Um passeio pelo Windows 10 Insider Preview para computadores

Uma olhada na build 10074 do Windows 10.

Depois de apostar alto (e perder) com o Windows 8, a Microsoft pulou um número e espera, com o Windows 10, resgatar a confiança de quem teve problemas com a última versão do sistema e convencer os que estacionaram nos antigos Windows 7 e XP a fazerem a atualização. Instalei o Windows 10 Insider Preview para tentar descobrir a oferta (gratuita!) da Microsoft compensa.

“Insider Preview” é o sobrenome atribuído às últimas versões de testes do Windows 10. Afinal, o lançamento está aí — daqui a dois meses, no máximo. Antes tivemos diversas builds (como são chamadas as versões preliminares do sistema) intituladas Technical Preview. A mudança na nomenclatura indica maior refinamento, ou um produto melhor acabado e mais próximo do que veremos na versão final.

O Windows 10 terá pequenas iterações em vez de grandes versões, como era padrão até o Windows 8 — analistas e fontes próximas à Microsoft já falam em três atualizações do tipo ao até o final de 2016. A justificativa é dar agilidade ao sistema, que incorporará novos recursos e (espera-se) correções de bugs mais rapidamente. Empresas que precisam de sistemas confiáveis terão como alternativa a esse modelo de atualizações rápidas o Windows Update for Business, que dará a administradores maior poder de controle sobre computadores com Windows dentro de redes corporativas.

Enfim, nada disso importará muito se, na essência, o Windows 10 for ruim. Ao longo da fase Windows 8, que teve duas grandes atualizações, a Microsoft aprendeu muito com os erros e já começou a reverter as mudanças mais profundas (e odiadas) pelos usuários. O Windows 10 é uma “contra-aposta”: ele preserva as poucas coisas que funcionaram e traz de volta tudo o que as pessoas mais gostam do Windows 7.

Preparação

Notebook Samsung RV411.

Instalei o Windows 10 Insider Preview (build 10074) em um notebook absurdamente lento da Samsung, modelo RV411. Ele é composto por um Core i3 M380 e 2 GB de RAM. A tela também não ajuda, com 14″ e resolução de 1366×768.

O Windows não traz mais o Windows Experience Index, aquele número indicativo do desempenho, mas acredito que a nota desse aqui devia ter um bem baixo. Se na escala do WEI um 2 garantia a experiência básica de navegação web e edição de textos, não me surpreenderia se a do notebook em questão fosse 1, suficiente para causar dor e sofrimento no usuário.

Isso posto, minha experiência com o Windows 10 acabou comprometida. Tudo é bem lento e, pelo que percebi perguntando e lendo os relatos de outros usuários, o hardware deficitário também atrapalha o funcionamento de alguns apps. Tive isso em mente enquanto preparava as telas e comentários que se seguem, ou seja, não comentarei questões relacionadas a desempenho porque… bem, não estava apto a fazer esse tipo de análise.

Tour visual pelo Windows 10

Tela de bloqueio com imagens aleatórias.

(Clique nas imagens para vê-las maiores. Todas abrem em novas abas.)

Não tive problemas na instalação, feita com a ajuda do Rufus, um pequeno app que cria pen drives bootáveis com a imagem do sistema. Essa eu peguei no site dos Insiders da Microsoft; ela é disponibilizada após um pequeno cadastro, e está disponível em dois sabores (32 ou 64 bits), já em português do Brasil.

Aliás, a primeira reação que tive com o Windows 10 pós-instalação foi uma gostosa risada ao notar que, por ora, a Microsoft traduziu o botão “Power”, aquele de desligar o sistema, literalmente; ele virou “Potência”:

Novo menu Iniciar do Windows 10.

Ou melhor, a segunda, já que para chegar até ali precisei abrir, antes, o menu Iniciar. Ele está de volta, para regojizo dos órfãos do Windows 7. Desta vez, porém, trata-se de uma mistura entre o menu Iniciar clássico e a tela inicial do Windows 8. De um lado, o bom e velho menu. Do outro, à direita, os blocos dinâmicos característicos da interface moderna da versão anterior.

Os blocos, nessa build, ganharam uma animação tridimensional estranha (já melhorada em builds mais recentes). O menu é, por padrão, levemente transparente, e pode ficar com aquele aspecto de vidro embaçado, o Aero Glass dos Windows Vista e 7, se os “insiders” acharem a mudança boa — a Microsoft a implementou para um grupo aleatório de beta testers e espera feedback deles. São apostas arriscadas, mas tudo em prol de agradar o usuário, esse ser de quem a empresa (e seu faturamento) depende.

Fiquei feliz em ver que, embora tenha mudado drasticamente, o menu Iniciar tenha preservado a pesquisa por apps e outros elementos. Ela funciona a partir do campo de texto da Cortana (que não funciona em português do Brasil) e, diferentemente dos Windows 8.X, está sempre visível, facilitando a descoberta por usuários novos. (Na maioria das imagens que fiz ela está oculta, por opção minha.) Para usuários avançados, Winkey + F ou mesmo começar a digitar o termo a ser pesquisado com o menu Iniciar aberto têm o mesmo resultado de clicar no referido campo.

A Cortana não está, mas a pesquisa funciona.

No canto superior direito do menu está uma seta dupla. Clique nela, e o menu Iniciar vira uma tela inicial, grande, ocupando toda a extensão do monitor. O que rola é, basicamente, um redimensionamento, o que fortalece a sensação de que boa parte da choradeira pela volta do menu Iniciar era só pirraça mesmo. (Isso também já mudou em builds mais recentes; veja o vídeo no final do post.)

O menu Iniciar se expande para tela inicial.

Do outro lado da barra de tarefas, a bandeja ganhou um ícone extra — e os demais, herdados de versões anteriores, foram redesenhados. É o de notificações. A exemplo do Windows Mobile (sim, amigo, é esse o nome), o Windows para computadores agora tem uma central de notificações. Além dos alertas e lembretes de apps, ele concentra um punhado de atalhos rápidos na parte inferior. O visual ainda está esquisito, mas é fácil perceber seu potencial.

Central de notificações com atalhos rápidos no rodapé.

A Microsoft também alterou os pop-ups que surgem ao clicar/tocar nesses outros botões. O objetivo é claro: dar consistência à interface do Windows 10. No Windows 8 era fácil encontrar pedaços da interface moderna misturados com elementos legados da clássica. A fusão das duas aqui ainda carece de acabamento (tem muita coisa pura e simplesmente feia), mas está presente em todas as partes, o que é um bom sinal.

Novos pop-ups na bandeja.

Infelizmente o Editor do Registro continua usando um ícone do Windows 3.11:

O histórico ícone do Editor do Registro.

Apesar do esforço claramente notável em unificar o visual do Windows 10, aqui e ali ainda se veem elementos legados. Seja na mensagem de confirmação para o uso de recursos administrativos, seja na insistência do velho Painel de Controle. Existe um novo app de configurações. Ele é responsivo e contempla mais coisas que o correspondente do Windows 8.1 Update. Porém, aparentemente ele ainda não é tão completo a ponto de aposentar o velho Painel de Controle.

Configurações Painel de Controle.

O Explorador de Arquivos ganhou alguns retoques, mas nada chama mais a atenção que o novo conjunto de ícones padrões. É difícil encontrar a melhor palavra para descrever o quão feios eles são. Eles são provas vivas de que, às vezes, é melhor não mexer em algo que está ruim porque, acredite, nada é tão ruim que não possa piorar.

Ícones horrendos.

Foi mexendo nesse app que notei uma discrepância entre os clássicos e os modernos. É um detalhe mínimo, mas daquele que não pode ser “desvisto”: uma leve incongruência nos botões de controle das barras de título da janela. Os dos apps clássicos ocupam pouco mais da metade do espaço vertical; os modernos, vão até o final da barra. Mostrar é mais fácil que falar:

Um botão vai até o fim, outro, não.

Alguns apps universais têm um botão extra, de tela cheia. Uma sacada legal. Uns têm o menu de hambúrguer diretamente nessa barra, mas dois, Música e Vídeo, o trazem dentro da moldura da janela. Dá para melhorar muito esse mar de inconsistências e acredito que a maioria seja isso, um trabalho em progresso.

Algo que talvez não mude e precisa urgentemente de atenção é a cor das barras de títulos. Elas são cinza, o que me leva sempre a imaginar que todas estão fora de foco. Até onde mexi não existe um meio de mudá-la (alterar a cor do tema só afeta a barra de tarefas e o menu Iniciar) e em builds mais recentes apenas trocando o tema escuro é possível mudar isso — elas ficam pretas.

Hambúrgueres por todos os lados.

Não posso falar sobre a qualidade dos apps porque, neste notebook, a maioria sequer carrega de primeira, provavelmente pela escassez de memória. Se nem iniciá-los o hardware é capaz, quanto menos rodá-los dignamente. Apesar disso, quando consegui abri-los e minha paciência permitiu enfrentar a lentidão a que fui submetido, o que vi agradou.

Novamente: falta lapidar o visual, mas a transição ao modo janela dos apps modernos foi feliz na maioria dos casos e, o mais importante, eles passam a confiança de serem robustos, algo que raramente senti com os apps simplórios que acompanhavam o Windows 8 e suas sequências.

O Project Spartan (ou Edge) vem com a promessa de ser um navegador enxuto e sem firulas com exceção das da própria Microsoft, como anotações em páginas via OneNote. Às vezes, enxuto demais — fazem falta algumas opções padrão no menu de contexto (aquele do botão direito do mouse) e a ausência do botão extra na barra de títulos que expande a janela para tela cheia é injustificável. Pior: nem com o tradicional F11 isso funciona. Espero, mais uma vez, que sejam deficiências temporárias a serem supridas até a versão final ser lançada.

Visão geral do Edge (ou Project Spartan).

Artigo do Manual do Usuário em modo leitura.

Menu principal do Edge.


De modo geral, o Windows 10 para computadores está em melhor forma que o para celulares. O que não é muito difícil, convenhamos. Eu gostei do que vi. O sistema está mais familiar, previsível, mais consistente e fácil de usar. A primeira parte, a de juntar as peças a fim de conciliar todos os recursos de um jeito que faça sentido, está concluída. O trabalho como um todo, não.

Se o Windows 10 fosse uma casa, poderia-se dizer que a fundação e estrutura estão prontas, mas há sujeira para todo lado, os móveis estão desarrumados e alguns detalhes de acabamento precisam ser feitos ou refeitos.

Em outras palavras: está funcional, mas detalhes estéticos e de usabilidade ainda precisam de (muita) atenção. Apesar da proximidade do lançamento (ou por causa disso), o trabalho segue intenso. Uma das últimas builds conhecidas, a 10114, melhora alguns aspectos apontados no texto acima. Veja:

A versão para celulares, que será lançada depois da destinada a computadores, também acabou de receber uma nova build (10080) cheia de correções e novidades, incluindo os novos apps universais do Office.

Assim será, esse ritmo frenético, até o lançamento. Com o prazo apertado, a Microsoft pisará no acelerador. E mesmo que uma ou outra coisa fique pendente, ela terá flexibilidade para refinar a experiência posteriormente, com atualizações menores. O seu grande trunfo nessa história é que, mesmo no estado atual, grandes são as chances do Windows 10 ser bem recebido — a referência do usuário é ruim (Windows 8), então eventuais falhas não devem ser obstáculo para o sucesso de um sistema que tem como norte entregar o que o povo quer.

O Manual do Usuário é um blog independente que confia na generosidade dos leitores que podem colaborar para manter-se no ar. Saiba mais →

Acompanhe

  • Telegram
  • Twitter
  • Newsletter
  • Feed RSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

85 comentários

  1. Como conseguiu subir o Windows 10 no Notebook da Samsung.
    Tenho um Samsung RV411ADBR3 e não consigo subir de forma alguma.
    Ele começa os preparativos para instalação.
    Começa e instalar, ai quando reinicia, ele trava no logo do windows e não saí mais de lá, deixei da noite pro dia, mas de 10h e nada.
    Ai apertei o botão power, religuei o notebook e ele voltou para o 8.1.
    Esse é o erro que aparece logo quando o sistema volta para o Windows 8.1.
    Por favor pode me ajudar. *–*

  2. olah, amigo como vc consegui instalar o Windows 10 TP nesse notebook da samsung, pois possuo o mesmo mas sempre apos a instalação qndo ele reinicia da erro e volta para o 8.1, ja testei varias build e sem suceços teria como dar uma dica!? pois as mesmas build ja instalei no desktop e funcionou normal…

      1. O meu também está num pen drive. Você lembra quais as configurações que você usou ou se mexeu em algo da bios?

          1. Cara, fiz exatamente isso e não deu certo. Que coisa. Mas obrigado mesmo assim, Rodrigo! =)

      1. Premiadaço, eu e mais uns três amigos temos o mesmo modelo de notebook que o dele e um deles só instalou porque trocou o processador pra um i5, não lembro o modelo exatamente.. Talvez seja esse o problema, os dual-cores e essa linha M da intel..

      2. Igor, tive de trocar a placa de rede wireless. Tirei a Broadcom original e coloquei uma Atheros. Tá funcionando perfeitamente.

  3. @ghedin , descobri uma gambiarra pra ativar o Aero Glass.
    Abre o regedit e vai em “HKEY_CURRENT_USER SOFTWARE Microsoft Windows CurrentVersion Themes Personalize”. No item “EnableBlurBehind” altera o campo de 0 pra 1 e depois reinicia o PC.

  4. Mais uma coisa… o que precisamos é de um sistema funcional assim como da Apple sem muita frescura, interface limpa , segura e funcional é o lema dos Macs aprenda de vez Sr. Gates!!!.

  5. A quem falem mal do Windows 8.0 ,o 8.1 ficou muito melhor!!! Mas este Windows 10 a interface gráfica muito ruim em formato jpeg desanima….vídeo no youtube ficou em formato horrível e os bugs nem se fala…vou de 8.1 ta bem legal…quanti mais se mexe….mais…..vocês sabem!

  6. Estou usando desde as primeiras builds em um computador produção (gosto de viver perigosamente haha).
    o menu iniciar estava bem bugado semana passada. essa semana normalizou, mas nao fixa aplicativos nele.

  7. Ghedin, pelo que tenho notado dos novos apps que a Microsoft vem desenvolvendo (como por exemplo os novos Música, Vídeo, Clima, Xbox e o próprio MS Edge, este botão para tela cheia é só uma gambiarra para os aplicativos que foram desenvolvidos para Windows 8 (e portanto, para tela cheia). Nenhum dos novos apps vem com este botão, apesar de se apresentarem em tela cheia se o modo tablet estiver ativado.

    É o mesmo caso do botão sanduíche na barra de títulos (uma gambiarra para suprir a ausência d charm bar até que os apps desenvolvidos para Windows 8 se atualizem para o Windows 10).

    1. Sério? Eu achei uma ideia bem boa a do botão para tela cheia. Ele faz sentido em vários apps, não só no navegador — um editor de texto distraction-free, um app de música, vídeos (óbvio, mas com um controle padrão embutido no sistema)…

    2. Sério? Eu achei uma ideia bem boa a do botão para tela cheia. Ele faz sentido em vários apps, não só no navegador — um editor de texto distraction-free, um app de música, vídeos (óbvio, mas com um controle padrão embutido no sistema)…

      1. Também achei, e como os apps são pensados também pra tela cheia (pelo modo tablet), não vejo problema em deixar a opção lá. É um elemento a mais na interface que não incomoda.

  8. Ghedin, a Microsft “pulou” o Windows 9 devido ao código legado que ainda remete ao windows 95/98 em que vários apps os códigos ainda estão lá e se tiver algum erro poderia causar o mal funcinamento de vários apps. Além de seu Kernel ainda ser o mesmo desde o vista.

      1. Sim, chegou. Na verdade a “culpa” não é da MS propriamente dita e sim dos devs que não usavam a API de versionamento adequadamente e buscavam a versão pelo texto e não pelo número.

  9. Ótimo artigo Ghedin, vou instalar aqui em um notebook velhinho (Lenovo x100e), espero que funcione bem :)

      1. Ah é! Verdade, li um artigo seu sobre esse notebook ?, e sim o desempenho dele é ruim mesmo (esquenta tanto que dá para fritar um ovo na parte debaixo hahaha).
        Sobre o Windows 10 nele, no início estava bem lento por causa do Driver de Vídeo, instalei e melhorou um pouco…
        Bom, esse notebook (que parece mais netbook) já é velho e bem fraquinho, alguma sugestão do que fazer com ele em relação ao OS? (Pensei em instalar o XP, mas em termos de desempenho entre o XP e o 7, não há muita diferença nesse hardware).

  10. Os menus hambúrguer estão nos apps do Windows 8.x que ainda não foram atualizados pro Windows 10, pra suprir a ausência da barra de charms. Pelo que eu entendi, quando eles forem atualizados esse botão sumirá, pq as funções estarão no próprio aplicativo.

    1. Não, Renan. Eles devem continuar. O botão foi a forma que a Microsoft encontrou para permitir que os apps possam se adaptar ao tamanho das telas em que estiverem rodando. No nosso Lumia 920 branco, por exemplo, o app do Outlook ficará com as seções de “Sent”, “Drafts” etc, escondidos pelo botão hambúrguer, em quanto que no Desktop essas seções são exibidas, como se o botão estivesse expandido.

      http://www.windowsclub.com.br/wp-content/uploads/2015/01/outlook-app-windows-10.jpg

      P.S.: Ainda vou morar em Floripa um dia! <3

  11. Ghedin, gostei muito dos seus comentários. Torço pra Microsoft realmente melhorar alguns ícones, e penso que isso acontecerá.
    Sei que o desempenho não foi primoroso, como você mesmo disse diversas vezes. No entanto, tenho um ‘lentobook’ Toshiba com 3GB de RAM, sem tempo(e com medo) de testar e queria saber algumas coisinhas, rs.

    Você pode ou sabe me dizer como é que fica a questão do consumo? O Windows 10 gasta mais RAM e processamento que o 7/8? Porque li que a Microsoft pretendia, com a nova versão, manter a base de usuários do 7, que nem sempre é dos mais potentes computadores. Só que se o uso aumentar muito, ficarei impossibilitado de atualizar por aqui…

    1. Essa lentidão deve ser bugs da preview. Meu computador é relativamente pior que o que ele usou (dual core antigo, 2gb ram, etc) e o W10 rodou mais rápido que o 7.

      1. Obrigado pela informação. Aqui tenho uma APU AMD das primeiras gerações. Usável, mas definitivamente não é rápido no Windows 7. Quanto de RAM o sistema usava quando estava sem uso, você chegou a olhar? Eu sei que o Ghedin é a favor de se abolir a vigília do gerenciador do sistema, mas se o SO gastar uns 2GB sozinho não vai dar.

    2. Tenho a mesma dúvida. Uns anos atrás comprei um RV415 (2gb). Vinha com win 7 e rodava liso. Uns 6 meses atrás cogitei atualizar pro win 8.1, pensava que o novo sistema rodaria perfeitamente, já que, essa era a promessa da Microsoft. Bem, passaram se uns meses, o RV415 pifou e comprei um ativ book 2 (I3 2gb). Esperava um desempenho melhor do win 8.1 nele, tive que abrir mão do chrome (coloquei o firefox,), tirei o norton (que vem de fabrica), que ajudou muito na velocidade, mas mesmo assim alguns apps modernos ainda demoram (pelo menos na minha opinião) para carregar. Ficou com receio de ficar mais lento ainda.

    3. Não sei dizer, @italofigueiredo:disqus. Acho que a Microsoft manterá os requisitos básicos inalterados, então se um PC roda bem o Windows 7 ou 8, deverá suportar numa boa o 10. Com o meu mesmo (um Samsung Série 9), o salto do Windows 7 para o 8 foi tranquilo — não sei dizer se ficou mais rápido, mas mais lento, definitivamente não.

      Esse outro Samsung que usei para instalar o Windows 10 sempre foi problemático. Deve ter alguma coisa muito errada nele, ou memórias zoadas, ou HD ruim (é um grande suspeito), porque ele sempre foi letárgico. Era com o Windows 7 que tinha antes, continua com o Windows 10.

  12. O novo Windows está bem promissor, mas acho que essa ideia de “inacabado” é meio que uma constante no mundo Microsoft né? Como eu disse em outro post, o maior mérito do OS X é o próprio Windows se atrapalhando consigo mesmo, mas acho que voltaram para os eixos novamente…só espero que sigam assim daqui para frente.

  13. Ghedin, aqueles programas clássicos do Windows como WordPad, Paint, Bloco de notas ainda estão presentes nesta versão do Windows. Na sua opinião ainda faz sentido eles ainda virem no Windows?

    1. O WordPad não é mais necessário, porque a MS tem agora uma versão básica e gratuita do Word na Windows Store. Mas Paint, gravador de som, bloco de notas, todos esses aplicativos nativos deveriam ser convertidos em apps universais (e consequentemente serem modernizados) na minha opinião, a exemplo da Calculadora e do navegador padrão.

      1. Sinceramente, eu acho que esses programas deveriam acabar de vez. A maioria deles é simplesmente inútil para os usuários. Mas sua solução é ideal.

        1. Eu uso bastante o Bloco de Notas e, às vezes, o Paint. A calculadora também está sempre aberta. Sei lá, eles devem ter dados de telemetria que embasam a manutenção dos apps.

        2. Uso MUITO o bloco de notas. E conheço pessoas que usam o Paint… Acredito que o menos utilizado é o WordPad (este poderia ser facilmente removido e substituído pelo Word novo)

  14. estranho, .. baixou 32 ou 64?, minha maquina de testes é pc, com um Dual Core Intel de 2.2 e 2gb ram, usava a ultima build 9x e agora estou na 10070, rodando liso, de primeira deixo o sistema fazer seus updates de drivers e recursos automáticos, demora um pouco, seguido de um resert, logo em seguida abro todos os apps para verificar se estão instalados ou ainda precisam baixar pacote completo… fazendo assim o sistema roda tranquilo na configuração citada, a TP pede bastante recurso de cpu no inicio, bem como leitura de disco, que causam travamentos, aconselho você esperar o sistema carregar e instalar por completo, por vezes vem algumas correções..

  15. Só para deixar claro para quem não tenha uma certa noção do processo de desenvolvimento que a Microsoft adota há um bom tempo: a parte do retoque da interface, botões, barras, ícones e tudo mais, sempre fica pro “final do ciclo de desenvolvimento”. É sempre na reta final que tudo isso se alinha. No início se preocupam com a base, com a integração das diversas partes do sistema. Exatamente como no processo de criação de uma casa.

      1. Eles já tem ícones prontos.
        Divulgaram isso há alguns meses (em fevereiro, acho). Repare no ícone da lixeira. Até colocaram ele nas novas builds (mas não colocaram os outros?)
        Enfim. Eu enviei feedback com esta foto pra eles lembrarem que eles tem ícones melhores que é pra usar rs

  16. Atualmente, os ícones antigos (e novos do WinExplorer) são as piores coisas do Windows 10. Os ícones da barra de tarefas são lindos. Não entendo como a Microsoft consegue ser tão inconsistente.

        1. Cara, pior que até o da lixeira eu gostei. Só achei nada a ver eles adotarem um ícone em 3D pra lixeira se todo o sistema adotou um padrão 2D, ficou inconsistente.

          1. Putz! Não gostei, preferia que adotassem um padrão 2D, mesmo que aperfeiçoando os ícones atuais já que muita gente não gostou. Acho que dava pra fazer algo bem elegante e moderno, esses ícones do seu screenshot já nasceram com cara de ultrapassados :(

          2. Putz! Não gostei, preferia que adotassem um padrão 2D, mesmo que aperfeiçoando os ícones atuais já que muita gente não gostou. Acho que dava pra fazer algo bem elegante e moderno, esses ícones do seu screenshot já nasceram com cara de ultrapassados :(

  17. A barra cinza é algo que me incomoda muito, mas é o Dev quem tem que alterar. O VLC e o Tweetium já fazem isso. O Tweetium por exemplo, muda de acordo com a cor do tema que você escolher.

      1. Sim, verdade. Existe outros problemas. Imagine que você ta copiando arquivos, o ícone do WinExplorer da barra de tarefas aparece aquele indicador de progresso verde. No Windows 10, se a janela estiver ativa, esse indicador some. Acho que ninguém reportou isso.

      2. Acho que pegaram isso “emprestado” do material design, barras coloridas. Espero ver a grande maioria dos apps usarem isso. A interface Modern precisa de mais cores e, nem a Microsoft nem os desenvolvedores em geral não devem ter medo de usá-las.

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!