chegou à décima versão. O destaque da GoPro HERO10 Black é um novo chip que deixa tudo mais rápido e fluído na minúscula câmera. Lá fora, por US$ 500 (~R$ 2,7 mil).

— O Projeto Taara da Alphabet, holding do Google, conseguiu transmitir 700 TB em 20 dias a 5 km de distância usando lasers (em inglês) no Congo.

— Em 1992, as primeiras distribuições Linux (em inglês) foram lançadas.

— O torrent mais antigo ainda ativo completou 18 anos neste mês (em inglês). Fanimatrix, homenagem a Matrix feita em nove dias na Nova Zelândia com um orçamento de US$ 800, foi lançado no torrent em setembro de 2003.

— Alguns jogos, como Rainbow Six Vegas e SWAT 4, pararam de funcionar porque a empresa que veiculava publicidade dinâmica dentro deles (!?) fechou e desligou o servidor de anúncios (em inglês).

— Ainda na editoria “esquisitices nos games”, um desenvolvedor teve sua conta no Steam banida (em inglês) porque estava usando a nuvem da plataforma para armazenar sua coleção de vídeos adultos.

Feeel é um aplicativo de treinos físicos de código aberto para Android. Dica do Deymis Luis.

OpenRA é um projeto de código aberto que recria jogos clássicos de estratégia em tempo real — pense em Command & Conquer e Dune 2000, por exemplo. Tudo de graça, compatível com sistemas modernos e com missões novas.

— Uma listona de aplicativos utilitários para Windows (em inglês). (Tem coisa ali que eu não conhecia.)

Um buscador web que privilegia sites com muito texto (em inglês) e sem firulas modernas de design.

Uma versão de Quake feita em JavaScript com apenas 13 KB.

— Um serviço de RSS por e-mail. (Aliás, o Manual tem RSS!)

— Renderize qualquer coisa com caixas de seleção de HTML.

— Lançamentos literários da semana:
O século da solidão: restabelecer conexões em um mundo fragmentado [Amazon, Submarino, Pontofrio, editora]1, de Noreena Hertz, publicado no Brasil pela editora Record: “Noreena Hertz combina uma década de pesquisa com reportagens que demonstram como a solidão, remodelada pela globalização, pela urbanização, pelas crescentes desigualdades e disparidades de poder, pela revolução tecnológica e mais recentemente pelo coronavírus, prejudica nossa saúde, nossa qualidade de vida e nossa felicidade, ameaçando até mesmo a democracia.”
A sociedade autofágica: Capitalismo, desmesura e autodestruição [Amazon, editora]1, de Anselm Jappe, publicado pela Elefante: “[…] Anselm Jappe analisa o que chama de ‘pulsão de morte do capitalismo’: uma explosão de violência extrema gerada pela perda de sentido e pela negação dos limites, características de uma sociedade regida pela mercantilização.”
Retorno ao Admirável mundo novo [Amazon, Submarino, editora]1, de Aldous Huxley, publicado no Brasil pela Biblioteca Azul: “Neste livro, Aldous Huxley se propõe a avaliar as previsões de sua obra original e trata sobre ameaças à humanidade, tais como a superpopulação, a manipulação genética e psicológica, o uso de drogas prescritas como forma de controle social, e a ascensão de regimes autoritários.”

— Debates legais que estão rolando no post livre:
– Quando os PCs dos anos 1990 eram novos.
– Voltar a morar com os pais depois de velho.
– Distribuição Linux simples, leve, funcional, segura, privativa e bonita (ufa!).
– Relatos de quem se livrou do Facebook/Instagram.
– Celular as a Service — ou assinatura de celular — compensa?
– Alternativas ao Skoob.
– Tentando usar o GIMP.

— No podcast Guia Prático desta semana (ouça!), Jacque trouxe o livro A história do mundo em cinquenta cachorros [Amazon, Magazine Luiza, editora]1, de Mackenzi Lee e publicado no Brasil pela Paralela, e Ghedin, o filme Caché, ou Nada a esconder, de Michael Haneke, indisponível no streaming ou para alugar (foi mal!).

  1. Ao clicar e/ou comprar por estes links, o Manual do Usuário recebe uma pequena comissão do comparador de preços Zoom. O preço final para você não muda.

Este post saiu primeiro na newsletter do site. Cadastre-se gratuitamente para receber os próximos direto no seu e-mail.

Foto do topo: iRobot/Divulgação.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Dúvidas? Consulte a documentação dos comentários.

2 comentários

  1. Sobre a compatibilidade do Switch com fones bluetooth, parece que ainda é algo meio problemático. Esses dias vi um video em que o cara faz vários testes entre diferentes tipos de controles e fones e chega a algumas conclusões meio bizarras!

  2. Gostei da sugestão de buscador, me trouxe resultados excelentes. A propósito, numa lida rápida me pareceu que esse projeto search.marginalia.nu tem uma “justificativa teórica” interessante, caberia um post inteiro falando sobre o tema.
    Obrigado!

O site recebe uma comissão quando você clica nos links abaixo antes de fazer suas compras. Você não paga nada a mais por isso.

Nossas indicações literárias »

Manual do Usuário