Yahoo anuncia encerramento do Yahoo

Primeiro layout do Yahoo.
Yahoo em 1994. Imagem via NBC.

Quando a web comercial surgiu as pessoas tinham dificuldade em encontrar sites. Até existia buscador, mas seus algoritmos eram simples e altamente sujeitos a fraudes, logo não entregavam resultados nem mesmo próximos dos de buscadores modernos. As melhores formas de descobrir sites eram ou por indicação de alguém, via e-mail ou boca a boca, ou através de links em outras páginas.

O Yahoo surgiu com outro nome, “Jerry and David’s guide to the World Wide Web”, em janeiro de 1994. Criador por Jerry Yang e David Filo, no princípio ele era um diretório, um site recheado de links que encontrados, revisados e categorizados por humanos. O buscador Yahoo só surgiu no início da década de 2000, e nem era próprio — ele usava os resultados do Google. Apenas em 2004 o Yahoo colocou no ar uma versão com índice e tecnologia próprios.

É por isso que o anúncio do fim do Diretório do Yahoo, marcado para 31 de dezembro de 2014, abre margem para a piadinha do título. É como se o Google acabasse com seu buscador, a Microsoft, com o Windows ou a Nokia com as fábricas de celulose. Hey, a Nokia não produz mais celulose! Ou seja, é um passo natural, mas não deixa de ser histórico.

A única parte chata disso (alguém ainda usa diretórios?) é que parte da memória da web se vai junto com esses serviços pioneiros. O comunicado do Yahoo não diz se o Diretório permanecerá online, como o Orkut, ou se terá o mesmo fim do Geocities, o primeiro lar online de muita gente e que o mesmo Yahoo descontinuou e apagou da web em 2009.

O Manual do Usuário é um blog independente que confia na generosidade dos leitores que podem colaborar para manter-se no ar. Saiba mais →

Acompanhe

  • Telegram
  • Twitter
  • Newsletter
  • Feed RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 comentários

  1. Pensei que esse serviço já havia sido descontinuado muito tempo atrás. Eu usava o Altavista e o “Cadê?”, que era uma cópia nacional do yahoo (até fui pesquisar no google para ver se ele ainda existia).

  2. Realmente, notícias como essa nos fazem parar pra pensar que a evolução da tecnologia tem um lado ruim. Infelizmente quando uma empresa não tem lucro, ou a atenção necessária no mercado, ele acaba deixando apenas saudades pros usuários.
    O chato mesmo é ser obrigado á largar o que você gosta pra usar o que dá.
    Eu mesmo usava um app de anotações que eu amava: o Catch. Infelizmente o serviço foi encerrado por problemas financeiros, me restando o Evernote como melhor opção. Hoje ainda até dá pra usar o app, mas sem os serviços de nuvem. Tenho apk do app e faço o backup dos dados com o Helium… É o único modo de usar ele, e o único modo de manter a nostalgia viva… :/

  3. Comecei a acessar a internet por volta de 1994/5 inicialmente através de BBS’s e depois via provedor de acesso. Usava o Yahoo! e Altavista no Netscape no Windows 3.1. Codificava MP3 então via programas DOS, quando ripar um CD levava quase a noite toda. Vi o nascimento e morte do ICQ, Napster, IRC, MSN, Cadê, disquetes de 3 1/4″, ZIP Drives entre tantos outros. O senso de história, de como a tecnologia muda muito e rápido é difícil de ser absorvido. Acho que notícias como essas é que acabam nos fazendo pensar no passado e em como as coisas eram mais difíceis e pouco práticas. De qualquer forma, é o progresso, essa abstração irrefreável.

    1. E hoje se um aplicativo de celular demora 10 segundos para abrir algo o pessoal chora e reclama. Impressionante hein? :)

      A gente estava acostumado em processos demorados, gravações de CDs demoradas.

      Como tudo muda…

  4. Já tinha passado da hora, mas realmente fica um sensação de nostalgia pra quem dependia de Yahoo e Cadê pra navegar na década de 90 =/

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!