Ícones do 4Shared e Play Store no mundo invertido da série "Stranger Things".

Universo alternativo: Como o 4Shared virou o “Spotify pirata” na era da música por streaming


27/5/19 às 10h42

Nota do editor: Esta matéria é parte de um especial do Manual do Usuário sobre aplicativos para Android em posições de destaque na Play Store brasileira, mas que estão fora do radar da imprensa. São famosos desconhecidos que, juntos, criam uma espécie de universo alternativo dos apps. Leia a segunda parte (Biugo) e aguarde a última nesta quarta (29).


Nos últimos anos, ouvir música virou quase sinônimo de ter um app que faz streaming no celular. Nesta nova realidade, alguns players se destacam: Spotify, YouTube, Apple Music, Deezer. são poucos e você, muito provavelmente, já deve ter pelo menos ouvido falar de todos eles.

O ranking dos apps gratuitos mais pesquisados na Play Store revela um competidor inusitado, que mesmo sem ser do ramo da música, tem um histórico — meio torto — no segmento. É o 4Shared. O app, que concede espaço na nuvem e acesso a esses arquivos de qualquer lugar, parece estar ocupando o lugar que um hipotético e improvável Spotify premium totalmente gratuito teria.


As principais notícias de tecnologia e indicações de leituras no seu e-mail. Assine a newsletter (é grátis!):


O discreto retorno do 4Shared

Uma consulta ao Google Trends revela que o pico de buscas pelo 4Shared no Brasil ocorreu há muito tempo, em outubro de 2011. (Apenas a título de curiosidade, inclui no gráfico o volume de pesquisas por “spotify” no mesmo período.)

Gráfico do volume de buscas por "4shared" no Google entre 2004 e 2019.
Gráfico: Google Trends.

Pesquisas por “4shared” em redes sociais como o Twitter devolvem, em sua maioria, publicações nostálgicas, lembranças daquela época em que o 4Shared ocupou o espaço não muito nobre, mas sempre disputado, de ferramenta líder da pirataria digital no país, quase como um “Naquele tempo é que era bom…” de pessoas que mal saíram da adolescência.

Tuíte de alguém falando do 4Shared como algo muito antigo, defasado: "Não soube nem o que é baixar música no 4shared e acha que tem moral pra discutir comigo".
Print: @SertanejeirosAM/Twitter.

No Android, porém, o app está em alta1: é o oitavo mais pesquisado2 na loja de apps oficial do Google, a Play Store, à frente de apps mais conhecidos como Netflix, Facebook, Uber e Spotify.

4Shared destacado no ranking de apps gratuitos mais pesquisados da Play Store, do Google.
Print do ranking de apps gratuitos mais pesquisados da Play Store. Imagem: Google/Reprodução.

Pensar no 4Shared como o que ele realmente é, um disco virtual que concede espaço na nuvem e torna acessível em qualquer dispositivo os arquivos salvos lá, faz qualquer um coçar a cabeça ao se depara com esta posição de destaque que o app ostenta na Play Store. Afinal, sobram opções mais robustas e melhor adaptadas a celulares, começando pela do próprio Google, o Drive, que vem pré-instalado no Android e está profundamente integrado a ele. Indo além, temos alternativas de grandes empresas estabelecidas, notadamente Microsoft (OneDrive) e Dropbox.

Se não está ganhando usuários ávidos pelo seu sistema de disco virtual vindos das soluções superiores de Google e Microsoft, o que explica toda essa atenção ao 4Shared dada pelos usuários? O Manual do Usuário tem uma suspeita: o player de música.

Além de salvar arquivos na nuvem, o 4Shared também funciona como um player multimídia. Se você salvar alguma música ou mesmo um vídeo em seu disco virtual no serviço, ele se torna acessível diretamente pelo app — não precisa de outro app para tocar a música ou exibir o vídeo.

O player é metade da resposta. Agora junte a ela a pesquisa interna do 4Shared, que vai além dos arquivos enviados pelo próprio usuário e alcança todos os arquivos públicos enviados à plataforma, e temos um cenário completo e propício para a boa e velha pirataria rolar solta. O 4Shared funciona, hoje, como o finado Grooveshark: uma plataforma colaborativa de envio e usufruto de músicas pirateadas.

Alguém poderia dizer que essa é uma conclusão maliciosa. É possível. Mas os indícios que levam a ela são convincentes.

O primeiro e mais forte são os comentários de usuários na página do 4Shared na Play Store. São dezenas, quiçá centenas de pessoas agradecendo e elogiando especificamente a funcionalidade de baixar e ouvir músicas pelo app. Alguns exemplos coletados lá:

o melhor de todos, todas as musicas que eu quero eu encontro nao mudaria nada por que esta maravilhoso, e sempre que desinstalo e o instalo novamente minhas musicas ficam salvas e depois posso recuperar todas !! literalmente o melhor app pra se baixar musicas !!

Amo, melhor aplicativo pra baixar música e ouvir qualquer uma mesmo sem ter baixado, é triste que não posso ouvir offline mas é só baixar a música que o problema se resolve💜

gente eu recomendo vcs baixarem esse aplicativo é muito bom eu baixei varias músicas é claro não vai ter tudo no mundo que vc quiser mais esse app é muito eficiente recomendo bastante nota 10!!!!!!!!

Certos comentários dão a impressão de que seus autores acreditam que o 4Shared é apenas um app de música — nada mais que isso:

Eu adoro esse aplicativo, só precisa melhorar nos nomes dos cantores, quando procuramos aparece muito coisa que não tem nada a haver, mas é muito bom.

Comentários de usuários do 4Shared se referindo à pirataria musical no app.
Comentários na página do 4Shared na Play Store. Clique para ampliar a imagem. Imagem: Play Store/Reprodução.

Incentivos do próprio 4Shared

O 4Shared também está disponível na App Store3. Lá, figura entre os apps mais populares da categoria “Produtividade”, à frente de rivais (teoricamente) diretos como Dropbox e OneDrive. A Apple tem um processo de inclusão de apps mais rigoroso, por isso não é surpresa que apps do tipo, que borram a linha da legalidade, sejam menos comuns no iOS. Mesmo que argumentasse que a pirataria que rola solta em sua plataforma seja acidental, o 4Shared correria o risco de ser rejeitado na App Store sem algumas precauções.

Uma medida que soa a uma tentativa de escapar dessa acusação é não liberar a pesquisa global de músicas pelo aplicativo. O app do iOS e algumas respostas dos desenvolvedores nos comentários da Play Store sugerem que só é possível adicionar músicas ao perfil acessando a interface web do 4Shared por um navegador. O mesmo termo buscado na pesquisa interna do app não retorna resultados. O Manual do Usuário confirmou isso.

Pesquisa de uma música no site do 4Shared e ela sendo tocada no app.
Pesquisa de música e execução da mesma no aplicativo do 4Shared.

No iOS, o app usa até as notificações para dar essa orientação aos usuários, de que músicas e livros estão acessíveis via pesquisa na versão web, o que fortalece a suspeita de que a empresa responsável pelo 4Shared, a New IT Solutions, com sede no Chipre (!), não só é conivente com a prática, como a explora a fim de exibir anúncios e vender assinaturas pagas do seu serviço por preços a partir de US$ 6,50 ao mês (com fidelidade anual).

Print de uma notificação do app do 4Shared.
Notificação do 4Shared orienta o usuário a acessar músicas pelo navegador.

Uma olhada na concorrência justifica o apelo do 4Shared para a música. O Spotify, embora tenha um plano gratuito, embute nele uma série de limitações artificiais, como playlists que não podem ser alteradas e a necessidade de conexão para ouvir músicas. No YouTube, do próprio Google, não é possível sequer desligar a tela sem que isso interrompa a execução da música — tal privilégio está restrito aos pagantes do YouTube Premium.

O 4Shared não tem nada disso: basta pesquisar as músicas e se algum outro usuário já a tiver compartilhado na plataforma, com um toque é possível adicioná-la à sua “biblioteca” e ouvi-la quando e como quiser, inclusive offline.

O Manual do Usuário enviou perguntas sobre esse uso do app do 4Shared à New IT Solutions e ao Google Brasil. Até a publicação desta matéria, as empresas não haviam retornado o contato.


Montagem do topo: Rodrigo Ghedin/Manual do Usuário.

  1. Este caso exemplifica expõe um erro recorrente da imprensa: o de tomar os gráficos de volume de buscas do Google Trends como verdades absolutas. O mundo é maior que o Google — por enquanto.
  2. Todas as consultas a rankings e diretórios nesta matéria foram feitas na semana entre os dias 19 e 25 de maio de 2019.
  3. É o único dos três apps da série com versão para iOS.

Colabore
Assine o Manual

Privacidade online é possível e este blog prova: aqui, você não é monitorado. A cobertura de tecnologia mais crítica do Brasil precisa do seu apoio.

Assine
a partir de R$ 9/mês